1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Nórdicos e sua cultura

Tópico em 'Influências, Seguidores e Recomendações' iniciado por Falcão Branco, 3 Mar 2009.

  1. Falcão Branco

    Falcão Branco Sacrifiquei um

    Olá amigos da Valinor, recentemente lí dois livros sobre mitologia Nórdica,"The Viking Gods" e "As melhores Historias da Mitologia Nórdica, o que me fez voltar a pesquisar sobre essa cultura tão interessante. Bem, a maioria aqui sabe que Tolkien usou a cultura Nórdica como base para a Terra-Média (Midgard), porem, vou mostrar varias curiosidades um pouco obscuras, alem de um texto introdutório.


    O paganismo Nórdico tinha uma visão do mundo como um multiverso em vez de um universo. Reconheciam 9 mundos diferentes existentes em torno de um eixo, a Arvore Yggdrasil. É possível viajar entre estes mundos, de modo que inter atuam entre eles de diversas maneiras. A continuação se descrevem estes nove mundos com uma breve referência sobre eles:

    Yggdrasil:

    O eixo do universo, cada mundo esta assentado nesta arvore. Diz-se que “suas três raízes são compridas e amplas, o sustentam ereto, uma em Mûtspellhêm, outra nos Gigantes do Gelo (onde antes estava o abismo aberto) e a terceira em Nebalhêm; debaixo desta se encontra Hvergelmir com Nidhörggr (o terrível mordedor), roendo a raiz desde abaixo. Mas abaixo da raiz que se torce na direção dos Gigantes do Gelo se encontra o poço de Mimir (pois se chama Mimir a custódia do poço). Mimir é muito sábio, pois bebe do poço que surge do Gjallahorn. Na terceira raiz da arvore esta a nascente chamada poço de Urdr. Diariamente, pela ponte de Bifröst (O Arco Íris, Lit, O Caminho Trêmulo), os Poderosos galopam até ele. Por isso também se chama ponte dos Êse (Aesir).

    Uma águia que aninha no topo da arvore, incomparavelmente sábia, e entre seus olhos se encontra o Falcão Vedrfölnir. Um esquilo cujo nome é Ratatoskr, percorre a arvore de cima para abaixo e vice-versa, levando fofocas malévolas entre a Águia e Nidhöggr. Quatro cervos remoem as ramas da arvore e mordem sua corteza, são eles: Dáinn, Dvalinn, Duneyrr e Durazrórr. E existe uma grande ninhada de serpentes junto a Nídhöggr em Hvergelmir, que nenhuma língua pode referi-la. Também se conta que as Nornas, que moram em torno do poço de Urdr, retiram água diariamente dele, misturando com as pedras que o rodeiam, e salpicam na arvore para evitar que ele se esgote e pereça. Porque esta água é tão sagrada que todas as coisas que se submergem no poço se tornam brancas como a película que existe no interior da casca de um ovo. Este salpicado que goteia sobre o terreno inferior é o que os homens chamam de orvalho, e as abelhas se nutrem dele. O poço Urdr da vida as duas aves chamadas Cisnes, das quais descendem as que agora por aí se encontram.

    Na antiga Europa pré-cristã existia um enorme pilar chamado Irminsûl que representava esta Arvore Sagrada e era o maior centro de culto dos Saxões Continentais, destruído por Carlos Magno no princípio de sua guerra e genocídio contra nossos ancestrais em 772.




    1.- Nebalhêm (Niflheim):

    Originalmente, somente existia Nebalhêm, Mûstspelhêm e um grande vazio. Nebalhêm é um mundo de gelos eternos e constantes névoas que se originaram em parte ao entrar em contato o gelo com as faíscas de Mûstspelhêm, enchendo assim o abismo, também é o lar dos Forostetane (Gigantes do Gelo).

    2.- Mûtspellhêm (Muspellheim):

    Outro dos mundos primogênitos, morada dos Fiuretane (Gigantes do Fogo) comandados por Surt.

