1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O elo perdido dos Dinossauros

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Sarcasmo, 7 Mai 2005.

  1. Sarcasmo

    Sarcasmo Funfamento

    Isso apareceu no globo e eu achei bastante interessante.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    'Elo perdido' de dinossauros desenterrado nos EUA

    Reuters

    WASHINGTON - Dinossauros semelhantes a pássaros recentemente desenterrados em Utah podem ser o 'elo perdido' entre as primitivas criaturas carnívoras e os vegetarianos mais evoluídos, informaram pesquisadores americanos nesta quarta-feira. Os fósseis de 125 milhões de anos indicam dinossauros bípedes carnívoros chamados de maniraptorans, dos quais os pássaros parecem ter evoluído, dizem os cientistas.

    Os fósseis também apresentam dentes desenvolvidos para triturar folhas, pernas curtas e grossas e barrigas grandes características de comedores de plantas, informaram os pesquisadores em um artigo publicado na edição desta semana da "Nature". A nova espécie foi denominada "Falcarius utahensis", que significa "construtor de foices de Utah".

    - Falcarius é literalmente o elo perdido - diz Scott Sampson, curador-chefe do Museu de História Nacional de Utah, em uma entrevista coletiva. - Ele é meio raptor, meio herbívoro. Essa transição foi desencadeada por uma mudança na dieta, ocorrida quando plantas saborosas e nutritivas apareceram na Terra.

    - Nós sabemos que o primeiro dinossauro tinha um corpo pequeno, uma leve constituição e era um rápido predador - acrescentou Sampson. - Todos os outros dinossauros evoluíram a partir dele. No entanto, como muitas radiações dos grandes grupos de animais, aconteceu tão rapidamente que não temos muita coisa em termos de documentação fóssil. O falcarius nos mostra parte dessa mudança.

    O falcarius adulto teria andado em duas patas e teria cerca de quatro metros de comprimento e 1,4 de altura. Tinha fortes membros dianteiros, garras afiadas e curvadas de cerca de dez centímetros e um longo pescoço.

    Provavelmente, o dinossauro tinha penas e é o mais antigo representante do terizinossauro da América do Norte, um grupo que inclui os dinossauros com penas encontrados no sudoeste da China e maniraptorans, entre os quais o Velociraptor, mais conhecido devido ao filme "Jurassic Park".

    - Esse é o mais primitivo terizinossauro conhecido, mostrando sem deixar dúvidas que esse grande herbívoro faz parte de um grupo que se desenvolveu a partir de ancestrais como o Velocirpator - disse Lindsay Zanno, estudante graduada em Geologia e Geofísica, que participou do estudo.

    Ele o descreve como "uma mistura bizarra entre um avestruz, um gorila e Edward Mãos de Tesoura", personagem de Tim Burton que tinha tesouras no lugar das mãos.



    Teve mais um caso. So botei juntos pra não floodar.

    Descoberta de espécie de dinossauros surpreende cientistas

    Agências Internacionais

    CHICAGO - Cientistas anunciaram a identificação de uma nova espécie de dinossauro, a partir da descoberta de Um fóssil no estado americano de Dakota do Sul. O animal, que era herbívoro, tinha o tamanho de um cavalo, a cabeça achatada e chifres bem pontudos sobre ela.

    - Quando meus colegas viram os exames por imagem do fóssil, rasgaram seus diagramas com a ordem da evolução e disseram: de volta à prancheta. Nunca suspeitamos que tal criatura existisse - disse o paleontólogo Robert Bakker, comentarista popular em documentários sobre animais pré-históricos, consultor do filme "Parque dos Dinossauros" e autor de um livro que, nos anos 60, apresentava os dinossauros como animais ágeis e bastante inteligentes, não os lagartos preguiçosos que se imaginava até então.

    A descoberta do animal de cabeça achatada na família dos paquicefalossauros muda a visão da história dos dinossauros no fim do período Cretáceo, 66 milhões de anos atrás, mostrando que as "genealogias" ainda estavam evoluindo mesmo às portas de esses animais enfrentarem a extinção.

    A descoberta foi anunciada pelo Museu Infantil de Indianápolis, onde Bakker dá uma palestra hoje, e apresentada no domingo por ocasião da reunião anual da Associação Americana de Museus.

    O crânio quase completo do animal foi doado ao museu por três caçadores de dinossauros amadores, de Iowa, que o descobriram em 2003, explorando a formação Hell Creek (Riacho do Inferno) na região central da Dakota do Sul.

    O museu conta que a família dos paquicefalossauros costuma exibir cabeças de dragão, com chifres, saliências e protuberâncias. O membro mais famoso tinha um tipo de capacete ósseo de 20 centímetros de espessura, que usava para derrubar oponentes.

    A nova espécie tem a cabeça chata, sem um topo ósseo característico. O único outro paquicefalossauros de cabeça chata conhecido foi achado na China e na Mongólia, mas com focinhos curtos e sem chifres
     

Compartilhar