1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Brasil vence batalha por controle da internet

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Shantideva, 17 Nov 2005.

  1. Shantideva

    Shantideva Adoro elfos ruivos!

    Controle da internet continua nos EUA, mas Brasil e UE conseguem aprovar fórum de discussão

    TÚNIS (Tunísia) - Os Estados Unidos chegaram a um acordo com os países que querem reduzir o controle dos americanos sobre a internet - entre eles o Brasil, a China, a Índia e os 25 membros da União Européia (UE). O texto ainda terá de ser aprovado pela Cúpula Mundial sobre a Sociedade de Informação, que começou nesta quarta-feira, na Tunísia. Mas ambos os lados já estão cantando vitória - e os dois têm razão.

    O debate sobre o tema deve continuar, mesmo depois do fim da cúpula de Túnis, que termina na sexta-feira.

    A julgar pelas declarações dos negociadores dos EUA, o acordo simplesmente ratifica a posição que eles vêm defendendo há quase três anos. A administração do Sistema de Nomes de Dominíos, fundamental para o trafico na internet, continuará a cargo da Icann (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) - uma empresa sem fins lucrativos, baseada na Califórnia, de caráter privado, mas vinculada ao Departamento de Comércio americano.

    O documento tambem prevê a criação de um fórum internacional, para debater cerca de 40 temas, todos relacionados à governança da internet. É verdade que o fórum - cuja primeira reunião será em 2006, na Grécia - não terá mandato para supervisionar a Icann, como reivindicavam alguns países. E que isso levou o chefe da delegação americana, embaixador David Gross, a concluir que "nao há nada de novo" no acordo. Mas europeus e brasileiros têm outra leitura.

    Num comunicado divulgado à imprensa, a UE assegurou que a criação do fórum acabará levando a "uma maior internacionalização da governança da internet".

    A definição dos chamados "mecanismos de coordenação entre os países", um complemento à criação do fórum, foi adiada. Sem ele, as decisões do fórum podem se tornar inócuas, já que, em grande parte dos casos, são os governos que vão garantir a efetivação das deliberações. Mesmo assim, o representante da Casa Civil da Presidência da República no evento, André Barbosa, qualificou a aprovação como "uma grande vitória".

    - Há dois anos, em Genebra, nem se cogitava tal coisa - disse.

    Na ocasião, em dezembro de 2003, foi realizada a primeira fase da cúpula.

    A proposta de criação do fórum, que vinha sendo defendida pelo Brasil, acabou emplacando após apoio decisivo da União Européia, segundo a avaliação de José Bicalho, que representa a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Países como a China e a Índia já haviam aderido à idéia, que sofria oposição dos Estados Unidos. Segundo o representante do Itamaraty José Marques, a orientação de que a convocação do fórum se dê pelo secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), aprovada no texto, era uma reivindicação do Brasil.

    - O fórum terá moldes bem parecidos com o que aplicamos no comitê brasileiro de gestão da internet, como a participação livre da sociedade civil - explicou Bicalho.

    No seu discurso, o chefe da delegação brasileira - o ministro da Cultura, Gilberto Gil - disse que o acordo serviu para "incorporar de maneira irreversível, na agenda internacional, o tema da governança na internet".

    - É uma ilusão achar que nada mudará. Já mudou. Até este acordo, nem se falava de governança na internet, e quem quisesse questionar alguma coisa nem tinha a quem recorrer, além do Departamento de Comércio dos EUA. Agora existe um fórum e o tema de quem controla a internet está colocado sobre a mesa - explicou Carlos Afonso, um dos membros do Comitê Gestor, que controla a internet no Brasil.

    Existem vários temas que fazem parte da "governança" da internet, que já tem quase 1 bilhão de usuários e cujo crescimento e êxito são atribuídos, justamente, à falta de controle por parte de governos e da burocracia internacional. Um deles é o cibercrime: como evitar que uma pessoa na China use a internet para esvaziar uma conta bancária no Brasil, se não há mecanismos de cooperação entre governos? Outro é a preservação do patrimônio cultural: por que um chinês, um russo ou um arábe têm dificuldades para navegar na internet se usarem apenas seu alfabeto?

