• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Nazgûl, quem eram...

TorUgo

a.k.a. Tortoruguito...
Sempre me questionei sobre quem seriam os Nazgûl e achei por bem criar um tópico para reunir todas as informações possíveis sobre eles.

"Those who used the Nine Rings became mighty in their day, kings, sorcerers, and warriors of old. They obtained glory and great wealth, yet it turned to their undoing. They had, as it seemed, unending life, yet life became unendurable to them. They could walk, if they would, unseen by all eyes in this world beneath the sun, and they could see things in worlds invisible to mortal men; but too often they beheld only the phantoms and delusions of Sauron. And one by one, sooner or later, according to their native strength and to the good or evil of their wills in the beginning, they fell under the thraldom of the ring that they bore and of the domination of the One which was Sauron's. And they became forever invisible save to him that wore the Ruling Ring, and they entered into the realm of shadows. The Nazgûl were they, the Ringwraiths, the Enemy's most terrible servants; darkness went with them, and they cried with the voices of death" (The Silmarillion: "Of the Rings of Power and the Third Age", 346).

"Aqueles que usaram os Nove tornaram-se imponentes e majestosos nos seus dias, reis, feiticeiros e guerreiros. Conquistaram glória e fortuna, no entanto, isto virou-se contra eles. Tinham, aparentemente, vida eterna, porém, esta tornou-se difícil e cansativa para eles. Podiam andar, se quisessem, fora da vista de todos os olhos no mundo debaixo do sol, e podiam ver coisas no mundo invisiveis para os homens mortais; mas, demasiadas vezees, eles apenas viam os fantasmas e as ilusões de Sauron. E um por um, mais cedo ou mais tarde, de acordo com a sua força natural e com a boa ou má vontade no início, eles cairam sob o poder do anel que carregavam e sob a dominação do Um, de Sauron. E tornaram-se para sempre invisiveis excepto para ele que usava o Anel Governante, e entraram no mundo das sombras. Os Nazgûl, os Espectros do Anel, os mais terríveis servos do Inimigo; a escuridão seguia-os e eles gritavam com vozes de morte" (espero que a tradução esteja boa... um bocado feita à pressa... XD)



As informações sobre eles são poucas. Os únicos sobre os quais existem informações mais detalhadas são O Rei Bruxo de Angmar, que se acredita ter ascendência Numenoreana e que se sabe ter sido um grande feiticeiro que governou o reino de Angmar no Norte da Terra Média e Khâmul, o Easterling, sobre o qual apenas se sabe ser o "segundo" na linha de comando e que governou durante muito tempo Dol Guldur...

Gostaria de ouvir novas informações se possível, mas principalmente que o pessoal tentasse criar hipóteses para as origens dos Nazgûl...

Espero respostas... ;D
 

Tuor

Usuário
É, bem, não tem como precisar isso. Não se tem muitas informações à respeito de suas origens, de onde eram, a que povo pertenciam.

Especulando, eu diria que o Rei-Bruxo é um numenoreano. Me parece que o ele apareceu pela primeira vez na Segunda Era, num período anterior àquele que Ar-Pharazôn o fez na Terra-Média, ou seja, antes de Sauron ir para Númenor. Se de fato for um numenoreano, apesar de não haver muita informação, então pode ser um daqueles numenoreanos que vinham explorar a Terra-Média no período em que Númenor passava pela crise relacionada à vida eterna e os Valar.

Sobre Khamûl, não sei se há confirmação, mas dizem que é do Leste. Pode ser que seja, afinal, há tempos Sauron olhava para aquelas bandas com reciprocidade, estendendo seu braço até lá. Os outros Nazgûl tanto poderiam ser também numenoreanos quanto do Leste ou sulistas, não há como saber. Gondorianos não poderiam ser, já que Gondor nem existia quando se tem a primeira notícia sobre eles, pois Númenor perdurava ainda. Vai saber que outros povos, talvez do Norte, o povo de Eorl, com algum rebelde entre eles, tenha se desviado para os caminhos de Sauron. Mas aí eu já estou especulando.
 

Tywin Lannister

Já fui Nómin e Baldwin
Sim, provavelmente o rei bruxo seria um Numenoreano...

Depois só conheço o nome de Lord Khamûl, não sei grandes coisas sobre os Nazgûl
 

Daewen

Elener
Tb não sei mta coisa sobre eles. Só acho que Sauron deve ter escolhido regiões e líderes estratégicos para garantir que seu domínio sobre a Terra-Média fosse mais abrangente possível.
 

bombadil

FATHERLESS
Olá amiguinhos! Vou citar um texto sobre os Nazgûl muito interessante, só que ele está todo em Inglês! (se você ainda não fala o idioma, recomendo que comece a aprender urgentemente...)

Names of the Nazgûl:
One of them, the second in rank after the Lord of the Nazgûl himself, was named Khamûl, and also known as the Black Easterling. This is the only one of the nine Nazgûl explicitly named by Tolkien.

This may come as a surprise if you've come across one of the many sources that list a set of names of the other eight: Murazor (the Witch-king himself), Dwar, Ji Indur, Akhorahil, Hoarmurath, Adunaphel, Ren and Uvatha. These names are common across the Web, and often have detailed biographies to go with them. They're also consistent with what Tolkien had to say about the origins of the Nazgûl: in the Akallabêth it is stated '...among those whom he ensnared with the Nine Rings three were great lords of Númenórean race', and indeed three of these names are Númenórean in form: Murazor, Akhorahil and Adunaphel.

None of these eight names, though, have their origins in Tolkien's own work. Instead, they come from a series of role-playing and trading card games produced by Iron Crown Enterprises. The names of Murazor, Dwar and the rest emerged from the unavoidable need for these games to develop and expand Tolkien's universe to meet the needs of the gaming fraternity. The games' popularity accounts for the regular appearance of the names, to the extent that they're now frequently presented as the 'true' names of the remaining eight Nazgûl.

Some readers have even suggested that these names are so widely accepted that they should be considered the de facto names for the eight otherwise unnamed Ringwraiths. On a personal level, or in the context of the games that spawned the names, this isn't an unreasonable approach: if Tolkien never told us the name of, say, the Witch-king, there seems little obvious harm in imagining that his name was originally Murazor (or anything else, for that matter).

Como já dito, o único que sabemos o real nome era o de Khamûl. Os demais são pura especulação e aparente convencionamento entre alguns fãs da obra que não querem ficar sem uma resposta respondida (provavelmente os mesmos que querem porque querem dar resposta aos tópicos da GLIND - grande lista negra de discussão, entre els Tom Bombadil, Asas de Balrog, entre outros, sendo estes os mais célebres).

Espero poder voltar aqui mais tarde e continuarmos a discussão.

Abraços,
do bombs.
 
Última edição:

TorUgo

a.k.a. Tortoruguito...
não acho bem "inventarem" nomes para as personages de Tolkien e fazer de conta que foi ele quem disse...

ficamos com o que ele falou/escreveu, de resto, mantemo-nos nas especulações...
 

ARABAEL

Ema Infame e
Olá amiguinhos! Vou citar um texto sobre os Nazgûl muito interessante, só que ele está todo em Inglês! (se você ainda não fala o idioma, recomendo que comece a aprender urgentemente...)



Como já dito, o único que sabemos o real nome era o de Khamûl. Os demais são pura especulação e aparente convencionamento entre alguns fãs da obra que não querem ficar sem uma resposta respondida (provavelmente os mesmos que querem porque querem dar resposta aos tópicos da GLIND - grande lista negra de discussão, entre els Tom Bombadil, Asas de Balrog, entre outros, sendo estes os mais célebres).

Espero poder voltar aqui mais tarde e continuarmos a discussão.

Abraços,
do bombs.


Traduzindo:

Nomes dos Nazgûl:
Um deles, o segundo na hierarquia depois do Senhor dos Nazgûl ele próprio, foi batizada Khamûl, e também conhecida como o Black EASTERLING. Este é o único dos nove Nazgûl explicitamente chamado pelo Bratt.

Esta pode ser uma surpresa, se você topar com uma das muitas fontes que definir uma lista de nomes dos outros oito: Murazor (o próprio Witch-king), Acerca, Ji Indur, Akhorahil, Hoarmurath, Adunaphel, Ren e Uvatha. Estes nomes são comuns em toda a Web, e muitas vezes têm detalhadas biografias de ir com eles. Eles são também consistentes com o que Tolkien tinha a dizer sobre as origens do Nazgul: na Akallabêth afirma-se «... entre aqueles com quem se enredados com o Nove Anéis três eram grandes senhores do Númenórean raça" e, na verdade, de três esses nomes são Númenórean em forma: Murazor, Akhorahil e Adunaphel.

Nenhum destes oito nomes, porém, tem suas origens em Tolkien do próprio trabalho. Em vez disso, eles vêm de uma série de role-playing e jogos de cartas comerciais produzidos pela Crown Iron Empresas. Os nomes de Murazor, eo resto Acerca emergiu da necessidade inevitável para esses jogos para desenvolver e expandir o universo Tolkien para satisfazer as necessidades do gaming fraternidade. Os jogos' popularidade contas para o surgimento de nomes regulares, na medida em que eles estão agora frequentemente apresentado como o "verdadeiro" nome dos restantes oito Nazgûl.

Alguns leitores têm sequer sugeriu que esses nomes são tão amplamente aceita que devem ser considerados de facto, de oito nomes para o outro sem nome Ringwraiths. A nível pessoal, quer no contexto dos jogos que gerou os nomes, esta não é uma abordagem pouco razoável: se Tolkien nunca nos disse o nome de, digamos, o Bruxo-rei, parece haver poucas evidentes prejuízos em imaginar que o seu chamava-se originalmente Murazor (ou qualquer outra coisa, para esse efeito).


Só para acrescentar li um artigo que dizia assim:

No terceiro século da segunda Era do Sol surgiram na Terra-média os nove espectros no anel, seres poderosos que no idioma orc foram chamados de Nazgûl. De todos os servos de Sauron, tanto em Mordor quanto em toda Arda, os Nazgûl provaram ser os maiores. É dito que os Nazgûl foram antigamente poderosos Reis e Feiticeiros entre os homens, e a cada um deles Sauron enviou um dos nove anéis do poder. Estes anéis eram os nove dos dezenove anéis mágicos feitos por Celebrimbor e os ferreiros élficos de Eregion sob a tutela de Sauron. Sauron deu esses Anéis dos homens ainda na Segunda Era do Sol, e por muitos anos os homens os usaram pensando que comandavam seus poderes, mas na verdade estes anéis eram governados pelo Um Anel de Sauron.
O uso de um Anel do Poder dava a seu possuidor poderes especiais, vida longa, saúde perfeita, invisibilidade, e sentidos aguçados... mas embora os portadores dos anéis vivessem muito mais que seus companheiros humanos suas formas enfraqueceram e começaram a desaparecer. Antes do terceiro século eles se transformaram completamente em espectros, totalmente dominados pelo Um Anel, e conseqüentemente pelo Senhor dos Anéis. Os arrogantes homens que usaram os Anéis agora pagavam um alto preço pela sede de poder, haviam se tornado fantasmas, espectros escravizados por Sauron.
Assim, os espectros do anel vagaram por toda a Terra-média, cometendo atos de destruição e semeando discórdia a mando de sauron. Eles usavam grandes capotes pretos sobre malhas de aço e capacetes de ferro fundido, contudo abaixo disso tudo haviam apenas mortalhas, e seus corpos eram invisíveis e etéreos. Qualquer um que olhou na face de um Nazgûl se retirou em horror, por isso portavam capacete e capuz sobre o rosto. As vezes aparecia em suas faces o brilho luminoso de dois olhos hipnóticos... que em ira se tornavam uma chama vermelha infernal.
Os Nazgûl podem sentir a presença de outros seres vivos, existe o rumor que podem mesmo sentir o cheiro de sangue quente. Durante o dia eles se movimentam pouco e vêem muito mal, dependem fortemente das suas montarias para "ver" e "ouvir" o que está em volta. Mas durante a noite reinam absolutos. Na escuridão pouco lhes escapa, podem ver e ouvir longe... tanto no mundo real como no mundo dos espíritos no qual estão meio dentro, e meio fora. Suas armas eram muitas, eles levavam espadas de aço e de chama, maças e punhais com lâminas envenenadas ou mágicas. Usavam feitiços para envenenar e causar incêndios, e a maldição do hálito negro era como uma pestilência de desespero, seu terror gelou o coração de muitos dos seus maiores inimigos.
Os Nazgûl eram intocáveis para as armas mortais, a menos que a lâmina usada fosse encantada ou feita por elfos. Afora essas exceções, qualquer arma que os golpeou acabou murcha e enegrecida. Uma das poucas coisas que os Nazgûl temem é o fogo. Por serem criaturas da noite e do frio, é natural que tenham aversão ao calor e a luz do fogo, mas não é possível destruir um Nazgûl apenas por isso. Porém o fogo pode ser uma grande arma para distrair e enfraquecer esses espectros.
Assim durante mil anos de Segunda Era do Sol, os Nazgûl em nove cavalos negros varriam a Terra-média como um pesadelo de horror. Em todo esse tempo eles fizeram guerra, com Sauron e o Um Anel como senhores. Eles são imortais e não pereceriam até que o próprio reino de Mordor fosse destruído e a torre negra de Barad-dûr tombada. Com o tempo uma grande aliança entre homens, anões e elfos foi feita contra Sauron. Isildur, o Dúnedain, dominava Gondor... e foi ele quem cortou o dedo da mão de Sauron que segurava o Um Anel, com isso os Nazgûl foram varridos para as sombras ou outros lugares perdidos das terras orientais onde não podiam assumir nenhuma forma de poder.
Assim, os Nazgûl se tornaram impotentes durante treze séculos na Terceira Era do Sol. Porém o Um Anel não tenha sido destruído, e Sauron voltou em nova forma. No décimo quarto século, ele chamou os Nazgûl para fora das sombras. Os oito cavaleiros negros surgiram no leste, e o maior deles veio do norte, de Eriador para o Reino de Angmar e construiu uma grande fortaleza em Carn Dûm, onde reuniu legiões de orcs. Por mais de seis séculos houve guerra sem tréguas em Eriador. Os Nazgûl dominavam os acontecimentos, sendo o maior deles nomeado Bruxo-rei de Angmar.
As guerras controladas pelo Rei Bruxo foram terríveis para os Dúnedain. A torre de Amon Sul, a mais importante fortaleza de Gondor próxima as fronteiras de Cardolan e Rhudaur foi cercada em 1409 pelos orcs de Angmar. Os Dúnedain resistiram por meses ao cerco e luta constante, mas enfim foram derrotados e todos mortos. A Poderosa torre foi saqueada e queimada até suas raízes, mas seu mais precioso tesouro, a Palantír, foi salva e levada em segredo para Fornost. Os reino de Cardolan foi devastados, Rhudaur foi ocupada por homens quase piores que orcs, servos do Rei Bruxo. Arveleg era senhor dos exércitos de Gondor naquelas terras, e apesar de jovem era um guerreiro valente... ele pediu ajuda a Círdan e expulsou os inimigos de Fornost e das terras ao norte, e por algum tempo ouve paz.
Em 1974 o poder de Angmar despertou em fúria novamente. O Rei dos Bruxos reuniu exércitos que estavam ocultos e atacou Arthedain antes do final do inverno. Ele tomou Fornost e expulsou a maioria dos Dúnedain restantes, entre eles os filhos do Rei. Mas o próprio Rei Arvedui escapou por pouco fugindo para o norte com alguns membros de sua guarda após resistir nas colinas o máximo possível.
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.595,99
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo