1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Até onde os espíritos interagiam com o mundo material...

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Cësárin, 12 Abr 2005.

  1. Cësárin

    Cësárin Usuário

    Eu estava lendo uns posts de outro tópico e foi mencionado num deles que um espírito não poderia interagir com o mundo físico, pois, do contrário, Sauron poderia ter abandonado seu corpo e levado seu anel consigo ao fim da batalha contra Gil-Galad e Elendil. No entanto, me ocorreu que os valar, quando desceram a Arda, eram espíritos, e como espíritos eles deram forma ao mundo. Como é isso? Será que com espíritos o professor se referia apenas àquela manifestação etérea (o "corpo" dos fantasmas"), ou falava de qualquer espírito? O que vocês acham?
     
  2. Os Valar, na música dos Ainur, eram apenas o fëa. Ao criar a música, Ëa, o mundo, foi criando forma, e Ilúvatar mandou eles para a criação. Mas para habitar, lá, eles precisavam de uma forma. Eles então adquiriram formas de esplendor. Mas não é necessário que essas "formas" dos Valar fossem humanas, entende? Os Nazgûl são espectros. Eles habitam o mundo fisicamente, mas tudo o que eles vêem e o mundo onde o FËA deles habita é do mundo espiritual. A forma é variável, mas no caso de Sauron, seu fëa já estava enfraquecido com a perda do Anel depois de tantas perdas de corpo. Não sei se eu consigo ser muito claro com as explicações =P
     
  3. Elrond Meio-Elfo

    Elrond Meio-Elfo Usuário

    Influenciar o mundo físico e interagir com ele são coisas diferentes. Isto é, Sauron na forma espiritual poderia controlar, comandar ou influenciar seus exércitos de orcs, homens e os Nazgûl, e assim o fez enquanto reaglutinava seu poder na Floresta das Trevas. Mas daí a salvar o Um Anel do cataclismo divino e carregá-lo pelo oceano até terra firme é outra história. Entretanto Tolkien afirma isso, o que para mim é uma grande contradição. Como você lembrou, por que ele não fez o mesmo quando Isildur roubou seu Um Anel? A morte em Númenor foi muito mais terrível e traumatizante que a morte na Última Aliança.

    Isto está ligado ao poder sub-criativo do ser dotado de livre-arbítrio. É mais fácil compreender isso quando pensamos nos quatro mais poderosos dentre os Valar. Tente imaginar um Vala como um poder que governa o mundo. Manwë como o poder do Ar, Aulë como o poder da Terra e Ulmo como o poder da Água. Provavelmente esses três foram os primeiros a entrar em Arda, quando de sua criação, e nela tiveram maior parte em sua labuta. Mas Melkor também estava lá e ele representava o poder do Fogo. No início da forja do mundo esses quatro realmente não tinham ainda a forma dos Filhos de Ilúvatar, pela razão de que o mundo em si ainda não tinha forma. Mas eles estavam sim ligados ao mundo, por imposição de Eru, e à sua matéria. E assim Aulë poderia por exemplo erguer uma montanha, Ulmo poderia criar um rio ou lago, Manwë controlar os ventos e o clima e Melkor destruir tudo o que os três faziam. É a tal "magia" que Tolkien tenta explicar em suas cartas. Esses poderosos espíritos tinham a capacidade de manipular a matéria do mundo porque eles se lgiavam à ela. De início não necessariamente em uma forma humanóide, mas eles se ligavam a ela mesmo assim.
    Sauron, como um espírito incomparavelmente inferior àqueles, era um espírito incomparavelmente mais fraco. Ele não tinha as capacidades sub-criatvias que os Poderes do Mundo tinham. Para interagir com o mundo físico, ao menos ao meu ver, era necessário que ele estivesse de posse de um corpo físico.
     

Compartilhar