1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)
  1. Eru tinha o poder de fazer e desfazer tudo o q quizese e também de controlar o q aconteceria com o futuro e o passado, então ele sabia o q ia acontecer com Morgoth, então pq ele o criou.
    Será q foi para mostrar q nem tudo era bom e q era para lutarmos por tudo q mais amamos e nunca nos acomodarmos. Ou Eru não sabia o q aconteceria com Morgoth. :mrgreen:
     
  2. acho que se Morgoth nao tivesse existido tudo seria a mais perfeita e xata ordem...
     
  3. Concordo, mas pq Eru faria isso. :mrgreen:
     
  4. Skylink

    Skylink Squirrle!

    Eru deu a todos os seres a oportunidade de escolher que caminho seguir. Se não fosse assim, seriamos apenas fantoches. O caminho de Melkor está em disarmonia com a idéia de Eru, logo, foi denominado de mau aquilo que se desvia da idéia de Eru. Por isso que Melkor é mau.
     
  5. Anigel

    Anigel Eu atropelo duendes!

    :? Ainda não terminei de ler O Silmarillion, mas pelo (poucp) que eu já li se trata do lívre arbítrio. Isto é, Eru criou Melkor e deu a ele a escolha de fazer o que quisesse. Ele pode ter previsto os dois caminhos, se Melkor escolhesse o caminho do bem e se escolhesse o caminho do mal, como acabou por escolher. Estou achando o Silmarillion com um que do Livro do Gênesis, por isso fiz a comparação do lívre arbítrio.
     
  6. Riff

    Riff Usuário

    A concepção de bem e mal de Eru é diferente da nossa (aliás, nem podemos compreende-la), ele sabia o q aconteceria com Melkor mas pode ter interpretado como algo necessário a Arda :wink:
     
  7. Sméagol

    Sméagol Usuário

    É a velha discussão do lívre arbítrio na Terra Média. Na minha opinião, Eru tinha uma visão nublada das coisas, ou seja, ele sabia o que poderia acontecer com alguém ou com alguma coisa, porém não sabia se era exatamente isso que iria acontecer. Assim, os povos tinham escolha própria, e Eru não podia sair por aí modificando tudo como o Eärendil - O Marinheiro disse.
     
  8. Bia_aDJ

    Bia_aDJ Usuário

    Eu acho que Eru sabia, mas preferia se fingir de "desinformado" :obiggraz: ......além disso, sem Morgoth, os homens naum existiriam, pois foi ele mesmo q os criou, kndo confrotava Eru em pensamento.
    Morgoth era peça fundamental no jogo contra o bem i o mal, naum só pke era o inimigo, mas porque de forma indireta, ajudou o bem a ganhar e a criar uma parte fundamental de Arda: Os homens, sua vitória e ruína ao mesmo tempo!

    Essa aew é a minha opinião!
     
  9. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Todos os atos de Ilúvatar têm um propósito. Mesmo aqueles que, aparentemente, venham a causar um grande dano e sofrimento, têm um propósito. A criação de Melkor foi um deles. Talvez para manter um necessário equilibrio entre bem e mal, luz e treva, quem sabe?

    Num outro tópico aberto por mim, eu levantei essa questão do porque Ilúvatar tomava determinadas atitudes, sendo ele onisciente... eu pensei por muito tempo e cheguei à uma conclusão... por exemplo: a destruição de Númenor (que eu tratei no tópico que estou falando): se Númenor não tivesse sido destruída, a linhagem de Elendil não teria ido para a Terra média, Aragorn nunca teria lutando contra Sauron e, talvez, este nunca tivesse sido derrotado... é uma reação em cadeia.
     
  10. Agora entendi, tinha coisas q Eru podia fazer (tudo) mas ele deu a todos o livre arbítrio por isso q não se metia muitonas coisas, é isso ou não. :mrgreen:
     
  11. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    Exato... é bem parecido com o Deus da religião católica... mas ai voltaríamos a discutir a religião...

    Eventualmente Eru interfere em Arda... Seriam as equivalencias dos Milagres cristãos...
     
