1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[ KB ] Mythopoeia

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Deriel, 25 Jan 2004.

  1. Deriel

    Deriel Administrador

    Categoria: 1 Tirith Aear
    Tipo: FAQ

    Nome do Artigo: Mythopoeia
    Autor: Imrahil
    Descrição: Um poema inédito de J.R.R. Tolkien em português!

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. TT1

    TT1 Dilbert

    O texto é bom, complicado e difícil leitura, mas muito bom.

    Ele deixa bem claro sobre a crença do Deus na função de criador maior, contrapondo conosco, os criadores menores. Interessante uma parte em que eu acho que ele esclarece muito sobre a nossa semelhança com Saruman:

    Isso mostra sobre a "decomposição" (e porque nao degradação ?) de Saruman. De branco para o de muitas cores. :think:

    belo texto
     
  3. Maglor

    Maglor Lacho calad! Drego morn!

    Vou ser levemente cara-de-pau e copiar a minha opinião sobre o texto no Notícias (
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ).

    Eu estou meio pasmo aqui, sem querer parecer exagerado. De toda a bibliografia de Tolkien que ainda não foi traduzida, os textos do Tree and Leaf sempre apareceram para mim com uma certa aura de mistério... é como eu imaginava o Silmarillion antes de lê-lo, parece cheio de caminhos novos para descobrir por um bom tempo (ainda que a natureza do Tree and Leaf não seja narrativa).

    Eu tinha lido sobre esse poema na resenha aqui mesmo da Valinor, e imaginava que fosse realmente assim. Mas eu li uma vez, demorei bastante, e a conclusão a que cheguei é que ainda vou relê-lo um bocado. Tenho que comer muito feijão-com-arroz para entender cada verso e cada significado desse poema. Ainda assim, a primeira impressão, mesmo que bem nublada, não poderia ter sido melhor.
     
  4. Imrahil

    Imrahil Kyknos kyknón

    Pessoal,

    Mais uma vez, não tenho como agradecer o carinho com que vocês têm recebido a tradução. Eu acho que realmente o texto é "multilayered" - as referências e sugestões dele atiram pra todos os lados, da mitologia à teoria evolutiva ("macacos progressivos"), e lançam raízes e galhos para o passado e o futuro.

    TT1, devo admitir que não havia pensado na sua analogia com o que aconteceu com Saruman e a menção no poema antes, mas achei muito interessante mesmo!

    No contexto do Mythopoeia, essa frase não soa como condenação direta, mas como uma constatação um tanto bittersweet - a idéia é de que somos imperfeitos por natureza (e tornados mais imperfeitos ainda pela Queda) e, portanto, não conseguimos manter a "matiz branca" - que vem de Deus - intacta. Por natureza a tornamos em algo menos perfeito, e isso pode se tornar, no fim, algo verdadeiramente corrompido. De qualquer maneira, esse ainda é nosso direito - "criamos tal como fomos criados".

    Abração a todos e valeu de novo,
     
  5. TT1

    TT1 Dilbert

    Esse poema tá valendo uma explicação passo a passo hein ? Seria legal pra todo mundo ter a visão do todo.
     
  6. Imrahil

    Imrahil Kyknos kyknón

    Hopefully, vai ser a mesma que eu vou usar no texto da dissertação de mestrado :obiggraz: O que houve de escolhas de Sofia e reinterpretações para ajeitar sentido e forma não tá no gibi.

    Mas foi bom vc ter dito isso, porque me motiva a agilizar essa análise!

    Abraço,
     
  7. Drizzet

    Drizzet On vacation forever

    Gostei mto do poema especialmente essa parte
    Mto bonito! Acho que ja tinha lido os dois primeiros versos na Valinor antes.
    Mais uma coisa, parece que a tradução ficou em algumas partes isométrica, com versos heróicos, como no início:
    Deu uma sonoridade muito boa, e manteu a estrutra rímica, que deve ter dado um bom trabalho! Além disso vale a pena ressaltar a multipla interpretação que o poema permitei, de alguns aí ja disseram.

    Drizzet
     
  8. Imrahil

    Imrahil Kyknos kyknón

    Salve, mestre Drizzet!

    Depende do jeito como você escande :wink: O poema é pra ser lido em voz alta, o que faz com que o "e as" e o "e o" sejam uma sílaba só:

    Vo/cê/vê/ár/vo/res/eas/cha/maas/sim
    Pois/éo/que/são/eo/seu/cres/cer/en/fim

    Eu avisei que estava abusando das elisões :lol:

    Abraços,
     

Compartilhar