    3.- Middilgard (Midgard):

    É o mundo onde vivem os humanos e as espécies da terra. Seu nome significa "Terra Média", já que está localizada no centro de todo o multiverso. É rodeada por Etanhêm.

    4.- Etanhêm (Jotunheim):

    Esta é a morada dos Gigantes de Gelo e dos Gigantes Montanheses. Segundo as tradições, este lugar se situava no leste mais além do oceano. Aqui se encontra Outgard onde governa Loki. Estas terras são consideradas como um país de bosques descomunais, rios caudalosos, cavernas amplas, poderosas montanhas e tremendas distâncias.

    5.- Uuânhêm (Vanaheim):

    Esta é a morada dos Deuses Uuâni (vanir); assim como se sabe pouco dos Uuâni, também se conhece pouco da sua moradia.

    6.- Alfhêm (Ljósálfheim):

    É o mundo onde moran os Alfe (elfos), é aquele que se encontra mais acima na arvore Yggdrasil. Neste mundo se encontra Alfhêm (moradia dos Alfe - elfos luminosos). Diz-se que os elfos visitam de vez em quando a middilgard, baixando em um raio da lua. Alfhêm foi dado ao Deus Freyr motivo pelo qual se da uma característica de fertilidade a estes seres.

    7.- Suuartalfhêm (Svartálheim):

    É o mundo onde habitam os Suuartalfe (Swart Alf, elfos sombrios), e também Duuergos (anões). Este lugar se encontra abaixo de Middilgard, onde os Duuergos (anões) forjam formosas jóias e maravilhosas armas.

    8.- Hel (Hellheim):

    Este mundo é aquele que se encontra mais abaixo de todos em Yggdrasil. É o reino da Deusa Hella (Hel), erroneamente considerado um inferno horrível onde os mortos são eternamente torturados, nossos antepassados pensavam neste mundo como um lugar de descanso para os mortos.

    9.- Êsegard (Asgard):

    Este foi o ultimo mundo que criaram os Deuses Uuôden (Odin), Vili e Vé, esta é a sua moradia e de todos os Êse (Æsir). Se encontra no meio do multiverso e de onde governam os Deuses. Pode-se chegar a Êsegard pela ponte Bifröst (O Arco Íris), vigiado pelo Deus Heimdallr; em Êsegard se encontram, entre outras moradias, o Vallhalla, o Folkvangar e o l Fensalir.

    Curiosidades:

    - O Grande Rei dos elfos do oeste era Ingwë, derivado do nome Yngvi, encontrado freqüentemente como um sinônimo para Frey, que governava Alfheim.
    - O nome de um Elfo de Alfhêm é Gandalfo (Gandálf em outas versões), o velho.
    - Asgard tambem é chamada de Êsengard.
    - O grande rei Élfico Alf tambem é chamado de Finnálf.
    - Existe em Alfheim um salão chamado Ginlé.
    - Durin é um dos reis dos Anões.
    - Existe um poço chamado poço de Urd, lá vivem as Nornas Urd (Passado), Verdandí(Presente) e Skuld(Futuro), que sabem do que veio vem e vira.

    - O Anel dos Nibelungos foi claramente a fonte de inspirarão do Um Anel e dos anéis do Anões, visto que ambos "criavam ouro", geravam cobiça e morte ao seu redor e são chamados de Anéis de Poder.
    -A História de Sigmund e Sieglinde é extremamente parecida com a de Turin e Nienor, incluindo fato de que ambos eram irmãos

    Ljósálfar:

    Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre

    Na mitologia nórdica, os Elfos luminosos, ou Ljósálfar em nórdico arcaico, vivem em Álfheim. Eles têm pele clara e brilhante. Snorri Sturluson os descreve como sendo "mais belos ao olhar do que o próprio sol", na tradução de Arthur Gilchrist Brodeur. Snorri também enfatiza a grande diferença tanto em aparência quanto em natureza entre eles e os Svartálfar.


    Svaltáfar

    Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    Na mitologia nórdica, os svartálfar ("elfos negros") ou dökkálfar ("elfos escuros") são seres sobrehumanos (vættir ou wights, em nórdico arcaico), que eram conhecidos como residentes do mundo subterrâneo de Svartalfheim. Assim como os trolls, são relacionados freqüentemente com os anões e sua moradia também pode se confundir com Nidavellir, no subsolo de Midgard, quase tão distante quanto Helheim.

