1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Operação Massacre (Rodolfo Walsh)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por imported_Lord_Ueifoul, 5 Fev 2011.

  1. [align=justify] A questão que ronda os contos clássicos de detetive envolve talvez menos o conteúdo de um mistério do que o procedimento utilizado para chegar a tal solução. Assim, mais que o conteúdo da “Carta Roubada” de Poe, cujas escandalosas informações que encerra nós nunca temos acesso, interessa-nos a sagacidade de Dupin, as linhas de raciocínio que o permitem adiantar-se a policia ou a qualquer um. Mais memorável é a afirmação da superioridade do jogo de damas sobre o xadrez do que a identidade do criminoso de “Os Crimes da Rua Morgue”. Essa é uma constante desse gênero, que, não por acaso, nunca prescindiu de personagens memoráveis: Sherlock Holmes, o comissário Maigret ou investigador particular Philip Marlowe. Menos ainda nos interessa o destino do criminoso, porque já sabemos que seu destino é a cela ou a morte. Por isso, talvez, essas narrativas mereçam ser chamadas de contos policiais – porque por mais que ela seja incompetente ou mesmo estúpida, ao fim, sua função será cumprida e garantida. O escritor argentino Rodolfo Walsh (1927-1977?: e esse ponto de interrogação será a marca indelével de um mistério “policial”, como veremos) também integrou esse linha de autores. Ao menos até Operação Massacre. Porque foi aí que o destino do criminoso passou a importar já que coincide com o da policia, e atravessa ou arrasa o do detetive. A partir de então o mistério, o segredo, dá lugar a injustiça cínica.[/align]

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     

Compartilhar