1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Do outro lado do rio, entre as árvores (Ernest Hemingway)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por imported_Nanda, 10 Fev 2009.

  1. imported_Nanda

    imported_Nanda Usuário

    Do outro lado do Rio, entre as Árvores é um livro que conta a história de um coronel ex-combatente da segunda guerra com problemas cardíacos, e seu romance com uma italiana Condessa quase 30 anos mais nova do que ele.

    Copiando a quarta capa:
    Minha opinião: (tá com spoilers então estou usando a tag)
    Eu comecei achando o livro interessante, até ver que até quase que o meio dele, nada tinha acontecido. Nenhuma ação, nada, só o Coronel caçando pato. Qdo o coronel encontra com a Condessa pensei: "Oba, ai vem emoção, amor e tals", mas o amor entre os dois e o diálogo inútil e sem sentido em diversas partes me fez perguntar se esse não foi o pior livro desse cara. Não é como se eles estivessem divididos em algum dilema, mas sim é como se a guerra não tivesse saido da vida do coronel e tals, e isso influencia seu comportamento que às vezes é grosseiro. Muitas partes do diálogo quase me fizeram fechar o livro, pq eles estão conversando e do nada ela muda o assunto e fala pra ele não ser grosseiro, mas ele não foi sabe, ai ela volta do nada ao assunto e eles repetem zilhões de vezes que estão lá juntos e que nao é pra eles se chatearem nem se preocuparem, mas em momentos q não tem nada a ver! Fora que não gosto de livro de guerra, e já no final eu pulava páginas que ele descreveu o regimento e a batalha que lutou - e nem isso a gente podia chamar de ação no livro onde a maior aventura é qdo ele atira em uns patos na caçada.

    No final, não tirei nada do livro, achei insosso e tentei ver onde estava a estilística do cara e pensei que o livro que o fez levar o prêmio Nobel deve ser muito o oposto desse. Não me adicionou em nada, fez minha leitura ficar lenta e eu acho que só consegui terminar pq sou obstinada. No final, livros assim e ainda com guerra realmente não fazem meu tipo.
     
  2. imported_Nanda

    imported_Nanda Usuário

    Eita um tópico imensamente visto mas sem nenhuma resposta.
    Meu pior fracasso auehauehauhuaheuahe :P (como disse, sou péssima em fazer piadas)
     
  3. Liv

    Liv Visitante

    Olha, broxei! :lol:

    Todos falam tão bem dO Velho e o Mar.... agora eu fiquei confusa com o Hemimgway.
     
  4. Zuleica

    Zuleica Usuário

    Sabes Nanda, que esses livros mais antigos, eu já os li a muito tempo e minha ótica era outra. Lembro de ter indicado um autor que eu amava de paixão e a pessoa me disse, Kuin, esse escritor é péssimo ou é uma péssima tradução. Peguei o livro e ... droga, o assunto é ótimo, mas a escrita é chula, na verdade creio que eu não era tão exigente naquela época. Por isso, minha opinião pode ser considerada inválida, mas Hemingway era deus pra mim.
    Ele descrevia os lugares de uma forma que eu consegui me inserir no quadro. Naquela época eu tinha fixação por locais diferentes da minha realidade. Lembro de
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , um nome lindo para um lugar. Como eu tenho dificuldade em ser enxuta para me expressar, ele era para mim, simplesmente divino.
    O Velho e o Mar fez eu olhar meu pai com olhos que precisariam 50 anos vividos, o valor da dignidade, para uma pessoa do sexo masculino, era algo que eu reconhecia nas palavras de Hemingway. Agora, eu precisaria reler os livros para saber se não estou pensando como você. Na minha memória, ele ainda reina absoluto.
     
  5. imported_Nanda

    imported_Nanda Usuário

    Minha amiga da facu (q ta registrada aqui até) achou o Velho e o Mar extremamente chato.
    Eu não sei pq não li. To até com vontade, já q ele é fino, pra ver se desfaço essa impressão ruim q fiquei do outro livro ai.

    Pode ser a tradução sim, a linguagem tá muito sei lá, eu não me senti em lugar nenhum muito menos a descrição dele me fez entrar no livro... já vi descrições bem melhores.
    O pior foi o diálogo que parecia sem sentido diversas vezes. Eu não consegui fechar o livro e pensar, "nossa que emoção", pq tinha hora que eu olhava e pensava, nossa parece dois idiotas. Mas tb fiquei sabendo que esse não teve uma crítica boa. Talvez eu tenha começado errado, e olha q eu tinha lido um conto dele e não tinha me sentido assim, ao contrário, eu o achei fantástico. Vou dar uma segunda chance pro cara.
    Bom,
     

Compartilhar