1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Halanor Erundulë][Fantasias Inacabadas 3]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Halanor Erundulë, 15 Jun 2002.

  1. [Halanor Erundulë][Fantasias Inacabadas 3]

    :roll: lálálá....tá aqui mais alguns capl's.^^
    Halanor-They don't read;_;'
    Gandalf-They read...I Know!
    Halanor-¬¬'Do they Gandalf?!

    Mais uma vez peço pra ignorarem...;_;'ou pelo menos tentarem ignorar os erros ortográficos¬¬' e algumas palavras que estão juntas(¬¬maldito teclado;_;')
    ------^^------

    FANTASIAS INACABADAS

    Cap.8: Do acontecimento de Isil até hoje

    Elanor Lúmë, foi re-admitida como conselheira de Nárë, e juntas ao longo do tempo se tornaram grandes amigas, tanto que nenhum segredo existia entre as duas. Nárë tinha um bom relacionamento com todos do reino ou fora do reino, de tão abranjente que era seu coração. Isil, sua irmã mais velha, tinha um certo ciúmes do relacionamento de Nárë com Elanor,ou até mesmo com o povo. Nunca destratou ninguém, porém Isil, mas também não tratava o povo muito bem, pois os julgava inferiores, ao contrário de sua irmã Nárë. Isil conseguiu, também, uma conselheira, era Rána Súlimë, uma elfa de grandes poderes em magia negra. Rána é que prepara poções para Isil ou que realiza qualquer feitiço para ela, as duas nãosão tão amigas, pois Isil detesta qualquer ser com magia superior a sua. A inveja de Isil por Nárë é muito grande quando se trata de magia, pois Isil, ao contrário de Nárë, não sabe e não exerce nenhum poder sobre ou para a magia. Desprovida de encantamentos mágicos, Isil tenta se tornar forte, mas nunca conseguiu nada sem Rána. Ela é muito rebelde quando quer alguma coisa, pois sabe que seu paidá preferencia para sua irmã mais nova, o que a faz detestar ainda mais Nárë, mas isso nãosignifica que ela nãogoste da irmã... ao contrário Isil adora a irmã e cuidou dela desde criança, mas não sabe demonstrar esse sentimento, por isso acaba parecendo mais uma vilã do que é na realidade. Isil amava a mãe mais do que tudo, e após a morte dela ficou em estado de choque, nãofalava e nem mais sorria, por isso acabou se tornando quem é agora. Era uma criança muito alegre e muito carismática antes da morte de sua mãe, Eldalië sabe que Isil nãoé má, só ainda esta parada na época em que sua mãe morreu, por isso não conseguiu mais crescer e ficará eternamente vivendo naquela época... até que alguém a ajude a se libertar.
    Elanor é uma elfa de familia simples e não possui muitas riquesas, e sabe também que já não tem mais para onde ir, pois todos os seus parentes já deixarameste mundo. É uma elfa de estatura mediana,(como quase todas as elfas existentes naquele reino) possui longos cabelos prateados, verdadeiros e sinceros olhos verdes, e de aparência delgada. Ela também é conhecida como "Estrela do Sol de Vandora", por ser conselheira de Nárë "o sol branco" ou também "a chama branca".
    Rána, ao contrário de Elanor possui os cabelos longos e lisos e a cor deles é negra como a noite, tem reveladores e enganadores olhos azuis e é muito branca, pálida, por isso todos a chamam de "Lua que se põe em Março", pois é branca como a lua e se torna ainda mais branca a luz da lua de Março. Isil, também é conhecida como "Lua branca", por ser também mais esbranquisada que os outros elfos.

    -----


    Cap.9: Do amor de Nárë por Silma


    Eldalië ainda nãohavia voltado, mas dessa vez mandou seus mensageiros avisarem isso, então Nárë e Isil se tranqüilisaram. Nárë porém foi novamente admirar as florestas existentes em torno de Vandora, mas no seu intimo queria voltar a se encontrar com Silma. Pórem quando chegou lá, nada avistou, então se sentou na beirada do lago de Lúviniel e começou a cantar e chorar. De sua canção Silma escutou e foi então ao seu encontro, Nárë porém nem o viu chegar e então a chorar continuou.
    -Por que choras?-perguntou Silma, que havia chegado sem que Nárë percebece.
    -Por....nada não.-Disse Nárë se levantando rapidamente e enxugando as lágrimas.
    -Se choras é por que algummotivos tem, e que eu o desconheço.
    -De minhas lágrimas nada irá adiantar eu te contar, pois essas lágrimas jamais se tornaram reais!-Dissendo isso, sem que Nárë ou Silma percebecem, a pedra do pescoço de Nárë caiu no chão e perto da moita foi parar, de forma que dali ninguém a avistasse.
    A lua chegou e os iluminou com seus raios prateados, apartir dali a canção do amor, que nascia no coração de Nárë e da suposta rejeição que ela teria de Silma ao conhecer esse amor, foi criada. Pelos versos mais lindos que um elfo ou humano já ouvira antes, essa canção se criou. Então Silma quebrou aquele silêncio que os dominava, acariciando novamente o rosto de Nárë ele pensou:"Por que não consigo me afastar de seu brilho?!Por que meus olhos não conseguem deixar de te admirar?...sua canção e sua dança em meu coração se alojaram desde a primeira vez que te encontrei aqui. E desde lá, não consigo deixar de pensar em sua eterna beleza."
    Nárë ficou corada quando a mão de Silma tocou seu rosto, ela então soube exatamente naquele momento a rasão de suas lágrimas anteriores,...ela o amava, e agora tinha certeza daquele sentimento. Os dois ficaram parados ali à se admirar durante um tempo, ninguém conseguiu falar nada ou então se quer se mexer. Nárë sabia que seu pai não permitiria que ela ficasse vivendo pela eternidade com ele, e tinha a impresão de que ele não a amava, então pensou:"Saia do meu coração...por favor,...não posso mais sustentar tamanha dor."
    E a luz da lua o amor deles nasceu, Silma em seu mais secreto intimo a amava, e ela também o amava. Naquele momento Nárë sorriu e colocou a mão sobre a dele em seu rosto, então ele retribuiu seu sorriso. Finalmente o silêncio foi realmente quebrado e Silma falou:
    -Eu ficaria a eternidade a te admirar.
    -E eu jamais do teu lado deixaria de estar.-Alegrou-se Nárë.
    -De uma beleza tão infinita como a sua jamais irei me separar...eu arriscaria a minha vida por você...
    Então Nárë se lembrou de que na mensagem que seu pai enviara ele dizia que estaria trazendo um pretandente muito bom para ela, e que ele gostaria que os dois se casassem. Então do rosto de Nárë lágrimas brotaram, ela havia prometidoao pai que iria retribuir o gesto de carinho por ela que ele havia feito ao re-admitir Elanor, e ela sabia que teria de se casar com o homem que seu pai queria. Nárë então retirou a mão de Silma de seu rosto e disse:
    -Não posso...não posso...me desculpe!-Então Nárë correu.
    E assim mais uma vez Nárë fugiu de Silma.
    -Não corra...por favor...-respondeu Silma, mas era tarde demais Nárë já se fora.
    Então se voltando para trás Silma avistou a pedra do pecoço de Nárë, ele achou a Wendë Laurëa, a "donzela dourada". Silma se lembrou de já ter visto ela no pescoço de Nárë, então a guardou esperando um dia voltar a encontra-la. apartir daí, Silma voltava todos os dias aquela floresta, esperando voltar a encontrar Nárë, mas não a encontrou mais. Mesmo assim, sabendo que não voltara a ve-la, ele ia para a floresta em busca de Nárë.

