1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Cândido, Voltaire

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Anica, 27 Nov 2007.

  1. Anica

    Anica Usuário

    Lá no tópico Top10, Lordpas disse:

    E é engraçado, mas toda vez que penso em Cândido, sinto o mesmo (não importa quantas vezes já tenha lido). Quando Voltaire escreveu Cândido, ele queria contestar o a idéia do melhor dos mundos possíveis de Leibnitz. O que acontece é que com o humor (assustadoramente atual) do Voltaire faz das aventuras do otimista Cândido mais do que uma sátira às teorias do filósofo, mas uma crítica à humanidade (não direi nem 'sociedade', porque se a crítica cabe bem até nos dias de hoje...).

    Para os que já conhecem Cândido e gostam tanto quanto eu ( :mrpurple: ), deixo aqui a dica: leiam Zadig. A estrutura é bem parecida (cada capítulo uma aventura diferente), mas aqui Voltaire parece ainda mais afiado.
     
  2. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    Exatamente, o que mais surpreende é que Cândido vai ser sempre atual.

    E olha que a publicação é lá de 1700 e alguma coisa. E sem dúvida alguma o personagem de Pangloss tem um significado bem pessoal para mim e a balela do "melhor dos mundos", creio que o contraponto entre ele e o velho sábio em cima da cabeça de Cândido fazem a idéia de Voltaire bastante clara: não existe o melhor dos mundos, muito menos o pior. Apenas um mundo a ser enfrentado.

    E tirando todos esses aspectos que eu fico todo empolgado falando :g:, tem ainda a última frase de Voltaire: "Tudo isso é muito bonito - respondeu Cândido -, mas o que é preciso é cultivar o nosso jardim".

    :grinlove:
     
  3. Kainof

    Kainof Sr. Raposo

    Eu tenho uma pequena e surrada edição dessa obra aqui em casa. Mas não fiquei satisfeito com ela. Vocês têm alguma indicação de uma boa e completa versão para o português de "Cândido"?

    Isso porque, além de criticar um pensamento filosófico que ainda mantém ramificações na atualidade. A crítica de Voltaire é profunda, atinge as estruturas mentais humanas, que pouco modificam em suas bases com o atravessar dos anos. Somente uma obra assim pode resistir ao tempo com tamanha impressão. O que torna Voltaire ainda maior, e para mim, o prenúncio dos romances existencialistas do século XX.
     
  4. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    A minha versão é Martin Claret daquelas com capas que dão medo, etc. Mas diz "texto integral" e custa menos que 10 royals.

    O pessoal tem uma cisma com pocket, mas eu realmente não tenho parâmetros pra fazer uma avaliação.
     
  5. Kainof

    Kainof Sr. Raposo

    Nem eu. Sou tronco na correnteza...

    O meu é um pocket também. Nem lembro a Editora pré-histórica. É de um papel amarelo com textura de jornal que dá medo. Absorve toda a umidade do dedo, parece uma esponja ultra-eficiente...
     
  6. Anica

    Anica Usuário

    Olha, como nunca li Cândido no original, não posso falar de qualidade de tradução. Mas levando-se em conta que é na realidade uma novela, e não um romance, então é bem provável que mesmo os pockets tenham o texto integral sim.
     
  7. Cad

    Cad The punishment is loneliness.

    Oi

    Então, o meu pocket do Cândido é da L&M, e não ficou ruim a tradução (acho). Ainda estou namorando uma edição da Martins Fontes, mas não sei ainda se devo comprar.
     
  8. lipecosta

    lipecosta Usuário

    Esse é mais um livro da espécie : " Toda vez que você lê, nota algo diferente".

    Só Voltaire pra escrever uma obra-prima dessas. Um dos livros com que mais gargalhei.huahuahuahuha.
     

Compartilhar