1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Mercado de RPG atual

Tópico em 'RPG' iniciado por Skywalker, 24 Ago 2006.

  1. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Saiu na RedeRPG:

    Vamos debater sobre isso.

    Até onde a culpa é nossa?

    O mercado atende às nossas necessidades ou às dele?

    O que vocês gostariam de ver lançado?

    O que estimularia vocês a comprar mais livros de RPG?
     
  2. Deriel

    Deriel Administrador

    Eusou um consumidor, não um membro de uma religião. Eu não preciso pagar o dízimo mensal pro RPG pra poder jogar. A culpa não é dos jogadores. Não aceito a culpa por executivos e editoras irresponsáveis e amadoras.
     
  3. TT1

    TT1 Dilbert


    O texto tá exagerando. Existe um fundo de verdade no fato de que os jogadores não compram livros? Talvez, mas foi o mercado quem causou parte dessa culpa. Explico.

    Coleciono livros de AD&D há anos. Comprava tudo, nacionais e importados. No entanto eu cansei de esperar que fossem lançados e traduzidos no mercado nacional o Enciclopedia Magica, os Player Options, o Tome of magic, o High Level Campaign, o Dark Sun, Planescape, Al Qadin e outros centenas de títulos que eu sabia que eram maravilhosos. Mas o que aconteceu? A Abril jogou na nossa cara o PH, DMG e o MM. Somado a isso lançou o Forgotten. O que mais? Nada. Nao lançou mais nada. Ora, como sobreviver a um cenário que não lança mais nada? O mesmo acontece com o D&D agora. Cadê os títulos sensacionais que aparecem lá fora? Eu vou ter que esperar por eles? Não, eu mando importar e deixo de depender do cenário nacional. O mesmo foi feito com o Shadowrun, GURPS (alguem realmente precisa de gurps conan e gurps O Clone?), Blacksand, Vampire, Werewolf, Mage, Falkenstein, Millenia e qualquer outro que voce lembrar. Não dá pra esperar que os jogadores fiquem satisfeitos com o básico.

    Outro problema é que se tomou um modelo errado para difundir o RPG no país: a Dragao Brasil é (e foi) um erro. Ela tem uma grande parcela de culpa nisso porque ela fez com que o mercado crescesse, mas mudou o perfil do jogador nacional. Os jogadores de rpg eram os nerds-estudantes-de 17 anos, hoje o perfil é o otaku-emo-rebelde-de 13 anos. É complicado quando voce muda o perfil para uma classe que não pode comprar nada porque nao tem dinheiro. A Dragão Brasil criou uma leva de jogadores descerebrados, focados em aventuras e em livros horrorosos, mal feitos que custam 12 reais, comprados em banca de jornal. Esse pessoal nao compra o Player Handbook, porque eles jogam tormenta, que custa 10 reais. O crescimento do cenário foi bom, claro, mas desfocou o perfil do jogador de rpg. Uma pena, porque a Dragon Magazine era excelente e mantinha o perfil do jogador-comprador de livros. Sem falar nas matérias que destruiam os sistemas originais (Cainitech, alguém?).

    O mercado nacional de hoje em dia (leia-se Devir e Talismã) é horroroso. Me parece que as editoras nao pensam antes de lançar no mercado. Os livros sao colocados em uma ordem que sinceramente nao dá pra entender. Vários títulos ja poderiam ter sido lançados mas são postos de lado pra lançar livros de qualidade e utilidade duvidosa. Isso acontece no D&D e no Vampire. O resto inexiste atualmente e eu me recuso a chamar Tormenta de RPG. Aquilo é uma porcaria que nunca devia ter sido levada a sério. Era pra ser uma piada. Quando passou disso começou a trazer problemas para o cenário nacional.

    O que me estimula a comprar livros: boa tradução/ revisao, cenário bem elaborado. Nao preciso de um livro de capa dura e papel de qualidade máxima. O papel do Livro dos Jogadores da Abril Jovem supria as minhas necessidades: jogar.
     
  4. Austriaco

    Austriaco Auto-suficiente em petróleo

    Bom, eu acho que o mercado de RPG tem lá suas peculiaridades, o que dificulta a comparação com as coisas citadas no texto. Uma delas creio que seja a segmentação, ou seja, um mercado dividido em sub-mercados representados por fatores MAIS OU MENOS identificáveis, como por exemplo D&D/Gurps/Storyteller/Crias da DB, ou então Fantasia/Horror Pessoal/Ficção Científica, e por aí vai.

    O que quero dizer (e que não passa de achismo) é que o jogador médio de RPG hoje no Brasil tem prioridades na hora da compra. E somando isso à já conhecida lentidão em se desenvolver um produto aqui, a coisa acaba complicando. Se o cara só curte D&D, fica à mercê da Devir que lança um produto da linha a cada quanto? Dois ou três meses? Pior ficam os que só jogam linhas como WoD e WoD 2.0, que ficam meio órfãos e acabam apelando pra importados, como bem disse o TT1.

    Um outro agravante no que tange o quesito preços é a tal da qualidade. Nessa, tou na turma do AD&D da Abril Jovem que tinha papel "normal" e chutava bundas.

    Só pra fechar: não concordo muito com essa de que R$80,00 em um Livro do Jogador seja barato. É caro. E tem que comprar os outros dois ainda! hehe.
     
  5. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    O meu ponto de vista: eu me recuso a comprar livros traduzidos pela Devir. Se tu olhar com cuidado, vai ver o quão porca é a edição deles, pra não falar da tradução.

    No Monstros de Faerûn, por exemplo, eles repetem umas duas ou três vezes no livro a tabela do mesmo dragão!
     
  6. Lukaz Drakon

    Lukaz Drakon Souls. I Eets Them.

    Concordo plenamente com o TT. Os jogadores não compram os livros, mas os próprios não valem tanto quanto custam e as principais editoras mantém apenas séries desinteressantes atualizadas. A saída de livros seria bem maior se cuidados simples com a tradução fossem maiores, por exemplo.
     
  7. Austriaco

    Austriaco Auto-suficiente em petróleo

    O já tão discutido monopólio da Devir sobre as principais linhas de RPG (e outros jogos) também é uma causa desse... vai, "desconforto" mercadológico.
     
  8. Deriel

    Deriel Administrador

    Eu acredito que livros - e portanto livros de RPG - são produtos de mercado e que sofrem as mesmas regras de outros produtos. Se são ruins, devem sair do mercado, se são bons, devem fazer sucesso. É muita inocência acreditar que só pq um livro é bom (o que já contece raras vezes) ele fará automaticamente sucesso. Ele demanda um pouco de marketing e divulgação também, o suor não termina ao se escrever a última linha.

    Então não é por ser RPG que qualquer coisa presta. A seletividade do mercao, ou mesmo a refratariedade deste quanto a alguns títulos, deve servir de lição aos editores. O leitor/jogador não é o culpado.
     
  9. Sarcasmo

    Sarcasmo Funfamento

    Acho o rpg no Brasil um problema de marketing, já que este é feito atraves do boca a boca. De fato quantos lançamentos de livros de rpg são lançados? agora quantos são realmente conhecidos?

    O maior problema não está no preço, mas na falta total de propaganda. Somente uma revista pública os lançamentos. Ter um meio de comunicação desses revala o total fracasso.

    No final a maioria descobre via internet e no fim acaba dando downloads e vez de comprar...
     
  10. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Pois é, o MBF falou uma coisa importante.

    Talvez o problema não esteja na tradução, nem na divulgação e nem no poder de compra do brasileiro médio, mas sim na facilidade de se encontrar livros on-line e imprimi-los em casa/faculdade/etc por muito menos preço.
     
  11. Sarcasmo

    Sarcasmo Funfamento

    Acho que o problema mesmo nem é esse Sky, mas sim a falta de divulgação mesmo.

    Piratarias sempre tem, mas quem joga rpg mesmo, sabe que a melhor coisa é ter o livro do lado pra poder consulta-lo. Eu tenho inumeros livros de rpg no Pc, mas somente pq aqui no Brasil nã acho pra vende-los e nem sei se lançaram.

