1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

"Coisas Bonitas em Pequenas Partes"

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por *Delirium*, 1 Ago 2009.

  1. *Delirium*

    *Delirium* Usuário

    A chuva, simples como seus olhos perdidos na paisagem dos hemisférios .Não te entendo_Outra hora, outro gesto descontinuo em linhas, semi-reta,semi-morta.Semi-aguda.Os seus sonhos embrulhados com alumínio aquecido.Era pra não transformar suas memórias em pesadelos.Estrelas em tom de emergência e a lucidez do espaço_O salto alto do meu sapato risca o seu rosto,o vinho seco que disfarça.A tua forma.O teu modelo,meu grito.Meu silencio.Falo da ponte que atravessa um rio pequeno...seus fluxos,sua calma.Sua briga sem os dias.Minhas datas suspensas.Como não comer sua cabeça?olho pro jarro de água de vidro transparente um liquido delicado escorre das minhas idéias, pula pro jarro, entupindo o objeto de desespero.quebro o pacto quando eu choro.Você não suporta a minha deselegância.Eu não suporto a sua cadência.O espinho que florescia no campo grande da tua infância,éramos distantes nessas margens suicidas do tempo.Sim, meu abraço confortável não lhe caberia.Viajamos por outras gravidades de cidades esquecidas.O medo que converge e os meus braços estancam sensações sinfônicas .Na seiva nua do mar intenso.Te atravesso pelas bordas.O céu grafite.A luz azul que umedece meu soneto.A muda cor que não muda o que eu vejo.É tudo tão mais simples, não há borrões , não há instabilidade.não há emoções sem repertórios.O que há, é o aqui agora de nós dois. A paisagem que conforta nossos medos primitivos, nossos erros que se adaptam em direções contrárias. Nosso amor que objetiva, por isso continua. as palavras que diluem o tempo.é tudo simples.é tudo pensamento.
     
  2. *Delirium*

    *Delirium* Usuário

    caramba, eu acho que postei isso, no lugar errado.
    Malz, pior q sou tão perdida que não consigo apagar o tópico.:pipoca:
     
  3. Anica

    Anica Usuário

    Não se preocupe, já coloquei no lugar certo, Sol ^^
     
  4. *Delirium*

    *Delirium* Usuário

    :lily: ôhh obrigada, dona Ana Paula!!!hehehe
     
  5. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Bacana.
    Não sei se foi a sua intenção, mas pra mim pareceu a letra de uma canção,
    Eu fiquei tentando "cantar" as palavras.
     

Compartilhar