1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Corrente do Mal (It Follows, 2014)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Fëanor, 30 Ago 2015.

?

Qual sua nota para o filme?

  1. 10

    0 voto(s)
    0,0%
  2. 9

    0 voto(s)
    0,0%
  3. 8

    0 voto(s)
    0,0%
  4. 7

    0 voto(s)
    0,0%
  5. 6

    0 voto(s)
    0,0%
  6. 5

    0 voto(s)
    0,0%
  7. 4

    0 voto(s)
    0,0%
  8. 3

    0 voto(s)
    0,0%
  9. 2

    0 voto(s)
    0,0%
  10. 1

    0 voto(s)
    0,0%
  1. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Após manter relações sexuais, uma jovem passa a ser perseguida por uma força sobrenatural.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Ficha:
    Corrente do Mal (It Follows)
    Diretor: David Robert Mitchell
    Roteiro: David Robert Mitchell
    Estrelas: Maika Monroe, Keir Gilchrist, Olivia Luccard
    Estréia: 27/08/2015
    IMDb:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    -----

    Achei um dos filmes mais bacanas e originais de suspense/terror dos últimos tempos.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  2. Siker

    Siker Artista Comercial / Projetista Gráfico

    Com certeza um dos melhores filmes de terror do ano.

    Muita gente fez a comparação óbvia com DST, mas eu enxerguei de uma outra forma. Essa força que não se tem ideia da sua origem ou de sua idade, que não para por nada, e que muda de vítima após a relação sexual, eu entendi como sendo a própria Morte. Você simplesmente não pode escapar, só adiar, e uma forma de manter a vida seria através da procriação, forma essa que também passaria adiante a Morte.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  3. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Quando eu vi o filme, também achei estranha a relação com as DSTs, @Siker . Eu mesmo mencionei no Facebook: a resposta é Dostoievski, conforme mencionado no filme o tempo todo. :hihihi:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Também interpretei por esse caminho.

    O diretor deu uma entrevista ao The Guardian, onde ele fala um pouco sobre essas questões:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


     
    • Gostei! Gostei! x 4
  5. Lissa

    Lissa Chocolatier Honoris Causa

    Assisti a primeira vez e achei bem meh. ODIEI o final
    odeio muito, mas muito, mas muito mesmo, quando não explicam a porra do filme. Me sinto meio ludibriada de ter perdido mais de uma hora da minha vida pra ver uma coisa sem propósito definido, porque aí pode ser qualquer coisa e eu nunca vou saber com certeza. Serio, odeio demais.

    Aí assisti de novo e captei um pouco mais a tensão. Ainda acho que tá mais pra suspense que pra terror, porque o filme te deixa mais angustiado que com medo, e a ideia do filme é justamente essa: lidar com a pressão, com a angustia e com a nobreza tambem, aquela coisa do ''será que eu passo pra outro?'', mas ainda assim volta pra angustia, porque se a outra pessoa morrer, volta pra você e isso gera um ciclo infinito. Como suspense, achei genial. Como terror, achei meh.
     
  6. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    to só zoando, Lissa :3

    mas serinho agora, o filme desde o inicio não fala que vai explicar o porquê daquilo tudo acontecer. Pensa assim, quando vc vê um filme da Disney, Frozen, por exemplo, vc não espera que se explique por que e como a Elsa tem aqueles poderes, né? Já estão ali na vida dela e servem, entre outras coisas, para passar uma mensagem sobre saber extrair o melhor do amor em família, em união...

    De uma forma parecida aqui, a história e os elementos dela funcionam como alegoria, para contar algo que, se se tirasse a parte sobrenatural, poderia ficar sem graça se não soubessem abordar diretamente...
    aí, então, vc vê que, no final, fica a sugestão de que, por mais que por enquanto os personagens estejão aliviados, não nutrem nenhuma ansiedade mais, deixaram seus problemas esquecidos, estes podem estar lá, nas redondezas, dando um tempo para aparecer de novo

    ____

    Lembro que quando vi achei bom, mas mais pelas ideias do que pela execução em geral. Talvez por eles terem tido (estou supondo) pouco orçamento (e/ou por pouca maturidade mesmo), achei a cara do filme meio barata, não do tipo bom. (mas tbm provavelmente foi uma coisa bem pessoal mesmo meu desagrado com a estetica do filme); e algumas cenas pareceram um tantinho toscas na arrumação dos ambientes - que não pareceu de propósito para algum fim da história... a trilha parecia estar ali para marcar presença, pra dizer que estava com o proposito de dar medo... o suspense, quando bem empregado, funcionava bem, embora vez por outra umas cenas sentiam como uns fillers, para encher tempo de filme - não se dava para sentir nada, de bom ou ruim, nelas... Enfim, gostei das ideias, dá pra conversar bastante e tal. E recentemente confesso que me surpreendi com esses artigos por aí chamando o filme um dos melhores de terror dos ultimos anos e tal. Pareceu mais aquela coisa de não tem tu vai tu mesmo. Minha nota foi sete.
     
    Última edição: 31 Ago 2015
    • Ótimo Ótimo x 1
  7. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    o que mais gostei foi do desenvolvimento da tensão. é um cuidado raro em filmes de terror hoje em dia, que recorrem mais a truques manjados como um grito surgindo do nada num ambiente dominado pelo silêncio para assustar. aquele passo constante da entidade, o saber que não tem como fugir, é angustiante. eu só lembro de ter sentido isso uma vez na vida, na primeira vez que assisti à hora do pesadelo (é impossível não dormir, uma hora freddy vai te pegar, etc.). tem uma cena que acho que serve bem de exemplo para o que eu quero dizer:

    quando estão todos na praia, conversando. e você vê no fundo da tela alguém vindo na direção dela.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    caramba, tensão no máximo.

    e aí tem o apelo visual também, né. a cena da piscina, por exemplo, é um pouco obtusa em termos de plot, mas as imagens que saem dali são lindas, para ser repetida naquelas seleções de melhores tipo algumas cenas do suspiria.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    ***********


    tarantino fez uns comentários sobre o que achou que poderia ser diferente no filme >>
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Ótimo Ótimo x 4
  8. Amon_Gwareth

    Amon_Gwareth Paragon

    Um filme de terror que não usa sustos pra criar o terror? Excelente notícia, vou tentar assistir ainda hoje!
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  9. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Essas cenas foram excelentes mesmo!

    *****

    O Tarantino deu pra falar recentemente, hein... E, não nesse caso, às vezes fala ate demais...
     
  10. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    mas ele até que tem razão em um dos comentários dele. não digo tanto pelo negócio

    de ela ter que aceitar transar com os guris, pelo menos antes da cena da piscina. nesse caso eu até entendo: ela vê como um fardo dela, ela não pode passar adiante. se ela faz isso logo de cara, na primeira vez que é ofertado, perde o sentido/valor de quando ela finalmente aceita

    mas na cena do teatro eu acho o comentário pertinente.

    ****

    Gabriel, sobre o visual que você comentou no outro post (e mesmo a trilha) a ideia é prestar homenagem aos filmes da década de 80. Segue a mesma vibe dos filmes do John Carpenter. Tem sido uma tendência forte no cinema de terror, situar a história em décadas anteriores a de 90 ou não situar - deixar meio confuso propositalmente (o visual do it follows sugere a década de 80, mas uma personagem tem um e-reader, etc.).
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  11. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Era essa a ideia com A Pele que Habito.
    Acho que o Almodovar superestimou o público pra captar essa intenção e subestimou essas novas gerações que estão mais confortáveis com a noção - com a noção, não com o fato - de se sentir alguém diferente dentro do próprio corpo.
     
  12. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Acho que entendo. A intenção realmente é boa... quando eu li a chamada do artigo que vc postou, e na parte em que QT fala ter ficado com raiva do filme não ter sido tão bom quanto poderia, pensei que ele falaria mais sobre o estilo do diretor. Pq, claro, não se pode esperar que Mitchell seja Carpenter (nem é algo desejável isso), mas vc pega os filmes deste, sei la, Halloween, e percebe que ele tem um apuro tao grande em cada cena manter as coisas bem controladas, a não deixar dentro da tela nada supérfluo (não digo nem so em relação à trama, mas mais a composição das cenas mesmo)... Ate a fotografia com cara barata era mais bonita.

    Coisa um tanto diferente aqui. Por isso falei ali que achei o diretor um pouco inexperiente, talvez. Vez ou outra parece que ele só colocou os personagens ali em qualquer lugar e filmou. Sem se preocupar muito no entorno...

    (mas assim, o que eu falei - em geral é mais desagrado pessoal mesmo, acho... Do tipo que dois podem olhar pra um tom de azul e um gostar outro não... Caso tbm, embora não só sobre o visual, de o babadook e Ex Machina, por ex.)

    De novo o Tarantino, nem tinha lido quando postei. Tbm não concordo muito no negocio que vc falou e sobre a mitologia do filme faz sentido mesmo. Quando disse que ele tem falado demais meu ex. fica em alguns pontos nessa entrevista mesmo e outras em que ele tem que criticar esses "arty films" que não terão lugar na prateleiras daqui a uns anos (mas isso fica prum outro momento - depois se não tiver preguiça de criar um tópico pelo cel... =P)
     
  13. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    nossa, engraçado você dizer isso. porque eu acho que boa parte do que faz o filme ser tenso é bem como é filmado. eu não sou da área, não sei explicar muito bem, mas acho que é meio na linha do que o villaça
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    :

    sobre essa última frase:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    :omfg:
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  14. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Isso se chama falta de dinheiro. :lol:
    A sério, tem alguns diretores que dão o máximo de si para aproveitar cada centavo disponível no orçamento.
    ---------------------------------------------------------

    Putz, lendo o Villaça agora, quando ele menciona a trilha sonora, de fato, é mais uma forma de remeter ao John Carpenter - pensa na trilha sonora de Assalto ao 13º Distrito, Halloween...
     
    Última edição: 31 Ago 2015
    • Gostei! Gostei! x 1
  15. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Eu precisaria desenhar tbm, pq não consigo lembrar de todos os detalhes nem de todas as cenas que não gostei e tal. Lembro de algumas, passam na minha mente, a do cinema, acho que todas em que o suspense não esteja ativamente envolvido (pq quando está, vc não repara nos erros). Mas como falei, vi ha um tempo ja e não lembro de detalhes. Talvez se assistir novamente goste de uma maneira diferente. Porque essas que vc tem mostrado, essa do quarto todo vermelho então, são realmente efetivas. Mas é o que eu tinha falado ali em cima e o Bruce repetiu. Orçamento.
     
  16. Jacques Austerlitz

    Jacques Austerlitz (Rodrigo)

    O que eu mais gostei no filme foi o visual. O
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    foi o que primeiro me chamou atenção. A cena da
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    é provavelmente a minha cena de terror preferida dos últimos tempos.

    O visual do filme lembra muito as fotos do Gregory Crewdson, que têm aquele elemento de estranhamento que lembra a atmosfera de um pesadelo.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  17. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Tive que procurar... Caramba! Muito bacana mesmo. Lembra os quadros do Edward Hopper.

    PS: E tem momentos que lembra a cinematografia dos primeiros filmes do Michael Mann, nas mãos do Dante Spinotti. Se o filme divide o público (?), bem, ninguém pode dizer que ele é esteticamente feio.
     
  18. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Pronto, taí comprovado o que eu tentei dizer: a recepção varia de cada um. Fui olhar essas fotos e realmente lembrou o visual do filme, mas da mesma forma ele não me causou medo ou inquietação ou apreensão ou sei la... Nem me lembrou um pesadelo (pesadelo que funciona comigo, que me parece verdadeiro são os de Lynch, de tons ligeiramente abafados). So me causou irritação por essas cores saturadas demais. Meio artificial, sei lá
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Certeza que existem estudos e mais estudos por ai sobre o que causam as cores em cada um =P
     
    • Gostei! Gostei! x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  19. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Neuroestética. :lol: Sério.

    Eu mesmo tenho um problema sério com o visual de filme digital - me irrita, parece que estão filmando com um celular. O problema é que muita gente anda filmando com digital, porque é mais barato. Vai variar mesmo de espectador pra espectador.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  20. Jacques Austerlitz

    Jacques Austerlitz (Rodrigo)

    Eu sempre achei o Lynch super saturado. A diferença é que atualmente o uso dos filtros de cor é muito mais óbvio. Mas o visual também sempre foi o meu elemento preferido nos filmes dele.

    PS: adoro
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .
     
    • Ótimo Ótimo x 2

Compartilhar