    Anões como os Elfos Escuros

    De acordo com Kevin Crossley-Holland: "Não existe nenhuma distinção válida que pode ser extraída entre os anões e os elfos escuros; parecem ter sido permutáveis." É necessário notar que a confusão entre entidades mitológicas sem relacionamento se levanta, freqüentemente, com a passagem do tempo, como pode ser encontrado nas histórias dos trolls (seres parecidos com ogros que também são confundidos com os anões).
    Os svartálfar adquiriram seu nome porque foram vistos como as contrapartes negras do elfo comum - que vivem em Alfheim. Snorri Sturluson, autor de, entre outras coisas, do Younger Edda, às vezes relaciona estes últimos elfos como Ljósalfar ("elfos luminosos").
    O termo elfo negro/escuro pode ser uma sugestão em relação ao seu lugar de residência, muito mais do que de sua natureza presumida, embora fossem descritos como mesquinhos e incômodos para seres humanos, na comparação aos angelicais elfos luminosos. Além da semelhança de suas vidas subterrâneas, svartálfar teve muitos outros traços que também são atribuídos a eles assim como aos anões. Entre estes, incluem seu crescimento a partir das larvas da carne de Imer, o giro ao redor de uma pedra quando expostos à luz do dia, e serem parecidos com os seres humanos, porém feios e deformados.


    Influências posteriores:

    O Pesadelo, pelo artista suiço-inglês Henry Fuseli (1781), foi provavelmente influenciada pela idéia germânica do malvado Alb (elfo) sentado sobre o tórax do dorminhoco durante a paralisia do sono.
    Como muitos elfos mitológicos, não obstante a moralidade (muito mais perto das variantes medonhas, neste caso), os elfos escuros são, freqüentemente, apontados como responsáveis pelas muitas maldades que ocorrem à humanidade. Em particular, sonhos ruins eram ditos como provenientes do domínio dos dökkálfar, como indicado pela palavra alemã para pesadelo, Albtraum (sonho de elfo). As lendas contam que os elfos escuros se sentam em cima do tórax dos seres humanos e/ou sussurram os sonhos ruins nas orelhas do dorminhoco. Na Escandinávia, a criatura responsável pelos pesadelos é conheciada como Mara.
    Uma horda de svartálfar aparece no conto The Weirdstone of Brisingamen, de Alan Garner, onde eles são contrastados com os Ljósalfar (elfos luminosos). Nesta história, eles se dissolvem sob o contato com armas do ferro.

    O Dualismo entre o Claro e o Escuro

    A palavra álf (pl. álfar) se deriva da mesma raiz indo-Européia da palavra, em latim, albus(branco) e, em hebreu, El(deus, luz). O significado original da palavra é significativo em relação ao caráter dos álfar na mitologia nórdica, que reteve seu status divino, derivado de sua origem da luz. Os elfos luminosos são relacionados, freqüentemente, ou até mesmo comparados aos Vanir (deuses da fertilidade). Os elfos podem ser encontrados em associação com as divindades durante todo o Eddas.
    Os álfar são divididos, como os seres de muitas mitologias, entre a luz e a escuridão, que são relacionados, freqüentemente, ao dualistico princípio do bom contra o mal. A partir deste paralelo, é possível derivar os dois tipos de álf: Elfos Luminosos (ou Elevados) e Elfos Escuros (ou Negros) (dualismo comparável às Cortes Seelie e Unseelie do Sidhe, na mitologia céltica, aos anjos e demônios do cristianismo, e aos Devas e Asuras do Hinduísmo). É interessante notar que os Elfos Escuros, independente de serem claros ou de tonalidade escura, são caracterizados, às vezes, como diabólicos; às vezes, são caluniados; ao mesmo tempo, alguns ajudam os Elfos Luminosos e os Æsir no Ragnarök.
    Além disso, deve-se notar que o dualismo da Luz/Escuridão se correlaciona ao confronto entre bom e o mal. Os Elfos Luminosos pertencem, normalmente, ao lado "bonzinho" da história, do mesmo modo que os Elfos Escuros (e mesmo os anões) formam a trupe de "bandidos". Esta visão símplista, entrentando, não é corroborada pelo Eddas, que apresenta os elfos (luminosos e escuros), anões, Aesir, Vanir e Jotuns como capazes de realizar tanto o bem quanto o mal. Os únicos seres verdadeiramente malignos na mitologia nórdica (se este termo pode ser aplicado a alguma força elemental da natureza), são os gigantes de fogo (demons), que serão responsáveis pela destruição do mundo imperfeito e antigo durante o Ragnarök, e do nascimento do novo mundo, preconizado como muito melhor, no espaço restante (uma última função benéfica).


