1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Brasil x Copa do Mundo

Tópico em 'Esportes' iniciado por egoNullius, 18 Abr 2002.

  1. egoNullius

    egoNullius Usuário

    A um certo tempo venho querendo abrir esta discussão e acho que ver a discussão formada sobre até onde o Brasil chega na copa no "geralzão" me deu um certo impulso.

    Bem a questão é a seguinte, alguém ai sabe se o Romário vai ou não para a copa? Se o Ronaldinho está em perfeitas condições? Se o Felipão é um bom técnico?
    Mas alguém sabe se esse ano nós elegemos um presidente?

    Estamos em ano de eleição, esta ocorrerá daqui a poucos meses e a pura ignorancia - um pouco de manipulação também - da nação brasileira está apenas voltada para a copa do mundo. Como podemos ser seres tão desprezíveis a ponto de pararmos de se preocupar com nosso futuro para torcermos por um esporte que foi criado, para que houvesse uma certa rivalidade entre funcionários de empresas concorrentes?

    A nação brasileira está na hora de acordar, devemos pensar e refletir sobre aquele que durante quatro anos impulsionará nosso país. Não podemos ser manipulados a pensar apenas em um esporte.

    Como patriota brasileiro, não torço para que o Brasil ganhe a Copa ou chegue muito longe, na verdade, torço para que este saia da Copa o mais rápido possível, talvez assim pensemos mais nos erros que estamos cometendo.

    (Patriota indignado)
     
  2. A COPA

    Olá GF Alves, é sempre bom ler seus posts.

    É meu amigo, a tal da política do pão e circo. Principalmente do circo.

    A Copa sempre serviu para esconder fatos podres da política nacional. A nossa amiga Roseana já está caindo no esquecimento, e com ela vão seus 1.3 milhões de dólares, os escândalos da política maranhense, e tudo mais.

    Poucos sabem, é verdade, de que outro amigo nosso, o travesso Garotinho, pediu aposentadoria de 9600 reais ao sair do Governo fluminense. Notem: 48 anos, 3 anos de trabalho e aposentado com 9600 reais mensais para o resto da vida.

    São os milagres da política brasileira.

    E esse tal de seguro-apagão? Seremos obrigados a pagar seguro contra a burrice e incompetência de nossos governantes.

    Já imagino até o corretor dizendo:

    - olha, meu amigo, é ano de eleição, você nunca sabe o que pode aparecer... sei que é difícil pintar algo pior que FHC mas, por vias da dúvidas...

    ... compre nosso seguro-apagão! Sem carência e isento de franquia!


    Seria cômico se a realidade não fosse ainda pior: o seguro, caso seja realmente instituído, será obrigatório.

    E o que aparece na TV?

    Romário vai ou não pra copa?

    Quais os motivos de Felipão para não convocar Romário?

    Brasil ultrapassa a Argentina e é o segundo do ranking da FIFA.


    São essas as manchetes deste país, desta pátria de chuteiras.

    Adoro futebol! Sou santista doente, roxo! Mas futebol não pode jamais se confundir com a vida real.

    É apenas um jogo, uma diversão momentânea que, quando acaba, deve ser esquecida, ou guardada em um cantinho da memória. É preciso que nos preocupemos mais com a realidade, e menos com a fantasia.

    Caso contrário, alienaremo-nos e esqueceremos que, enquanto ficamos fascinados com 22 homens e uma bola, os poderosos roubam, o país empobrece, a fome se alastra e o crime aumenta sua coleção de vítimas.

    E as vítimas somos nós.
     
  3. Engethor

    Engethor Son of Jango

    (Rápido, alguem me passe um atestado de insanidade. Já debati aqui ciência e religião, agora vou pra política e futebol. Qdo vou aprender q isso não se discute?)

    Acho fundamental manter a vigilância e o questionamento do q está aí. Mas tb acho q não se deve virar as costas a algumas coisas q acontecem. Acho q o destaque do noticiário do início do ano até agora foi: Roseana: ascensão e queda. Será q a causa da queda foram as notícias da seleção?

    Tá, eu sei... a queda dela interessava a X e Y. Mas a ascensão dela interessava a A e B. O q eu quero dizer é: algo aconteceu. O quadro q se desenhava ao final de 2001 já não é mais o mesmo. Como isso ocorreu?

    Bom, parece q eu não entendo tanto de seres despreziveis e superiores, mas eu não vejo relação alguma entre preocupação com o futuro e torcer para um esporte. Não creio q os seres superiores torçam menos por causa de sua preocupação com o destino do universo. Não creio q o caminho para os seres despreziveis atingirem a iluminação passe pelo abandono de uma brincadeira. Não creio q os detalhes da origem de um esporte deponham contra ou a favor dele (minha versão da origem diz q começou como um jogo nas universidades, vindo de uma tradição com jogos de bola).

    Mais uma vez, não vejo relação alguma entre os fatores. Não creio q o caminho para uma maior maturidade parta da rejeição ao esporte. Aliás, não creio q o ato de rejeitá-lo vai ser a causa de uma transformação no quadro social. Favor apresentar evidências a favor. Se algum país atingiu a iluminação, partiu por outros meios. Se, durante o processo de iluminação, ocorrer uma rejeição ao esporte, eu diria q é consequencia, não causa.

