1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Traduções...

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Pandatur, 2 Set 2004.

  1. Pandatur

    Pandatur Usuário

    A idéia para este tópico surgiu durante a discussão no tópico sobre A Ilíada, onde começou-se a debater quais as melhores traduções da obra de Homero.
    A proposta do tópico seria então debater acerca de traduções (o que já parece óbvio né...). Quais os problemas que as traduções enfrentam, o que é uma boa tradução e um bom tradutor, quem são os grandes tradutores brasileiros, quais as grandes gafes, qual das diversas traduções de um livro é a melhor... enfim, coisas deste tipo. Acho que muita coisa bacana pode rolar por aqui se o pessoal se animar.

    Pois então, o campo está aberto para que cada um comece a dar opiniões e tal. Acho que assim logo logo engatilhamos e a coisa começa a fluir mais naturalmente. Vamos ver...
     
  2. Tradução é um negócio complicado, pode perguntar pra qualquer fã, de JK Rowling e Harry Potter a James Joyce e seu Ulisses.

    O trabalho de tradutor tem que ser levado a sério ou coisas ridículas podem aparecer (quem nunca ouviu fala da Terra do Meio, Anel-Um etc...). É só olhar no mesmo tópico no Cinema e ver as barbaridades que já fizeram na sétima arte...
     
  3. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    Revivendo o tópico por conta da discussão no tópico de Harry Potter. Qual a opinião de vcs sobre tradução de nomes próprios???
     
  4. Falassion

    Falassion Usuário

    Eu acho um tópico bem difícil de discutir.

    Por um lado, deve-se prezar pela autenticidade da obra e com a proximidade da tradução da mesma com relação à original. Deste lado, seria contra.

    Por outro, deve-se considerar que alguns nomes estrangeiros são muito difíceis/tem dupla pronúncia aqui, o que incentivaria a tradução de nomes.

    Questão difícil. :think:
     
  5. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    Sim... eu pessoalmente acho válida a tradução quando há um equivalente mto claro entre as línguas (ex: Albus => Alvo). Mas acho deprimente quando querem traduzir uma piada do autor (na versão francesa de HP, por exemplo, Snape => Rogue , que quer dizer mal-humorado).
     
  6. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Acho que quando há uma intenção por trás dos nomes, algo que vá influenciar de alguma forma na compreensão do texto, é uma boa fazer uma tradução aproximada. Aquela coisa, claro que "Strider" é loco de chique, mas em dado momento o Carrapicho se confunde sobre o nome dele, e esse trecho não teria sentido algum se o apelido do Aragorn não fosse traduzido.

    Do Harry Potter eu só li um livro, mas acredito que a questão da tradução seja também para facilitar a leitura da criançada. Aquela coisa "Duda" é mais "legível" do que "Dudley" e mesmo assim é aproximado.
     
  7. *Ceinwyn*

    *Ceinwyn* Ogra rosa

    O ruim da tradução de nomes é quando os nomes têm o significado um pouco especial, que remeta a outras obras, ou mesmo a mitos. Quando é feita a tradução desses nomes uma das coisas que mais aprecio na literatura, que é a imensa possibilidade de se remeter a outras coisas, se perde... :disgusti:

    Ou também quando a tradução faz o nome ficar ridículo... tipo Edmund ficar Edmundo...
     
  8. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    Vc achou essa tradução ridícula? mas É o nome do garoto, ué! Edmund=Edmundo , não há o q discutir, o significado é o mesmo, e remete às mesmas coisas!!
     
  9. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    A questão também é que aí tem que manter uma coerência, se traduziu o nome de quatro ou cinco personagens porque era necessário, mesmo que seja uma tradução boba tipo "edmundo" tem que fazer isso, pq não tem cabimento vc falar de Carlos, João e Edmund :eh:
     
  10. Edrahil

    Edrahil Usuário

    Concordo com essa visão da coisa. Muitos nomes são traduzidos para facilitar para a criançada. Em livros mais "adultos", ou melhor, quando os leitores são de uma faixa etária maior, não acredito que se costume traduzir tanto os nomes.
     
