1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Autobiografia de um soviete convertido

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Luciano R. M., 21 Jul 2009.

  1. Luciano R. M.

    Luciano R. M. vira-latas

    Em mil novecentos e
    setenta e dois eu tinha
    quatorze anos. Desde mil
    novecentos e cinqüenta e
    oito que eu sofria de uma
    grave doença cujo nome
    não sei pronunciar.
    Eu precisava ser operado
    mas médico algum sabia
    fazer isso. Exceto os que
    viviam na Sibéria. Minha mãe
    vendeu tudo que tínhamos e
    fomos para lá.
    Fui operado e minhas deformidades
    diminuíram consideravelmente. Mas
    éramos pobres e não
    tínhamos dinheiro para
    voltar.
    E assim nos tornamos cidadãos
    soviéticos. E como tal nos
    foram designados
    empregos.
    Mamãe foi a maior estrela do cinema
    porno da URSS. Sua obra prima
    da atuação com gemidos e
    bukake (o primeiro filme soviético
    a apresentar tal tipo de perversão,
    importada do japão por um ex-critor ucraniano)
    chamava-se Otkaznik Otkaznik.
    Eu, no entanto, tive dificuldades:
    primeiro fui bibliotecário
    mas como qualificava toda a literatura
    como poesia,
    decidiram que eu não servia
    para o trabalho.
    Fui então transferido
    para o aterro sanitário
    de Moscou.
    Até que um velho jornalista
    descobriu que apesar de deformado
    (mesmo depois da cirurgia minha
    cabeça ainda tinha um diâmetro seis
    a sete vezes maior do que a de uma pessoa normal)
    eu tinha talento.
    Tornei-me então
    escritor de obituários em
    forma de verso – todos sonetos
    alexandrinos, apenas
    com rimas ricas.
    Anos mais tarde, em dois mil
    e nove, fui considerado o maior
    gênio do romantismo soviético.
    Por sorte eu já havia morrido.
     
  2. Thorondir

    Thorondir Usuário

    Cara, perturbador!
     
  3. Luciano R. M.

    Luciano R. M. vira-latas

    Obrigado! (era o objetivo, não o único, mas um deles)
     

Compartilhar