1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Robô Philae da missão Rosetta faz pouso histórico em cometa

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Fúria da cidade, 12 Nov 2014.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Pouco depois do pouso do robô Philae em um cometa, feito inédito e histórico da exploração espacial pelo homem, as primeiras imagens feitas por ele começam a chegar à Terra.

    As imagens mostram a superfície do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko feitas durante a aproximação do robô, do tamanho de uma máquina de lavar roupa.

    Seus dados poderão ajudar a elucidar mistérios sobre cometas como esse, relíquias geladas dos tempos da formação do Sistema Solar.

    Um dos temores dos cientistas que comandam a missão é de que a parte externa do cometa fosse revestida por gelo, o que poderia fazer o robô quicar na superfície e ser afastada da rocha em vez de aterrissar - já que há pouca gravidade no local.

    Mas o robô não só não quicou, como afundou cerca de quatro centímetros ao pousar, o que sugere que ele encontrou uma superfície relativamente macia.

    'Grande passo'
    O robô Philae conseguiu aterrissar no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko às 14h05 (horário de Brasília).

    "Este é um grande passo para a civilização", disse Jean Jacques Dordain, diretor-geral da Agência Espacial Europeia, que deu início à missão há cerca de duas décadas.

    "Sabíamos que este tipo de feito não iria cair do céu, só com trabalho duro e muito conhecimento."

    O robô foi lançado às 7h03 de hoje da sonda Rosetta e levou sete horas para atingir a superfície do cometa, que está a 500 milhões de quilômetros da Terra.

    Agora, o robô fará análises da composição da superfície do corpo celeste, o que pode oferecer novas pistas sobre a formação do Ssistema Solar e da vida na Terra.

    Uma das teorias sobre o início da vida na Terra postula que os primeiros ingredientes da chamada "sopa orgânica" vieram de um cometa.

    Estes são considerados alguns dos corpos celestes mais antigos do Sistema Solar.

    A missão Rosetta, batizada em homenagem à pedra que possibilitou a tradução dos hieróglifos egípcios, foi planejada na década de 80 e custou ao menos US$ 1 bilhão.

    A sonda foi lançada em março de 2004 e, desde então, já orbitou o sol cinco vezes, ganhando velocidade "surfando" a gravidade da Terra e de Marte.

    Para atravessar a parte mais gelada de sua rota, a sonda foi desligada em 2012 e somente reativada em 1º de janeiro deste ano.

    Falhas
    Nem tudo saiu como o planejado na aterrissagem do robô.

    Houve falhas no sistema feito para propulsioná-lo em direção à superfície do cometa.

    Relatos iniciais também davam conta de que os arpões instalados no robô para prendê-lo à parte externa do corpo celeste também apresentaram problemas.

    No entanto, o repórter de ciência da BBC Jonathan Amos disse que isto não foi oficialmente confirmado.

    Por enquanto, ainda não há informações sobre a natureza dos materiais encontrados na superfície do cometa.

    Se tudo correr conforme o planejado, novas fotos devem ser enviadas em breve. O robô também começará sua análise da composição química do corpo celeste.

    -----------------------------------------------------------------------------------------

    Mais um momento histórico para a Astronomia!
     
    • Ótimo Ótimo x 2
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Por Salvador Nogueira
    13/11/14 08:14

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Atualizado às 12h33

    O dia seguinte ao pouso começou quente, com a divulgação das primeiras imagens feitas pelo módulo Philae, diretamente da superfície do cometa Churyumov-Gerasimenko. Ambos estão a 510 milhões de quilômetros da Terra, na região do cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Imagem mostra um dos pés do Philae, na superfície do cometa.

    Essa imagem representa duas fotos produzidas pelo instrumento ÇIVA (pronuncia-se “shiva”), responsável por registrar os arredores da sonda. Às 11h, a ESA (Agência Espacial Europeia) exibiu o conjunto completo de seis imagens que formam a visão panorâmica, e as imagens revelam que o Philae pousou ao lado da parede de um penhasco. Há indicativos de que ele não está paralelo com o chão e uma das pernas do trem de pouso está suspensa no vácuo. Ele está estável, mas numa posição delicada, que deve inspirar cuidados.

