1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A Garota da Pinta no Canto da Boca [UPDATED]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por LucasCF, 10 Jan 2009.

  1. LucasCF

    LucasCF Usuário

    Aos 15 anos de idade, ele só queria saber de namorar garotas bonitas, e desprezava e até humilhava as garotas desavantajadas de peitos e bunda.
    Raul fazia parte daquela tribo habitual de todos os sítios, conhecida como... "Os Populares". Desconsiderava os estudos, e tinha como meta de vida "pegar" mais do que seus colegas em uma só noite.
    Foi agora aos 26 anos, já com as mãos encalecidas dirigindo o táxi da companhia que trabalhava há 7 anos, que uma coisa frustrante aconteceu com ele. Entrou em seu táxi, uma garota que ele logo reconheceu graças a pinta no canto da boca.
    Era uma das garotas feias que ele sempre zombou. A pobre garota foi ridicularizada e teve problemas psicológicos por causa da brutalidade de Raul, por culpa da ignorância de todo seu grupo de amigos.
    Em questão de segundos senta ao lado de Cíntia, um ricaço charmoso e dinheiroso, de humor agradável e jeito muito simpático. Cíntia estava linda como nunca.
    — Ora Raul, é você.
    — O mundo é pequeno, não Cíntia? Você está muito boni...
    — Amor, esse é aquele que eu já quis namorar — ela diz em tom caçoísta e sarcástico — Raul, o popular despreocupado com os estudos.
    — Não se preocupe com ele, e não lembre do quanto ele lhe fez sofrer. Não sei se percebeu, mas ele hoje é um homem barrigudo de barba mal feita que não faz nada de produtivo na vida, além de dirigir um táxi, assistir televisão e beber coca-cola.
    — Certo... — Todo sem graça, e sem ter como desmentir sua vida profana — Vão para onde?
    — Rua Tal, OnlyForRich Palace.
    Como ela estava bonita. A garota da pinta estava adorável, sensual, fascinante, encantadora, admirável... O completo oposto do que já foi.
    Os dois saíram do táxi, pagaram a corrida, e foram-se. A última coisa que escutaram de Raul, foram murmúrios.
    — Deliciosa.
    A última visão de Raul em vida, foram as curvas de Cíntia. E seu rosto, a pinta no canto da boca. Como estava bela.
    O acidente foi feio. Ele ficou olhando Cíntia entrar no hotel enquanto lembrava daquela cena.

    "Quer namorar comigo, Raul?"
    "Você é muito feia, garota, sai fora."

    Não prestou atenção no que vinha logo no final da Rua Tal. O trem passou por cima dele, e não houve uma única pessoa que se lembrasse dele. Exceto Cíntia. Mas seu generoso e compreensivo marido a consolou.

    Ela hoje está muito feliz, ao lado de seu galante esposo, que a trata como uma deusa. Bela como Vênus/Afrodite.


