1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Evento As 5 Melhores! (27ª semana) - Blind Guardian

Tópico em 'Música' iniciado por Lissa, 22 Jun 2012.

  1. Lissa

    Lissa Chocolatier Honoris Causa

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    BLIND GUARDIAN


    HISTÓRIA
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Com o nome de Lucifer's Heritage, formada em 1984 pelos mesmos integrantes da banda que viria a se chamar Blind Guardian (Hansi Kürsch como vocalista, André Olbrich e Marcus Dork como guitarristas e Thomen Stauch como baterista), foram lançadas duas demos: a primeira, intitulada Symphony of Doom, veio no ano de 1985; a segunda foi Battalions of Fear, de 1986.

    O nome Blind Guardian veio inspirado do álbum do Fates Warning, chamado Awaken the Guardian e junto com o nome veio um outro guitarrista, Marcus Siepen.


    O primeiro contrato de gravação foi assinado com a No Remorse Records, um selo pequeno e independente. A banda teve apenas duas semanas para lançar a versão oficial de Battalions of Fear em 1988, que tinha fortes influências de Iron Maiden e Helloween. Foram feitos oito shows para esta primeira turnê, todos ao lado da banda Grinder, que havia lançado o seu debut no mesmo ano. Os shows tinham em média 200 pessoas, e a partir daí o público só viria a aumentar.
    Dessa vez teriam uma semana a mais para a gravação e ainda contaram com a participação de Kai Hansen, que havia se interessado pelo trabalho da banda. O resultado foi Follow the Blind, mais pesado que seu antecessor, sob forte influência da banda de thrash metal Testament. O álbum inclui também um cover de "Barbara Ann", da banda norte-americana Beach Boys, e outro de "Don't Break The Circle" da banda inglesa Demon. Não foi feita turnê para este álbum pois André e Marcus estavam de Serviço Militar, contudo conseguiram fazer algumas apresentações em fins-de-semana. A média nesses shows era maior em relação ao álbum anterior.

    UM BARDO SURGE NOS ANOS 90
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Com o início da década de 1990, a banda entra novamente em estúdio com o produtor Kalle Trap (o mesmo dos álbuns anteriores). Kai Hansen participa mais uma vez do álbum, fazendo duetos com Hansi. A capa foi feita por Andreas Marschall, e todas as seguintes seriam feitas por ele. Então Tales from the Twilight World é lançado. Dessa vez foram feitas três semanas de turnê, na qual a banda tocou pela primeira vez fora de seu país, indo para Áustria e Hungria. O grupo foi acompanhado, dessa vez, pelo Iced Earth. Juntamente com Jon Schaffer — líder e fundador do Iced Earth — Kürsch viria a formar o Demons & Wizards.


    O selo No Remorse Records estava falindo e a distribuição dos CDs já era feita pela Virgin Records. O grupo decidiu, então, mudar de gravadora, assinando com a Virgin. Deu-se início às gravações do novo álbum, Somewhere Far Beyond. A participação de Kai Hansen novamente se fez presente neste CD. O resultado é um álbum divisor de águas para a banda. Está presente nesse álbum um dos maiores sucessos da banda: "The Bard's Song (In The Forest)". Foram pela primeira vez para fora do continente europeu, realizando dois shows em Tóquio. Foi decidido que ocorreria a gravação do primeiro álbum ao vivo, intitulado Tokyo Tales. Esse foi o último álbum com o produtor Kalle Trapp, que seria trocado por Flemming Rasmussen, pois já não oferecia um trabalho interessante à banda.


    Dois anos depois são lançados dois singles, "Bright Eyes" e "A Past and Future Secret", anunciando o próximo álbum da banda: Imaginations from the Other Side. A turnê envolveu todos os países europeus e muitos foram repetidos.
    Durante os anos seguintes foram feitos vários singles com covers e versões alternativas para as músicas dos álbuns anteriores. O ápice deu-se com o lançamento do The Forgotten Tales, que traz as covers antes feitas e versões variadas de outras músicas da banda.

    Em 1998 foi lançado o single "Mirror Mirror". Poucos meses depois o álbum Nightfall in Middle-Earth foi lançado, sendo inteiramente baseado no livro O Silmarillion do escritor inglês J. R. R. Tolkien. E nesta turnê a banda foi para a América, passando pelo Brasil. Participar de grandes festivais, como Wacken Open Air, Metal Gods, Metalfest, Bang You Head, tornou-se comum para a banda.

    NOS ANOS 2000, UMA BANDA REFORMADA
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Três anos depois surge o single que anteciparia o direcionamento musical tomado pela banda: "And Then There Was Silence". Um ano depois, em 2002, o álbum foi lançado, com o nome de A Night at the Opera. Dessa vez o tema da maioria das músicas seria a Guerra no Oriente Médio e a Guerra de Tróia. Nesta turnê foram conseguidos resultados satisfatórios nos Estados Unidos e no Reino Unido, lugares onde bandas de metal alemão geralmente não fazem sucesso.


    Um single foi lançado para a música "The Bard's Song (In the Forest)", que ganhou uma nova versão; o single ainda contem três registros ao vivo da mesma e um clip de estúdio.


    No mesmo ano da turnê é lançado um novo álbum ao vivo, intitulado Live, dessa vez duplo, e com gravações do mundo todo. Neste mesmo ano ocorreu um festival idealizado pela banda (Blind Guardian Open Air), e tal evento foi escolhido como palco para a gravação de um DVD duplo (o primeiro da banda), que foi intitulado Imaginations Through the Looking Glass, lançado na metade de 2004.


    O ano de 2005 começou com novidades, pois Hansi anunciou no website oficial da banda que naquele ano seria lançado um novo álbum de estúdio (A Twist in the Myth) e também um álbum de músicas orquestradas, um projeto com André. No mês de julho foi anunciada a saída do baterista Thomen Stauch devido a desavenças com relação ao novo som que a banda estava criando e para levar o seu próprio projeto. O substituto de Thomen foi Frederik Ehmke.


    Com o lançamento do álbum A Twist in the Myth, pode-se ver a banda com um estilo diferente, deixando um pouco de lado algumas influências do início de sua carreira.


    O trabalho mais recente saiu no dia 30 de Julho de 2010, com a banda lançando oficialmente seu novo álbum, At the Edge of Time. Com o seu primeiro single (A Voice in The Dark), e fazendo parte do game "Sacred II: Fallen Angel" com a música Sacred Worlds.


    Membros atuais
    Hansi Kürsch - vocal (1984-atualmente), baixo (1985-1995)
    André Olbrich - guitarra (1984-atualmente)
    Marcus Siepen - guitarra (1987-atualmente)
    Frederik Ehmke - bateria (2005-atualmente)


    Membros anteriores
    Marcus Dork - guitarra (1984-1986)
    Hans-Peter Frey - bateria (1985-1987)
    Christoph Theissen - guitarra (1986-1987)
    Thomas "Thomen" Stauch - bateria (1985-1986,1987-2005)

    Músicos convidados
    Oliver Holzwarth - baixo (1997-atualmente)
    Michael Schüren - teclados e piano (1998-atualmente)
    DISCOGRAFIA

    Álbuns de estúdio
    -Battalions of Fear (1988)
    -Follow the Blind (1989)
    -Tales from the Twilight World (1990)
    -Somewhere Far Beyond (1992)
    -Imaginations from the Other Side (1995)
    -Nightfall in Middle-Earth (1998)
    -A Night at the Opera (2002)
    -A Twist in the Myth (2006)
    -At the Edge of Time (2010)

    Singles
    -"A Past and Future Secret" (1995)
    -"Bright Eyes" (1995)
    -"Mr. Sandman" (1996)
    -"Mirror Mirror" (1998)
    -"And Then There Was Silence" (2001)
    -"The Bard's Song (In the Forest)" (2003)
    -"Fly" (2006)
    -"Another Stranger Me" (2007)
    -"A Voice In The Dark" (2010)

    Coletâneas

    -The Forgotten Tales (1996)
    -Memories of a Time To Come (2012)

    Álbuns ao vivo

    -Woodland Rock (Live at Frankfurt) (1992)
    -Tokyo Tales (1993)
    -Live (2003)


    VIDEOGRAFIA


    Videoclipes
    -"Another Stranger Me"
    -"Bright Eyes"
    -"The Bard's Song (In The Forest)"
    -"Mirror Mirror"
    -"Mr. Sandman"
    -"A Voice in the Dark"
    -"Sacred Worlds"


    DVDs
    -Imaginations Through the Looking Glass (2004)

    Fontes

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ______________________________________________________________________________
    TORTURA escolher cinco. O critério foi o de terem sido mais escutadas, segundo o meu itunes.
    Minha lista >

    1)Noldor (Dead Winter Reigns) - Nightfall in Middle Earth (1998)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Eu adoro demais essa música, porque ela traduz muito bem a situação da maldição dos noldor, traduz a época, traduz TUDO. Blind Guardian + Tolkien = Lissa em :grinlove:
    ''Cause I know where the stars glow
    Skies unclouded, sweet the water runs, my friend
    Noldor, blood's on your hands
    Tears unnumbered, you will shet and dwell in pain''
    Os dois primeiros versos do refrão mostram a vida dos noldor em Valinor, seguidos do fratricídio e do exílio que resultaram na maldição que os perseguiu sem falhar.