    A narrativa de pouso, agora confirmada pelos engenheiros, foi épica. O módulo quicou duas vezes na superfície do cometa antes de se estabilizar no solo, após a terceira descida. Segundo dados do instrumento ROMAP, que avalia o campo magnético, o primeiro toque no solo deve ter sido feito às 13h33, a uma velocidade de 1 m/s. Ele quicou de volta para cima a 38 cm/s e flutuou por cerca de 1 km, até voltar a tocar o chão às 15h26. Sofreu novo rebote, desta vez a meros 3 cm/s, e voltou a pousar às 15h33, desta vez para ficar. No frigir dos ovos, um salto de quase duas horas e outro de seis minutos. A débil gravidade do astro fez com que todo esse sobe-e-desce ocorresse de forma gentil, sem causar danos ao veículo.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Sequência de fotos da Rosetta (uma por hora) mostra a descida do Philae.

    Em meio ao frenesi do pouso de ontem (
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    o resumo da ópera,
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    o registro “minuto a minuto”), o Mensageiro Sideral conversou com Holger Sierks, cientista-chefe da câmera OSIRIS, instalada a bordo da espaçonave Rosetta. Um de seus objetivos após o pouso era tentar flagrar o Philae intacto e bem na superfície. Ontem à noite, essa tentativa fracassou. “Ainda temos de encontrá-lo na superfície”, ele me contou. Perguntei se existia a possibilidade de manobrar a Rosetta para obter imagens mais detalhadas do Philae, numa tentativa de decifrar o que ocorreu durante o pouso. A resposta é que sim, mas Sierks demonstrou apreensão pelo veículo de solo. “Não podemos fazer muito, ele terá de se ajudar. Espero que a bateria dure por um tempo, e obtenhamos sol suficiente nas células solares.”

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Imagem da Rosetta mostra o pequeno Philae descendo rumo ao cometa.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A preocupação é bastante justificável. Novas estimativas com base na telemetria dão conta de que o Philae está recebendo só 1h30 de exposição solar por rotação, o que é muito pouco se comparado à expectativa original, que era de 6h a 7h. Os engenheiros tentarão fazer pequenos movimentos que realinhem melhor o módulo, de forma a melhorar esse desempenho. Mas a situação não parece boa para observações de longo prazo. Por ora, os instrumentos que exigem esforço mecânico (e portanto mais energia) não foram ativados. Nada de brocas ou perfurações no solo.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Imagem do primeiro local de pouso, fotografado pelo Philae a 40 metros de altura.

    Ontem, também troquei ideias com o engenheiro brasileiro Lucas Fonseca, que trabalhou na DLR (agência espacial alemã) por três anos no Philae, focado em simulações dos sistemas de pouso. Ele diz que a ancoragem estável é importante, mas para alguns instrumentos o mais importante é a altura que eles guardam do solo a fim de realizar suas funções. É possível que a sonda tenha ficado alto demais, o que poderia atrapalhar. (Leia o que mais Fonseca me disse clicando
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .)

    Por fim, duas palavrinhas sobre o “som” do cometa, que todo mundo está comentando por aí. São oscilações magnéticas provavelmente causadas pela interação de partículas do cometa com raios de alta energia vindos do espaço. É “som” entre aspas, porque não se tratam de ondas sonoras, mas magnetismo convertido em áudio. Como se sabe, som não se propaga no vácuo.

    O Philae, em conjunto com a Rosetta, promete revolucionar o entendimento dos cometas. Em seus resultados, podem residir pistas para compreender a formação do nosso Sistema Solar, o surgimento de planetas com água líquida em abundância, como o nosso, e talvez até a origem da vida.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    De toda forma, a aventura da primeira visita de um artefato humano a um cometa provavelmente marcará uma geração.

    Lembro-me de, ainda molequinho de tudo, me encantar com a passagem do cometa Halley pelas imediações da Terra, em 1986. Na ocasião, os europeus começaram seu flerte com esses intrigantes objetos, ao despachar a sonda Giotto para tirar fotos (para a época espetaculares) de seu núcleo. Agora, com a Rosetta e o Philae, a sensação é a de que o círculo se fecha. Primeiro, um cometa veio até nós. Agora nós retribuímos a visita, com toda pompa e circunstância. Demonstração contundente de que, não importa o tamanho do desafio, a dureza das probabilidades de sucesso, o espírito humano é impelido a abraçar o cosmos que habita.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    e no
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

  4. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Vale lembrar que pela posição em que o robô pousou não foi possível receber luz solar suficiente pra recarregar as baterias como os cientistas gostariam.

    Mas de forma algum não dá pra considerar a missão um fracasso. Foi um avanço que a humanidade conseguiu e que pode e certamente deve ser aprimorado.
     
  5. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Pude assistir por aqui uma bela palestra de um dos cientistas iniciadores do projeto, Berndt Feuerbacher.

