1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Autor da Semana Walt Whitman

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Clara, 21 Mai 2013.

  1. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Walter "Walt" Whitman (Huntington, 31 de maio de 1819 – Camden, 26 de março de 1892) foi um poeta, ensaísta e jornalista norte-americano, considerado por muitos como o "pai do verso livre". Paulo Leminski o considerava o grande poeta da Revolução americana, como Maiakovsky seria o grande poeta da Revolução russa.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)




    BIOGRAFIA

    Walt Whitman, descendente de ingleses e holandeses, nasceu em West Hills, na cidade de Huntington, no estado de Nova Iorque. Quando tinha quatro anos de idade, sua família mudou-se para Brooklyn, onde este frequentou até aos onze anos uma escola oficial, trabalhando depois como aprendiz numa tipografia.
    Em 1835 trabalhou como impressor em Nova York no verão do ano seguinte começou a ensinar em East Norwich, Long Island. Entre 1836-1838 deu aulas e de 1838 a 1839 editou o semanário Long Islander, em Huntington. Voltou ao ensino depois de participar como jornalista na campanha presidencial de Van Buren (1840-41).

    Em Maio de 1841 regressou a Nova York, onde trabalhou novamente como impressor.
    Entre 1842-1844 editou um jornal diário, Aurora, e o Evening Tatler. Regressou a Nova York em 1845, e durante um ano escreveu para o Long Island Star, tornando-se em seguida editor do Daily Eagle de Brooklyn, lugar que ocupou de 1846 a 1848.
    Em Fevereiro desse ano partiu com o irmão Jeff para Nova Orleans, onde trabalhou no Crescent. Deixou Nova Orleans em maio do mesmo ano, regressando a Nova York.

    Editou o Freeman, do Brooklyn entre 1848-1849 e no ano seguinte montou uma tipografia e uma papelaria.
    No início de julho de 1855 publicou a primeira edição de Leaves of Grass, impressa na Rome Brothers com os custos de impressão arcados pelo próprio Whitman. Os versos deste livro eram livres, longos e brancos, imitando os ritmos da fala.

    A primeira edição da obra mais importante da sua carreira, não mencionava o nome do autor, e continha apenas 12 poemas e um prefácio.
    A obra poética de Whitman centra-se na coletânea Leaves of Grass, dado que ao longo de sua vida o escritor se dedicou a rever e completar aquele livro, que teve oito edições durante a vida do poeta.

    No verão seguinte foi publicada a segunda edição de Leaves of Grass (1856), ostentando na capa o nome do seu autor. O livro foi recebido com entusiasmo por alguns críticos, mas mal recebido pela maioria, o que, contudo, não impediu Whitman de continuar a trabalhar em novos poemas para aquela coletânea.

    A segunda edição de Leaves of Grass era composta por 32 poemas, intitulados e numerados. Entre eles encontrava-se Poem of Walt Whitman, an American, o poema que haveria de se chamar Song of Myself (Canto de Mim Mesmo).

    Entre a Primavera de 1857 e o Verão de 1859 Whitman editou o Times do Brooklyn, sendo publicada em 1860, em Boston, a terceira edição da sua obra. Contudo, a editora foi à falência em 1861 e a edição, que continha 154 poemas, foi pirateada.

    Entre 1863-1864 trabalhou para o Exército em Washington, DC, servindo entretanto como voluntário em hospitais militares. Regressou a Nova York doente e com marcas de envelhecimento prematuro causadas pela experiência da guerra civil.

    Trabalhou posteriormente como funcionário do Departamento do Interior (1865) e publicou em maio desse ano o livro Drum-Taps, que continha 53 poemas sobre a guerra civil e a experiência do autor nos hospitais militares. No mesmo ano foi despedido pelo Secretário James Harlan, por este ter considerado Leaves of Grass indecente.

    Em 1867 foi publicada a quarta edição de Leaves of Grass, com 8 novos poemas. No ano seguinte saiu em Londres uma seleção de poemas de Michael Rossetti, intitulada Poems by Walt Whitman.

    A quinta edição de Leaves of Grass (1870-1871) teve uma segunda tiragem que incluía Passage to India e mais 71 poemas, alguns dos quais inéditos.

    Depois de publicar Democratic Vistas, Whitman viajou para Hannover, New Hampshire. Corria o ano de 1872. Na Faculdade de Dartmouth leu As a Song Bird on Pinions Free, posteriormente publicado com um prefácio. Em janeiro de 1873, Whitman sofreu uma paralisia parcial e, após o falecimento de sua mãe, o escritor deixou Washington para se fixar em Camden, New Jersey com o irmão George.

    Em 1876 surgiu a sexta edição de Leaves of Grass, publicada em dois volumes. Em agosto de 1880, Whitman reviu as provas da sétima edição de "Leaves of Grass, que sob ameaças do Promotor Público teve de suspender a distribuição do livro.

    A edição só foi retomada dois anos mais tarde por Rees Welsh e depois por David McKay. Incluía 20 poemas inéditos e os títulos definitivos e uma ordem dos poemas revista. Em 1882 foi ainda publicado o livro Specimen Days and Collect.

    Os últimos anos de vida de Whitman foram marcados pela pobreza, atenuada apenas pela ajuda de amigos e admiradores americanos e europeus.

    Em 1884, Whitman adquiriu uma casa em Camden, New Jersey. Quatro anos depois, sofreu um novo ataque de paralisia e viu publicados 62 novos poemas sob o título November Boughs (1888). Ainda nesse ano foi publicado Complete Poems and Prose of Walt Whitman.

    A oitava edição de Leaves of Grass apareceu em 1889, e no ano seguinte o escritor começou a preparar a sua nona edição, publicada em 1892.

    Whitman morreu no dia 26 de Março de 1892 e foi sepultado em Camden, New Jersey.

    Cinco anos depois foi publicada em Boston a décima edição de Leaves of Grass (1897), a que se juntaram os poemas póstumos Old Age Echoes"

    Nos seus poemas, Walt Whitman elevou a condição do homem moderno, celebrando a natureza humana e a vida em geral em termos pouco convencionais. Na sua obra Leaves of Grass, Whitman exprime em poemas visionários um certo panteísmo e um ideal de unidade cósmica que o Eu representa.

    Profundamente identificado com os ideais democráticos da nação americana, Whitman não deixou de celebrar o futuro da América.

    Introduziu uma nova subjetividade na concepção poética e fez da sua poesia um hino à vida. A técnica inovadora dos seus poemas, nos quais a idéia de totalidade se traduziu no verso livre, influenciou não apenas a literatura americana posterior, mas todo o lirismo moderno, incluindo o poeta e ensaísta português Fernando Pessoa.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)





    BIBLIOGRAFIA



    Poesia

    Leaves of Grass (1855)
    Leaves of Grass (1856)
    Leaves of Grass (1860)
    Drum Taps (1865)
    Sequel to Drum Taps (1865)
    Leaves of Grass (1867)
    Leaves of Grass (1870)
    Passage to India (1870)
    Leaves of Grass (1876)
    Leaves of Grass (1881)
    Good-Bye, My Fancy (1891)
    Leaves of Grass (1891)


    Prosa


    Franklin Evans; or, The Inebriate (1842)
    Democratic Vistas (1871)
    Memoranda During the War (1875)
    Specimen Days and Collect (1881)
    November Boughs (1888)
    Complete Prose Works (1892)























    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Ótimo Ótimo x 6
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Mavericco

    Mavericco I am fire and air. Usuário Premium

    Ó, antes que a Liv venha caluniar minha reputação como leitor de poesia, Whitman é espetacular. Tudo bem que nunca sacramentei e li o livro todo, mas já li muitos poemas dele esparsos e ainda nutro uma vontade de ler as versões do Geir Campos (gosto do Geir). Essa edição dele tem um prefácio do Leminski que deve ser maravilhoso.

    De todo modo, acho que, pra citar uma página com poesia do Whitman, tem
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , do escamandro.

    Para citar alguns poemas pequenininhos, que foram o norte da poesia do Whitman. Mais ou menos assim: a obra capital dele, o Leaves of Grass, como disse o texto que a Clara postou, teve muitas edições em vida, mas as principais são a primeira edição e a do leito de morte. Ambas possuem traduções no Brasil (editora Iluminuras e Hedra, respectivamente).

    Existem diferenças estruturais e históricas entre ambas, onde posso citar que a primeira edição é absurdamente revolucionária. Verso livre gigantesco, literalmente bíblico, uso de reticências, a técnica da construção em relva dos poemas (isto é, a poesia passa a abarcar tudo, do lixo ao luxo), poemas imensos que falam de um Eu que na verdade somos todos Nós. (entenda-se: o primeiro poema do livro, o Canção a Mim Mesmo, que tem umas 50 páginas).

