1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Novo tipo de HD pode durar milhões de anos

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por abylos, 17 Jul 2012.

  1. abylos

    abylos Usuário Usuário Premium

    Disco é feito com safira industrial

    Os discos rígidos tradicionais já duram vários anos caso tenham boa qualidade, mas pesquisadores franceses e designers estão trabalhando em um tipo totalmente diferente de mídia para armazenamento: um disco rígido feito de safira industrial e que pode durar milhões de anos.

    Um protótipo deste disco rígido de safira foi criado pela ANDRA, a agência francesa responsável pelo gerenciamento de lixo nuclear. Este protótipo custou cerca de US$ 25.000 para ser produzido e é composto por dois discos com 20cm de diâmetro feitos com safira industrial.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Os pesquisadores da ANDRA testaram a durabilidade do protótipo através da imersão em ácido para simular a passagem do tempo: o drive deve durar pelo menos 1 milhão de anos, mas os pesquisadores estão trabalhando para aumentar a durabilidade para até 10 milhões de anos.

    O disco de safira é uma das soluções que a ANDRA e outras agências europeias que lidam com lixo nuclear estão desenvolvendo para resolver uma questão bem difícil: como informar as futuras gerações sobre a proximidade de um depósito de lixo nuclear e qual a forma correta de se lidar com os resíduos radioativos contidos nele?

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  2. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Claro, já não temos muitos produtos não-degradáveis, plásticos e vidros, agora precisamos de mais um? De que serve um HD eterno se por acaso no futuro não houver a oportunidade de utilizá-lo?
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  3. abylos

    abylos Usuário Usuário Premium

    Também achei exagero durar milhões de anos...
    Só uns 500 tava bão ja :P
     
    • LOL LOL x 2
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Turgon

    Turgon 孫 悟空

    Ou até o final do ano.


    Mas eu gostei da pesquisa. Muitas informações não serão perdidas com o tempo. Seria algo similar as gravações nas rochas, mas nesse caso um pouco mais de tecnologia envolvido.
     
  5. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    A civilização humana é que tem que se preocupar mais com a sua própria durabilidade senão restará apenas de consolo fazer o que os dinossauros jamais puderam fazer que é guardar nesse HD de alta durabilidade imagens, sons e informações de uma grande civilização que apenas passou.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  6. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Mas gravado em rocha é só depois desvendar o alfabeto e a língua (hieroglifos, cuneiforme etc), mas se for necessário energia e um leitor para o HD e depois o alfabeto e a língua o que garante que no futuro os dois primeiros itens estarão disponíveis?
     
  7. abylos

    abylos Usuário Usuário Premium

    Vai ver os dinossauros fizeram...
    Mesmo que os HDs deles fossem como esse, ainda assim estragariam antes da gente chegar...
     
  8. Turgon

    Turgon 孫 悟空

    O que garante que aquela rocha estará intacta também? São coisas que não dá para saber. Muitas hipóteses e nenhuma conclusão exata sobre o assunto.
     

Compartilhar