1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Documentário Nós Roubamos Segredos - A História do Wikileaks (We Steal Secrets: The Story of WikiLeaks, 2013)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Clara, 23 Mar 2016.

?

Que nota você dá ao filme?

  1. 10

    0 voto(s)
    0,0%
  2. 9

    0 voto(s)
    0,0%
  3. 8

    0 voto(s)
    0,0%
  4. 7

    100,0%
  5. 6

    0 voto(s)
    0,0%
  6. 5

    0 voto(s)
    0,0%
  7. 4

    0 voto(s)
    0,0%
  8. 3

    0 voto(s)
    0,0%
  9. 2

    0 voto(s)
    0,0%
  10. 1

    0 voto(s)
    0,0%
  1. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    O Wikileaks, a vida de seu criador Julian Assange e de Chelsea Elizabeth Manning (Bradley Edward Manning) responsável pela divulgação de informações sigilosas do exército americano, caso que ficou conhecido como "Cablegate".

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    =============================

    É um documentário bem tendencioso e a gente fica com vergonha quando percebe a tentativa patética do diretor em fazer o governo dos EUA e a Hillary Clinton de coitadinhos, que foram traídos pelo australiano nojento e pelo "desequilibrado" Bradley Manning, chega a ser ridícula a maneira como descrevem este último, não há como não pensar: se o garoto era tão problemático, como caráleo ele foi aceito no exército?
    Fora outras patetices do tipo uma das mulheres que acusam Assange de estupro se disfarçar com peruca e ser mostrada apenas partes de seu rosto quando existem milhares de filmes e fotos mostrando o rosto das duas (em dois anos elas mudaram tanto assim?) e embora elas afirmem não serem contratadas pelos EUA para acusarem Assange, é meio óbvio que isso (a acusão de estupro) foi muito bem usada contra o criador do Wikileaks.
    Outro momento que beira o ridículo são os depoimentos do jornalista do Guardian, Nick Davies.
    O cara deve ter uma paixão não correspondida pelo Julian Assange (ele foi um dos jornalistas que trabalharam com Assange na divulgação dos telegramas diplomáticos dos EUA, em novembro de 2010) porque é realmente constrangedora a maneira como ele faz críticas à pessoa de Julian Assange, o comportamento sexual e as atitudes do criador do Wikileaks.
    Jornalistas isentos ou apoiadores foram praticamente ignorados pelo documentário.
    Também achei que algumas cenas são visivelmente editadas para dar uma certa impressão e que, se olharmos com atenção, vemos claramente que aquilo está meio (ou totalmente) fora do contexto.
    Mas a cereja do bolo é mesmo perto do final do vídeo, onde ficamos com a nítida impressão, pelo texto e as imagens mostradas, de que o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    não existe mais e foi totalmente desmantelado pelo magnífico governo dos EUA.
    Fico imaginando um americano médio pensando que seu governo conseguiu destruir mais essa ameaça à segurança e vida americanas. :/

    No entanto acredito que o documentário pode ser assim chamado e vale a pena ser assistido se conseguirmos deixar essas manipulações de lado, o que será bastante facilitado se o vídeo for acompanhado de leituras e pesquisas em outros meios, de outras fontes.
    Muito bacana ver o Julian Assange praticamente adolescente enfrentando as primeiras acusações de hacking, em 1992.
    Outro momento que chega a dar frio na espinha é ver o vídeo do
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ( em 2007) quando vários homens morreram (inclusive dois jornalistas da Reuters) e duas crianças foram feridas.
    Ler sobre os ataques é bem diferente de ver e ouvir os comentários dos soldados, agindo como se estivessem jogando um mero video game e fazendo observações do tipo: "Acho que acabei de passar (com o tanque) em cima de um corpo" e outro responde: "Sério?" e os dois dão risadas.
    Dá pra imaginar também o desespero e a solidão de Bradley Manning quando foi traído pelo dedo-duro
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .
    E Adrian chorando no final também é dos pontos altos da apelação e canastrice que permeiam o documentário.

    A nota 7, portanto, é pelo que eu consegui ver no documentário, já que na verdade o filme todo é uma grande fanfarronice americana.
     
    Última edição: 23 Mar 2016
  2. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Não vi esse ainda, mas amei o Citizenfour, sobre o Snowden. Vale a pena em tempos de ligações não-criptografadas da Chefe de Estado. :lol:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Só tenho lido e visto filmes sobre Assange, Manning e o Wikileaks.
    Mas tenho alguns textos sobre o Edward Snowden que devo ler em breve, e vou procurar por esse documentário, não sei se na Netflix tem algo sobre ele. :think:
    Você assistiu "O Quinto Poder" com o Benedict Cumberbatch?
    Estou procurando pra assistir.
     
  4. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Nah, e nem fiquei curioso, na verdade. Tava mais a fim de um documentário mesmo.

    Um filme semelhante que me lembrei agora é The Pentagon Papers, uma reconstituição de como Daniel Elsberg, funcionário da RAND Corporation, conseguiu expor milhares de documentos do Pentágono sobre a Guerra do Vietnã, que mostravam que os Estados Unidos vinham atacando o governo local antes mesmo da declaração oficial de guerra.
     
    Última edição: 23 Mar 2016
  5. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Com tão apaixonado comentário eu nem tenho vontade de ver. Mas quero ver o Citizenfour.
     

Compartilhar