1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O predomínio do ambiente em Tolkien.

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Ancalagon, 6 Out 2002.

  1. Ancalagon

    Ancalagon Usuário

    Sou um novato aqui. Na verdade sou um peregrino que recém iniciou sua jornada pela Terra-Média. Não tenho terra suficiente em minhas botas para formular um juízo válido a respeito da obra de Tolkien. Porém, minha sede é grande e nem mesmo uma dose generosa do miruvor poderia saciá-la. Por esse motivo venho aqui e proponho uma discussão. Tenho percebido uma preocupação muito maior de Tolkien com a composição do ambiente, em seus pormenores, do que na criação e explicitação detalhada das personagens. Como se a própria Terra-Média, e não seus habitantes, fosse o grande substrato de toda a obra. Suas florestas escuras, sendas sulcadas, vales adormecidos na neblina determinassem a têmpera de suas raças. Não estou descosiderando o fato de que o meio é um componente essencial à formação do ser. Mas percebo um determinismo muito mais forte em Tolkien. Meu juízo é equivocado? Ajudem-me a iluminá-lo[/i]
     
  2. Swanhild

    Swanhild Usuário

    Bem, Tolkien certamente tinha uma grande preocupação em caracterizar o ambiente em que a história acontecia, aquelas descrições todas mostram isso ;-).

    Imagino que muitos aqui tenham visto o filme, ok? Uma das passagens que mais me emocionou no filme foi aquela em que Gandalf faz luz dentro do salão 21 em Moria, e a Sociedade vê as colunas esculpidas. Aquilo como que dá vontade na gente de saber que tipo de povo, que *grande* povo poderia ter feito uma obra daquelas. (No livro a gente tem essa idéia mais adiante, no diálogo em que Gimli canta uma canção sobre como Moria era no tempo dos Anões.). Na passagem do Argonath acontece a mesma coisa. O uso do ambiente ajuda a caracterizar, se não personagens individuais, pelo menos os povos da Terra Média.

    Nesse ponto acho que concordo com o Ancalagon.
     
  3. Com certeza Tolkien da muita importancia ao ambiente , e o descreve com perfeição, mas como jah foi dito pelo próprio Tolkien e pelo seu filho, o substrato da obra eh (ou são??) na verdade as linguas criadas por Tolkien , a Terra-média e seus habitantes foram "soh" :!: os instrumentos utilizados por Tolkien para dar vida as suas linguas. (pelo menos foi isso q eu entendi dos relatos feitos por ele e por seu filho).
     
  4. Acho que não é equivocado, ao meu ver, Tolkien descrevia muito mais mesmo o ambiente do que os personagens e talvez eu até saiba o porquê.

    Talvez seja porque os personagens devem ser imaginados à sua maneira, do seu jeito, já o ambiente é essencial na história, pois você precisa saber como é o lugar para poder imaginar os personagens interagindo com ele.

    Tanto é que os personagens não tinham características físicas detalhadas, ficava a critéio de qualquer um, até certo ponmto, é claro. Mas ele considerava a beleza que tem o ambiente, a sensação que ele passa. Por exemplo, Mordor, se ele não a descrevesse bem, nós poderíamos pensar que era um deserto vale arenoso, ou lindos campos verdes. Minas Tirith é muito bem descrita pois é crucial saber disso na guerra do Pellenor.

    Se vocês me entendem, eu quero dizer que, ao meu ver, uma das maiores atrações criadas pelos livros Tolkienianos é essa, você pode imaginar perfeitamente como são os diferentes ambientes e sentir a sensação que eles passam.
     
  5. Arandelis

    Arandelis If I can dream

    De fato, cada autor tem seu forte. Assim como Tolkien podia descrever cenarios e ambientes mto bem, visualmente, ele foi incapaz de dar uma aura a esses lugares. Explica-se: em alguns livros q vc le, vc pode imaginar os cheiros, os gostos, os sons, as emoçoes do ambiente. Mas ao mesmo tempo, a visualizaçao fica mto dificil. Ele foi capaz de descrever os cenarios superficialmente, mas nao de torna-los "profundos" de verdade, se eh q vcs me entendem.
    Jah com os seres humanos se dah o oposto: Tolkien deu a eles tanta profundidade, foi tao capaz de expressar suas emoçoes, seus pensamentos e desejos, suas caracteristicas psicologicas, mas ainda assim naum conseguiu fazer-nos visualiza-los assim como fez com os cenarios. Para cada um, a caracterizaçao de tal personagem pode conter diferenças cruciais, salvo raras meçoes a caracteristicas fisicas, nenhuma definitiva.

    (denovo isso eh o que eu axo, baseado no que eu me lembro do livro. já faz um tempinho q eu li Tolkien, e eu naum tenho mais mtas coisas claras na minha mente. Qq equivoco q eu tenha cometido, por favor me corrijam :wink: )
     
  6. Maglor

    Maglor Lacho calad! Drego morn!

    Arandelis... em Tolkien acontece o oposto... :wink:

    A ambientação e o cenário são, de modo geral, muito mais importantes que os personagens. Estes não têm muita profundidade psicológica, alguns mal tem uma personalidade definida. Túrin, o personagem mais bem descrito psicologicamente de Tolkien, não chega nem aos pés da complexidade de autores realistas, que realmente tinham a intenção de mostrar a mente humana e a realidade como é.

    Um dos grandes méritos de Tolkien, na minha opinião, é ter criado uma realidade palpável, que não é real, mas fica aquela impressão de que poderia ter sido(guardadas as proporções...).
     
  7. Ancalagon

    Ancalagon Usuário

    Como eu disse em minha mensagem, sou um peregrino recente na Terra Média. Porém é como seu tivesse experimentado o toque agressivo do sol nas Terras Ermas ou meus sentidos afetados pela escuridão infinita de Moria. Ao ler Tolkien sou transportado para dentro de seu mundo, carregado por seus aromas, ora ocres ora doces e suaves como uma bebida que consegue ter na boca o toque que o veludo tem na pele. Seus personagens parecem frutos desse ambiente fantástico. Arandelis bem lembrou as sutis descrições físicas feitas por Tolkien. Eu as vejo não como dados pertecentes aos personagens em si, mas como marcas que a Terra Média imprimiu-lhes no próprio corpo. Como as faces rosadas e ao ar pueril de Frodo, marcas mais da indolente calma do Condado do que da constituição física ou psicológica do mesmo. Concordo com o Senhor do Escuro em sua explicação, mas gostaria de encontrar alguém que se opusesse à minha idéia (se é que possoa chamá-la de minha).
     
  8. Olwë

    Olwë Usuário

    Boa parte dos cenários em Tolkien podem ser tomados como "personagens". Mais ou menos como o mar em O velho e o Mar, de Hemingway.
     
  9. Arandelis

    Arandelis If I can dream

    Eu disse q fazia tempo q tinha lido o livro, e alem do mais akele foi mais um ponto de vista... mas de fato, eu to precisando de reler o livro, entao, por favor, releve :wink:
     

Compartilhar