1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

GSL: Leal e Bom ou Caótico e Mau?

Tópico em 'D&D 4ª Edição' iniciado por Arcanjo[SK], 13 Set 2008.

  1. Arcanjo[SK]

    Arcanjo[SK] Spartan Supersoldier

    A 3ª Edição de nosso querido (ou nem tanto XD) Dungeons & Dragons mudou o mundo do RPG não apenas com suas regras, mas também por uma coisinha bem legal: a liberdade de você criar um produto que fosse "oficialmente" compatível com D&D OU você criar um produto inteiramente novo utilizando como base o sistema de regras D20.

    Enquanto uns pensavam que isso seria início de um monópolio, o efeito parece ter sido contrário. A OGL e o SRD permitiram que diversas editoras de diferentes portes fossem surgindo ou que editoras antigas pequenas aumentassem de "tamanho". No fim, todo mundo foi pegando a onda, tivemos até mesmo a White-Wolf e a SJG com seus produtos usando o sistema d20 no mercado.

    Isso permitiu que houvesse mais opções para nós, jogadores RPG, como também aumentou os chamarizes para novos jogadores. Com a OGL e a SRD o mercado de RPG cresceu.

    No entanto, devido a tamanha liberdade de criação, nem sempre os produtos eram bons e equilibrados com os produtos da Wizards (que, também não eram muito equilibrados entre si, mas isso é outra história...), como vários produtos da linha Tormenta d20 e da editora Mongoose. Além disso, tivemos livros polêmicos como o Book of Erotic Fantasy, que fez a Wizards pensar o quão bom era dar liberdade as pessoas de usarem suas idéias.

    E então veio a 4ªEdição do RPG mais popular do mundo, e com ele trouxe uma nova política em relação ao tema, ele trouxe sua nova e polêmica GSL. Chegava ao fim toda aquela liberdade de criação, que como todas as coisas, tinha pontos bons e ruins. A nova "GLS" da Wizards era muito mais restritiva, o que levou a muitos jogadores e editoras a reclamar e reclamar.

    Após tanta polêmica, a Wizards recuou e decidiu rever suas idéias e reformular sua GSL-SRD. Qual postura ela irá adotar?


    A antiga OGL-SRD trouxe um aumento de mercado e uma ampliação de horizontes. Estaria a nova GSL-SRD correndo para trás e cauzando uma dimivuição do mercado e dos horizontes?

    Anjos ou Demônios? Bem ou Mal? O que seria afinal essa nova GSL? Até que ponto a liberdade é boa?



    _____________________________________________________________

    E


    Ambos tirado da Área Cinza:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    em
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    e
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Aberto a debates.
     
    Última edição: 13 Set 2008
  2. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Acho que a Wizards tá certa. O jogo é dela. Não gostou? Cria o teu próprio sistema e vê o teu livreco acumular poeira na prateleira.
     
  3. Tarik Khalil

    Tarik Khalil Usuário


    Faz um terrível sentido.

    Mas não acho que com o esforço certo entre outras coisas seja tão dificil produzir um RPG bom, o dificil é fazer ele se tornar popular.

    Wizards pode ter acabado de assegurar um quase monopólio.
     
  4. Arcanjo[SK]

    Arcanjo[SK] Spartan Supersoldier

    O sistema D20 da 3ªEdição e seu OGL-SRD teve dois efeitos:

    1 - Expandir mercado, com novos jogadores, novas editoras.
    2 - Amarrar praticamente todo o grande mercado a um único sistema: o seu, ou seja, o D20.

    Claro, houve variantes do seu sistema, uns bons e outros ruins, mas o mercado de RPG praticamente foi dominado pelo sistema d20. Aqueles que resistem com sistemas alternartivos ou já estão há bastante tempo na área para ter uma base de fãs sólida, como o Storyteller/Storytelling e GURPS, ou são pequenos demais para conseguirem aparecer significativamente no mercado.

    Muito do mercado de RPG estava virando-se para dar suporte/material ao sistema D20, seja com cenários, seja com suplementos variados. Agora, com a saída da 3ªEdição de cena, cria-se um buraco, um espaço vazio para as editoras que trabalhavam com os livros de D&D 3.x. A Paizo está tentando de algum jeito tapar esse buraco e ocupar o espaço da 3ªedição com seu Pathfinder, para que a 3ªEdição ainda continue viva, junto a todo seu suporte até agora, mas ela tem lá seus problemas...


