1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Opiniões sobre o uso de Quenya e Sindarin

Tópico em 'Idiomas Tolkienianos' iniciado por Eldhar, 8 Dez 2008.

  1. Eldhar

    Eldhar Usuário

    Bem, eu gostaria de pedir a opinião das pessoas daqui do forum nesta questão:
    Eu estou com uma pequena história na cabeça, escrevi já alguns capítulos sobre a mesma. O nome dos personagens, não todos, mas a maioria está em Quenya ou Sindarin, e eu gostaria de saber a opinião de vocês sobre eu estar usando os idiomas de Tolkien para uma história minha, se vocês acham que não tem nada de mais eu fazer isso, ou se acham isso ruim, tipo, eu estar meio que plagiando, sei lá que palavra seria melhor. Mas assim, é isso. Mas vale lembrar que eu estou usando apenas para os nomes de personagens, ou objetos não como uma lingua de elfos antiga, e tal.
    Espero que tenham entendido.
     
  2. Deriel

    Deriel Administrador

    Eu achoque a escolha é sua como autor =] Se os nomes soam bem, se se encaixam em sua história, em sua proposta e não são cópia de nomes criados por Tolkien, não vejo problema algum.

    Há algumas pessoas que afirmam que pode haver problemas de copyright em simplesmente usar o idioma, mas eu acho que é uma tremenda besteira e que não tem fundamento.
     
  3. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Sinceramente, eu recomendo muuito cuidado...
    Se você é acompanhante assíduo do Ardalambion e seus cursos, deve saber pelo prefácio do Helge no Curso de Quenya o enorme trabalho que ele está tendo com representates legais do Tolkien (coisa de seo Christopher).

    Nada sério, na verdade, mas pelo que eu sei, se ele já foi acossado por uma coisa tão bem intencionada como um curso, imagine uma outra história com esses idiomas. Eu recomendo você criar um idioma, como eu tento há anos. Tinha esse mesma dúvida que você e acho legal mesmo nós dois não sendo filólogos doutores como o Tolkien.

    No prefácio, você fica sabendo e avaliando diversas coisas: se um nome pode ter direitos autorais se for construído por conhecimentos gramáticos da idioma, se todos os idiomas são "propriedade" do seu autor (quem você conhece que é dono de uma língua ou mesmo que tenha inventado alguma?, Tolkien inventou mas ele é dono?), consideramos só os nomes construídos nos livros direito de Tolkien ou tudo que possa ser falado naquele idioma, não podemos ser criativos ou conservadorismo é burrice?

    Enfim, é um assunto sério e requer muita análise. Não sei sobre sua obra, mas vai uma dica: é bom que esse seu trabalho seja algo sério, porque Helge alerta: nem o seu simplíssimo curso deve ser tomado levianamente e todo estudo de idioma tolkieniano (como em todo idioma "real") deve ser um estudo SÉRIO!!!!
     
  4. Deriel

    Deriel Administrador

    Eu sinceramente não chegaria tão longe =] Se sua obra fizer fucesso tal que venda centanas de milhares de exemplares em dezenas de países e até vire filme, talvez você venha a ser incomodado pelo pessoal do Tolkien Estate (Christopher & Cia). E isso nem de longe quer dizer que eles estejam certos - só que você pode receber algum contato se for extremamente bem sucedido.

    Eu não me preocuparia muito com isso. Dedique-se ao seu livro.
     
  5. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Leiam o prefácio de Helge, vale mesmo a pena...
     
  6. Eldhar

    Eldhar Usuário

    Minhas duvidas começaram a surgir quando eu li parte do curso. Bem, esse é meu medo, o cara fez um curso e tá assim, e eu que estou com uma história, utilizando os idiomas de Tolkien, mesmo que sejam nomes, tenho medo de que os outros não gostem disso. E criar uma lingua, creio que não consigo, gostaria de poder usar o nórdico antigo (norueguês antigo) mas este já foi usado em outra história, ai acho que fica meio chato. Meu unico problema na história seria os nomes, idioma e tudo isso (o que seria praticamente toda a história).
    Mas ainda acho que já tenho meio caminho andado, o enredo *-*

    Deriel Acho que eu num chego a filme não xD. Mas já estou dedicando muita parte do meu tempo no meu livro.
     