    Aos 15 anos de idade, ele só queria namorar garotas bonitas. Desprezava e até humilhava as desavantajadas de peitos e bunda. Raul fazia parte daquela tribo habitual de todos os sítios, conhecida como... "Os Populares". Desconsiderava os estudos e tinha como meta de vida "pegar" mais do que seus colegas em uma só noite.
    Foi agora aos 26 anos, já com as mãos encalecidas, dirigindo um táxi velho e deteriorizado de uma companhia que pagava muito mal na qual ele trabalhava há uns sete anos, que uma coisa muito estranha aconteceu com ele.
    Abriu a porta de seu táxi, uma daquelas garotas desavantajadas das quais ele costumava zombar. O único aspecto que fez com que ele a reconhecesse (já que ele nunca se importou em lembrar das feias) foi uma pinta que ela tinha no canto da boca. Na época aquela pinta fazia com que ela parecesse ainda mais ridícula e era motivo costumeiro de zombação por parte de toda escola (a Dumbo de pinta no canto da boca), mas naquele dia só a deixava mais sexy. Ela tinha as unhas muito bem feitas e seus cabelos já não eram mais tão crespos, eram um tanto lisos (sem exagero), com as pontas encaracoladas. Seus olhos, grandes, estavam com um volume de maquiagem um pouco excessívo. Sua boca aparentava estár um pouco maior, e ela devia ter feito cirurgia na orelha (que já não eram mais de abano).
    Logo depois de Cíntia, entrou um ricaço charmoso e dinheiroso, de humor aparentemente agradável e jeito muito simpático. Cíntia estava linda como nunca.
    — Ora Raul, é você.
    — O mundo é pequeno, não Cíntia? Você está muito boni...
    — Não, o mundo não é pequeno. É enorme por sinal. Nós é que somos muito sortudos, não é mesmo? Quanto tempo! — ela diz em tom sarcástico e caçoísta — Raul... quem diria...? Taxista...? Muita gente disse para você se preocupar mais com os estudos... Com todo respeito, essa não é a mais digna das profissões. Não é mesmo, meu amozinho? — a ultima oração foi direcionada a seu marido, é claro.
    Raul olhou pelo espelho retrovisor e o que seus olhos encontraram foi uma Cíntia toda sexy, em pose maravilhosa agarrada no pescoço de seu Marido, tentando desabotoar o primeiro do botão de sua camisa.
    — Epa! Aqui no meu táxi não. — e continuou constrangido — É... Er... Para onde é que vão mesmo?
    — Então André... Esse taxista foi o popular da escola, despreocupado com os estudos, e o mesmo que por tanto tempo fez-me sofrer de quem tanto lhe falei — disse de modo discreto para que Raul não ouvisse.
    — Vamos para a Rua Tal, OnlyForRich Palace.
    André tentou dizer bem baixinho para Cíntia que ela parasse de pensar no passado, e sofresse por um amor platônico por um garoto que se tornou o que é hoje: um PROJETO de homem; barrigudo e com uma barba mal feita.
    — Já viu aquela latinha no painel do táxi? As aparências mostram que ele dirige esse táxi velho o dia inteiro, tem refeições precárias, e quando chega em casa no final da noite senta no sofá com uma lata de refrigerante, assiste um pouco de televisão até dormir, algumas vezes no próprio sofá. É o que imagino de alguém com vinte e poucos anos, com aparência de quase quarenta. Olha essa barriga...
    Por mais que André tivesse falado baixo, Raul não pôde deixar de ouvir, mas fez pouco caso. Preferiu ignorar já que não teria argumentos para desmentir sua vida profana.
    "Como ela está bonita" pensou. "A garota da pinta está adorável, sensual, fascinante, encantadora, admirável... O completo oposto do que já foi.
    Os dois saíram do táxi, pagaram a corrida, e foram-se. A última coisa que escutaram de raul, foram murmúrios.
    — Deliciosa.
    "Quer namorar comigo, Raul"
    "Você é muito feia, garota, sai fora"

    Como se arrependeu por não estudar. Como se arrependeu por ter recusado a proposta e ainda por cima, ter feito mal a garota.
    Ele manteve sua atenção nas curvas e nas pernas compridas de Cíntia. Pernas muito bonitas. Seu rosto. A pinta. No canto da boca. Como estava bela. Raul, admirando seu rebolado e seus cabelos maravilhosos, se esqueceu de que no final daquela rua, passava o trem.
    O acidente foi feio. E depois daquílo a única pessoa no mundo, que dele ia lembrar era ela. Mas, apesar de tudo, ela hoje está muito feliz, ao lado de seu galante esposo, que a trata como uma deusa. Bela como Vênus/Afrodite. Ele a consolou. Foi generoso e compreeensivo.
    Mas volto a dizer... O acidente foi REALMENTE feio de ver.



    Pessoal, é meu primeiro conto. ou mini-conto. Fiz incentivado por JLM.
    O que acharam?
    Resolvi que só ficar escrevendo e escrevendo, só vai fazer-me acumular erros. O que tenho que fazer é revisar, corrigir.
    Levando em consideração dicas de todos os contos, reescrevi esse, para que ficasse mais agradável. Os diálogos estavam meio... Forçados. Alterei algumas coisas, ordem de coisas, tirei palavras... Ficou maior.
    Bom, mas tinha ficado maior ainda, só que tentei fazer como JLM disse. Tirar 10% do texto para que ficasse mais direto. Li em voz alta como Sorel disse. Ah, e também tentei desenvolver mais os personagens, a história como Breno disse.

     
  2. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Achei bom Lucas ... e bastante cruel com o pobre Raul!
    E a Cíntia hein? Parece que se transformou numa aquelas mulheres do Nelson Rodrigues: "bonitinha mas ordinária..."
    :rofl:
    Tá muito bem escrito, viu? Rápido, sem enrolação.
    E adorei a sacada do endereço: "Rua Tal, OnlyForRich Palace". :g:
     
  3. LucasCF

    LucasCF Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    valeu. :D
     
  4. LucasCF

    LucasCF Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    o título está horrível né?
     
  5. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Não, o título não está mal, condiz com o texto.

    Desculpe se eu parecer mto direto, mas é q qdo analisam os meus textos gosto q sejam objetivos comigo, sem lero-lero, então faço o mesmo com os dos outros.

    Primeiro, posso considerar q vc se inspirou nos 2 textos meus q pedi pra ler? O da escola e o do mendigo? Se eles foram úteis pra vc, posso dizer q vc soube aproveitá-los bem.

    Os 3 paragrafos iniciais poderiam ser um só. Não tenha medo de parágrafos maiores. Notei q vc soube manter o narrador na mesma pessoa (algo q escritores principiantes tende a errar) e mesclou narração direta (diálogos) e indireta.

    Enfim, digamos q para o seu primeiro texto tá mto bom mesmo. Não pare, como já te disse o negócio é praticar sempre, se possível todo dia.
     
  6. LucasCF

    LucasCF Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Obrigado JLM, vou seguir suas dicas.
    E eu gosto de críticas, desde que sejam construtivas... hehe
    pois aí eu aprendo, melhoro.

    odeio quando mando para alguém que responde "Legal!"

    :D
     
  7. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Eu gostei do conto, Lucas, microconto na verdade. Vc foi conciso mas disse o que precisava. e gostei das ironias :rofl:

    acho que a Cíntia merecia um conto só dela também

    continue escrevendo
     
  8. LucasCF

    LucasCF Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    obrigado wrbcosta. Vou continuar sim. Esse é o primeiro de muitos contos. (mesmo que sejam pequenos. hueheue)
     
  9. Breno C.

    Breno C. Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Legal!:hihihi:..... brinks.


    Agora sério...
    Achei legal você começar a escrever e não se esqueça que é só com a prática que atingimos um bom nível. Não posso dar dicas nenhuma, porque não sou nenhum grande escritor, na verdade não sou nem pequeno escritor. Mas posso dizer que gostei muito e que você poderia ter desenvolvido mais a história, ela ta potencial.

    E eu teria matado a mulher, não o cara...XD
     
  10. Sorel

    Sorel Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Cara, bem legal o conto!
    O fato de ter sabido lidar bem com a alternância de discursos e de manter a coerência quanto ao tempo verbal já mostra que vc não se enrola nos pontos básicos e que leva jeito pra coisa =P.
    Vi uns pequenos errinhos de pontuação, mas deslizes desse tipo são bem comuns e completamente justificáveis - até Machado de Assis publicou livros com erros crassos de pontuação... (nada que umas duas ou três releituras, porém, não deem jeito).