    Mas o que mais se discutiu, nesta reunião, foi o papel da Icann para administrar um sistema que traduz nomes, como
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , em números (protocolos) IP - a linguagem que os computadores entendem e que utilizam para comunicarem-se uns com os outros. Criada em 1998, para organizar o tráfico na internet, a Icann também se encarrega dos protocolos, necessários para transmitir todo tipo de dado - desde imagens, a texto ou som.

    - O Sistema de Nomes de Domínios é o equivalente a um enorme catálogo telefônico da internet. Se não for atualizado fica difícil encontrar um número e ligar para a pessoa ou empresa que estamos procurando - explicou Rogério Santanna, secretário de Logística e Tecnologia da Informação.

    Mas segundo ele, ao contrário do que dizem os americanos, o trabalho da Icann não é apenas técnico. Muitas decisões - como a criação de um domínio genérico, como .travel - respondem a critérios financeiros. Para registrar um nome - como
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    é preciso pagar US$ 50 anuais.

    - O que estamos discutindo é o futuro da internet e do comércio eletrônico. Daqui a alguns anos, outras máquinas além do computador terão números IP. Podemos ter geladeiras inteligentes, que enviam mensagens ao celular de seu propietário, avisando que é preciso comprar leite. A distribuição desses números, que afetam várias industrias, não pode ser controlada por um único pais - argumentou Santana.

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Beriadar

    Beriadar And I will see it all before

    Muita gente diz exatamente isso. A internet deixará em breve de ser a bagunça que é .. e um passo importante seria justamente essa "distribuição" do controle de DNS e da governança da rede. Eliminar esse monopólio é importante ... mas é preciso tomar cuidado para não virar uma zona, onde muita coisa poderia ficar despadronizada (o que seria um desastre pra internet e para a tecnologia como um todo).
     
  3. Regente

    Regente Serenity Painted Death

    Se os EUA criaram a internet, nada mais justo do que eles terem o controle sobre ela.

    Isso é birra da gente e dos europeus.
     
  4. Beriadar

    Beriadar And I will see it all before

    Não é questão de ser justo. É questão de analisar o que a internet se tornou.
    E não é bem assim .. eles não criaram a internet. A rede começou a partir de órgãos militares e universidades americanas, sim. Depois é que as outras organizações, de diversos países, "plugaram" seus domínios, e a internet ganhou outros propósitos, focos e objetivos (comerciais, sexuais, informativos e de entretenimento). O que eu quero dizer é que, a internet que veio depois da Arpanet (eu acho q esse era um dos primeiros nomes) soou positivo para o mundo e para a própria rede; e manter o controle de DNS e de outros recursos da rede nas mãos unicamente dos americanos ñ tem mais nada a ver ...

    O propósito da internet hoje é diferente ao do momento de sua criação pelos americanos ... por isso, usar o fato de que eles "criaram" a internet não justifica; Todo o mundo, a cada dia, "recria" a internet, de algum modo.
     
    Última edição: 20 Nov 2005
  5. Regente

    Regente Serenity Painted Death

    E qual seria a solução? Entregar o seu controle a uma outra nação, como o Brasil?
    Com nossa histórica habilidade gerenciadora, em uma semana a internet cairia em colapso u.u

    Os EUA mantêm um bom trabalho, e em time que se ganha não se mexe, imho.

    Eu nunca ouvi falar de nenhum caso em que eles tenham abusado de seu poder sob a internet.
     
  6. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

    Entregar o controle para uma organização internacional. É essa a proposta.


    Algo como assumir o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    de um país inteiro para uma
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ?
     
  7. Beriadar

    Beriadar And I will see it all before

    Rapaz, vc pelo visto não conhece a boa fama brasileira de profissionais que lidam com tecnologia.

    Não é questão de "time que está ganhando". É questão de progresso para a sociedade.
     
  8. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Pela sua análise seria o mesmo que dizer "os ingleses criaram o futebol, nada mais justo do que eles terem o controle sobre ele"

    Então não é por aí. A internet de hoje ganhou proporções infinitamente maiores que da sua criação. Merece ser debatida mundialmente com toda justiça.
     

Compartilhar