    Por exemplo:

    Sda CODA. Eu tenho a Sociedade do Anel e gostaria de comprar o "As duas Torres", mas não sei se já lançou, onde tem, quanto é. Cade a propaganda/divulgação do produto? Esse é o problema
     
  12. Austriaco

    Austriaco Auto-suficiente em petróleo

    E é como acontece na indústria fonográfica, que enfrenta pirataria pesada. A diferença é que nesse caso as prejudicadas são as gravadoras cheias de dinheiro - no do RPG são as pequeninas editoras nacionais que mal registram lucro.

    Acho que a propaganda é uma coisa séria a ser pensada. Nunca vi a Devir fazendo publicidade desse tipo. E nem precisa ser muito em massa, vide as estratégias da Conrad para linhas como Discworld e talz, com folders, panfletos e coisas do gênero.
     
  13. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    É muita cara de pau alguém querer colocar a culpa pelo fracasso de um produto no comprador. É absurdo total, não só na questão dos livros de RPG, mas em relação a qualquer produto.

    Muito fácil e cômodo atacar os jogadores, acusando-os de não comprar os livros, etc. Mas como já foi dito: como eu posso ter vontade de comprar algum livro atualmente, que não os livros básicos? Na verdade, nem os básicos direito, principalmente para quem já possuía os livros da 3ª edição.
    Eles acham realmente que eu vou gastar duzentos e quarenta reais para trocar meus livros da 3ª para a 3.5? Pura idiotice, se eles pensam dessa forma. E o mesmo vale para as continuações que seguem: livro completo do guerreiro, etc..

    Quais suplementos realmente interessantes eles têm lançado para despertar meu interesse?
    A última coisa que eu comprei de D&D foi o cenário de Dragonlance, por que eu realmente estava esperando por isso já havia algum tempo.

    Essa concorrência monopolista do mercado brasileiro é que assusta, quando todos os sistemas decentes dependem de uma empresa, e a mesma não tem sequer a capacidade de traduzir materiais decentes, empurrando para o mercado produtos inúteis e caros. Caros mesmo. O sujeito que escreveu o texto na RedeRPG tem que ser muito burro para achar que duzentos e quarenta reais não é muito dinheiro, e que é fácil conseguir a mesma quantia para gastar em livros inúteis.
     
  14. Arcanjo[SK]

    Arcanjo[SK] Spartan Supersoldier

    De fato, as vezes as vezes o mercado se comporta como o cinema, por exemplo: vc lança um filme, dependendo da aceitação do filme, do qual ele lucra, vc faz uma continuação, se não, vc para por aí. Se a linha vender bem, vc se estimula a trazer mais coisas para cá.

    Só que um dos possiveis problemas aqui é: aki no brasil a Devir é dona de praticamente tudo que sai de rpg por aki... ela esmaga a concorrencia por ser "dona" dos rpgs mais vendidos. Como ela não tem concorrencia a altura a é para a maioria a unica fonte de material de rpg, ela pode se dar ao luxo de trazer material porco e com atrazo. Talvez se ouvesse editoras diferentes para rpgs diferentes o mercado seria melhor para nós. Pq? Pq com a concorrencia as editoras teriam que se empenhar para poder chamar atenção do consumidor. Teríamos materiais melhores e mais baratos devido a concorrência.

    Em relação ao preço. Ele está alto? Sim. Mais que muitos podem comprar? Sim. Mas se comparado a preço de "livros normais" (só texto e capa...)... vc paga num Harry Potter 50 reais ou mais, praticamente sem ilustração nenhuma e com papaeis normais. Alguns livros chegam a custar 70-80 reais (Musashi, Senhor dos Aneis, Crônicas de Nárnia, entre outros livros de escritores famosos). O problema é: não sei lá fora, mas aqui TUDO é caro. O preço de custo ( de produção? tá certo isso?) não é caro. Cds, DVDs, Livros, quase tudo fica abaixo da metade do preço que pagamos. Mas eles ligam? Não. Eles poderiam faturar mais baixando o preço? Talvez sim, talvez não, mas para eles, pq arricar? Eles mantêm os preços assim pq as pessoas compram o suficiente para manter o mercado. Vivemos em mundo capitalista, oq vcs esperam? Que abrem mão do lucro para nos ajudar????? Para eles, se nós não podemos comprar, outros o farão.

    Claro, nem todos são assim, mas a grande maioria pensa mais no lucro que em outra coisa? E muitas vezes criticamos, muitos criticam, mas quando chegam em posições similares, elem fazem diferente? Não. Pq em geral, as pessoas são gananciosas, ambiciosas. Não vemos sempre em cenários de rpg os humanos com essa característica? A Ambição? É um reflexo de nosso mundo... nem todos são assim, mas a maioria que movimenta o mundo sim... Empresário bonzinho? Político bonzinho e honesto?

    To sendo meio radical e fugindo do assunto, mas... fazer oq...
     
    Última edição: 25 Ago 2006
  15. Saiffyros

    Saiffyros Usuário

    Concordo plenamente.

    Esse apelo aos jogadores para que comprem os livros é o que? O cúmulo da propaganda. O mais descarado marketing.

    O problema é a Devir.
     
  16. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Não é bem assim, Arcanjo.

    Pra tu ter uma idéia, a Devir desembolsou uns R$ 20.000,00 pra comprar os direitos do Dragonlance. Além dessa grana tem todo o custo de produção, tradução, logística...
     
  17. Austriaco

    Austriaco Auto-suficiente em petróleo

    Acho que passou tanto do limite da propaganda que entrou no nível da "coação violenta", hehe.

    E aquela qualidade de impressão dos livros de D&D não é bolinho. Muito material usado na produção nem no Brasil tem disponível.
     
  18. Saiffyros

    Saiffyros Usuário

    Que cara de pau! A rederpg está foda mesmo...



    Também não é assim. Tormenta e Holy Avenger foram os grandes méritos da Dragão Brasil. Negar isso é crítica infundada. Sua opinião é preconceituosa, RPG pra todos, mudou o perfil do jogador? Não vejo porque eles não podem jogar, RPG não precisa ser elitista. Não existe essa de não ter grana, celular todo mundo tem e custa no mínimo uns 200,00. Se o produto atrair o povo compra, essa crítica é inútil.

    Outro problema, é que não se vende RPG em qualquer lugar, muitas pessoas desanimam de mexer com correio ou não confiam em compras pelo correio ou net. A DB resolveu o problema colocando o produto nas bancas. Estão reclamando de mercado, quem melhor que o trio tormenta mexeu com o mercado?

    Os jogadores não compram livros? Isso é suspeito, não compram livros demasiado caros, satisfazem-se com os livros mais baratos e de boa qualidade como os da Daemon. Ou a Devir manera os preços ou deixamos de comprar e ela “quebra”.

    Quanto a incentivar o RPG tudo bem, mas esse artigo da REDERPG é ridículo, poderia se dizer crime mesmo. Que cara de pau! O fdp que escreveu deve ter recebido um pouquinho...
     
    Última edição por um moderador: 26 Ago 2006
  19. TT1

    TT1 Dilbert

    Mérito em quê? Em produzir artigos horrorosos e de ajudar a criar um sistema ridículo? O fato de fazer sucesso não significa que é bom.

    Os livros da Daemon fazem parte do efeito dragao brasil, no mercado. Livros ridículos, com sistema medonho (a arte era muito boa, realmente). Erros de pesquisa e várias críticas ao texto extremamente parecido com o de outros livros. Esse pessoal da DB só fez mal ao cenário.
     
    Última edição: 25 Ago 2006
  20. KADU

    KADU Estão vendo esta caneta?

    Este texto esta exagerado e não traduz a verdade. É uma idéia grotesca achar que consumidores devam agir como uma seita religiosa, que por idealismo, fé, honra, etc, se proponham a contribuir com os lucros de uma empresa. Pode até ser que em algum momento todos nós fomos motivados a realizar uma compra por estes motivos, mas foi uma esquisofrenisse de RPGista passageira.

    As empresas que lançam esses produtos é que devem faze-los interessantes aos consumidores, segundo as leis do atual mercado. Isso exige planejamento, profissionalismo, competência, criaditvidade, etc. Não existe produto ou segmento de mercado que não possa ser explorado com sucesso. Mas clientes não teêm deveres para com as empresas ou mercados, é o contrário.
     

Compartilhar