    Tenho que discordar com o JLM em um ponto: gostei da divisão de parágrafos =P. A quebra temporal se deu justamente com uma quebra de parágrafo, e ambos começaram com locuções adverbiais de tempo indicando a idade da personagem (Aos 15 anos de idade... Foi agora aos 26 anos...). Gostei disso.

    Agora uma crítica que você pode simplesmente ignorar, já que se refere ao estilo: eu teria terminado o conto quando ele morre, que foi a parte que eu achei mais legal de todo ele. A frase "o acidente foi feio" daria um ótimo último parágrafo XD.

    Continue escrevendo!
    edit: E ah, estou na mesma situação que vc: estou começando a escrever meus primeiros contos, portanto não pretendo comentar muito mais que isso já que eu mesmo estou apenas começando a escrever =P
     
  11. LucasCF

    LucasCF Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    huhu. Mas coitada da mulher. huehueheue

    Por que teria matado ela? huehuehueheue

    E que aspecto da história tem mais potencial? :D
     
  12. LucasCF

    LucasCF Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Obrigado Sorel, ajudou bastante. E quero ler uns contos seus também hueheuheue
     
  13. Liv

    Liv Visitante

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Pq não me surpreendo? :rofl:

    Você tem potencial, rapaz! Continue assim =}
     
  14. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Eu teria feito a mulher matar o cara.
    Com femme fatales vingativas não tem como errar. XD
     
  15. Breno C.

    Breno C. Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Clichê...:uhum:

    Matar a mulher é afogar o corno manço que temos dentro de nós. Adoro isso... :dente:
     
  16. sammynewton

    sammynewton Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Lucas, parabéns pelo seu primeiro conto!

    Confesso que na época do ginásio havia um desses "populares" na minha sala. Que só arranjava brigas e se vangloriava de seus feitos amorosos. Coincidentemente hoje ele é taxista e não pude evitar de visualizá-lo no lugar de seu personagem. Macabro!

    Como leitor que vai acompanhar seus próximos trabalhos, peço que cuide um pouco no uso de certas palavras ("desavantajadas", "encalecidas", "dinheiroso", "caçoísta"). Procure sempre usar palavras do cotidiano para não perder o foco do enredo. Palavras assim acabam chamando mais a atenção do que a frase toda e tornam o texto cansativo.

    Acho que você poderia ter trabalhado um pouco mais as lembranças da Cinthia. Mostrar a paixão que floresceu nela por Raul, os conflitos internos antes de ter coragem de se declarar a ele e a decepção de ser rejeitada pelos seus atributos físicos.

    É isso aí, continue escrevendo que a gente continua lendo e dando pitacos.
     
  17. Artanis Léralondë

    Artanis Léralondë Ano de vestibular dA

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Gostei do título, é bem chamativo =]
    E é sempre bacana, caracterizar a mulher de alguma forma dentro do conto, como vc fez através da pinta =D
    Pegou uma idéia, conseguiu transcrevê-la de uma forma clara e simples.
    Não sou escritora e, passo longe disso XD
    Mas, como leitora, achei muito bom :lily:
    Continue assim pia :upa:
     
  18. LucasCF

    LucasCF Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    obrigado todos. :D
     
  19. imported_?

    imported_? Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    Um final bem Clarice Lispector! :sim:

    Recentemente eu li um mangá chamado "A marca do Cordeiro Escarlate" e tinha uma personagem assim, uma garota que era feinha e sofria abuso moral dos pais e irmãos, quando cresceu "resolveu" virar uma mulher deslumbrante e tinha todos os homens aos seus pés! Fiquei quebrando a cabeça para me lembrar o que o seu conto me lembrou.
     
  20. LucasCF

    LucasCF Usuário

    RE: A Garota da Pinta no Canto da Boca

    hueheuheuehe

    Bom... nunca li clarice, e nem esse mangá. :D
    vou ler qualquer dia. uehueheue

    e valeu.
     

Compartilhar