1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Morgoth foi 100% errado em suas atitudes?

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Elrond, 11 Mar 2010.

  1. Elrond

    Elrond "OFF" it will last two months

    Morgoth foi 100% errado em tudo o que fez em Arda?

    Podemos identificar algo de positivo em suas ações? O que vocês acham?
     
  2. Finwë

    Finwë Alto Oficial de Erebor

    Melkor é algo difícil de qualificar. Eu até entendo (e talvez o apóie) alguns de seus desejos para dar origens por ele mesmo. Mas o fato é que isso estava dentro dos atributos de Melkor, e acho que ele não compreendia isso. Veja, todos os Valar deram origens à coisas maravilhosa, mas a partir da própria 'matéria' que já havia sido criada por Ilúvatar. Mas Morgoth queria tudo, fazer tudo, ser dono de tudo e esse egoísmo o levou à uma depravação e uma lascívia por tudo que os seus pares criavam e davam origem por seus próprios pensamentos. Ele não parou por aí, em seu desjo por poder, ele queria ser um Senhor que nem mesmo Manwë poderia ser: ele queria a aprovação cega e a adoração de todos os seres de Arda. E isso não se consegue com a política dos Valar, então ele se entregou de vez à destruíção, ao caos, ao assassinato, ao desvio de espíritos, corrupção e maldades extremas que a partir desse ponto se tornaram absolutas.
     
    Última edição: 11 Mar 2010
  3. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    Opa, falemos de mim :P

    Na visão tolkieniana do mundo, se olharmos lá de longe, tudo o que Melkor fez fazia parte do tudo. Ele é ume engrenagem essencial para o desenrolar dos acontecimentos. É engraçado ver que tudo o que ele fez resultou numa glória maior para os trabalhos de Ilúvatar. Aquilo que ele buscou destruir do trabalho de seus pares resultou em coisas belas.

    Enxergo o lance mais ou menos dessa forma: Ilúvatar é o mestre do jogo, sabe examente onde tudo vai terminar; todo o resto são personagens (Melkor incluso) e, não importa o seu caráter, as coisas vão acontecer como devem acontecer e no final dá tudo na mesma. E o trabalho de Eru estará completo.

    Olhando por esse lado, aos olhos de Eru, Melkor não fez nada de errado, apenas fez. [Quem fez tudo de errado foi o Fëanor mesmo hehehehehe]
     
  4. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    Discordo completamente dessa frase. Embora Eru soubesse que Melkor se rebelaria (pois Sabe tudo), ele arrumou o mundo para que dessa rebelião saíssem vários frutos bons. Mas isso não torna a rebelião de Melkor algo bom, nem que Eru quisesse que ela acontecesse.

    Eu acho que essa passagem do Silma resume bem o que eu quero dizer:
    (Embora se refira à Fëanor, também pode se aplicar a Melkor, do jeito como interpreto essa passagem).
     
  5. Indu

    Indu In sacanagi we trust

    Depende do seu ponto de vista.
    No geral sim, ele foi contra Musica de Eru, para começar, matou e roubou pelas Silmarils, e você ainda quer mais..?
    É claro que em alguns aspectos seus atos foram de ceeta forma positivas para muitos fatos que vieram ocorrer na Terra-média.
    Mas no geral penso que sempre teve seu lado positivo. Tanto par ao bem, como para o mal Morgoth teve lá seus pontos. Ele foi um personagem extremamente estavel, e digo mais, muito, mais muito importante para todos os fatos que vieram a acontecer na Terra-média desde sua descida.
     
  6. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    Quando falo que aos olhos de Eru Melkor não fazia o mal, não digo que ele fazia o bem, ele apenas fazia e ponto. Porque Ilúvatar está acima do maniqueísmo e o seu propósito não é conhecido. Colocando bem e mal na jogada diria que as atitudes de Melkor são um mal necessário.

    Agora, se afunilarmos aqui e olharmos sob o ponto de vista dos Valar, Elfos e assim por diante, as atitudades de Melkor são más e ninguém mudará isso.
     
  7. Finwë

    Finwë Alto Oficial de Erebor

    Acho que não existe essa jogada a qual você se refere. Eru sabia das intenções de Melkor, mas com certeza ele não queria que elas se concretizassem, mas Ele o alertou que se ele desse início aos seus planos e buscas pérfidas elas só serviriam para criar um coisas que está acima da compreensão de qualquer um. Mas isso não quer dizer que Ilúvatar compactuava com Melkor.
     
  8. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    Pra mim Eru conhecia o princípio e o fim... mas o meio da história toda era regido pela Chama Imperecível, o livre-arbítrio, e o próprio Melkor era parte disso. Não estou dizendo que Eru compactuava com Melkor; as atitudes do Ainu poderiam sim saltar aos olhos de Eru como sendo terríveis, mas Ele sabe, como Senhor da Chama, que no final tudo "vai terminar em pizza" :)
     
  9. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    Bem, se formos pensar que Tolkien via Eru como o Deus judaico-cristão ele sabe sim o meio da história, mas não foi ele que 'escolheu' como ia ser. Ele Sabe e pronto.
    Também por essa mesma perspectiva, o mal seria tudo que estivesse contra os planos iniciais de Eru.

