1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Família reconhece parente em local de morte, mas ele aparece e diz: “Não fui eu que morri, gente”

Tópico em 'Planeta Bizarro? Estranhices? Bizonhices?' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 9 Ago 2015.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Corpo foi localizado dentro do Ribeirão das Padilhas (Foto: Djalma Malaquias)​

    Uma situação inusitada aconteceu durante o atendimento a um local de morte na Rua Franciso Claudino Ferreira no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, na manhã desta quarta-feira (5). Uma família foi até a beira do Ribeirão dos Padilhas e reconheceu o corpo como sendo de um parente que não tinha aparecido desde a noite de ontem, porém, na hora em que os policiais militares começaram a confeccionar o Boletim de Ocorrência (BO), a suposta vítima apareceu caminhando e rindo.

    “Eu bebo um pouco, mas estou bem vivo ainda. Não fui eu que morri, gente”, disse o homem, que em seguida falou que o morto pode ser um parceiro de bebedeira. “Parece que ele caiu no rio e não conseguiu voltar. O pessoal costuma sentar aqui na beira do rio para beber. O que eu posso garantir é que não sou eu, afinal estou aqui dando entrevista”, disse o homem de 60 anos, mais vivo do que nunca.

    Ainda sem identificação, o corpo foi retirado do rio e encaminhado ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML). Um inquérito policial para apurar os detalhes da morte será realizado na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • LOL LOL x 1

Compartilhar