    Já a do leito de morte é bem subdividida em vários poemas menores, como se o Whitman fosse fatiando seus poemas caudalosos etc e tal. Então, ao longo de sua vida o Whitman foi meio que caminhando pro poema menor, o poema de proporções mais modestas, o que não fez com que ele deixasse de ser moderno (basta olhar pro nosso Modernismo: quantos poemas gigantescos a geração de 22 produziu?).

    De todo modo, outro site bem legal de se citar é o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    . É um dos sites mais completos da internet sobre qualquer assunto. É daquele tipo de coisa que faz a internet valer a pena, sabem?
     
    Última edição: 23 Mai 2013
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Valeu por essa informação, Mavericco.

    (No post original eu não informei as edições brasileiras, preciso colocar essas informações. :oops: )
     
  4. Mavericco

    Mavericco I am fire and air. Usuário Premium

    A Denise Bottman
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    das traduções de Whitman publicadas no Brasil.

    E, remexendo no arquivo de sites que tenho aqui, lembrei-me de outros links legais sobre o Whitman:


    E ah, sim, no Walt Whitman Archive
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ... :hihihi:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  5. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    "I sound my barbaric yawp over the roofs of the world"

    Biografia

    Segundo filho de Walter Whitman Sr. e Louisa Van Velsor, Walter Whitman Jr. nasceu em 31 de maio de 1819, no vilarejo de West Hills, em Long Island (estado de Nova York). A família o chamava de Walt, para diferenciá-lo do pai. Quando tinha quatro anos sua família mudou-se para o Brooklyn, onde este frequentou até aos onze anos uma escola oficial, trabalhando depois como aprendiz numa tipografia.

    Em 1835 trabalhou como impressor em Nova Iorque e no Verão do ano seguinte começou a ensinar em East Norwich, Long Island. Entre 1836-1838 lecionou e de 1838 a 1839 editou o semanário Long Islander, em Huntington. Voltou ao ensino depois de participar como jornalista na campanha presidencial de Van Buren (1840-41). Em Maio de 1841 regressou a New York, onde trabalhou novamente como impressor.

    Entre 1842-1844 editou um jornal diário, Aurora, e o Evening Tatler. Regressou a Brooklyn em 1845, e durante um ano escreveu para o Long Island Star, tornando-se de seguida editor do Daily Eagle de Brooklyn, lugar que ocupou de 1846 a 1848. Em Fevereiro desse ano partiu com o irmão Jeff para Nova Orleans, onde trabalhou no Crescent. Deixou Nova Orleans em Maio do mesmo ano, regressando ao Brooklyn através do Mississippi e dos Grandes Lagos.
    Editou o Freeman de Brooklyn entre 1848-1849 e no ano seguinte montou uma tipografia e uma papelaria.

    No início de Julho de 1855 publicou a primeira edição de "Leaves of Grass", impressa na Rome Brothers de Brooklyn e cujos custos Whitman suportou. Os versos deste livro eram livres, longos e brancos, imitando os ritmos da fala. A primeira edição desta obra, a mais importante da sua carreira, não mencionava o nome do autor, e continha apenas 12 poemas e um prefácio. A obra poética de Whitman centra-se na coletânea "Leaves of Grass", dado que ao longo da sua vida o escritor se dedicou a rever e completar este livro, que teve oito edições enquanto ele era vivo.

    No verão de 1856 foi publicada a segunda edição de "Leaves of Grass", ostentando na capa o nome do seu autor. Esta edição era composta por 32 poemas, intitulados e numerados. Entre eles encontrava-se Poem of Walt Whitman, an American, o poema que haveria de se chamar "Song of Myself" (Canto de Mim Mesmo). O livro foi recebido com entusiasmo por alguns críticos, mas mal recebido pela maioria, o que, contudo, não impediu Whitman de continuar a trabalhar em novos poemas para aquela coletânea.

    Entre a Primavera de 1857 e o Verão de 1859 Whitman editou o Times, de Brooklyn, sendo publicada em 1860, em Boston, a terceira edição da sua obra. Contudo, a editora foi à falência em 1861 e a edição, que continha 154 poemas, foi pirateada.

    Whitman tinha quase 42 anos quando rebentou a guerra civil americana (1860-65). Estava então no Brooklyn, na companhia da mãe, e colaborava num semanário, o Standard. O irmão mais novo, George, tinha-se alistado como voluntário. Em Dezembro de 1862, tinha recebido a notícia do ferimento do irmão, durante a primeira batalha de Fredericksburg (Virgínia). Partiu imediatamente para Washington, fez uma busca exaustiva nos hospitais de campanha, instalados em igrejas e mansões, mas tudo em vão. O périplo deu-lhe uma imagem inescapável do conflito. Vai então para o front e encontra George, cujo ferimento não era grave. Mas, pela primeira vez na vida, viu a morte de muito perto. O relato dessa experiência foi mais tarde publicado em Memoranda During the War (1875-76).

    Entre 1863-1864 trabalhou para o Exército em Washington, DC, servindo, entretanto, como voluntário em hospitais militares. Regressou a Brooklyn doente e com marcas de envelhecimento prematuro, causadas pela experiência da guerra civil e por haver contraído malária durante a campanha.

    Whitman era um unionista convicto, e o assassinato de Lincoln provocou nele uma angústia desmedida. Escreve, sob o efeito da tragédia, “When Lilacs Last in the Dooryard Bloom'd”, uma elegia que é considerada um dos textos mais tocantes da literatura americana de todos os tempos. Em 1º de Abril de 1865 terminava a guerra civil com a vitória dos unionistas. Apenas um ano antes, Abraham Lincoln fora reeleito, tornando-se o líder político máximo das duas forças em guerra. Apenas alguns dias após a rendição dos confederados, Lincoln era baleado na cabeça enquanto assistia uma peça no Teatro Ford, na capital norte-americana. Seu assassino era um dos mais famosos atores teatrais de seu tempo, um sulista adepto da causa dos Confederados.

    O assassinato do recém-vitorioso presidente da União colocou em estado de choque todos aqueles que haviam de dedicado bravamente pela vitória dos unionistas. E foi Walt Whitman o homem que conseguiu transformar em versos aquela comoção nacional, com seu célebre poema, Oh Captain, my Captain! (Ó capitão! Meu capitão!). Este foi o mais famoso e um dos mais belos poemas de um ciclo de poesias também incorporados a “Folhas de Relva”, dedicados a Lincoln e intitulados Recordações do Presidente Lincoln.

    O CAPTAIN! my Captain! our fearful trip is done;
    The ship has weather'd every rack, the prize we sought is won;
    The port is near, the bells I hear, the people all exulting,
    While follow eyes the steady keel, the vessel grim and daring:
    But O heart! heart! heart!
    O the bleeding drops of red,
    Where on the deck my Captain lies,
    Fallen cold and dead.

    O Captain! my Captain! rise up and hear the bells;
    Rise up--for you the flag is flung--for you the bugle trills;
    For you bouquets and ribbon'd wreaths--for you the shores a-crowding;
    For you they call, the swaying mass, their eager faces turning;
    Here Captain! dear father!
    This arm beneath your head;
    It is some dream that on the deck,
    You've fallen cold and dead.

    My Captain does not answer, his lips are pale and still;
    My father does not feel my arm, he has no pulse nor will;
    The ship is anchor'd safe and sound, its voyage closed and done;
    From fearful trip, the victor ship, comes in with object won;
    Exult, O shores, and ring, O bells!
    But I, with mournful tread,
    Walk the deck my Captain lies,
    Fallen cold and dead.

    Tradução:
    Oh capitão! Meu capitão! nossa viagem
    medonha terminou;
    O barco venceu todas as tormentas,
    o prêmio que perseguimos foi ganho;
    O porto está próximo, ouço
    os sinos, o povo todo exulta,
    Enquanto seguem com o olhar a quilha firme,
    o barco raivoso e audaz:

    Mas oh coração! coração! coração!
    Oh gotas sangrentas de vermelho,
    No tombadilho onde jaz meu capitão,
    Caído, frio, morto.

    Oh capitão! Meu capitão! erga-se
    e ouça os sinos;
    Levante-se – por você a bandeira dança – por
    você tocam os clarins;
    Por você buquês e fitas em grinaldas -
    por você a multidão na praia;
    Por você eles clamam, a reverente multidão
    de faces ansiosas:

    Aqui capitão! pai querido!
    Este braço sob sua cabeça;
    É algum sonho que no tombadilho
    Você esteja caído, frio e morto.