    Não diria que as ações de Melkor foram um mal necessário. Elas não foram de modo algum necessárias. Tudo seria muito melhor sem elas. Mas Eru pensou assim: 'Já que Melkor vai se rebelar, embora isso seja um mal e eu não queira isso, vou ajeitar o que puder para que possam sair coisas boas dessa rebelião.' Os atos tiveram alguns frutos bons, mas não foram necessários (até porque se eles não tivessem aconteciso não precisaríamos dos frutos bons).
     
  10. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    O lance aqui é que o mal é parte do todo, não tem como fugir, é intrínseco ao Ser. Cada Ainu conhecia parte dos desígnios de Eru, que é tudo, e Melkor é parte disso, parte do todo.

    As atitudes de Melkor são parte da mente de Eru, da mesma forma que as atitudes de Manwë. Este último, aliás, via os feitos de Melkor como terríveis calamidades, pois ele não tinha conhecimento algum desta parte da mente de Ilúvatar e para ele (como para muitos outros) isso não tinha cabimento.

    Com isso, de novo, não digo que Eru era mau e compactuava com Melkor, mas este era parte d'Ele e, um mundo sem os feitos do Senhor do Escuro, não existiria, não faz parte da Natureza... impossível.
     
  11. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    Discordo completamente. O mal, segundo penso, não é nada mais que a ausência do bem, a ausência de Ilúvatar. Assim o mal não faz parte da mente de Ilúvatar. Quando Melkor se afastou dos desígnios de Eru, foi para o Mal.
    Daí o Mal não é algo que é, não faz parte do todo. O mal justamente é algo que, digamos assim, não-é. Como o escuro e o frio, que não tem existências independentes, são apenas a falta de luz e calor.


    Se não é possível, como existirá Arda Restaurada?
     
  12. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    Aqui entra o lance do livre arbítrio que cabia a todos aqueles que tinham a Chama Imperecível. As palavras de Eru a Melkor, quando da Grande Canção:

    ... mostram que as tentativas de Melkor são vãs. Em última análise, tudo o que ele faz, tem nos temas de Ilúvatar a sua mais remota origem. E mais essa:

    Isso ilustra meu post anterior: Melkor é parte do todo e sendo assim, o que seria o Mundo sem uma parte de tudo? Não seria...
     
  13. Finwë

    Finwë Alto Oficial de Erebor

    Arda seria muito melhor sem as maldades de Morgoth Bauglir. Ilúvatar propôs um tema harmônico e coeso a todos os Ainur, para que dessa maneira fosse criada um Universo físico harmônico e coeso. Quando Melkor começou a vagar sozinho por kúma e despertar os seus desejos malignos, ele só estava atendendo a si mesmo, pois não havia esse tema dissonante na música. Assim ele se distanciou da 'parte do Mundo' que lhe fora direcionada por Eru.

    Melkor trouxe destruição, morte e caos; coube aos que se opuseram a Morgoth trazer parte da harmonia e dar origem aos atos que Ilúvatar ilustra para acalmar a dissonância. Mas isso não o torna bom ou necessário, apenas o torna existente num mundo que ele pretendia dominar e varrer qualquer vestígio da Música original.
     
    Última edição: 12 Mar 2010
  14. Excluído038

    Excluído038 Excluído a pedido

    Talvez devessemos olhar por uma outra ótica, Melkor era parte de Eru, assim tudo aquilo que ele se tornou bom ou mal, vinha de Eru que também não era o cara mais legal do universo.
     
  15. Indu

    Indu In sacanagi we trust

    Isso não podemos negar, Melkorn era parte da personalidade de Eru, mas do momento que ele tomou suas atitudes, ele abdicou de todo o plano que Eru tinha para ele, sendo assim, penso eu que Morgoth deixou de ser parte de Eru, ou personificou a personalidade ruim de Iluvatar.
    Mas a questão é, sendo Morgoth parte de Eru, estava nos planos dele ter alguem que criasse todo o furdunço que Morgoth criou, e se isso trouxe algo positivo a Arda?
    Como já expressei, ele sim, trouxe muitos fatores bons, que somente a travez do fogo da guerra seria capaz de acontece!
     
  16. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    Melkor é parte do pensamento de Ilúvatar. É incabível que ele atenda a si mesmo com os seus desejos malignos (o próprio Melkor poderia pensar, erroneamente, dessa forma). Tudo o que vem dele, vem de Eru e os seus pensamentos não fogem disso.

