1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Antígona (Sófocles)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por -Jorge-, 18 Jul 2011.

  1. -Jorge-

    -Jorge- mississippi queen

    [align=justify]Antígona (422 ou 421 a.C) de Sófocles narra parte da lenda dos descendentes de Laio. Aqui Antígona, filha de Édipo e Jocasta, insiste em enterrar o irmão Polinice mesmo contra a proibição do rei Creonte, seu tio, o que tem como consequência a decretação da pena de morte para Antígona e o suicídio de Hêmon, filho de Creonte apaixonado por ela.

    Antígona gera muitas discussões e interpretações, no direito, na filosofia... Pode ser vista, por exemplo, do ponto de vista do direito, como o embate entre os direitos naturais e os direitos positivos; pode ser vista também como a oposição entre a família e a sociedade, Antígona escolhendo a primeira, em oposição a Ismene.

    A peça gerou também releituras, principalmente de Jean Anouilh, Jean Cocteau e Brecht. Além de várias óperas.

    De quem leu, gostaria de saber como vêem a posição não de Antígona, mas de Ismene. A figura de Ismene é interessante para mim, justamente porque ela se acovardou, por assim dizer, mas foi também a única dos descendentes de Édipo que continuou viva (e por isso não ganhou uma peça própria, haha). Valeu a pena? Ou uma vida depois de tantas desgraças seria terrível demais?
    [/align]
     
  2. Clara

    Clara O^O Usuário Premium

    Essa eu não li, só ouvi falar.
    Preciso ler pois parece tão bacana quanto "Édipo Rei". :sim:
     
  3. -Jorge-

    -Jorge- mississippi queen

    [align=justify]Fora os comentários sobre a peça, estou procurando agora as adaptações. Principalmente a de Anouilh (na verdade li Antígona por curiosidade sobre a adaptação :timido:).

    Há um livro de George Steiner chamado
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , em que ele parece resumir as interpretações que a peça recebeu ao longo do tempo e que parece muito interessante (queria achar isso na biblioteca da Universidade).
    [/align]
     
  4. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    minha resenha do livro da época em q o li:

    http://www.jefferson.blog.br/2007/04/antgona-de-sfocles.html

    vale lembrar q além d antígona, ainda existem outros livros q falam da maldição dos labdácidas.
     
  5. Alefmartins

    Alefmartins Usuário

    Antígona é uma história incrível, uma personagem de perseverança admirável. Ela lutou contra tudo e contra todos para cumprir a promessa feita ao irmão na obra "Édipo em Colono". Pra quem não leu, vale a pena começar em "Édipo Rei", partir para "Édipo em Colono" e por fim ler "Antígona". As histórias se completam!

    Vale muito a pena ler pois, além de serem livros muito bons, são rápidos de ler.
     
  6. Paola Fanticelli

    Paola Fanticelli Usuário

    Acho que Antígona foi uma peça injustiçada pela fama de Édipo Rei. É uma boa narrativa e os personagens, em minha opinião, são mais bem construídos. Antígona é uma verdadeira heroína trágica.
     
  7. G.

    G. Ai, que preguiça!

    eu gostei da peça por causa de Antígona, sua obstinação me agradou:sim:...
    Mas das três peças, de Sófocles sobre Édipo, a que eu mais gostei foi Édipo em Colono.
     
  8. raqtoledo

    raqtoledo Usuário

    Concordo!!! Li e adorei! Sou muito fã das tragédias, e essa é uma das melhores. A questão Individuo x Sociedade é muito forte e muito interessante.

    Esses gregos eram inteligentes DEMAIS.
     

Compartilhar