    Ele esclareceu várias questões com relação às dificuldades enfrentadas. Comentou que desde o início do ano eles sabiam que os harpões tinham chances de falharem pois apesar de serem ativados pirotecnicamente (isso quase nunca ter falhado em missões espaciais), esse processo nunca foi ativado depois de tanto tempo no espaço. Eles tiveram o cuidado de manter um sistema similar numa câmera simuladora das condições espaciais por anos e testaram no início do ano para ver se funcionaria tudo correto. E houve falha.

    Comentou também sobre a necessidade do shutdown por quase 2 anos e a criticalidade da energia solar. A idéia inicial era o satélite ter um gerador nuclear mas por motivos puramente políticos e ambientais, eles tiveram que descartar isso para poder lançar o satélite em tempo hábil.

    Comentou também que inicialmente o alvo preferido era outro cometa. Mas quando houve a explosão da Challenger, tudo se atrasou novamente por questões políticas e de segurança. Com isso eles perderam a janela para poder enviar o satélite em tempo de pegar esse cometar. Só então eles tiveram que buscar um segundo cometa interessante e foi esse o escolhido.

    Ele mostrou fotos bem interessantes sobre o formato em forma de amendoim do cometa que inicialmente os preocupou pois nas primeiras fotos em baixa resolução pareciam ser 2 corpos separados. O que dificultaria o trabalho de exploração. Mas ao se aproximarem viram que era um corpo só e que o formato inusitado se dava pois no centro do corpo parece haver mais material volátil do que nos extremos. E a cauda dele se forma basicamente por material evaporado dessa região.
    Comentou também que o material encontrado por lá aparenta ser muito mais duro do que eles esperavam. A sonda tem um equipamento para martelar pedaços do corpo, mas eles tiveram que chegar até a mais alta escala de força.


    Por fim ele mencionou que a navegação foi tão bem planejada e essa parte funcionou tão bem que em termos de combustível restante pro satélite, há chances de extensão do programa. A princípio era para a exploração terminar no meio do ano que vem. Mas com esse problema da sonda não ter aterrisado no local escolhido e ter exaurido a bateria extra que ela tinha, só será reativada lá pra Março do ano que vem.
     
  6. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

    Coisas que Plantão Globo deveria informar com aquela musiquinha: O Philae acordou da hibernação.


    Os assessores de mídia da ESA
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    não deixaram por menos:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Copiando direto dessa matéria da BBC, já que a preguiça de traduzir impera:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
    • Gostei! Gostei! x 1
  7. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Havia alguns jornalistas do Brasil e de fora que desdenharam da missão Rosetta, que seria um fracasso e o Philae já tinha virado sucata. Agora chupem!
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  8. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    • O robô espacial europeu Philae, estacionado na superfície do cometa "Chury" desde novembro de 2014
    O robô científico Philae, pousado há um ano no cometa "Churi", continua sem dar sinais, apesar das tentativas de retomar contato, informou o Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES). Desde 9 de julho, Philae não dá sinais e os cientistas temem que esteja inutilizado.

    Philae completou em 12 de novembro um ano pousado no cometa 67P/Churyumov-Geramisenko (apelidado "Churi"), para onde foi levado pela sonda europeia Rosetta com a missão de explorar diretamente o núcleo mediante seus sofisticados instrumentos de observação.

    Depois de mais de dez anos de viagem interplanetária a 450 milhões de quilômetros da Terra a bordo da Rosetta, o robô pousou no cometa em novembro de 2014, um momento histórico seguido pelo mundo inteiro.

    Em sua queda, o Philae capotou várias vezes e, por fim, acabou parando numa área sem luz. Graças a seus dez instrumentos, o robô trabalhou durante 60 horas e depois desligou porque as placas solares não recebiam energia suficiente.

    Em 13 de junho, despertou inesperadamente e manteve vários contatos com a Terra. O robô fez contato pela última vez por meio da sonda Rosetta em 9 de julho.
     
  9. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    • Gostei! Gostei! x 1
  10. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

    Um mês e meio depois da
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    pelo encerramento da comunicação com o Philae e um mês antes da Rosetta ser enviada em uma missão suicida com o objetivo de espremer as últimas gotas de dados disponíveis enquanto ainda há luz suficiente para os painéis solares, a sonda acabou fotografando o lander no local de pouso e agora finalmente temos uma imagem com o contexto todo. Yay!

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Tem uma
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    para quem quiser vê-lo no contexto. Está bem na borda direta, a meia-altura na imagem.


    Notícia no site da ESA:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


     

Compartilhar