    Peguei uma passagens aqui do HoME X para ilustrar essa idéia de "parte do todo" e "mal necessário". Fazem parte da última versão do Quenta Silmarillion (excluindo os estudos posteriores do Myths Transformed):

    ...quem traz o sofrimento é, certamente, Melkor, e a Cura virá através disso, ou seja, é o mal necessário. Assim sendo, Arda Restaurada só será possível quando os Filhos de Ilúvatar, que nela vivem, conhecerem a mácula e, com isso, aprenderem os reais desígnios d'Ele. A maldade será de conhecimento de todos, mas eles terão bagagem para lidar com ela. Se Melkor não existisse, essa consciência não seria possível.

    Dadas as devidas proporções, isso é muito similar à atitude dos Istari em fazer com o que os homens percebessem o mal a sua volta e decidissem por si só enfrentá-lo... de novo, dadas as devidas proporções :)

    Isso... penso mais ou menos dessa forma aí :)
     
  17. Excluído038

    Excluído038 Excluído a pedido

    Eu não axo que Eru tinha um grande plano, vai ver ele só era sádico e gostava de ver o circo pegar fogo... But, bottomline is that no final das contas tudo o que aconteceu sempre inclinava para o lado positivo. Ou seja, as atitudes de Melkor contribuiram para o surgimento dos heróis, como um Batman e Coringa ao contrário. Então, pode ser que Eru permitiu a construção da figura de Melkor com seu lado ruim, para que o verdadeiro bem pudesse se manifestar.
     
  18. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    Melkor veio do pensamento da Ilúvatar, mas não é mais parte dele. Tem existência independente, seus atos não dependem dos atos de Eru e nem Eru os queria.


    Essa consciência foi um fruto bom da obra de Melkor; no entanto, acredito que seria muito melhor se não houvesse a necessidade dessa cura.
     
  19. Finwë

    Finwë Alto Oficial de Erebor

    Por exemplo: se uma pessoa contrai uma doença por um descuido, ao curá-la (admitindo que isso seja possível) ela poderá ficar mais cuidadosa; mas isso não quer dizer que a vida dela seria melhor com a doença, ela poderia não a ter contraido e vivido feliz pelo resto de sua vida. Mas, ela a contraiu; e a cura chegou pelas mãos das pessoas que, juntamente com ela, ajudaram a erradicar o mau, ou seja, a doença não tem participação alguma na melhora.

    Melkor nunca foi um mal necessário; Eru o criou para que conduzisse os seus desígnios dentro do conceito da Música, ou seja, ele teria que melhorar e trazer harmonia (assim como os seus pares) para Ëa. A partir do momento que Melkor se desviou e provocou a Dissonância ele estava agindo por contra própria, movido pelo seu próprio egoísmo. Eru sabia dos planos de Melkor; e por isso os Valar e os Ainur que os serviam (mesmo que com muitas falhas) estavam em Arda, em nome e em glória de Eru, para combater o mau.

    A Restauração de Arda sem o o Elemento Morgoth não virá das mãos de Melkor, e nem das suas maldades, ela será uma cura vinda das mãos dos que lutaram contra ele, dos que resistiram bravamente, dos que não abandonaram a contenda. Melkor é apenas um lixo para ser limpo por aqueles que sofreram; um lixo que se formou sozinho e sem o qual Arda seria muito mais feliz.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  20. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    Eu me baseio no fato de que Melkor vem do pensamento de Eru, que é o Senhor da Chama. Se ele vem do pensamento de Eru, tudo o que ele fizer será parte de Eru, inclusive a Dissonância. Eru pode não prever os meios pelos quais Melkor agirá, mas a origem destes é parte indissociável do todo, ou seja, d'Ele.

    Podemos viver sem a doença, assim como podemos viver sem experimentar (ou exercer) a compaixão de Nienna, ou os sonhos de Irmo... mas eles existem e fazem parte do mundo. Assim, se não nos ligarmos ao mal ou dele não formos vítmas, tanto melhor... mas todos são filhos de Ilúvatar: cedo ou tarde este ser irá sucumbir aos seus próprios pensamentos, guiados pela Chama, e esta pode levá-los inclusive ao próprio mal: a ambição, o egoísmo, a inveja provem tanto de Ilúvatar quanto a compaixão, a amizade, etc

    É impossível ele agir por meios que não tenham em Eru sua origem. OK, Eru não pensou em ferrar seu próprio tema, mas a origem desses pensamentos estão nele, que é o Criador. Assim, Melkor faz o que Eru também faz: mas Melkor não cria, ele sub-cria, à imagem d'Ele.

    Na verdade, originalmente, os Valar estavam em Arda para construí-la e também para "recepcionar" os Filhos de Ilúvatar, que lá nasceriam... o lance com Melkor não foi o mote principal para a presença destes, nem o combate ao mal.

    Concordo... de Melkor virá a destruição e de cada Vala virá alguma coisa... mas tudo isso junto resultará na glória de Eru.
     

Compartilhar