• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Cinco Animes Favoritos com Indu [2.0]

Turgon

ワンピース
Eis a segunda lista do @Indu . A primeira pode ser conferida aqui.

Vou comentar depois sobre a lista, para deixar mais os comentários do próprio Indu no primeiro post.






5° Yu-Gi-Oh! Duel Monsters-1996
MV5BMDM0MDA3NzYtMDE1MS00YjZmLWJmNjQtNzgxYzlhMmMyZjQ2XkEyXkFqcGdeQX_bODhdmT.jpg

Grande febre entre 2002 e 2004 aqui no Brasil, e até hoje me pego assistindo as aventuras mais antigas do Yugi.
O anime é baseado no mangá de mesmo nome, publicado por volta de 1996. Gerou vários spin-offs, jogos de vídeo game e claro, o mais legal, o card game.
O anime conta a história de um jovem rapaz chamado Yugi Muto, que após resolver um quebra-cabeça vindo do antigo Egito, é possuído por um espírito de um antigo Faraó, também conhecido como O Rei dos Jogos.
Toda dinâmica do anime gira em torno de um jogo de cartas parecido com Magic, chamado Monstros de Duelo.
O anime é bem méh, sem nada muito surpreendente, mas o carde game, meu amigo, foi uma febre.
Monstros de Duelo foi um card game colecionável, baseado no anime.
Você podia comprar os decks originais em bazar, papelarias e lojas especializadas. Coisa de muleque riquinho da minha época.
Ou se você era pobre como eu, as mini cartinhas no buteco da esquina ou mercadinho. E já corria para abrir com os amigos, trocar repetidas, montar um deck e jogar na calçada.
Seu jogo no PlayStation 1, Yu-Gi-Oh Forbidden Memories também ocupa um espaço especial no meu coração. Até hoje aparece alguma live de alguém jogando isso num emulador.
Hoje você pode jogar online com outro jogaroes por um aplicativo oficial da Konami chamado Duel Links.
Uma curiosidade é que em 2009-10 o jogo de cartas entrou para Guiness Book como o card game mais sucessido da história, com até então 22 bilhões de cards vendidos.


4° Digimon Adventure-1999
Adventure.jpg

Em 2001 a Globo perdia espaço para Record e seu Pokémon no horário do almoço. Nessa batalha de monstros, eis que a Globo lança Digimon. E foi um sucesso, uma vez que o publico já estava se habituando a amigos monstrinhos orientais.
Merece o posto pela nostalgia, e como eu coloquei pokemon na lista de dez nos atras, seria justo colocar digimon nessa daqui.
Sete criaças estão curtindo no acampamento de férias quando alguns aparelhos desconhecidos caem do céu. São os digivices. E inesperadamente os transportam para um mundo povoado de criaturas estranhas, inteligíveis e alguns hostis. Cada uma das crianças recebem um monstrinho que as acompanham durante toda a jornada. E a medida que vão avançando na exploração do lugar, descobrem que trata-se de uma ilha e eles prcisam combater uma criatura maléfica que está corrompendo o lugar.
Todo o anime é baseado na ascensão digitial do Japão dos anos 90 e 2000, Os monstros são criaturas digitais numa realidade paralela a nossa feita apenas com conexões de internet. E toda dinamica entre eles é pautada por esses dados, existindo monstros digitais que são Vacinas, mosntros que se comportaem como Vírus, etc, etc. Isso gerava as digievoluções mais variadas, fazendo com que um único digimon pudesse ter uma árvore evolutiva, com ramificações baseadas em seu humor, ambiente, digiescolhido, ou pedras e itens que ajudam a evoluir de formas diferentes.
Outra coisa que me atraia muito em digimon era a estética dos monstros. Diferente de pokemon (impossível não comparar), eles não era em sua maioria fofinhos. Tinham uma aparência mais punk, selvagem, e mais agressiva.
As formas eram as mais váriadas possiveis, amplamente inspiradas em elementos do nosso mundo:
300px-Sephirothmon_DF.jpeg


cabala01.jpg


3º Ajin-2016
77968.jpg
Ajin é um anime de 2016, que conta a história de Kei Nagai, um estudante que após se atropelado descobre ser um Ajin. Seres imortais que possuem uma rápia regeneração e são vistos como criaturas monstruosas a serem a estudadas pelo governo. A partir daí começa uma perseguição pelo seu corpo.
Nagai então descobre outros ajin se escondendo do governo, e assim como ele estão assustados, com raiva e indecisos sobre o que fazer com o misterioso poder.
Começa a se formar então algumas coalisões de um lado o governo com seus experimentos e um orgão de caça e recrutamento de ajins. E do outro começa a se formar uma célula terrotista para reconhecer os Ajin como pessoas. Enquanto Kai tenta equilibrar as coisas.
Ajin é o anime mais diferente que eu já assisti. Tanto sua estética, de animação, com uma pegada digital, quanto sua narrativa. Um horror policial , que eu acho bem dificil de encontrar bons animes com essa temática.


2º One Punch-Man-2009
one-punch-man-capa1.jpg
Extremamente engraçado, merece entrar na lista por ser uma sátira de animes do mesmo tipo, como Dragon Ball e Naruto e em maior exemplo Superman. Nesses animes chamados shonen, o protagonista precisa treinar muito para derrotar seus inimigos, mas em One Punch-Man não. Como o título sugere, Saitama o protagonista, derrota todos os vilões com (se assim ele quiser), apenas um soco.
O clima leve do anime também é convidativo, Saitaman é extremamente forte, mas tem problemas extremamente comuns, como desemprego, gastos dométicos, compras, etcétera, etcétera.
Depois de salvar uma criança de um monstro, Saitama treina duro durante três anos para virar um herói. O Treinamento foi tão radical, que caiu todo seu cabelo. Mas em compensação, ele se tornou o herói mais poderoso da Cidade Z. Só que ninguém o conhece. E sua força é tão absurda, que ele derrota seus inimigos com apenas um soco.
Isso começa a deixa-lo um pouco desanimado, entediado e até distraido nas lutas. Seus problemas maiores parecem ser a casa limpa e as promoções no supermercado. Saitama assume um tom niilista sobre sua vida e seus objetivos.
As coisas mudam de forma qando Saitaman conhece Genos um ciborgue muito poderoso que começa a chamar Saitama de Mestre e pedir ensinamentos. Enquanto os dois entram numa Associação de Heróis.
O anime é extremamente engraçado, e faz uma piadas muito boas a respeito da condição de heróis, e com os vilões também, sempre lembrando algum personagem de anime, ou falando algumas frases bem canastronas.



1º Neon Genesis Evangelion-1995
Neon-Genesis-Evangelion-Logo.jpg

Eu estou sempre presente para espalhar a palavra de Evangelion.
É meu anime favorito de todos os tempos, um marco na história das animações orientais, considerado uma das melhores produções já criadas, sem exageros, eu juro. E não coloquei na antiga lista por não entender toda sua complexibilidade.
Correndo o risco de soar pesudo-cult, mas Evangelion é de uma profundidade sem igual. Se apresentando como um anime de mecha com um drama superficial e adolescente. Ao longo da história, Evangelion vai se mostrando extremamente complexo, confuso e profundo.
Com elementos que viajam entre o cristianismo, cabala e judaismo. O anime usa e abusa da inflûencia cultural de sua época, critícas e receios da sociedade Japonesa dos anos 90.
Acompanhamos a história de Shinji Ikari, um orfão de mãe e criado longe do pai, que precisa voltar a Tókio a pedido do pai para pilotar um Evangelion, unidades robóticas controladas por crianças afim de combater alienigenas chamados "Anjos".
Shinji é um garoto de 14 anos totalmente apático, sem interesses definidos e muito solitário. Sua relaçãocom seu pai é distante e sem o minimo do carinho e atenção. Seu pai, Gendo Ikari é chefe de uma organização para-militar chamada Nerv, que tem como objetivo, usar essas Unidades de Evangelion para defender a terra dos chamados Anjos.
O anime se passa num futuro pós-apocalíptico, chamado Segundo Impacto, no qual acomanha a rotina de Shinji e seus novos amigos em Tókio 2, uma cidade totalmente remodelada para servir de palco para as batalhas entre os Anjos e os Evas.
Tem muita coisa para se falar de Evangeion, seus personagens complexos, a trama sempre deixando bem claro que a qualquer momento tudo vai pelos ares.
Eu nao gosto muito de rankear minhas listas, no caso de Evangelion eu abro uma execeção, o anime é MUITO BOM.
 

Loveless

J'ai une âme solitaire
Usuário Premium
Excelente lista, Indu.

Yu-Gi-Oh! e Digimon estão, obviamente, muito ligados à minha infância. Eu também jogava o jogo de cartas — inclusive tenho algumas até hoje — e posso lembrar vivamente do dia em que ganhei o deck do Joey que minha mãe trouxe de uma viagem a Brasília. Passei muitas horas dos meus dias adolescentes jogando esse jogo.

Apesar de Yu-Gi-Oh! ser mais antigo que Digimon, lembro que este passou primeiro na TV Globinho, até porque, ao menos na minha pobre cabeça, o segundo está mais ligado à infância e o primeiro à pré-adolescência, talvez por causa do jogo.

Evangelion eu fui assistir depois de adulto. Sensacional. Mais do que a própria história narrada no anime, acho a mitologia do anime algo fascinante. Das melhores já criadas.
 
Última edição:

Melian

Período composto por insubordinação.
Yu-Gi-Oh! é aquela parada de memória afetiva, né? Eu me lembro de ver, na Globo, e gostar. Nada extraordinário, mas fazia parte da minha rotina.

One Punch-Man eu botei na listinha há séculos, mas como fico fazendo mil coisas ao mesmo tempo, ainda não comecei a ver.

Evangelion, eu preciso rever, para averiguar se as impressões positivas permanecem.

Agora, nunca senti um pingo de vontade de ver Pokémon ou Digimon. É o caso de "não vi e não gostei", mas tenho certeza de que, para quem se interessou, deve ser bacana e tudo o mais.
 

Giuseppe

Eternamente humano
Excelente lista, Indu.

Yu-Gi-Oh! e Digimon estão, obviamente, muito ligados à minha infância. Eu também jogava o jogo de cartas — inclusive tenho algumas até hoje — e posso lembrar vivamente do dia em que ganhei o deck do Joey que minha mãe trouxe de uma viagem a Brasília. Passei muitas horas dos meus dias adolescentes jogando esse jogo.

Apesar de Yu-Gi-Oh! ser mais antigo que Digimon, lembro que este passou primeiro na TV Globinho, até porque, ao menos na minha pobre cabeça, o primeiro está mais ligado à infância e o segundo à pré-adolescência, talvez por causa do jogo.

Evangelion eu fui assistir depois de adulto. Sensacional. Mais do que a própria história narrada no anime, acho a mitologia do anime algo fascinante. Das melhores já criadas.
Quando era garoto eu ganhei esse mesmo deck, jogava sempre com meu irmão. Você e eu temos a mesma idade, então assistimos os mesmos animes na mesma época. Eu também gostava de Pokémon, Digimon, etc. Evangelion também só fui ver depois de adulto.
 

Turgon

ワンピース
Yu-Gi-Oh! é um anime que fez bastante sucesso na tv globinho e eu adorava. Cheguei a comprar um deck do jogo para brincar de cartas. O visual das cartas são bem legais e o jogo não era tão complicado assim de se jogar. Para o games eu gostei de um mais antigo, não vou lembrar o nome agora, mas não cheguei a jogar tanto. Sobre o anime, a primeira fase é disparada a melhor. Depois eles tentaram se reinventar, colocando novos personagens, mas nunca acabei gostando. Sempre comentam que o anime é muito light perto do mangá. Eu nunca cheguei a pegar os mangás para conferir.

Digimon é outro que lançaram várias versões posteriormente, mas que nunca chegaram a fazer um sucesso razoável. A primeira fase é bem legal e ficou marcada por passar na tv globinho e ter a icônica abertura cantada pela Angélica. Eu sempre fui mais "team pokémon", mas sempre gostei de Digimon também.

Aijin é outro anime bom. Gostei da história e do desenrolar dela. A única coisa que eu não gostei muito foi da animação. É difícil me acostumar com aquele tipo de animação. Sempre prefiro as mais tradicionais desenhadas.

One Punch Man tem uma primeira temporada ótima e uma segunda temporada bem mais ou menos. A primeira criou uma expectativa tão grande, que a segunda eu acabei deixando de assistir na época e finalizei só algum tempo depois.

Evangelion é um anime que preciso rever. Assisti a primeira vez muito jovem e quem sabe tenho outra visão dele agora.
 

Indu

Cynthiaaaaaa
O visual das cartas são bem legais e o jogo não era tão complicado assim de se jogar. Para o games eu gostei de um mais antigo, não vou lembrar o nome agora, mas não cheguei a jogar tanto.
Sim o ponto alto da abimação é visual dos monstros né.
Ainda mais na epoca de playstation onde as batalhas eram animadas. Eu achava o ápice da tecnologia para games:

Sempre comentam que o anime é muito light perto do mangá. Eu nunca cheguei a pegar os mangás para conferir.
Uma coisa que sempre me incomodou muito era o Yugi ser um adolesente com aquela coreira no pescoço.
A roupa dele é muito dominatrix para um adolescente mirrado que sofria bulling.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$200,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo