1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Como você se relaciona com os livros?

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Anigel, 27 Jan 2008.

?

Você costuma emprestar seus livros?

  1. Sim

    0 voto(s)
    0,0%
  2. Não

    0 voto(s)
    0,0%
  3. Depende

    0 voto(s)
    0,0%
  1. Anigel

    Anigel Eu atropelo duendes!

    Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Eu abri esse tópico lá na Valinor em 25/03/2003 e ele rendeu algumas posts interessantes, por isso estou trazendo ele para cá.

    Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    É engraçado, mais sou uma das pessoas mais bagunceiras e desorganizadas que conheço, menos com os meus livros. Esse é um assunto extremamente sério para mim. Eu admito sou meio neurótica e obsessiva com os livros, cuido com todo carinho. Às vezes costumo fazer anotações nas margens, ou sublinhar, mas esse hábito é mais comum nos livros da faculdade e em geral não escrevo nos meus outros livros.Uma vez por mês tiro pó e os arrumo, gostaria de fazer isso com mais freqüência, mas não tenho tempo. Alguns anos atrás fui fazer um retiro durante o fim-de-semana, quando voltei a faxineira tinha estado aqui em casa e ao arrumar meu quarto e tirar o pó das estantes ela resolveu reorganizar meus livros, os arrumou por ordem de cor e altura... Falei tanto, mais tanto nos ouvidos da minha mãe que agora a faxineira só entra no meu quarto se eu estou em casa.
    A minha neurose tem alguns inimigos, aliás, eu moro com o inimigo. Por uma ironia do destino, minha família que é extremamente organizada e metódica em tudo, trata com desleixo os livros. Criei uma teoria da conspiração na qual minha família estava competindo para ver quem conseguia me deixar mais nervosa maltratando meus livros.
    Minha avó ganhou apenas uma menção honrosa, ela estava lendo o meu exemplar do livro Ramsés – O Filho da Luz e usando a orelha do livro como marcador. Em favor da minha avó posso dizer que ela tem 76 anos e que quando reclamei, ela pegou um pedaço de papel e passou a usar como marcador.
    A medalha de bronze foi para o meu tio, que recentemente doou alguns livros meus que estavam emprestados com ele para uma casa de menores carentes. Só não ganhou a medalha de ouro por esse belo gesto porque fez essa doação afinal de contas foi para uma instituição filantrópica e porque também doou alguns livros dele.
    A medalha de prata foi para minha mãe que estava lendo meu exemplar do livro Lucrecia Bórgia (414 páginas) na praia, após dar um mergulho no mar pegava no livro com as mãos molhadas e esforço dos esforços, conseguiu dobrar o livro como se fosse uma revista.
    Finalmente, a medalha de ouro foi para meu irmão Arthur, pelo conjunto da obra. Já perdi as contas de quantos livros meus ele já perdeu direta ou indiretamente. Diretamente esquecendo livros meus que ele estava lendo em algum lugar como metro, faculdade ou Gibimania. Indiretamente emprestando meus livros para amigos que nunca devolvem.
    Alguns anos atrás li um artigo bastante interessante, com o qual me identifiquei, sobre o relacionamento das pessoas com seus livros. O artigo é da revista Diálogo Médico. Vou copiar um tracho em especial para vocês. Espero que gostem.


    PS: Não sei quem é o autor do referido artigo...

    _____________________________________________________________

    "Assim como, quando amamos alguém - pai ou filho, amigo ou namorada- gostamos não apenas do interior da pessoa, mas também de sua fisionomia, suas mãos, seu modo de caminhar, os grandes amantes da literatura prezam não só o conteúdo imaterial e abstrato que um volume impresso veicula. Quem gosta de ler tem um carinho especial pelo livro em si, pelo objeto feito de tinta, papel e barbante fino, sem o qual não existiria a comunicação entre escritor e leitor, através do espaço e do tempo.
    Diálogo penetrou na intimidade do relacionamento entre livros e seus apaixonados, ouvindo alguns daqueles que, obrigatoriamente, fazem parte dessa categoria - os escritores. Marina Colasanti, Otto Lara Resende, Carlos Eduardo Novaes e Cláudio Mello e Souza abordaram alguns aspectos de sua convivência com esses entes quase vivos que ocupam suas estantes, mesas de trabalho e importante parte em suas vidas.

    Apego Inevitável
    Já que o livro e a obra que ele contém se fundem no coração dos integrantes, cada vez mais raros, da tribo de amigos de livros, apego, ciúme e possessividade são sentimentos que, considerados negativos e causadores de problemas em outros relacionamentos, no que toca ao livro tornam-se inevitáveis e compreensíveis. A suposição, quase sempre confirmada, de que jamais lerá aquele livro de novo não consiste, para o leitor inveterado, em motivo palpável para dele se desfazer, pois aquilo que se estima jamais é descartável. Ainda que sem utilidade imediata, a aproximidade das páginas que guardam mundos inteiros representa a possibilidade de retorno a eles sempre que se desejar; a simples contemplação das lombadas proporciona prazer e sensação de companhia.
    Por tudo isso, não emprestar nem pedir livro emprestado é quase um código da confraria dos amantes das letras. Quem o transgride, jamais verá o empréstimo de volta (reza a convicção absoluta do grupo) e, no segundo caso, por certo ouvirá um “não”.
    Cláudio Mello e Souza e Marina Colasanti são não-emprestadores ortodoxos.
    - Não peço porque tenho medo de perder ou estragar por acidente e não empresto porque nunca devolvem. Tenho um exemplar de Dom Casmurro, de Machado de Assis, todo cheio de anotações preciosas, que está há seis anos com um amigo – reclama Cláudio. “Livro para mim é ferramenta de trabalho”, justifica Marina.
    Já Otto Lara Resende e Carlos Eduardo Novaes abrem concessões. Emprestam – ou melhor, dão, já que não esperam pelo prometido retorno – o que não for de estrita estimação. “Só faço questão de conservar o que preciso para consulta, mas não tenho nada tão precioso que mereça ficar sob sete chaves”, comenta Novaes.
    “Não sou ávro, nem colecionador e, se o livro não é raro nem especialmente querido, digo a quem pede emprestado: pode ficar. Se devolvem, me surpreendo’, diz Otto. É claro que exemplares dedicados e autografados, muitos por grandes escritores que já se foram, como Guimarães Rosa, Manuel Bandeira e Drummond, não saem de suas estantes – “assim como outros que são meus amigos e fazem parte do meu ambiente”, acrescenta.
    A distinção entre o que é ou não de estimação depende, segundo Otto, do desenrolar de sua relação com cada livro que lhe chega às mãos. Pois a transação entre leitor e leitura ocorre, garante ele, em mão dupla. “Não é só o leitor que escolhe o livro. Este também o procura. Tanto que, às vezes, tentamos ler um livro e ele parece nada nos dizer. Anos mais tarde, o redescobrimos e acontece o encontro”.
    Cláudio Mello e Souza também percebe essa reciprocidade. “O livro é um ente muito parecido com o homem. Ala, pensa, solicita, suscita dúvidas e nos deixa marcas, como deixamos nele”.
    Algumas vezes a substância física de um livro torna-se até mais importante do que a obra. Otto dá um exemplo.
    “- Acabei de comprar no sebo um exemplar encadernado com uma seleção da correspondência de Machado de Assis, da editora Jackson, de 1955. Tenho outra edição do mesmo texto e sei que aquela tem uma série de descuidos. Porém, o tipo de papel, a tinta, a encadernação e até o cheiro me agradam, me fazem reencontrar o jovem Otto Lara Resende que, há tantos anos, leu aquela coleção. Se esse exemplar se apegar a mim, ficará comigo. Ainda não sei como vai ser.”


    ______________________________________________________________

    De 2003 para cá eu fiquei meio neurótica com meus livros e tenho emprestado alguns livros. O meu exemplar do Belas Maldições provavelmente é o campeão de empréstimos.

    Quem merece uma menção honrosa no quesito devolver livros no mesmo estado em que pegou: Paulo, Ptah, Ana Cwen, Isildur, Bruce, Digos, Namus, Fernanda e Fingol.
     
  2. Bagrong

    Bagrong RaG

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Trato dos meus livros com o maior carinho. Não amasso, não marco com a orelha, não largo em qualquer canto e JAMAIS anoto coisa alguma neles. Ainda assim, esse zelo não virou paranóia a ponto de eu não deixaros outros pegarem meus livros.

    Na verdade, eu gosto de emprestar livros. Acho, aliás, que eles são feitos para isso. Penso que ter livros e ficar guardando em casa só pra mim é um crime muito egoísta, é como possuir o conhecimento e não dividir com os outros por birra.

    Além disso, é muito gostoso quando alguém lê uma indicação sua. Ou mesmo que não tenha sido indicação, é bacana discutir, confrontar opiniões, etc. Um livro emprestado sempre rende conversas interessantes.

    Geralmente eu empresto meus livros com recomendações para que cuidem bem deles, anoto qual livro emprestei para quem e cobro se passar muito tempo sem devolverem.

    Mesmo assim sempre vai estragando, né. O livro só não estraga se ficar na prateleira. É normal que mesmo os mais cuidadosos acabem dando uma amassadinha ou algo do tipo. E o própio livro vai se deteriorando pelo simples fato de ser mantido aberto para a leitura (principalmente na costura das páginas).

    Tem uns livros meus que já estão caindo aos pedaços, de tanto passarem de mão em mão, mas eu nã vejo isso como uma coisa ruim. Prova que ele foi lido e aproveitado por mais gente, que pôde ensinar seu conteúdo a muitas pessoas! É como uma cicatriz de guerra: um estrago em nome do bem maior.

    Ah, eu também tomo o maior cuidado quando empresto um livro. Mais do que quando o livro é meu, com certeza. Livro emprestado eu sempre guardo na prateleira quando paro de ler, viro a página devagarinho e não abro muito ele, pra não marcar. =P
     
  3. Artanis Léralondë

    Artanis Léralondë Ano de vestibular dA

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Anigel, meu deus do céu com a tua mãe >.<...igual quem está comendo algo gorduroso e ficava botando as mãos sujas no livro, odeio quem faz isso com os controles de video game também urgh..>___<'

    "inda que sem utilidade imediata, a aproximidade das páginas que guardam mundos inteiros representa a possibilidade de retorno a eles sempre que se desejar; a simples contemplação das lombadas proporciona prazer e sensação de companhia."

    Assino em baixo =]
    muito legal ^^


    Para eu emprestar, depende muito,tem pessoas que não devolvem!Tem que ficar enchendo o saco, para devolverem, o que é muito chato....então, para essas não empresto...
    não gosto de mostrar também meus livros, pois se não viro biblioteca xD

    Então, só para amigos mesmos :traça:

    Assino em baixo =D
     
  4. **Arwen**

    **Arwen** Usuário

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Eu sou MUITO chata com meus livros, e conto nos dedos o número de pessoas pra quem eu os emprestaria.
    Acho muito legal quem consegue socializar seus livros, já tentei fazer o mesmo, mas não consigo...

    Gosto de ter meus livros parecendo novos, embora algumas vezes tenham pequenas notas e alguns trechos sublinhados. Para minha alegria, acho que acabei incutindo na minha irmã minha 'neurose' por livros limpos e organizados. Sempre encapamos os livro em papel pardo enquanto os estamos lendo, nunca - mesmo - abrimos os livros até 180º pra não estragar a lombada, e só emprestamos quando temos certeza que a pessoa tratará o livro do mesmo jeito. Nada me enfurece mais do que emprestar um livro com a lombada intacta e recebê-lo de volta com ela dividida ao meio, parecendo quebrada. Mas eu juro que estou tentando ser menos intolerante em relação a livros meus manuseados por outras pessoas. Até porque minha mãe é A rainha quando se trata de abrir o livro 180º e fazer força pra ele ficar nessa posição. =/
     
  5. angeloalvarenga

    angeloalvarenga Seria eu um

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Meus livros vivem bem a vontade, eu gosto de usá-los mesmo, escrevo, rabisco, sublinho, mas nada que atrapalhe a leitura.
    Só os empresto para aqueles em que tenho extrema confiança, tenho meus motivos e vou relatá-los abaixo, como um desabafo.
    Meu maior acervo mesmo está em mídias eletrônicas, depois que comprei um Palm TX praticamente nem leio mais livros de papel, estou viciado em ler no Palm, muito gostoso e prático. Tenho um acervo considerável devido a esse fato.

    Meus traumas são os seguintes:

    Eu tinha um livro de RPG do Vampiro a Máscara, sempre o tratei com carinho; um dia um "colega" me pediu emprestado.
    Ficou com ele algumas semanas, quando o cara me devolveu...

    Nossa, eu entrei em estado de choque, eu não acreditava, um livro praticamente novo, e ele vem me entregar todo esfolado, o livro estava todo ferrado, parecia que tinha uns dez anos de uso intenso por algum animal selvagem.

    Olha eu quase parti pra violência, eu peguei o livro olhava pra cara dele, olhava pro livro, fiquei louco, queria bater no cara, se eu não tivesse um mínimo de auto controle, eu sei lá, deu vontade de fazer o cara comer o livro. Como não tinha nome eu tinha dúvida até se era mesmo o meu livro.
    Enfim, a amizade acabou ali, não era uma grande amizade, mas foi uma falta de consideração tão grande que não dava pra continuar.

    E como não aprendi da primeira, tive uma outra experiência dessas:

    Essa me doi na alma. Livro: SENHOR DOS ANÉIS. Edição do Colecionador. Tiragem limitada.

    Um vagabundo, salafrário, me pediu emprestado, como era amigo da minha namorada, pensei: Vou emprestar, nada demais.

    Resultado: O livro voltou praticamente sem a capa, pára tudo.
    Eu tinha amor naquele livro, era o SDA. Meu SDA. Sobrou até pra minha namorada.

    Enfim, aprendi a lição, tem alguns que eu não empresto mesmo. Com o Palm acabou o problema.

    Grande Abraço.
     
  6. Pips

    Pips Old School.

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Meus livros são xodós. Tenho poucos comparado com a coleção de muitos por aqui, mas mesmo assim acho uma grande coleção e não gosto de emprestar por alguns motivos:

    - As pessoas fazem orelhas nas páginas e eu abomino essa arte. Tanto quanto usar aqueles que vêem na capa do livro que acabam deixando os livros 'gordinhos'. Uso sempre marcador nem que eu mesmo tenha que fazer;
    - Todos meus livros tem anotações como: traduções (de livros estrangeiros que eu não sei a palavra, ou o sentido é empregado de outra maneira, etc), sublinhados os melhores trechos, etc. Sei que é meio chato, mas muitas vezes quando vejo livros em sebos, muitos deles tem anotações homéricas que até da para se perder;
    - Eu gosto das minhas capas. Meu maior trauma vem das capas e a culpa é da minha mãe. Ela pegou emprestado meu "O Vampiro Lestat" e devolveu sem a capa! SEM A CAPA! Eu sei que é o livro porque é meu (e tem aqueles morceguinhos simpáticos), mas é horrível ficar sem capa.

    No máximo eu empresto algum livro para a minha namorada, ela é tão fresca quanto eu e não ousaria fazer mal a eles.
     
  7. angeloalvarenga

    angeloalvarenga Seria eu um

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Ohhh Pips e bem o do Vampiro Lestat, eu entendo a sua dor! :)
    Abraço!
     
  8. nanabehle

    nanabehle Usuário

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Bem, eu gosto muito de emprestar meus livros. Aquele lance de compartilhar o que gosta ... Claro que já tive vários aborrecimentos por causa disso. semana passada vi minha edição de O Hobbit com a orelha sendo usada de marcador de página. Argh! Xinguei e dei um marcador pra pessoa. Meus livros do Caio F ... Esses sim, parecem já ter vivido séculos de tanto que emprestei. Fazer o quê? livro é pra ser lido e não pra ficar de enfeite na prateleira. hehe
     
  9. Ronzi

    Ronzi Oh, Crap!

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Uma das regras para ser meu amigo é jamais, nuna, em hipótese alguma me pedir um livro emprestado. Sou muito chato com isso e seleciono a dedo a quem empresto alguma coisa. Tenho um lance de posse com eles e admito.

    Com os livros que compro em sebos jamais apago as anotações, principalmente quando se trata de poesia. É superinteressante para mim, imaginar por que uma pessoa sublinhou um parágrafo ou anotou algo pessoal no livro. Na verdade, até dou preferência para edição se ela tiver uma anotaçãozinha de rodapé.
     
  10. Anigel

    Anigel Eu atropelo duendes!

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Nossa! Acho que ninguém está livre de acidentes. Uma vez eu peguei um livro emprestado com um amigo e o meu gato afiou as unhas na lombada... Saí e comprei um novo e pedi desculpas a ele por não ser o mesmo exemplar que ele tinha me emprestado. Por sorte (minha) era a mesma edição.

    No final de 2006 uma amiga levou o Elite da Tropa para o trabalho porque queria que eu lesse, fiquei sem graça de recusar e embora não quisesse ler botei o livro na bolsa e trouxe para casa com a intenção de devolver na semana seguinte. Naquele dia peguei a maior chuvarada e o livro ficou deformado. Resultado: mais um livro comprado para repor o estragado.


    O meu irmão emprestou o meu A Rainha dos Condenados para uma amigo dele. O canalha do cara teve a coragem de dizer na minha cara que não iria devolver o livro porque tinha gostado muito... Quase matei o infeliz. Como na época meu irmão tinha uns 15 anos minha mãe assumiu o prejuízo e comprou outro A Rainha dos Condenados para mim.

    Eu não sosseguei enquanto não acabei com a amizade do meu irmão com esse cara.
     
  11. angeloalvarenga

    angeloalvarenga Seria eu um

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Ai é que está a diferença, olha sua postura, você se preocupou, restituiu o livro. Se a pessoa chega cheia de culpa, e pede desculpa, sei lá, acidentes acontecem, nem precisava me dar outro livro, mas tratar como se nada tivesse acontecido isso sim irrita.
     
  12. Artanis Léralondë

    Artanis Léralondë Ano de vestibular dA

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    O cara quase tirou a capa do livro do SdN o_O'
    bah...sinceramente o guri tem que ser muito desleixado...:chibata:

    ai XD
    as mães estão com tudo hehehehe...


    Que folgado esse ex-amigo :lol: do teu irmão...
    como assim não vai devolver?
    :chibata:

    tem cada folgado viu...
     
  13. RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Eu não tenho muito trauma não. Tomo o máximo de cuidado quando alguém me empresta livros, porque eu sei que não são meus e que a maioria das pessoas sofre pra emprestar, então faço jus à confiança. Mas quando são os meus, que eu comprei... ish.