    Meu capitão não responde, seus lábios
    estão pálidos e silenciosos
    Meu pai não sente meu braço, ele não
    tem pulsação ou vontade;
    O barco está ancorado com segurança
    e inteiro, sua viagem finda, acabada;
    De uma horrível travessia o vitorioso barco
    retorna com o almejado prêmio:

    Exulta, oh praia, e toquem, oh sinos!
    Mas eu com passos desolados,
    Ando pelo tombadilho onde jaz meu capitão,
    caído, frio e morto.

    Trabalhou posteriormente como funcionário do Departamento do Interior (1865) e publicou em Maio desse ano o livro "Drum-Taps" (Repiques de Tambor, que continha 53 poemas acerca da guerra civil e da experiência do autor nos hospitais militares. No mesmo ano foi despedido pelo Secretário James Harlan, por este ter considerado "Leaves of Grass" indecente.

    Em 1867 foi publicada a quarta edição de "Leaves of Grass", com oito novos poemas. No ano seguinte saiu em Londres uma seleção de poemas de Michael Rossetti, intitulada "Poems by Walt Whitman".
    A quinta edição de "Leaves of Grass" (1870-1871) teve uma segunda tiragem que incluía "Passage to India" e mais 71 poemas, alguns dos quais inéditos.
    Depois de publicar "Democratic Vistas", Whitman viajou para Hannover, New Hampshire.. Na Faculdade de Dartmouth leu "As a Song Bird on Pinions Free", posteriormente publicado com um prefácio. Em 1873, Whitman sofreu uma paralisia parcial. Pouco depois morreu a mãe e o escritor deixou Washington para se fixar em Camden, New Jersey, com o irmão George.

    Em 1876 surgiu a sexta edição de "Leaves of Grass", publicada em dois volumes. Em Agosto de 1880, Whitman reviu as provas da sétima edição de "Leaves of Grass", mas sob ameaças do Promotor Público teve de suspender a distribuição do livro. A edição só foi retomada dois anos mais tarde por Rees Welsh e depois por David McKay. Incluía 20 poemas inéditos, os títulos definitivos e uma ordem dos poemas revista. Em 1882 foi ainda publicado o livro "Specimen Days and Collect".

    Os últimos anos de vida de Whitman foram marcados pela pobreza, atenuada apenas pela ajuda de amigos e admiradores americanos e europeus.

    Em 1884, Whitman adquiriu uma casa em Camden, New Jersey. Quatro anos depois, sofreu um novo ataque de paralisia e viu publicados 62 novos poemas sob o título "November Boughs" (1888). Ainda nesse ano foi publicado "Complete Poems and Prose of Walt Whitman".

    A oitava edição de "Leaves of Grass" apareceu em 1889, e no ano seguinte o escritor começou a preparar a sua nona edição, publicada em 1892. Cinco anos depois foi publicada em Boston a décima edição de Leaves of Grass (1897), a que se juntaram os poemas póstumos "Old Age Echoes".

    Whitman morreu no dia 26 de Março de 1892 e foi sepultado em Camden, New Jersey.

    Características da Poesia de Whitman

    Muitas coisas chamam a atenção na obra de Walt Whitman, o grande poeta nacional dos EUA. Whitman era um eterno otimista, exaltando o progresso, a democracia e a transcendência infinita do gênero humano. Nos seus poemas, Walt Whitman elevou a condição do homem moderno, celebrando a natureza humana e a vida em geral em termos pouco convencionais. Na grande obra de sua vida "Leaves of Grass", Whitman exprime em poemas visionários certo panteísmo e um ideal de unidade cósmica que o Eu representa:


    THERE was a child went forth every day;
    And the first object he look’d upon, that object he became;
    And that object became part of him for the day, or a certain part of the day, or for many years, or stretching cycles of years
    .”

    Havia um menino que saía todo dia;
    e o primeiro objeto que via nesse objeto se transformava;
    e esse objeto se tornava parte dele, o dia inteiro; ou parte do dia; ou por muitos anos; ou longos ciclos de anos



    Seus versos longos, quase em prosa, declamatórios, com um forte acento oratório, exaltados, que são a sua marca característica foram também uma revolução formal, assimilando os ritmos e a linguagem nativa de seu país e procurando romper a separação entre poesia e prosa. Seus poemas em geral têm versos livres, em linhas intermináveis que se assemelhavam mais a textos em prosa, abandonando a métrica e as rimas.