    Última edição: 8 Dez 2008
  7. Deriel

    Deriel Administrador

    Então continue dedicando =] Um bom exemplo de que nada vai acontecer é que o Curso de Quenya foi publicado em livro no Brasil e está aí belo e formoso, aguardando uma segunda edição.

    Vai fundo e relaxa.
     
  8. TorUgo

    TorUgo a.k.a. Tortoruguito...

    Parabéns para ti por quereres saber das consequências do que estás a fazer! ;)

    Eu estou entre as opiniões do Deriel e do Caio! Acho que não precisas de te preocupar muito com o assunto se, e apenas se, estiveres a usar o Quenya/Sindarin para criares nomes com significado para ti. Imagino que o Christopher tenha os direitos das línguas que seu pai inventou (pelo menos dos nomes próprios e dos próprios nomes das línguas - Quenya e Sindarin).

    Mas, se estás a dizer que os idiomas serão "falados" ou referidos como tal durante a obra, (por exemplo, se um grupo como homens diz que é a sua língua antiga mas que apenas é usada em nomes próprios) acho que a situação muda de figura, pois estás a usar o idioma como se ele fosse... um idoma (:roll:). Não sei se me estou a fazer entender! xD

    Dando um exemplo prático: numa história digo que o elfo se chama Anor (sol em sindarim... acho... xD) apenas porque eu gosto desse nome e tem significado para mim, acho que não há problema. Se, pelo contrário, numa história eu digo que o elfo se chama Anor porque na sua terra os nomes são dados em Sindarin, uma língua antiga deles (exemplo tosco! xD) estás a usar o Sindarin propriamente!

    Até porque, por exemplo, numa história minha já "velhinha", antes de eu ler qualquer obra do Tolkien, falei em Valar (eu sei, coincidência! xD) e eram um grupo de homens de uma terra... não importa! Eu não usei o nome porque ele tinha qualquer significado, mas porque me lembrei, simplesmente, mas o nome Valar, se estivesse registado para Christopher Tolkien, eu não o poderia usar, se me estivesse a referir aos Valar como os deuses...

    Bem! Eu tentei ajudar e acho que compliquei tudo e ainda me confundi a mim mesmo!!! ahahahah

    De qualquer forma, sempe me disseram que o que conta mais é a intenção!

    ;D
     
  9. Eldhar

    Eldhar Usuário

    É assim que eu penso também, na história nunca falarão de uma lingua antiga com o nome Qenya ou Sindarin. Como eu disse eu usarei o Quenya e Sindarin apenas para nomes de pessoas e objetos, nada mais, a lingua falada por elfos e por pessoas mais antigas será o Inglês Antigo, pensei em criar os nomes com base nessa lingua, mas eles ficam um tanto estranhos.
     
  10. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Uma dúvida, esses nomes você criou declinando realmente os elementos em quenya, quero dizer, são palavras do idioma mesmo ou você só misturou elementos, nomes para formar uma palavra, por exemplo?

    Ou você só está usando nomes feitos?
     
  11. Eldhar

    Eldhar Usuário

    Nomes feitos não, eu estou meio que montando os nomes, pego palavras aqui e ali e depois "misturo" elas, fazendo qualquer edição neles pra que fiquem bons de se ouvir e escrever, mais ou menos isso.
     
  12. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Não quero ser chato, mas isso não é falar nem escrever élfico, existem regras precisas (outras nem tanto) para formação de palavras, frases, uso de substantivos, adjetivoc, verbos, suas declinações e conjugações, fora os léxicos e vocabulários que você deve se familiarizar.