    Não é que eu estrague, mas a maioria dos livros que eu compro já vem de segunda, terceira, quarta mão. Eu gosto de livro velho mesmo. Aí vários deles vem com a capa caindo (meu Perfume, Contos da Era do Jazz e o Minas de Salomão, aliás, precisam ser recuperados em relação a isso), com comentários nas páginas dos antigos donos (eu acho super legal), meio esculachado mesmo. Eu não trato mal livro novo, mas gosto de livros com uma "história", mesmo que os coitados estejam mais acabadinhos
     
  14. Oropher

    Oropher Hmm... oi?

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Eu só empresto livro para quem eu conheço e confio. Pessoas que eu nunca falei mais do que um "oi" e vem me pedir livro eu arrumo uma desculpa do tipo "fulano pediu antes =/".

    Da última vez que uma pessoa semi-desconhecida pegou um dos meus livros, ele voltou (muito tempo depois) totalmente detonado, a capa quase caída, toda amassada e um pedaço das páginas estava sem a cola. Agora só empresto pra quem eu sei que vai cuidar bem do livro, assim como eu cuido do que não é meu.
     
  15. .Penny Lane.

    .Penny Lane. Usuário

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Eu cuido muito bem dos meus livros, empresto pra quem confio. Só tenho uma mania: me irrito profundamente quando pegam um livro meu e o abrem fazendo um ângulo de quase 180º... quando é novo, então... eu o leio quase fechado, odeio quando as páginas ficam pra cima XD
    O único livro que rabisquei foi um Harry Potter, porque a tradutora omitiu uma frase, então eu a escrevi, de caneta, e me arrependi depois. :rolleyes:
     
  16. srtaParker

    srtaParker Usuário

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    Estão no meu dna...
     
  17. Fernando Giacon

    Fernando Giacon [[[ ÚLTIMO CAPÍTULO ]]]

    RE: Livros: Como Você Se Relaciona Com Eles?

    HUhauhaha olha...a minha relação com eles é de amor mesmo, eu cuido muito bem, nada de rabiscos, nada de orelhas, eu não permito que toquem neles com mãos imundas HUhuahahah...tudo isso pra conserva-los direitinho, sem problemas!!! Cuido deles como se fossem meus filhos! =D

    Porém...com esse lance de emprestar aeee, uma vez emprestei pra uma amiga um livro que eu tinha maiot xodó, que era o "Viagem ao Centro da Terra" eu amo esse livro!!! Adivinha o que me aconteceu? A descuidada me arrancou a capa....eu fiquei PUTOOOOOOOOOOO:disgust:DESGRAÇADO DA MINHA CARA, entrei em estado de ódio...mas graças a deus eu não dei na cara dela Huuha...pq meuu, pegue meus livros, mais cuide como se fosse um tesouro...
     
  18. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Alessandro Martins do Blog
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    levanta uma interessante questão sobre a relação de cada pessoa com seus livros. Ele cita um trecho de um comentário no blog
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .

    Então deixo a pergunta.

    Como você se relaciona com os livros?
     
  19. Clara

    Clara O^O Usuário Premium

    Meu relacionamento com os livros é uma mistura de vício, passatempo e dever.
    Sou daquele tipo que quando lê ou ouve falar de um título ou autor, quer logo saber como é, ler, se possível comprar.
    E adoro saber de alguém que leu o mesmo livro que eu e que comenta (bem ou mal) dá sua opinião e coisas assim (é por isso que gosto tanto do Meia Palavra).
    Na faculdade procuro ler todas as indicações de livros que os professores dão sobre os mais diversos assuntos, estou sempre anotando títulos e autores, e sempre que um professor pede pra ler um determinado texto de algum livro, se possível, sempre prefiro ler o livro todo e não só a xerox de capítulos, a menos que seja um livro muito grande pois aí não dá nem tempo.
    E eu empresto meus livros, apenas tenho o cuidado de procurar saber se a pessoa cuida bem deles.
     
  20. imported_Ariane

    imported_Ariane Usuário

    Bem, eu queria responder, mas eu 100% a opinião da Clara.
     

Compartilhar