    2)Nightfall - Nightfall in Middle Earth (1998)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Quando eu baixei, ODIEI essa música. Mas nunca excluí. Um belo dia entediado, resolvi colocar uma lista aleatória pra tocar. Eis que to lá jogando paciência e do nada, meu cérebro capta que a música que tá tocando é legal, muito legal. O nome: Nightfall - Blind Guardian. Hoje contabiliza 157 vezes que eu escuto, segundo o itunes.

    3)Skalds and Shadows - A Twist in the Myth (2006)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ''você acredita que há algum sentido nisso?
    É verdade ou mito?
    São um só nas minhas rimas''

    É ou não é o que um bardo faz? :grinlove:

    4)War of the Thrones - At The Edge of Time (2010)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ''Tudo que eu sempre senti é
    Tudo que eu sempre vi é
    Ascensão e queda
    Quando a guerra dos tronos começa''

    Vida real, oi

    5)Curse my Name - At the Edge of Time (2010)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A pegada folk dessa música é demais, viciante. 121 vezes eu escutei, segundo o itunes.
     
    Última edição: 22 Jun 2012
    • Ótimo Ótimo x 3
    • Gostei! Gostei! x 2
  2. rochvellon

    rochvellon Usuário

    Eh, com certeza é dureza escolher as cinco melhores, mas vamos lá:

    1-The Bard's Song(In The Forest) - Simplismente por adorar a letra e a melodia dessa música.
    2-The Curse of Fëanor - Para mim a música que melhor segue a risca o tema, não só pela letra mas também a melodia. E o Hansi canta com tanta ira e orgulho que parece ser o próprio Fëanor cantando.
    3-Thorn - Gosto dessa música principalmente porque ela fala de um dos personagens que eu mais gosto no Silmarillion apesar de sua traição contra os Noldor.
    4-Skalds and Shadows - Também pela letra e melodia semelhante a The Bard's Song.
    5-Black Chamber( tanto vesão do original quanto a versão orquestral) - Teve um tempo em que essa música não parava de tocar no meu PC e na minha cabeça.
     
  3. abylos

    abylos Usuário Usuário Premium

    Poxa, só 5?

    1-Nightfall - a primeira vez que puvi essa muisica foi ao vivo no show deles que fui em são peulo. Mas não fazia ideia de que tinha a ver com o silmarillion. Eis que peço os albuns que não tinha ainda emprestados pra um amigo meu e vejo la a nota de que o disco foi baseado no silmarillion. Quando ouvi essa musica de novo, percebendo do que ela falava, fiquei todo arrepiado geralmente ainda fico quando ouço. E vejo Yavanna ajoelhando proxima as arvores e tentando revive-las...

    2-into the storm - fala da fuga de morgoth e ungoliant e da decisão dos noldor de persegui-lo.

    3-and then, there was silence - Nunca vi ninguem mudar tanto o ritmo e fazer uma musica tão longa em que tudo fizesse sentido por si só, sem aquela impressão de "ah, agora ele quis colocar um solo" *-*

    4-the script for my requiem "...if i was screeming, to late i realized i've been another fool. I'll pay the price."

    5-imaginations from the other side - "do you know if Merlin did exist
    or Frodo wore the ring
    did Corum kill the gods
    or where's the wonderland
    which young Alice had seen
    or was it just a dream
    I knew the answers
    now they're lost for me"
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Ivo Basay®

    Ivo Basay® Banned

    The Bard song, Another Holy War, Lord of Rings, Bright Eyes ( acoustic ) e The Mordred's Song
     
  5. Hamfast

    Hamfast Melodia e distorção

    01. Majesty (Battalions of Fear, 1988)

    Motivo: Música épica ao vivo

    02. Valhalla (Follow the Blind, 1989)

    Motivo: Música épica ao vivo

    03. The Bard's Song (In the Forest) (Somewhere Far Beyond, 1992)

    Motivo: Música épica ao vivo

    04. La Cosecha del Dolor (A Night at the Ópera - Agertinian Bonus Track, 2002)

    Motivo: Lado B da versão argentina do álbum, quem diria que isso poderia ficar bom?

    05. Imaginations From the Other Side (Imaginations From the Other Side, 1995)

    Motivo: Épica ao vivo e no estúdio.
     
  6. Turgon

    Turgon 孫 悟空

    Não sei bem se estão na ordem, pois isso pode muito bem variar com o tempo, mas vou tentar encaixar 5 músicas, assim como o tópico sugere.

     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013

Compartilhar