1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Bárbaros da Lemúria

Tópico em 'RPG' iniciado por Armitage, 20 Jul 2009.

  1. Armitage

    Armitage Usuário

    Esbarrei com esse joguinho recentemente...


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    O que é?

    Fantasia sword & sorcery ala Conan, mas com um sistema simples e ágil (ou seja, sem a complicacão de D&D, Gurps ou BRP! ). O jogo se passa ha milênios atrás no continente da Lemúria que, segundo as lendas, se perdeu no que hoje é o Oceano Índico.

    Como funciona?

    O grande lance é seu sistema leve e, porque não dizer, charmoso ( :mrgreen: ).

    Os testes se resumem a rolar 2d6, e tirar maior ou igual a 9. Para criar o personagem, cada jogador tem 4 pontos pra distribuir entre "carreiras". Exemplo:

    Meu personagem nasceu um bárbaro nas Montanhas de Axos, mas logo na infância teve seu vilarejo arrasado e foi tomado como escravo. Depois fugiu para Qudesh, onde viveu como ladrão até crescer e se tornar um mercenário. Assim, minhas carreiras poderiam ser:

    Bárbaro: 0
    Escravo: 1
    Ladrão: 2
    Mercenário: 1

    Se eu me deparar com uma situação que peça um teste relacionado a uma dessas áreas, eu posso rolar os dados. Exemplo:

    Explorando um calabouço na planície de Klaar, me deparo com um baú empoeirado trancado com cadeado. Como meu personagem já foi ladrão (tem a carreira Ladrão: 2), eu posso tentar abrir. Eu rolo os dados, somando os valores de minha carreira (+2 de Ladrão) e o atributo relativo a tarefa (+2 de destreza, digamos), e se tirar um valor total maior ou igual a 9, tenho sucesso.

    Além das carreiras, o jogador distribui 4 pontos entre 4 atributos (Força, Destreza, Mente e Carisma), e mais 4 pontos entre 4 habilidades de combate (Brawl, Melee, Ranged, Defense). Daí ele aponta sua região de origem no mapa..

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ...e pega 1 qualidade e 1 defeito relativos a esta. Exemplo:

    Nascido nas Montanha de Axos, meu personagem possui a qualidade "Estilingue", que é a arma preferida das tribos das montanhas para caça; e possui o defeito "medo de feitiçaria", justificado pelas lendas que as tribos contam sobre bruxos malignos.

    Toda vez que eu fizer algo relacionado a minha qualidade, rolo 3d6 (ao invés de 2d6), e considerando apenas os 2 maiores. Quando for um defeito, é o inverso: rolo 3d6 e considerando apenas os 2 menores.

    Pronto, agora é só jogar.

    Tá mas e daí?

    O sistema de "carreiras" é muito prático, e elimina aquele tempo perdido em meio a tabelas de skills, feats, equipamentos, etc. que vemos em jogos tradicionais (nas palavras do autor, "Conan, Brak and Thongor never went shopping; neither should characters in Barbarians of Lemuria").

    Além disso, o que faz a diferença nos testes é seu próprio personagem (na forma de atributos e carreiras), e não bonus de armas, armaduras, etc. o que motiva os jogadores a adquirirem equipamentos para ilustrar e colorir a estória do personagem (e não pela "matemática do jogo" ). Isso também tem o efeito de permitir os heróis que vemos nesse gênero - pés de sandália e peitos nús - pois a diferença que escudos e armaduras fazem são mínimas.

    Outra coisa interessante é sua flexibilidade - o sistema pode ser mais ou menos verossímil/realista/letal, dependendo do gosto do grupo, pois tem regras opcionais para ajustar isso (variação de danos, variação de dificuldades, conceito de "mooks" - aqueles inimigos buchas feitos pra morrer com um tapa igual D&D4, etc.), além de ser adaptável pra outros cenários.

    Moral da história: um jogo simples, rápido e charmoso. Vendido a $10 o pdf no site RPGNow. É uma pechinca. E eu quero jogar!!!


    EDIT: esqueci de dizer como os personagens "avançam de nível": descrevendo como torram todo o ouro que ganharam no final da saga!!! Quer mais bárbaro que isso? :mrgreen:
     
  2. Taverneiro

    Taverneiro Old school

    Isso me parece um FATE simplificado. Os "aspectos" podem ser carreiras no fim das contas.
     
  3. Armitage

    Armitage Usuário

    Nah, que Fate nada Taverneiro.

    Se você dissesse um Risus simplificado, aí eu concordo. :mrgreen:
     
  4. Taverneiro

    Taverneiro Old school

    puuuutz, Risus! pode crer!

    Alias, lembro que quando eu estudava na 6a série meu professor faltou entao criei um jogo em que usavamos ficha telefonica (#@@%¨! to velho).

    Atributos: Físico e Mental, variando de 2 a 6, sendo 4 a média. 8 pontos pra distribuir.
    Teste: Eram 3df (ou 3d fichas) contra atributos "roll under".
    Armas e Armaduras: parametros fixos.

    Lá mestrei uma aventura de Horror (!!) em um cenário Dark Fantasy (!!!!). Foi bom pq o jogo levou a manhã toda... e foi ai que criei meu primeiro cenário de campanha.

    Fichas telefonicas! aposto q tem gente nesse forum que nem viu isso na vida... trágico pra mim
     

Compartilhar