  11. Finduilas

    Finduilas De Mudança pra South Park

    Como eu li os livros de Harry Potter primeiro em inglês, não consigo acostumar com os nomes em português... Pra quem conheceu 'Duda' em primeiro lugar, por exemplo, deve ser normal, mas eu acho muito feio... :)

    Na minha opinião, quando é importante para a caracterização do livro o fato de se passar em determinado país, por exemplo, acho que a tradução dos nomes faz perder um pouco desse 'sabor'. Poderia-se usar notas de rodapés, por exemplo, para explicar o significado, quando houver um por trás, ou o equivalente em português...

    Mas o que realmente me indigna nas traduções nem são tantos os nomes, mas sim quando os tradutores deixam de colocar frases inteiras ou mesmo parágrafos...
     
  12. Falassion

    Falassion Usuário

    Outra coisa a ser observada é a pressa que muitas vezes os tradutores tem (ou são obrigados a ter) para traduzir um livro. Por exemplo, neste último Harry Potter acredito que a tradutora tenha se aposentado depois, porque ter traduzido um livro daqueles em tão pouco tempo. =P

    E é deste jeito que acabam saindo traduções erradas/feias e omissões de trechos. =/
     
  13. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    Sim, isso realmente acontece, e é realmente revoltante, principalmente em alguns casos que não dá para acreditar que tenha sido sem querer. Por exemplo, o HP 2 em francês cortou metade da carta do Feitiço-Expresso que o Harry encontra na mesa do Filch. É um tremendo desrespeito com o leitor e também com o autor da obra, na minha opinião...
     
  14. Edrahil

    Edrahil Usuário

    Ou quando traduzem uma coisa de um jeito, e depois de outro. Exemplo: no livro 5 do Harry, o medalhão encontrado na casa dos Black foi traduzido como camafeu, e no livro 6, ficou como medalhão. Ocorre que tudo indica ser o mesmo artefato a que se referem os dois livros.
     
  15. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Sobre os nomes próprios: acho extremamente delicado isso. No caso do Legendarium, o Tolkien deixou expresso quais e como os nomes deveriam ser traduzidos. De resto, acho que não cabe a tradução. Dudley nem é tão complicado assim. Quando eu tinha 5 anos eu falava e escrevia Chewbacca facim facim.

    Uma tradução muito boa que eu vi foi a do Eça de Queirós pro livro As Minas de Salomão. Ok, ele traduziu os nomes, mas o feeling da tradução do livro em si é um espetáculo.
     
  16. Edrahil

    Edrahil Usuário

    Mas quem disse que você é normal? :mrgreen:
     
  17. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Na verdade não é nem uma questão de "facilidade", mesmo pq hj em dia as crianças são bombardeadas com desenhos e filmes com nomes em Inglês. Deve entrar naqueles campos da alfabetização, sabe-se lá. :eek:
     
  18. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    Mas facilidade tb conta, pq uma coisa é vc ver na TV (ou no cinema) um nome complicado, mas que vc só precisa repetir. Outra é vc LER um nome que vc não sabe como falar, é mais complicado, e pode até atrapalhar a leitura mesmo, no sentido em que assusta e diminui a vontade de ler...

    então vc foi alfabetizado cedo, hein? :hanhan: as crianças em geral só aprendem a escrever seu próprio nome mais ou menos com essa idade...
     
  19. Edrahil

    Edrahil Usuário

    Vai ver ele achava que está escrevendo corretamente, e na verdade era um monte de garrancho.
     
  20. Pandatur

    Pandatur Usuário

    Era exatamente o comentário que eu iria fazer agora. Notas de rodapé solucionariam o problema. E deveriam estar presentes mesmo em livros tidos como "infato-juvenis".
     

Compartilhar