    Eu acho que poderia ter algumas restrições sim, mas ainda poderia haver certa liberdade para criar produtos para o D&D 4. Cenário por exemplos, acho que são bem vindos, mas tem que se tomar cuidado com as "novidades" que eles trazem: classes, raças, talentos, etc... tem que ter um certo parâmetro pra ter um certo controle, um certo eqüilíbrio. Pois, pra mim, esse era o grande problema da liberdade antiga. Vc tinha mtos produtos e mtos deles incompatíveis entre si devido ao deseqüíbrio. Os livros de Tormenta são um perfeito exemplo de como a OGL-SRD foi mal usada: mesmo que dentro do cenário as coisas possam ser "equilibradas" em seu excesso de desiquilíbrio, não dá para usá-lo de jeito nenhum com outras coisas. O mesmo serve para os livros da linha "Complete XXX" da Mongoose. Precisa haver alguma coisa que dê ordem na casa e mantenha tudo numa certa linha.

    Tipo, para mim, tudo bem a liberdade de criar um sistema alternativo baseando-se no D&D, afinal temos livros excelentes como o M&M e o Arcana Evoveld por aí. Poderia ter algo assim para a 4ª Edição, afinal, seriam alternativos e não necessariamente ligados ao D&D propriamente dito.

    Agora, precisa haver ordem nas coisas que se relacionem direto com o D&D. Não dá pra deixar livre e solto e fazer qualquer merda. Tem que haver algum parâmetro de qualidade, alguma coisa que deixe tudo numa mesma linha, se não, outras Tormentas e outros "Completes Mongoosianos" virão por aí na mesma qualidade de merda. Aliás, a Mongoose tá pra lançar um Complete pra 4ªEdição... será que irá vir absurdo como antes?
     
    Última edição: 13 Set 2008
  5. Barlach

    Barlach Verde. E arqueiro

    Na verdade, acho que a Wizards não se importava tanto assim com o equilíbrio entre raças e classes de outros livros. Acho que o problema era outro.

    O problema era iniciativas como o Ação ou o 4d&t, em que "autores" simplesmente pegavam a SRD que estava no site e lançavam ela direto como livro. Literalmente tentando ganhar dinheiro com o trabalho dos outros. Tanto que a nova licença não dá todas as regras no site, só fala o que do livro pode ser usado.
     
  6. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    Para mim, lançar um livro compatível com um sistema usa esse sistema. Mas é só a minha opinião pessoal; o fato do livro não trazer as regras do sistema e o jogo precisar delas para ser jogado não é conclusivo se você considerar que o jogo não precisa ser jogado.

    Agora, eu pessoalmente não creio que acabar com a OGL seja tão ruim. Os suplementos não oficiais eram em sua quase totalidade uma grande porcaria, a maior parte não fazia falta alguma; os poucos realmente bons (Mutants and Masterminds, os livros do Monte Cook, e alguns outros) poderiam facilmente ter conseguido permissão da Wizards, creio eu (comprar o direito de lançar esses livros). Cenários é outra história... mas um cenário não necessariamente precisa vir com elementos de um sistema.
     
  7. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    O problema é que todo mundo quis lançar o seu próprio D&D. Foi assim com o Arcana Unearthed (por mais que eu goste desse jogo, é verdade) e o Blue Rose (True20). Além disso vieram os jogos que aproveitavam da mecânica simples e eficaz que a Wizards criou pra lançar seus próprios jogos, como o Mutants & Masterminds.

    E isso, claro, tira a principal fatia de mercado que a Wizards queria: que o povo comprasse o D&D dela e os suplementos dos outros.
     
  8. Barlach

    Barlach Verde. E arqueiro


    Sim, exatamente a minha opinião. O problema da Wizards é que tinha gente lançando livro básico com as regras dele. O que é ridículo, basicamente uma maneira mesquinha de ganhar dinheiro sem ter que criar nada.

    O objetivo da licença era iniciativas como o Midnight, Iron Kingdoms e outros bons cenários de D&D. E essas coisas continuam sendo possível com a atual licença (quero dizer, acho, não entendo muito essas coisas de advogado). O que não pode mais é usar o sistema D20 pra concorrer com o D&D.
     

Compartilhar