    Sinceramente, já cansei dessa falácia da Copa. Vamos lá: em 90, a seleção foi eliminada cedo. Não creio q os políticos eleitos naquele ano tenham sido melhores ou piores q os de 94 (campeã), 98 (vice) ou 86 (82 eu não era ligado em politica). Não creio q a eliminação na primeira fase em 66 tenha contribuído para a queda do regime militar. Por pouco q não tínhamos um bom contra-exemplo em mãos. A eleição de Collor foi em 89. Acho q ninguem duvida q, tanto faz a eleição delle ter sido em 89 ou 90. Vamos fazer um exercício de imaginação: seleção eliminada cedo em 90, Collor eleito. Correlação?
    Não vejo na eliminação da Copa um potencial para mudar a politica ou a imprensa.

    Não vejo ninguem mais ou menos patriota por torcer contra ou a favor de um time. Ou ser um Zagalo. Eu já disse hoje q não vejo essa correlação?

    Concordo. Acho q temos de encarar as coisas com naturalidade. O debate político tem lugar em qualquer tempo. As campanhas não precisam ser excepcionalmente longas, acho q o mais importante é manter sempre o debate e a fiscalização. Ano de eleições não é razão pro congresso congelar suas atividades.

    Ah, pra encerrar, acho q a seleção cai nas quartas. Acho q não merece ganhar pq, pelo q vi até agora, não tem jogado decentemente. Gostaria q ganhasse algum time q enchesse os olhos.
     
  4. Escapismo

    Olá meus caros.

    Well, well, well... acho que já entendi o cerne da discussão.

    Tudo tem limites, e com o escapismo não é diferente.

    Todos aqui somos escapistas, pois porcuramos fugir da realidade ao nos infiltrar pelo mundo que Tolkien construiu.

    Escapismo é uma forma pela qual esquecemos dos problemas do mundo... confinamo-nos em sistemas alternativos e exploramos universos que não conjugam elementos da realidade.

    Escapismo é ruim? Não, claro que não. Não é porque a realidade está a nossa volta que devemos, sempre, andar por ela.

    É, além de tudo, saudável imaginarmos coisas que não existem, pois tal exercita a mente e estimula a criatividade.

    Neste pé, vê-se que o futebol também é uma forma de escapismo, pois ele tira as pessoas da sintonia com a realidade e oferece um mundo de espetáculos, lutas e competição.

    Todavia, por mais que a realidade seja chata e o escapismo afigure-se muito mais excitante - seja com TOlkien, seja com a seleção - não podemos dar às cosas para realidade, pelo menos não o tempo todo, dependentes que somos do mundo real.

    Divertir-se e alienar-se são coisas diametralmente opostas. Em verdade, a diversão sempre está ligada a uma forma de escapismo (ler um livro de Machado de Assis é escapismo), mas não podemos só viver da diversão, nem só do trabalho.

    É importante que, como cidadãos, entendamos um pouco do mundo, principalmente de nosso querido país, dos nossos queridos estados (ou DF) e dos nossos municípios.

    É dever do cidadão se informar sobre política, economia e assuntos afins, pois um voto alienado acaba anulando um voto consciente, e quando um político não muito amigo da honestidade vence, o faz por meio da alienação, e não da informação.

    Assim, somos todos igualmente responsáveis pela política nacional, no limite de nossos poderes, é verdade, mas ainda assim temos de arcar com esse ônus.

    Então, mesmo em época de copa do mundo ou de eventos análogos, devemos sempre guardar aquele tempinho para saber o que acontece com nossa sociedade, com nossa pátria e com a política brasileira.

    Só assim poderemos ser escapistas sem culpa, e curtir nossas diversões com a certeza de que nosso dever de cidadão foi, satisfatoriamente, cumprido.

    Arda é super legal, Romário é um craque, mas o Brasil e o mundo também têm seus charmes.

    É isso que eu acho.
     
  5. egoNullius

    egoNullius Usuário

    Re: Escapismo

    Olá Thy Treebeard e Egethor,

    Por demasiado tempo demorei a escrever novamente neste tópico, mas agora acho que podemos chegar a uma conclusão.

    Concordo com o que diz sobre o escapismo, Treebeard, isso é uma pratica saudável que todos devemos exercitar, mas não podemos estar alienados à realidade.

    É fato que o escapismo pode ser muito mais agradável, mas como você disse: "...o Brasil e o mundo também têm seus charmes.", e estes devem ser resaltados. Talves através desse "charme", comecemos a nos interessar mais por nosso país, pela nossa política.

    Concordo com o que diz, mas nem todos têm o pensamento que temos. A massificação , hoje, imposta pela televisão, pelos jornais e pelos demais meios de comunicação - que em geral são propriedades da minoria rica em nosso país - exerce tal influência sobre a maioria da nação que acaba por formar-lhes opniões erradas. As pessoas (não gostaria de usar este termo, mas o "povão" [não encarem isto como discriminação]) são praticamente manipuladas a somente pensar no futebol, e é o que fazem.

    Retomo às palavras do primeiro post de Treebeard: "...a política do pão e circo.", lembre-se que você e Treebeard são minorias em nosso país, fazem jus ao verdadeiro sentido de cidadãos que é mascarado à outra maioria.

    Tudo bem, concordo que fui precipitado, irracional e que não demonstrei nenhum apego ao considerado melhor futebol do mundo. Concordo também com a analogia - muito boa - que fez aos anos em que o Brasil participou da copa.

    Mas, reentero aqui minha opnião, somos livres para desfrutar de várias formas de escapismo, mas não podemos esquecer da realidade, de um país, de uma nação. Votemos com consiência.
     
  6. Ufa!

    Finalmente convergimos!

    Isso aí egonullius! Subscrevo-me totalmente!

    Não é porque uma coisa é melhor que a outra, que devemos nos esquecer desta e viver só naquela.

    Bom, até a próxima!

    Abraços.
     

Compartilhar