1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

“David Copperfield”, de Charles Dickens

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 31 Mai 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    A época vitoriana (que vai de 1837 a 1900), um dos períodos mais notáveis da história da Inglaterra, é o cenário em que um gigante da literatura inglesa, Charles Dickens (1812-1870), viveu e se fez escritor. Tão importante e atual ele ainda é para a literatura mundial que Harold Bloom, um dos críticos literários mais respeitáveis da atualidade, compara sua grandeza canônica com a de Shakespeare e de Chaucer. E é com David Copperfield, a obra preferida de Dickens, que o leitor pôde pela primeira vez “ver através dos olhos de uma criança, apreendendo a verdadeira essência da infância” (“[...] see through the eyes of the child, capturing the very essence of childhood.” – Chersterton).

    Charles Dickens gozou de uma fama extraordinária com as suas obras, as quais eram publicadas primeiramente em folhetins e só então lançadas como livros. A população acompanhava o desenrolar das tramas com tal avidez que, numa certa ocasião, ele chegou a receber centenas de cartas pedindo para que o protagonista não morresse. Também era comum que ele fizesse leituras públicas de capítulos de suas obras (inclusive nos EUA), nas quais dramatizava as falas de cada personagem e era extremamente aplaudido. Até mesmo a Rainha Vitória o requisitou diversas vezes, na intenção de ouvi-lo ler, mas Dickens delicadamente desvencilhou-se do compromisso em todas elas. É que havia certo desconforto ou inadequação do escritor à sociedade. Sua infância pobre o excluía da aristocracia, assim como sua fama e riqueza também o excluía da classe pobre em que cresceu, deixando-o assim numa situação de isolamento na sociedade inglesa.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar