1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Chip fotônico transfere dados a 1 terabit por segundo

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Conan, 2 Mar 2011.

  1. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    A versão mais recente do chip fotônico da Infinera - ainda em escala de protótipo - é o coração de um receptor de 10 canais, cada um operando a uma velocidade de 100 Gbit/s. [Imagem: Infinera]

    Um circuito integrado fotônico, especializado na transferência de dados por luz, atingiu um recorde de velocidade de um trilhão de bits por segundo (1 Terabit/s).

    Redes totalmente ópticas

    O chip fotônico, construído com o semicondutor fosfeto de índio, é resultado de 10 anos de desenvolvimento da empresa emergente Infinera, localizada em Sunnyvale, na Califórnia.

    Com o tráfego de dados da internet aumentando em 50 por cento a cada ano, as empresas de telecomunicações sabem que logo terão que encontrar soluções alternativas, radicalmente mais eficientes do que as atuais.

    Os chips fotônicos eliminam a necessidade de conversão optoeletrônica na interface entre as fibras ópticas e os equipamentos de transmissão, podendo se tornar essa tão sonhada alternativa.

    "Nossos chips fotônicos permitirão tornar as redes ópticas mais potentes, mais flexíveis e mais confiáveis do que nunca, usando um equipamento que é significativamente menor, mais barato e que consome muito menos energia," disse o Dr. Radhakrishnan Nagarajan, pesquisador-chefe da empresa.

    Chip fotônico

    A versão mais recente do chip fotônico da Infinera - ainda em escala de protótipo - é o coração de um receptor de 10 canais, cada um operando a uma velocidade de 100 Gbit/s.

    Ele contém mais de 150 componentes ópticos, incluindo lasers osciladores para ajuste de frequência, mixers de sinal, atenuadores ópticos para controle de potência e 40 pares de fotodetectores - tudo integrado em um chip menor do que uma unha.

    A empresa afirma que o chip fotônico de 1 Terabit/s deverá chegar ao mercado "dentro de alguns poucos anos". Mas promete uma versão com a metade dessa velocidade para 2012.

    *
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     

    Arquivos Anexados:

  2. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Os semicondutores dessa familia III-V já há muito são mais eficientes para aplicações óticas.
    Contudo os wafers deles são BEM mais caros que o silicio ainda. E o InP nem sequer é dos mais baratos.
    A promessa e eficiencia dos cristais fotonicos são um fato. Problema é baixar esse custo.
     
  3. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Como tudo nessa área começa com custo elevado, mas basta haver confiabilidade e aí novos investidores aparecem e o custo aos poucos vai se tornando viável. É o ciclo natural de qualquer nova tecnologia.
     
  4. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Problema que esses semicondutores não são tecnologia exatamente nova. A manipulação em cristais fotonicos sim.

    As celulas solares em satelites normalmente são feitas desses materiais. Dado que nessa aplicação vale MUITO mais a eficiencia do que o custo-beneficio. Ao contrário das celulas solares comerciais que são feitas de silicio puramente pelo custo baixo.

    Espero que realmente chegue a baratear.
    Mas as tentativas ainda não chegaram lá.
    Tanto que muitas empresas preferem apostar em mexer na estrutura do silicio em busca de maior eficiencia do que apostar em outros semicondutores.

    Não é pra menos. Silicio é um dos elementos mais abundantes da Terra. E a forma de preparação é altamente simples.
    Vai ser dificil.
     

Compartilhar