1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Homem de Beijing (Henning Mankell)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 24 Jun 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Na noite de 12 de janeiro de 2006, 19 pessoas são brutalmente assassinadas em uma pequena aldeia na Suécia. Birgitta Roslin é uma juíza de meia idade, num casamento que começa a esfriar. Vivi Sundberg é uma policial durona, que está face a face com a maior cena de crime de sua vida profissional. Ya Ru é um próspero empreendedor chitnês. Hong Qiu é sua irmã, ligada aos círculos internos do poder. San viveu 100 anos antes da história principal, e ajudou a construir uma ferrovia num regime de semi-escravidão. De alguma maneira, todas estas histórias estão conectadas.

    Henning Mankell junta os opostos numa trama bem construída de suspense e investigação. As ligações são tênues, mas bem explicadas, tendo como fio conector a história de Birgitta Roslin, que poderia ser considerada a “investigadora principal” neste caso. Mas, apesar de juíza, o caso não é de sua jurisdição, mas uma busca pessoal. Ela encontra inúmeros entraves em sua busca, da burocracia e o descaso de uma investigação policial por informações de fora, ao assédio de jornalistas inoportunos.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Thriller Dude

    Thriller Dude Usuário

    Nunca parei pra ler os livros de Mankell por conta do ativismo político dele, que eu abomino. Esquerdismo dos mais ingênuos. Não é raro ver vilões nos livros dele com motivações políticas de direita das mais absurdas, como, por exemplo, um grupo religioso ultra-fundamentalista que tenta impedir um casamento gay na Suécia... parece coisa saída da mente de um estudante secundarista.

    Mas, justiça seja feita, o cara parece possuir a técnica para escrever romances policiais. Tirei essa conclusão assistindo as séries de TV baseadas nos livros dele. Há duas, uma de produção inglesa e uma sueca, ambas ótimas.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A sueca pode ser encontrada em torrents desses da vida.
     

Compartilhar