1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Músculo feito com nanotubos de carbono e cera é mais forte que você

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 17 Nov 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    A expansão e contração dos músculos nos mantém vivos a cada segundo de cada dia. Mesmo que sejam uma parte fundamental da nossa existência, ainda não conseguimos recriá-los muito bem. Quer dizer, até agora: cientistas descobriram recentemente o que pode ser uma boa solução – fios de carbono cheios de cera.

    Esta tecnologia de músculos artificiais foi desenvolvida por uma equipe de cientistas – incluindo dois brasileiros – na Universidade do Texas em Dallas (EUA). Ela é centrada no uso de nanotubos de carbono.

    Os nanotubos ganham a forma de fios retorcidos (imagem acima), cujo volume é preenchido com cera de vela. Quando exposto ao calor (ou à tensão elétrica), o fio se expande e contrai como um músculo orgânico, à medida que a cera interna derrete e se solidifica de novo.

    Estes músculos de cera não são apenas um impressionante avanço da nanotecnologia: eles também são muito mais eficientes do que os seus músculos. Os músculos de nanocarbono podem levantar 100.000 vezes o seu peso e gerar cerca de 85 vezes mais energia mecânica do que músculos de carne do mesmo tamanho.

    Além disso, o músculo em fios pode assumir um formato de tecido, tornando-o um material muito versátil. Esta tecnologia talvez apareça em robôs e micromotores, mas não irá para seu corpo: os pesquisadores observam que os músculos são “atualmente inadequados” para substituir sua carne fraca. Talvez um dia.

    O estudo, publicado na revista Science, contou com a colaboração de cientistas em vários países, inclusive no Brasil, onde três pesquisadores da Unesp e Unicamp contribuíram para a pesquisa.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Oromë

    Oromë Purge 'em all

    Interessante, mas é uma pena que não tenham se aprofundado mais no que me parece ser o mais importante: a aplicação como substituto do músculo humano.

    Seria bacana se tivessem compartilhado as razões momentâneas desta impossibilidade. A meu ver, é o melhor uso que poderiam ter para esta tecnologia, e o mais perigoso também. Dependeria de sua disponibilidade ao cidadão comum e desprovido de fortunas com as quais aumentar ainda mais o fator de desigualdade e criar uma legítima desigualdade fisiológica entre as classes.
     

Compartilhar