1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[Discussão] Preço dos mangás

Tópico em 'Anime & Mangá' iniciado por DW, 12 Nov 2007.

  1. DW

    DW Usuário

    Hoje eu passei numa banca e dei uma olhada geral no que tinha por lá. Vi que o preço dos mangás está meio caro. Chegam a custar mais caro que HQ´s.

    Ele é preto e branco, feito de papel jornal e tem um formato pequeno. As HQ´s são coloridas, a qualidade do papel é ótima e tem um formato maior, mas mesmo assim os mangás tendem a ser mais caros.

    Esse preço seria porque é mais caro licenciar um mangá do que uma HQ? Seria porque mangás tem um público menor? (Isso foi uma especulação. Não sei se na realidade é assim)

    Porque é tão caro assim?
     
    Última edição: 13 Nov 2007
  2. Belfalas

    Belfalas Ele é legal

    Talvez pelos direitos que a grafica tem, não sei muito bem
     
  3. DW

    DW Usuário

    Quem tem os direitos é a editora. A gráfica só imprime.
     
  4. Tilion

    Tilion Administrador

    A maior razão deve ser o licenciamento, sim, mas as editoras aproveitam para meter a faca. A JBC atualmente é a especialista nisso, com mangás com poucas páginas e aumento de preço recente.

    O problema também é o papel. Se olharem bem, o papel que usam em alguns mangás nem é de tão baixa qualidade assim (alguns da Conrad, então, nem se fala). Uma solução seria fazer como no Japão, onde o papel usado é papel reciclado. Inclusive eles reciclam os próprios "tijolões" para fazer outros e os tankobon.

    Enfim, há alguns motivos decentes para o preço alto; às vezes o preço até é justo pelo número de páginas (vide Lobo Solitário com média de 300 por edição a R$13). Mas também há uma boa dose de oportunismo de parte das editoras, pois elas sabem se algo "tá na moda" e tem um público ávido pelo material, pode estar o preço que estiver que vão comprar, mesmo chiando.
     
  5. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    vcs querem parar de mudar de nick, pelamordedeus? eu tive que clicar no seu perfil para ver que era vc mesmo...

    então, quanto ao tópico, que eu achei engraçado que você não abordou a questão da tradução. se eu não tiver enganada, os mangas que saem no brasil são traduzidos diretamente do japonês; e claro que a quantidade de tradutores de japonês no mercado deve ser bem menor do que para inglês, por exemplo. Então imagino que isso também tenha impacto no preço.

    agora, como já disseram, nem sempre é assim mais caro. Death note é uma que é mais cara, mas que pelo numero de páginas no final acaba sendo um preço razoável...
     
  6. Tilion

    Tilion Administrador

    Tradutor é sempre mal pago por aqui, independente da língua com qual trabalha. Os únicos tradutores que recebem muito bem são os juramentados, que são a minoria da minoria na classe.

    Não creio que isso influencie no preço dos mangás como os outros fatores. Como as editoras só usam um ou dois tradutores para vários mangás, elas devem acabar pagando só um pouco por cada. Se tais tradutores estão recebendo bem, deve ser por terem que traduzir diversos por mês, ou seja, é pela quantidade mesmo, não pela qualidade do trabalho (que nesse caso faria com que o custo para as editoras certamente fosse maior).
     
    Última edição: 13 Nov 2007
  7. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    E olha que poderia ser mais caro! Um fator que reduziu, um pouco, o valor foi a estratégia das editoras de adotarem o sistema de distribuição setorizada. O que é ruim para quem está em um Estado no fim da fila, como o RS aqui; que recebe o material com 3 ou 4 meses de diferença. Ninguém toca muito no assunto, mas no Brasil só há duas distribuidoras, a Fernando Chinaglia e a Dinap. E sem muita concorrência, o preço que as duas devem cobrar pela distribuição deve influenciar no preço final das revistas.

    Também achava caro, mas vendo como as histórias da DC e da Marvel são fragmentadas em vários títulos, dá pra notar quem tá tirando o dinheiro dos leitores.
     
  8. Turgon

    Turgon 孫 悟空

    Alguns mangás eu acho bem caro, como é o caso de FullMetal Alchemist, mas alguns eu acho que estão no preço normal, como Naruto, por exemplo.

    Eu pensei que Naruto iriam trazer com um preço bem mais caro que o atual, pelo número de páginas que o mangá contém, mas ainda bem que não aconteceu isso, mesmo sendo "modinha" aqui no Brasil.

    O papel, como já citado, influência em muito sim o preço final do mangá. Tenho como exemplo os mangás de One Piece, que no começo custavam 4,90, se não me engano, e agora estão custando mais que 6 reais. Isso se deve muito a qualidade da folha no mangá, que melhorou em muito dos primeiros volumes.

    Vale lembrar que os primeiros mangás custavam em torno de R$2,90 ~3,90, como Samurai X e Love Hina e se compararmos a qualidade desses mangás, com os que estão saindo agora, é bem visível. Não apenas na folha, mas na impressão também, que estão melhores.

    Eu acredito que a maior mudança mesmo no preço dos mangás se deve a qualidade deles, pois quando começaram a sair, eram poucas pessoas que compravam o mangá, mas agora, esse número aumentou em muito e a qualidade deles também aumentaram.
     
  9. DW

    DW Usuário

    Mas continua um absurdo ainda. Dá até gosto ver a qualidade do papel e da impressão de uma HQ. O tamanho também. E custam menos que um mangá preto e branco imprimido em papel de jornal.
     
  10. Alassë

    Alassë Pasteleira

    Sei lá, acho que é sim facada+oportunismo das editoras. Tipo, Inuyasha, teoricamente, tá acabando... Ou seja, provavelmente quem já comprou 96 volumes irá comprar mais 5 ou 6, não sei quantas faltam.

    Daí o que a JBC faz? Aumenta 2 reais o mangá! E sem nenhuma alteraçãozinha pra melhor, nem aumento de número de páginas. Foi de 4,90 para 6,90 de um mês para o outro, sem comunicado nem nada.

    Até cheguei a mandar um e-mail reclamando, mas obviamente que não serve de nada...
     
  11. Turgon

    Turgon 孫 悟空

    Não só com Inu Yasha. Já fizeram isso com One Piece e Shaman King. Shaman King quando estava faltando uns 10 volumes, eles aumentaram também o preço sem avisar.

    E vale lembrar que as revistas em geral estão mais caras também. Antes quando eu comprava a Ultra Jovem, era baratinho, já hoje está bem mais carinha e com menos informação e páginas.
     
  12. Alex

    Alex Mugen no Juunin

    Me parece que o tamanho da editora (falando nela como empresa) também influencia nisso e bastante. As HQs tanto citadas aqui são 90% publicadas pela italiana Panini, que atua em vários países da Europa e América do Sul. Editoras brasileiras de HQs, como a Pixel por exemplo, costumam justificar os preços um pouco maiores dizendo que não tem como praticar o mesmo valor que uma multinacional. E a Panini, há algum tempo, entrou com tudo no mercado de mangás, já com preço mais baixo do que as concorrentes 'menores'.

    Numa conversa na comix, um dos funcionários me disse que a Panini poderia causar o fechamento da conrad e da JBC (pior que é possível! - embora no caso da JBC eu ficaria feliz) :lol:

    Claro que fazem parte do preço todos esses fatores escritos no tópico, como tradução, gráfica, distribuição, licenciamento, tiragem... mas cada editora tem sua conta pra outro fator essencial na formação do preço: lucro

    A Dinap comprou recentemente a Fernando Chinaglia. Estão analisando isso por se tratar praticamente de um monopólio, mas parece que a compra vai ser aceita..


    Inuyasha parece que vai terminar no 110 no Brasil.

    A JBC é de longe a mais oportunista (e porque não, mercenária) das editoras de mangás. To boicotando FMA desde que saiu o primeiro número... e fui pego por esse aumento descarado do Inuyasha.

    A Conrad deu uma mancada gigantesca com o Vagabond, mantendo apenas a edição de luxo e tirando das bancas aquela de 100 páginas a 6,90 (provavelmente se continuasse em sulfite, essa subiria pra uns 8 reais levando em conta que também tinha páginas coloridas). Mas quem explica agora como Zettai Kareshi (200 páginas) sai por 9,90 e Monster a 12,90, sendo edições praticamente iguais em material?


    Fizeram com Chobits também, um aumento de 2 ou 3 reais apenas no último número da série. Pra mim chega a ser falta de ética uma coisa dessas...
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  13. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Se agora só há uma distribuidora, o negócio vai ser comprar via internet. Acho pouco provável que a Dinap vá reduzir os valores que cobra das editoras. Isso é ruim para todos os desenhistas daqui sem vínculos com as grandes editoras. E os valores mudam de estado para estado. Ou seja, só via download agora.
     
  14. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    mangá japones é caro mesmo... subiu da média de 25 reais para 50 reais... o iene aumentou tanto assim?
     
  15. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!


    No. O que subilam folam os Loyalties, né? De lá e de cá.
     
  16. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    ou seja, ainda que esteja caro os traduzidos daqui, não me deixam biruta com o preço que eu pagaria pelo original em japonês (se bem que estou SERIAMENTE considerando se não quero mesmo Kotzure Ookami)
     
  17. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    O que emperra o lançamento de mais mangás no Brasil (o que, na comparação com final da década de 80 e início dos 90, é formidável o número de publicações) é o poder aquisitivo. Por mais que se tente acompanhar, não tem como o bolso agüentar uma maratona de 30 ou mais volumes de um único mangá somados aos demais. Diferente das terras de lá, onde são lançados coletâneas, aqui fragmentaram o negócio. E quem sofre com isso?
     
  18. Kyo

    Kyo Big bad wolf

    Eu pessoalmente parei de comprar mangás exatamente por isso. Como acompanhava diversos titulos, acabava que chegava o fim do mês e não tinha conseguido ler o que tinha saido, já que faltava dinheiro. Basicamente acabei cortando todos os titulos e arranjando outro jeito de acompanhar as histórias. Unicos que adquiri desde então foram séries completas, que comprando através da internet acabam saindo mais em conta do que comprar mensalmente nas bancas.
     
  19. La Fée

    La Fée Só mais um

    Olha só, não sou nenhuma expert no assunto, mas que o preço dos mangás influenciou (e muito!) no fato de eu ter de apelar para os empréstimos, influenciou, e olha que eu sou uma daquelas pessoas que precisa TER o mangá, na estante, pra saber que ta ali a hora que eu quiser...=(
    É triste isso!
     

Compartilhar