    (...)“Fora o romance antigo!
    Fora com as novelas, histórias e peças de cortes estrangeiras!
    Fora os versos de amor açucarados em rimas, intrigas, amor de ociosos...


    ...A vós, sadias irmãs reverentes, peço a palavra em prol de temas mais sublimes para os poetas e a arte
    Que exaltem o presente verdadeiro,
    Que ao homem comum ensinem a glória de seu caminho e os afazeres diários,
    Que cantem em canções quanto o exercício e a química da vida não sejam nunca para se desprezarem,
    Seja o trabalho manual para cada um e todos – arar, cavar, capinar.
    Plantar e enramar a árvore, as frutas, os legumes, as flores – que nisso todo homem veja que está fazendo alguma coisa de verdade, e toda mulher também(...)“

    Canto da Exposição – Walt Whitman


    Em relação ao sexo “Leaves of Grass” causou furor na época, com críticas totalmente negativas, devido às suas passagens de um erotismo explicito, com passagens fortes e violentas, ricas em descrições chocantes para a moral vigente na época, tais como estes, publicados em “Song of miself” (Canção de mim mesmo):

    Sou o poeta da mulher tanto quanto do homem, e digo que é tão bom ser mulher quanto ser homem ou descrições de sexo oral e ejaculação, como em Os Adormecidos, ou neste em que, voyeur, canta a marcha dos bombeiros em seus trajes: “o membro masculino jogando sob a calça bem justa e dos cós.

    Whitman seria homossexual (não assumido), o que condicionou ainda mais a crítica da época a desaprovar o caráter sexual de alguns de seus versos, sendo acusado de cometer “aquele horrível pecado que não deve ser mencionado entre os cristãos”, sugerindo a homossexualidade do autor.

    Em relação às suas convicções políticas foi conhecido como o “poeta da democracia”, apesar de haver se desiludido um pouco com o rumo que a democracia americana havia tomado após a guerra civil. Em 1871, veio à luz aquele que provavelmente é seu mais importante trabalho em prosa, o livro Democratic Vistas. Nele, o poeta mostrava seu desencanto com os rumos que tomava o regime político norte-americano, que se mostrava cada vez menos democrático e mais sujeito a esquemas eleitorais automáticos, à margem da vontade popular:

    "Temos escrito demasiadas vezes a palavra Democracia. Contudo, nunca será demais repetir que essa é uma palavra da qual o conteúdo verdadeiro dorme ainda longe de ser despertado, não obstante a repercussão e as muitas tempestades raivosas, da língua e da pena, com que suas sílabas têm sido articuladas. É uma grande palavra, cuja história imagino que permanece por ser escrita, pois essa história ainda está para ser posta em prática."

    Whitman, ao invés de "o poeta da democracia", sempre preferiu ser chamado o “poeta do povo” e é o homem comum a principal razão de ser de sua obra.

    "Não importa o tempo ou o lugar, a distância não importa,
    Estou com vocês, homens e mulheres de uma geração, ou de muitíssimas gerações por vir."

    Obra:

    Franklin Evans (1842)

    Leaves of Grass 1ª Ed. (1855)

    Leaves of Grass 2ª Ed. (1856)

    Leaves of Grass 3ª Ed. (1860)

    Drum-Taps (1865)

    Leaves of Grass 4ª Ed.(1867)

    Democratic Vistas (1871)

    Leaves of Grass 5ª Ed.( 1871)

    Memoranda During the War (1876)

    Leaves of Grass 6ª Ed.( 1876)

    Specimen Days and Collect (1882)

    Leaves of Grass 7ª Ed. (1882)

    November Boughs (1888)

    Complete Poems and Prose of Walt Whitman" (1888)

    Leaves of Grass 8ª Ed.( 1889)

    Leaves of Grass 9ª Ed.( 1892)

    Leaves of Grass 10ª Ed.(póstuma, 1897)


    Obs: como a obra Leaves of Grass foi constantemente republicada, sendo revisada e acrescida de novos poemas durante a vida e até depois da morte do autor, convém postar cada edição como um livro em separado.

    Fontes:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    WHITMAN, Walt. Leaves of Grass/Folhas de Relva. Tradução e posfácio de Rodrigo Garcia Lopes. São Paulo: Iluminuras, 2007.
     
    • Ótimo Ótimo x 6
  6. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Uni o post do Éomer com o tópico que a Clara já tinha feito =)
     
  7. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    • LOL LOL x 1

Compartilhar