    Mas se você for criar um nome e outro respeitando certas regras fonéticas, não é bem errado essa "mistura" mas recomendo cuidado, existe fã que adoraria te capar pelo menor erro de gramática, até de digitação!
     
  13. TorUgo

    TorUgo a.k.a. Tortoruguito...

    Fico feliz por ter ajudado! (acho) Qualquer coisa... só falar! ;D

    Só para confirmar o que disse em cima mediante as novas informações!

    Estás a juntar elementos com significado ou não estás a ligar em significado mas sim para o som e a escrita!
    Porque se é assim, então acho completamente normal e não deve haver o mínimo problema!
    Se estás a fazer conjunções de significados, por exemplo Tol-Ithil (não sei se é assim [+ignorante em sindarin] que é Ilha da Lua, acho que continua a não haver problema!...

    ;D
     
  14. Eldhar

    Eldhar Usuário

    Eu to estudando pra isso, claro. Eu me expressei mal ali, eu não só "misturo", estudei um pouquinho pra poder misturar as palavras xD (ainda estou estudando).
     
  15. Excluído045

    Excluído045 Banned

    AHh, sim, agora saquei...então continue estudando, é uma experiência única e bem gratificante!
     
  16. Cildraemoth

    Cildraemoth Usuário

    Mesmo neste caso eu diria para ir em frente e usar. Afinal, um idioma é para isso, e querer ter direitos autorais sobre o uso de um idioma é ilógico. Tudo bem que algumas pessoas não pensam assim, mas eles são só um bando de velhos gananciosos. :-)
     
  17. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Pensando bem, acho que vocês têm razão, se fôr caso de direitos autorais, seria uma boa mandar um e-mail para o pessoal do Ardalambion (vocês conhecem, certo?8-O) e ver o que eles acham...
    Mas se você têm uma idéia completamente original (e não um fanfic, claro), siga em frente. Eu mesmo já tentei, tentando estou, fazer minha própria história, mas a minha é baseada em história real, como a invasão anglo-saxã da Britânia.
    Estou usando os nomes originais em saxão e galês antigo, mas para ser algo digno de um fã de Tolkien, preciso mesmo incluir diálogos, poemas, canções e, para isso, tenho que começar um curso de inglês antigo (anglosaxão) e galês moderno (para ter uma base do idioma ancestral).

    Ou posso recomeçar com meu próprio idioma (tenho um léxico quase pronto). O que vocês me aconselham?
     
  18. TorUgo

    TorUgo a.k.a. Tortoruguito...

    Eu acho que criar um Idioma, mesmo que seja apenas um pouco complexo, é muito difícil... a não ser que queiras criar uma letra correspondente a cada letra do nosso alfabeto e trocar o som de algumas letras! Isso é básico e não tem piada nenhuma!

    Se te quiseres arriscar, trabalha, estuda e talvez consigas fazer algo como Tolkien (vá... duvido, mas algo parecido talvez! xD)

    Mas, como já tu disseste, não queres criar um idioma, portanto, aconselho, tal como o Caio, a mandares um mail para o Ardalambion! Eles saberão aconselhar-te melhor!

    ;D
     
  19. Fuinithil Draug

    Fuinithil Draug Astrônomo amador

    Um idioma é algo criado por gerações de pessoas.
    Tolkien foi uma exceção. :obiggraz:
    Mas acredito que ele criou o Quenya e o Sindarin(seus idiomas mais complexos e os únicos em que é possível um diálogo)para seus fãs utilizarem como quiserem(mas é claro, de uma maneira séria).
    Assim estamos honrando o seu trabalho e mostrando interesse sobre o universo de suas obras.
    Apenas tenha cuidado com o Tolkien Estate :mrgreen:
     
  20. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Era exatamente isso que eu alertava, eu me cago de medo dos limites que essas caras impõe...
    Um absurdo, o que esse Christopher pensa?
     

Compartilhar