1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Mostra Alexander Sokurov

Tópico em 'Cinema' iniciado por Spartaco, 6 Mai 2013.

  1. Spartaco

    Spartaco James West

    Centro Cultural Banco do Brasil apresenta
    ALEXANDER SOKUROV – POETA VISUAL
    Uma grande retrospectiva da obra do maior diretor russo da atualidade, autor da Tetralogia do Poder e vencedor do Leão de Ouro em Veneza
    São Paulo – 22 de maio a 16 de junho

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Considerado o maior cineasta russo da atualidade, Alexander Sokurov é um autor de uma das mais interessantes e controversas filmografias contemporâneas. A partir de maio, o CCBB apresenta uma grande retrospectiva de sua obra, com 30 filmes. A seleção inclui todos os seus longas-metragens de ficção, entre eles a famosa Tetralogia do Poder – Moloch, Taurus, O Sol e Fausto – e uma seleção de seus documentários, médias e curtas-metragens.

    Nascido em 1951 em Podorvikha, Rússia, Sokurov trabalhou como produtor num canal de televisão desde os 19 anos. Em 1974, mudou-se para Moscou e entrou na famosa escola de cinema russa, a VGIK. Apesar de depreciado pelos dirigentes da escola, que consideravam seu cinema antissoviético, conseguiu se formar em 1979. Seu primeiro longa-metragem, A Voz Solitária do Homem (1978) só saiu nos cinemas russos em 1987. Apesar de apresentado tardiamente, chamou a atenção de Andrei Tarkóvski,que afirmou ver em Sokurov um dos “raros gênios do cinema”. A partir dessa amizade, Sokurov conseguiu entrar no segundo maior estúdio russo, o Lenfilm.

    Sokurov conseguiu criar um estilo cinematográfico próprio. Perfeccionista, ele vê no cinema, a possibilidade de experimentar com as matérias que são a imagem. Artista plástico do cinema, o diretor se apodera de um lirismo existente na pintura e literatura dos séculos 17, 18 e 19 e aplica a seus filmes, transformando-os em verdadeiras experiências sensoriais, onde a própria natureza é modificada a partir da arte. Sokurov trabalha a arte como instrumento de melancolia.
     
  2. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Uhu! Virá pra São Paulo logo! Já tô lá! :D
     
  3. Spartaco

    Spartaco James West

    Bruce, você já viu algum viu algum filme dele? O que pode nos dizer.
     
  4. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Vi "A Arca Russa" esses dias na Cultura - é um feito tecnológico/estético bem interessante, pois não há cortes e é uma história "longa" (e esteticamente bela): a história da Rússia. Contudo, tenho para mim que talvez seja o filme mais acessível dele ao grande público. Digo isso porque "O Sol", "Moloch" e "Taurus" (que fazem parte da Tetralogia do Poder) são densos e, apesar da duração média esperada para um filme, remetem muito ao Tarkóvski - que aliás foi amigo/mentor dele. Parece até que tem um documentário do próprio Sokurov sobre isso, e espero assistir na Mostra.

    Agora, caso você assista a algum desses filmes citados acima - dizem que o "Fausto" também é assim, mas ainda não vi -, é difícil não pensar na hora no próprio Tarkóvski e também em Peter Greenaway - tem horas em que parecem "quadros vivos", e encantam tanto a fotografia como a combinação com a trilha sonora. Se forem assistir "O Sol", reparem em como as cores tem um tom "oriental" - algo até meio ofensivo, se fôssemos desconstruir a coisa toda. :P Mas "A Arca Russa"... Difícil também não lembrar de "Ludwig" ou "O Leopardo", de Visconti.

    Acho que vale a pena conferir a Mostra para ver uma Introdução a Tarkóvski, como eu chamo, rs. Se você tiver medo de enfrentar o grande Andrei, chances há de que Alexander te ajude a superá-lo. Eu mesmo quero ver os documentários e primeiros filmes - e como as cópias que se encontram em DVD no Brasil são de qualidade dúbia, seria interessante ver os masters restaurados.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  5. Spartaco

    Spartaco James West

    Valeu Bruce pelas informações. Se der, com certeza tentarei assistir algum dos filmes que serão exibidos.
     
  6. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Spartaco, vc sabe se a mostra vai passar no CCBB do Rio tbm :D?

    Edit: Ah, achei, do dia 7 ao 26 de maio... viu, aqui vai ter a mostra antes do que vocês aí de sp :hihihi: Vou ver se vou...

    Bruce, essa tal quadrilogia do poder precisa ser vista na sequência de lançamento dos filmes? Ou são independentes?
     
    Última edição: 6 Mai 2013
  7. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Não, eles são independentes. Não sei quanto ao "Fausto", mas os demais são slices of life de três ditadores famosos: Hitler, Hiroíto e Lênin. É interessante ver como ele humaniza/suaviza esses caras - até recentemente o cinema tinha dificuldades em abordar de forma "íntima" tais sujeitos. O filme com Hitler ("Moloch") é o que acho mais soturno. Mas impressiona mesmo "O Sol" (sobre o Hiroíto) - imagino que os japoneses não devem ter gostado muito.
     
    Última edição: 6 Mai 2013
    • Gostei! Gostei! x 1
  8. Spartaco

    Spartaco James West

    Gabriel, se você assistir, coloque neste tópico as suas impressões. OK?
     
  9. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Pra quem for do Rio, aqui está a programação:


    Eu não gosto de voltar tarde da cidade, então só queria ir em algumas das primeiras sessões :dente:

    To pensando em ir nessa quinta ver Arca Russa. Se for mesmo, depois comento aqui :)
     
  10. Spartaco

    Spartaco James West

    Parece que a Arca Russa é um dos melhores filmes do Sokurov.
     
  11. Spartaco

    Spartaco James West

    Para quem se interessa, uma dica: há um livro sobre a obra do cineasta Aleksándr Sokúrov (Editora Cosac & Naify).

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Além de apresentar o cinema do cineasta russo Aleksándr Sokúrov como uma obra espiritualista da era pré-glasnost, os ensaios do livro traçam um panorama das características estéticas de um cinema que revela, ao questionar, um conceito de montagem diferente daquele praticado pela geração da escola da montagem, fundado, sobretudo, na composição.

    Para maiores detalhes tem o link da própria editora:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  12. Spartaco

    Spartaco James West

    • Gostei! Gostei! x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1

Compartilhar