    Trolls

    Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    Trolls desenhados por John Bauer para The Adventure na antologia para crianças Among pixies and trolls, a collection of childrens' stories, 1915
    Os trolls são criaturas antropomórficas do folclore escandinavo. Poderiam ser tanto como gigantes horrendos - como ogros - ou como pequenas criaturas semelhantes a goblins. Viviam em cavernas ou grutas subterrâneas.
    Na literatura nórdica apareceram com várias formas, e uma das mais famosas teria orelhas e nariz enormes. Nesses contos também lhes foram atribuídas várias características, como a transformação em pedra destas criaturas quando expostas a luz solar.
    [editar]Caracteristicas

    Existem diversos termos para como os troll são, sejam criaturas humanóides não muito inteligentes de um tamanho um pouco maior de que um humano entre 1,90 a 2,15 vivem pouco até os 75 anos atigem a idade adulta com 30 anos não vivem em bando e são muito agressivos,são poucos que sabem uma lingua diferente da sua comum o triolla mûn.alguns são um pouco mais estranhos e raros como um troll do subterrâneo eles são menos inteligentes do que seus primos porém são mais fortes e agressivos atigindo entre 2,35 a 3,45.

    É isso, espero que tenham gostado, abraço!:mrgreen:

    EDIT: Updates! :joy::joy::joy:
     
    Última edição: 4 Mai 2009
    • Gostei! Gostei! x 6
  2. Veänis

    Veänis Lempe ou Sleestak?

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Bem legal esse artigo.
    Aprendi muito sobre os dinamarqueses, alguns deles vulgos vikings, lendo as Crônicas Saxônicas de Bernard Cornwell.
     
  3. esmjr

    esmjr Eu não gosto de ser um...

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Achei bem interessante tambem.
    Parabens ai
     
  4. Falcão Branco

    Falcão Branco Sacrifiquei um

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Obrigado. :D
     
  5. Húrin

    Húrin Amante da Calíope

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Lembrando ou apresentando coisas que se assemelham:

    - Há uma poderosa espada poderosa que é fragmentada e reforjada! Duas ocasiões.
    - Há um anel de poderes a que alguns conhecem e procuram.
    - Há numa estória incestuosa um grande herói, a qual quase que Tolkien se perdeu.

    Tá, não vou citar nomes, sou péssimo com eles e o livro que os tem não está aquí agora para eu fazer isso, mas vocês se o leram devem lembrar. Se não, perceberão ao ler a respeito! Naquelas, se eu apenas falar deles, aguçará ainda mais a curiosidade!:roll::dente:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  6. Tywin Lannister

    Tywin Lannister Já fui Nómin e Baldwin

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Bem, eu acho que existe um ponto da mitologia Tolkiana que tem grandes parecenças com a Grega: Númenor. Se parece com a Atlântida. Tudo bem, a história das duas até que nem é tão parecida assim, mas superficialmente, são muito parecidas.
     
  7. Thorin Escudo de Carvalho

    Thorin Escudo de Carvalho Part-time Ninja

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Semelhanças:

    Espadas quebradas e reforjadas

    Bom se analizarmos muitas das lendas nórdicas, veremos que espadas quebradas são comuns. Mas por que elas só se quebram na pior hora possivel?
    Bom para responder essa pergunta teremos de viajar até uma grande lenda e uma das minhas favoritas, Sigmund.