    ---^^---

    Cap.10: Da volta de Eldalië


    A primavera já havia acabado quando Eldalië voltou com o pretendente de Nárë. Nárë porém desde o último encontro com Silma, não saira mais do quarto. Passando a admirar a floresta da janela de seu quarto e a chorar todas as tardes, não só pela perda de seu amor, mas também pela Wendë Laurëa, que sua mãe lhe dera e que ela perdera tão rápidamente e tão fácilmente quanto havia ganho. Então vendoque sua filha não havia descido para festejar sua chegada e a chegada de seu noivo Eldalië subiu para ver a causa pela qual Nárë não viera lhe receber. Chegando aoquarto Eldalië avistou Nárë sentada em frente ao espelho, trajando um ventido longo e de cor azul esverdeado e com um manto em volta de seus ombros, preso em suas mãos de cor branca. Nárë também usava uma jóia e volta dos cabelos, ela estava triste quando seu pai entrou.
    -Por que a mais alegre de minhas filhas não foi ao meu encontro assim que chego?-perguntou Eldalië, enquantose aproximava de Nárë, que o via pelo espelho sem se virar e nem falar com o pai- Estas tão belaminha filha, como jamais estivera!Parece estar com um novo brilho nos olhos.
    E era verdade, Nárë após encontrar Silma estava com um brilho diferente, mais alegre, no rosto, e seus longos cabelos negros e levemente ondulados estavam ainda mais brilhantes do que antes. Seus olhos prateados agora com um brilho inovador, mesmo que tristes, estavam mais belos doque antes. Então finalmente Nárë falou:
    -Será que podereideixar esta festa para depois?Sabe meu pai, estou muito feliz com sua chegada...mas não gostaria de festejar agora...
    -Me desculpe minha filha, mas não acredito que estejas realmente feliz com a minha chegada.-Falou Eldalië num tom meio triste e meio impaciênte-Vejo em seu rosto um brilho novo e diferente, mas nãovejo a alegria de sempre estampada nele!Venha e desça, estaremos todos a sua espera!
    Dizendo isso Eldalië saiu do quarto e se dirigiu novamente para a festa. Nárë que ainda estava virada para o espelho se levantou e parou perante a porta dourada que ficava na entrada de seu quarto. Por um momento ela pensou em Silma e se entristeceu, então ela abriu a porta e saiu doquarto. A festa estava sendo realizada lá fora a luz da lua cheia, a mesma luz de lua que teria banhado o último encontro de Nárë e Silma. Quando Nárë saiu, logo avistou um elfo ao lado do pai, que estava á admira-la, quandoela chegou todos da festa pararam para admira-la também. Mas ela parecia nem estar vendo a presença dos outros, nem mesmo de ninguém, pois seu pensamento estava voltado pra Silma Nieninquë.
    -Minë quendë, Elanor!(Um Elfo, Elanor)-disse Nárë, após ver que Elanor vinha ao seu lado.
    -Minë quendë vanima Nárë.(um elfo lindo Nárë)-respondeu Elanor sorrindo para Nárë.
    -Harya amil(possui mãe)!-Disse derepente Isil-E você é a...
    -...Indis(noiva)-Interrompeu Nárë-...eu sei disso...
    -Minë linyenwa(um velho).-retrucou Isil.
    -Não é velho!-respondeu Elanor-Eusei disso, o rei falou!
    -He, podem não ser minë linyenwa(um velho) e com certeza é minë quendë vanima(um elfo lindo)-disse Rána-mas eu não me casaria por que meu pai mandou...
    -Ele não me obrigou a isso.-entristeceu-se Nárë-É que eu estou devendo á ele...e é assim que ele gostaria que eu pagasse.


    ---^^---

    ^^lálálá...To be continued¬¬'...
     

Compartilhar