1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Pesquisadores chineses criam gripe mortal

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 6 Mai 2013.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Embora muita gente sem dúvida não considere isso, digamos, uma “boa ideia”, um grupo de pesquisadores chineses resolveu criar variáveis letais do vírus da gripe.

    O experimento, feito no Instituto de Pesquisa Veterinária Harin (China), combinou o vírus H5N1, de gripe aviária (que é letal para humanos, mas não é transmitido facilmente), e o vírus H1N1, facilmente transmissível entre humanos. Esse tipo de mistura ocorre naturalmente quando dois tipos de vírus infectam uma mesma célula e trocam material genético entre si, gerando “híbridos”.

    “Os estudos demonstraram que o vírus H5N1 tem o potencial de se tornar transmissível entre mamíferos ao se combinar com vírus influenza humanos”, explica a pesquisadora Hualan Chen. “Isso nos mostra que devemos dar mais atenção ao surgimento na natureza de tais vírus transmissíveis entre mamíferos para prevenir uma possível pandemia causada por vírus H5N1″.

    Embora tenha sido realizada em um laboratório com elevado nível de segurança, o experimento foi criticado por diversos cientistas, pois há o risco de amostras dos híbridos “escaparem” e iniciarem uma pandemia.

    Em 2011, pesquisadores do Centro Médico Erasmo (Holanda) e da Universidade de Wisconsin (EUA) criaram uma versão do H5N1 que podia ser transmitida entre furões. O estudo foi suspenso. Resta saber se o mesmo acontecerá no caso atual.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Pearl

    Pearl Usuário

    Bom a H5N9 já está aí. A última notícia que eu ouvi foi que já matou 21 das 104 infectadas o que dá uma margem de mortalidade um pouco abaixo dos 20%.

    Enfim, eu também acho esse tipo de coisa de formação de híbridos mais letais um negócio antiético e inseguro. Eu lembro de um grupo de holandeses que anunciaram um híbrido entre o ebola e a varíola e foram para um congresso com esse tipo de coisa, e o exército dos EUA pediram para que não divulgassem materiais e métodos, além da destruição das cepas. O medo nem era do grupo de holandeses em si, mas da ação de cópia ou roubo das cepas por parte de terroristas.
     
  3. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Já comentei no Face mas vou comentar aqui tbm: meo deos, se isso escapa, como que fas???

    Do jeito que o "sero mano" tem ideias esdrúxulas, isso pode servir pra criar uma guerra biológica!!

    Acho muito perigoso fazer experimentos com essas coisas.
     
  4. Yulien

    Yulien Usuário

    Eu não entendo porque eles fazem essas doenças mortais e tal, PRA QUÊ? Morro de medo :o
     
  5. Lew Morias

    Lew Morias Luck is highly overrated

    O argumento usado por esses pesquisadores é que esse tipo de combinação ocorreria naturalmente na natureza, independentemente da ação humana. Se você cria esse tipo de vírus em laboratório, sob controle, pode entender seu mecanismo de funcionamento e assim pensar em estratégias para combatê-lo, criar vacinas esse tipo de coisa.

    Imagine o cenário: sob condições naturais, um vírus desse é formado. Extremamente letal e contagioso. Pense no tempo que os pesquisadores levariam até criar uma vacina eficaz... Quantas pessoas teriam morrido nesse meio tempo? Criando esses 'monstros' no laboratório, saberíamos seu mecanismo de ação e poderíamos desenvolver vacinas antes mesmo que uma pandemia aconteça. Várias vidas salvas, entende?

    LÓGICO que as coisas não são simples assim. O que eu apresentei aí é um argumento que justificaria esse tipo de pesquisa, mas obviamente há diversos outros fatores envolvidos, como os que a Pearl citou. Existe o risco do vírus 'vazar' por uma falha de segurança no laboratório, de grupos terroristas ou mesmo governos o usarem como arma biológica, entre outros...

    O que precisamos entender é que o conhecimento, por si só, de como o vírus ataca é algo interessante. O que complica em casos assim é o que nós, humanos, fazemos com esse conhecimento. Iremos desenvolver vacinas e antídotos para evitar uma pandemia e salvar milhares de vidas ou o usaremos como arma biológica em favor do interesse de poucos e dizimar as vidas que deveríamos proteger com esse conhecimento?
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  6. Yulien

    Yulien Usuário

    exatamente
     
  7. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    É que do jeito que o "sero mano" pende pra transformar "descobertas inofensivas" em algo destrutivo (vide o que fizeram com a energia nuclear), fico pensando que as chances de começar uma guerra biológica com isso aí não é pouca...
     
  8. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Pra mim o que é mais preocupante é que as instalações do laboratório onde essas pesquisas são feitas precisam ser muito bem desenvolvidas, isoladas e protegidas contra o maior número de agressões externas possíveis (terremoto, inundação, bombas, ataque nuclear, etc), o que requer um investimento muito elevado. A não ser que sejam pesquisadores muito bem bancados pelo governo, não vejo isso como algo pra qualquer um fazer e se aventurar as escondidas.
     

Compartilhar