    Grandes espadas são como dádivas, e o dono precisa mostrar que é mais valoroso que os demais.

    O rei Volunsong tinha um grande um palácio, e nele havia uma grande arvore, certa tarde um homem desconhecido entrou no palácio descalço e com o manto sujo, cravou a espda na árvore e disse:

    -Quem retirar a espada dessa árvore, há de tê-la como presente meu, e descobrirá que não há espada melhor- O velho deixou o palácio.
    Os nobres tentaram retirar a espada, mas não conseguiram, então apresentou-se Sigmund, filho do rei, retirou a espada com grande facilidade. Um homem ofereceu um grande preço pela espada e Sigmund respondeu:

    -Poderias ter apanhado a espada se fosse a tua sina portá-la, mas agora, ela caiu em minhas mãos e jamais há de tê-la.

    Bom voltando, se formos ver, ganhar uma espada desonrosamente sempre leva a imfurtórios, elas parecem boas no inicio pois sempe matam inimigos, mas depois é impossivel impedi-la de matar, o que leva a uma tragédia(essa história lhe é familiar, se você pensou em Túrin Turambar, acertou),Túrin foi inspirado no Kalevala, onde o vilão Kullevo conseguiu uma grande espada por meio de um assasinato, e no fim ela tira a sua vida.

    Voltando a nossa história

    Sigmund tem grandes aventuras com a sua espada, até que o Deus Odin se disfarça como um misteriosos forasteiro (o velho que pôs a espada na árvore), e decide que é hora de Sigmund morrer, aparece de novo num campo de batalha.
    Aproximou-se de Sigmund, o rei, e levantou o cajado, Sigmund golpeou ferozmente e sua espada se quebra no cajado. A sorte de Sigmund o abandonara e nesse dia.
    Mas sua mulher guarda os restos da espada (lhe paarece familiar?Sim,Narsil guardada em Imladrins), e quando seu filho Sigurd está crescido ele conserta a Espada, e se torna um grande matador de dragões.

    <!-- / message --> <!-- sig -->
    Gandalf assemelha-se a Odin

    Todos dizem que Gandalf se assemlha a Merlin,mas isso é um erro,pois ao julgar pelas aparências isso parece a primeira opção, pois ambos são velhos com vestes fluidas e barbas desgrenhadas, ambos gostam da natureza, mas isso não conta a história toda. Merlin usa a magia, feitiços e encatamentos do mesmo jeito que Dubledore.

    Mas Gandalf tem dons sobrenaturais, seus poderes vêm de uma fonte mais elevada que Merlin ou Dumbledore. Como Aragorn diz "Gandalf é maior que vocês, pessoas do condado, imaginam - Geralmente só conseguem enxergar as piadas e os brinquedos dele"

    Para compreender Gandalf deve-se observar os deuses,um ponto de partida é Odin.

    Odin Também é representado como um velho de barba comprida, freqüentemente com um cajado.Tem poderes sobrenaturais, e pode compreender as runas.

    Como o própio Tolkien afirmou,Gandalf é "Odínico", querendo dizer que Gandalf é semelhante a ele, mas não igual(As cartas de J.R.R.Tolkien,pág.119).

    Sauron e Odin


    Quando leram o Hobbit ficaram pensando quem é o Necromante, em OSDA é possivel ver que ele ganha um papel de destaque se revelando o senhor do escuro.

    Mas de onde veio esse nome? De quem ele foi inspirado?

    Bom, nas lendas nórdicas Odin é descrito como Necromante, esse nome era associado a feitiçeiro ou mago (também é derivado de necro, cadáver, referindo-se a sua habilidade de se comunicar com os mortos).

    Assim como o personagem de O Hobbit, Odin prefere manter a sua identidade em segredo, não quer que as pessoas saibam que é um Deus, por isso seu grandes poderes parecem apenas magia de mago.

    Pelo menos pra mim Gandalf representa a parte boa de Odin, enquanto Sauron a parte ruim. Odin segue suas própias leis e chega a matar se isso não atrapalhar seus planos, decide quandos de seus heróis preferidos devem morrer e além de dar ele toma, foi nessas qualidades que Tolkien inspirou Sauron.

    Há ligações entre Odin e Sauron, Odin também possui o mais poderoso dos anéis, Draupnir(gotejador), que gera oito anéis dourados a cada nove dias, com isso ele compra lealdade e controla reis, da mesma maneira que Sauron usa os anéis de poder para tentar e controlar os líderes do Homens, Elfos e Anões.

    Elfos

    Os elfos de Tolkien são sábios e poderosos, superiores aos homens porém inferiores aos Valar (Deuses por assim dizer), assim como os elfos da Mitologia Nórdica.

    Terra-Média

    Que teve seu nome derivado de Midgard (e Middel-Erde)

    Entre outras
     
    Última edição: 12 Abr 2009
    • Gostei! Gostei! x 6
    • Ótimo Ótimo x 2
  8. Curunír 'Lân

    Curunír 'Lân Mensageiro do Rei enviando um

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Se não me engano o Nome da espada quebrada que fora reforjada é Notung.
    A Maravilhosa história do Anel dos Nibelungos (Der Ring des Nibelungen).
    O Dragão que guardava um grande tesouro (entre eles estava o Anel), no caso da História o grande dragão Fafnir. (Lembra de O Hobbit?)
    O Anel era de ouro puro assim como no SdA e despertava a cobiça pelo poder que o mesmo propiciava ao seu portador. Ele chegou a passar pelas mãos de Loki e Odin mas os mesmos tiveram que entregá-lo juntamente com muito ouro (O que depois seria de Fafnir) a um anão cujo filho morrera pelas "mãos" de Loki. (O anel mal pessou pelas mão deles.)

    Realmente é uma Ótima Mitologia!!!
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  9. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    É, só não esqueçamos que esta é uma ópera de Wagner do século XIX, baseada no mito germânico. A versão nórdica é bem diferente, tanto nos nomes de pessoas e localidades como na própria história narrada...

    A ópera enfatiza a maldição demais, ainda enfatizando a decadência e destruição dos deuses, o novo ideal de liberdade dos homens pelo vigoroso Siegfred. Não dá pra saber se Wagner era cristão demais ou humanista demais, retirando dos deuses todo o poder. Poderia haver disso no mito original, mas não creio. Não com essa ênfase em sua morte e decadência.


    A qualidade do mito nórdico é bem maior, e possui mesmo o espírito pagão de outras histórias escandinavas com aquele humor escrachado e divertido. Nem se compara com aquele clima pesado da ópera, todo apocalíptico e deprê...

    Não se pode ler Wagner e sua monumental ópera tendo a mente na Escandinávia Antiga, mas temos de estar cientes no que ele provavelmente quis representar. Algo forte, mas para sua época, algo que mesmo dissecando coisas antigas, procurava relacioná-las com algo profundo e misterioso de sua época.

    Leiam mais sobre maçonaria e dinastia merovíngea.
     
    Última edição: 20 Jun 2009
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  10. Curunír 'Lân

    Curunír 'Lân Mensageiro do Rei enviando um

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Gente eu tenho esse livro aqui:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    É muito bom, conta a mitologia nórdica de uma maneira excelente. No livro há a Mitologia Nórdica e a Opera de Richard Wagner do Anel dos Nibelungos.

    Digitem esse número no google e os links para o livro aparecerão.

    ISBN: 8574211036
     
  11. Ravanoc

    Ravanoc The ring has been lost.

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Além do bom trabalho que você fez, gostaria de dar uma complementada em relação da forte influência da cultura nórdica:
    O jogo
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , atualmente um do maior MMORPG do Brasil, possui um item/utensílio que se chama Fruto de Yggdrasil.Ele recupera toda a HP do usuário (vida do jogador), quando alguém clica duas vezes sobre ele.É bem legal, porque quando eu jogava esse jogo, era muito difícil encontrá-lo.É quase impossível encontrar um item que aumente a vida completa do usuário, e é, portanto, um dos mais raros do jogo =)
    Abraços.
    Edit: Sei que não tem muito a ver com o que os nórdicos acreditam, mas esse item existe.
     
    Última edição: 22 Abr 2009
  12. aistano

    aistano vulgo Gilvan Borges

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Ótima discussão. Pretendo voltar algumas vezes para ler os comentários, pelo que vi alguns bem didáticos.

    Até agora ,destaco os pontos:

    Alfhêm, lar dos Elfos luminosos (lembrar da áurea que com que os elfos eram circundados no SDA, bem como do seu apreço pela lua)

    Suuartalfhêm - ideia de que os anões eram ótimos mineradores/armeiros/joalheiros e viviam abaixo da terra.

    Êsengard, o último mundo, nele constando uma moradia curiosamente chamada Valhalla (algo que remete ao nome Valla).
     
  13. Curunír 'Lân

    Curunír 'Lân Mensageiro do Rei enviando um

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    É esse item realmente existe no mundo de Ragnarök Online (Eu jogo xD), mas não me lembro de nenhuma citação de histórias sobre uma fruta da árvore da vida. Existe um artefato "Folha de Yggdrasil" (No RO) que tem capacidade de ressuscitar os mortos... E existe uma lenda dos nórdicos que fala sobre essa folha embora não cite o seu verdadeiro nome:

     
    Última edição: 26 Abr 2009
  14. Falcão Branco

    Falcão Branco Sacrifiquei um

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Nossa, é bom ver tanta gente interessada no meu humilde tópico. :mrgreen:

    Bem, Falcão Strikes Back, voltei para o Oeste depois de um não tão longo exílio e pretendo acompanhar essa discução até o fim, obrigado pelo interese.

    PS: Quem quiser saber mais sobre o assunto ou simplesmente conhecer a minnha pessoa entre em contato. :D
     
  15. Olikan

    Olikan Usuário

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    eu vejo mais o Valhalla, como o proprio castelo do mandos...

    em Valhalla, os herois mais poderosos ficavam aguardando a batalha final (Ragnarok), que será o final de tudo!

    em mandos, o pessoal vai fica esperando pra... cantar, que será o recomeço de tudo XD
     
  16. ruims

    ruims "Mais uma cerveja!" diz o

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Na mitologia dos vikings (e não Nórdica como usualmente lhe chamam, pois a mitologia nórdica tem diversas variantes, como o Kalevalla, a estoniana, a própria germânia, etc.) há uma contradição: diz-se que quando Balder morresse se daria o Ragnarok.

    Ora, a mitologia viking refere que Balder morreu.
    Se assim foi, então o Ragnarok já deveria ter acontecido e o mundo já não poderia existir como dantes.

    E, pelo que eu sei, acho que o mundo não acabou.
    Pelo menos que eu saiba... :mrgreen:
     
  17. Falcão Branco

    Falcão Branco Sacrifiquei um

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Ah, outra coisa interessante, na verdade o nome da morada dos Deuses é Godhêm (Morada dos Deuses), Asgard na verdade seria o palácio mais importante de Odin, sua morada, tudo aconteceu por causa de um erro dos arqueólogos. Eu tirei isso de uma fonte aleatória da internet, não sei dizer o quão verdadeiro é, porem acredito que seja verdade, pois todos os mundos ao redor de Yggdrasil terminam em Hêm (Ou heim em português).
     
  18. Curunír 'Lân

    Curunír 'Lân Mensageiro do Rei enviando um

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Segundo li, ao final do Ragnarök Balder ressuscitará, pois é o deus puro e de luz.
     
  19. Yulië

    Yulië Usuário

    Re: Nórdicos e sua cultura.

    Realmente muito bom seu artigo, sou apaixonada por por outras culturas, inclusive a dos Nódicos.

    Parabéns
     
  20. Re: Nórdicos e sua cultura.

    Parabens, gostei muito. Mas onde tu achou tudo isso, meu Deus???
    Xau e até.
     

Compartilhar