  12. Sméagol

    Sméagol Usuário

    Exatamente, Eru se parece muito com o Deus católico. Isso talvez seja influência, por Tolkien ser um católico fervoroso...
     
  13. Inexistence

    Inexistence Usuário

    Eru criou os Ainur, e então ocorreu a criação de Arda.

    Ilúvatar tinha poder para mudar tudo em Arda sim, pois ele era o Superior, o Criador. Porém, acredito que concedeu o livre arbítrio a cada Ainur e aos seres de Arda, pois, acredito eu, não desejava ter poder sobre cada um e seu destino, e sim conceder-lhes o livre arbítrio para fazerem o que quiserem, cada um seguindo o que achava certo seguir.

    E mesmo que soubesse de tudo e pudesse evitar: será que realmente o faria? O Mal foi fundamental em Arda para ficar como era...

    Eru é igual ao deus Cristão, logo, essa resposta é o livre arbítrio
     
  14. João E. B.

    João E. B. Usuário

    Não, a Resposta é a Oniciência. É claro que sabia. Manja aquela história de não dar valor até fazer falta. Como o povo ia dar valor as coisas boas se não tivesse as ruins para comparar?
     
  15. Dernhelm

    Dernhelm Usuário

    Eu creio que tenha algo a ver c/ o livre arbitrio dado a todos os seres de Arda... Morgoth seguiu p/ o lado escuro como Manwe poderia ter ido ou Ulmo mas eles optaram por seguir os preceitos de Eru, mais foi uma escolha não uma imposição, Eru não poderia interferir nisso é o livre arbitrio que se fosse tirado seriacomo já disseram todos apenas fantoches :eek:
     
  16. Maglor

    Maglor Lacho calad! Drego morn!

    :grinlove: :grinlove: :grinlove:
    Exatamente isso o que penso. Lindo! Lindo!

    Ilúvatar não sabia o que iria acontecer com Melkor, porque os valar eram livres. Mas ele sabia o que poderia ser, e o que poderia não ser. E sabia que pela personalidade rebelde de Melkor, o provável é que fosse do jeito que foi. Mas Ilúvatar ter certeza de como seria, isso pra mim é incompatível com livre-arbítrio.

    E Eru é tão parecido com o Deus cristão porque Ele É o Deus cristão, afinal.
     
  17. Fory

    Fory Usuário

    Vejo que o bem e o mal sempre tem que existir, ambos criam o equilíbrio, por isso Eru criou Morgoth, pois sabia que este seria a personificação do mal, seria o equilíbrio.
     
  18. Sméagol

    Sméagol Usuário

    Não tinha pensado nisso ainda. Mantenho minha posição do livre arbítrio, mas acho que também tinha alguma coisa relacionada aos valores. Talvez se o mal não existisse, os seres achariam tudo muito calmo, muito bucólico, e perderiam a razão de viver. Digo talvez, pois não podemos imaginar como as pessoas viveriam em um mundo totalmente bom...
     
  19. Safari Joe

    Safari Joe Usuário

    Penso o seguinte: o fim era conhecido por Eru, mas era dado aos seres o livre-arbítrio para agir do modo como quisessem. Quaisquer que fossem suas ações, resultariam no final premeditado por Eru.

    Por exemplo: Manwë proibiu os númenorianos de navegar para Oeste para que não desejassem a imortalidade da terra de Aman. Entretanto, como sabemos, o efeito foi contrário, sentindo os edain inveja dos elfos e dos Valar. Ou seja, de uma maneira ou de outra, o povo de Númenor cairia na sombra, mas o "meio" para isso não era conhecido.
     
  20. Mektar Ambrosius

    Mektar Ambrosius Usuário

    Eru sabia de tudo. Tudo o que aconteceu, está acontecendo e irá acontecer é de seu saber, assim como ele sabia o que era necessário, e suponho que a seu ver, Morgoth era um mal necessário, nós aprendemos com nossos erros, então Morgoth seria uma forma de aprendizado, ou seja, após sua "passagem", os povos estavam muito mais sábios do que se suas vidas fossem um mar de rosas tranquilo. Acho que é algo mais ou menos assim, espero que entendam meus pensamentos confusos...
     

Compartilhar