1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Como Collor realmente caiu?

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Regente, 21 Abr 2005.

  1. Regente

    Regente Serenity Painted Death

    Na verdade Collor foi vítima de seu próprio desatino. Não havia UMA prova mais contundente contra ele no que dizia respeito ao seu envolvimento no esquema PC. Mas como ele acabou contrariando inclusive aliados seus que o ajudaram se eleger, ele perdeu o cargo. Foi um "golpe de estado branco" muito bem arquitetado, cujo tripé era formado pela Globo, empresariado nacional e os militares, todos apavorados com a pequena abertura econômica que Collor acabou promovendo, que ameaçava diretamente os interesses dessa turma.

    Alguém pode se perguntar porque esse pessoal que apoiou Collor, com a Globo a frente, não apoiou Lula, já que este era contra a abertura econômica? Porque um governo esquerdista, naquele momento, poderia pensar em estatizar o que ainda havia de setor privado no Brasil...e isso, é claro, também não interessava à Globo e outros grupos do empresariado nacional.

    Relembrando o impeachment de Collor, chega a ser irônico imaginar que hoje há provas mais que suficientes sobre corrupção no governo Lula, com fitas de vídeo e tudo mais...inclusive uma confissão pública de crime de prevaricação do próprio Lula. No caso Collor não havia sequer um bilhete o incriminando diretamente. A diferença é que Lula hoje paparica a Globo, atrasando o máximo que pode o processo de abertura econômica do Brasil.

    Quem vai ter que dizer que a Globo é uma carroça para então podermos nos livrar dela?? O Enéas??? (risos)...
     
  2. Omykron

    Omykron far above

    e vc diz com isso que...?

    agora uma coisa que eu devo comentar.
    collor abrindo economia? só se for as pernas da economia brasileira né?
    importado mais barato que nacional, quem compraria o produto nacional?
     
  3. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Sempre fui da opinião que Collor caiu por ter contrariado seus próprios aliados; a propaganda dos "jovens caras-pintadas que corajosamente foram às ruas" é pura balela, falsa imagem ainda hoje vendida pela Globo.

    Os que não mais atendem aos interesses tal e tal são descartados do jogo. Simples. Grandes esquemas que beneficiam um grande grupo de políticos dificilmente cai.
     
  4. jean

    jean Shhhzup!

    Produto nacional, desde a época do milagre econômico era uma porcaria.
    Dificilmente você encontrava dois fabricantes do mesmo produto competindo pelo mesmo mercado, ou seja, os produtos eram uma porcaria, e a margem de lucro desses sujeitos era faraônica, visto que tinham uma cacetada de subisídios e vantagens fiscais. Vide os automóveis dessa época.
    A entrada de produtos importados obrigou os meios de produção nacionais a fazer um upgrade para não acabarem de vez. Foram combalidos? Sem dúvida... Mas, IMO, justamente combalidos.
    Não sei até que ponto essa abertura prejudicou a economia brasileira, mas uma coisa não pode ser negada, a qualidade, quantidade de opções e principalmente a acessibilidade aos produtos melhorou e muito!
     
  5. Excluído028

    Excluído028 Excluído a pedido

    Bom, na minha opinião, a Globo colocou e tirou Collor do poder. Quando os outros jornais começaram a atacar Collor, a Globo pra tirar o dela da reta, já que havia apoiado Collor, atacou-o também, o que foi decisivo para ocorrer o impeachmente.
    Collor ainda tentou dissuadir o povo. Foi à televisão e disse: "O presidente de vocês está sendo vítima de uma conspiração. Então peço a vocês, brasileiros, que saiam de casa com fitas verde-amarelas amarradas à testa." Em resposta, o povo saiu às ruas com fitas pretas atadas à testa em sinal de luto, pois o seu presidente era um corrupto.
    Só pra constar: Até as torneiras da casa de Fernando Collor eram de ouro.
    Ele foi então derrubado e seus direitos políticos foram caçados, mas me parece que ele os recuperou à pouco tempo atrás.
     
  6. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    Lendo isso tudo eu me lembro de um texto de LUIZ GUSHIKEN, um texto bem interessante mesmo que abordava justamente aquilo que Collor trouxe ao Brasil: o neoliberalismo economico.

    Desde então muito se fala sobre o real papel do Estado dentro da economia... Não aprendemos a ser neoliberais ainda.

    Começa na era Collor e tem se continuidade com FHC um processo onde o Estado ainda exerce um papel dentro da economia, um papel de "desestatizador". É o período da abertura economica, da entrada de capital estrangeiro, da livre-concorrência, da privatização em massa de nossos bens por nada menos que bananas que servirão para os últimos suspiros daqueles que estavam no poder.

    Mas falemos um pouco do Estado... Vermos quem errou, se errou e aonde errou...

    Nessa época o mundo assistia a uma variação de modelos econômicos. Keynes se inspirava no Socialismo e introduziria o Wellfare State pregando basicamente que o Estado deveria zelar com $$$ pela sua economia, gerando assim uma série de benefícios. Reparem que ainda falamos do Estado como agente dentro de uma economia....

    Por outros caminhos temos a admiração daquele modelo economico que passou sem trampo pela crise de 29, exatamente por ser centralizado e organizado pelo Estado: o Socialismo.

    Reparem que nesse apanhado verificamos ainda que a conjuntura em si funcionava com a intervenção do Estado, seja na produção de benefícios (Welfare), seja no controle de alguns mercados, seja na participação na produção (empresas estatais).

    Pois bem, chega a década de 70... com bem mais do que aparentemente parece... é nessa época que por uma série de motivos a inflação dispara pelo globo, a economia se contrai e os neoliberais ganham terreno e adeptos... Chega o fim a presença necessária de um Estado forte de representatividade de um todo...

    Cabe aqui mais uma observação quanto ao porque de o neoliberalismo ter sido elaborado com a intenção de privatizar e não simplesmente competir com as estatais... Na Inglaterra da época o setor era importante, uma boa parcela da economia... E como difundir o ideal neoliberal se o Estado se mostrava ainda produtivo? Simples, o Estado deixa de ter seu papel como "participante" dos meios de produção.

    Nem preciso dizer que já estamos lá pela década de 80... Gorbachev se rende a burocracia em que a União foi enroscada ao longo dos anos e pede socorro.

    E aí que me volto para o Brasil... Por aqui toda intervenção estatal ocorrem com objetivos diferentes em um mundo pós guerra: a necessidade de industrialização. "Precisamos fazer o bolo crescer" diz Delfim Netto e por aí vai... Crescemos como ninguém no mundo pós guerra...

    Pq hoje ainda vemos lapsos de uma crise? Poque o que nos atingiu em cheio foi a falencia do Estado que sempre foi o grande agente investidor durante nossos passos rumo a industrialização (calma já já chego no Collor).

    Eis que a solução aparece "vender o problema", "diminuir o Estado". Eu pergunto: adiantou? Pq como sempre não se olhou mais do que a proposta parecia pregar? Pq somos acostumados a resolver problemas olhando pra frente e nunca pra trás? Pq nem ao menos nos interessamos em saber o porquê estamos na m.....?

    Eu digo que o colapso do Estado em qualquer nação se dá primordialmente por um motivo: o jogo de interesses particulares que se torna mandante, ao mesmo tempo que torna o Estado passivo.

    Ora, nem preciso dizer que o papel do Estado muda para "salva-vidas" de toda e qualquer empresa privada ocasionando assim o aumento do Déficit e da Dívida Interna.

    Não temos mais um Estado produtor de crescimento, mas sim um servidor àqueles que interessa tal fato... A dívida Externa também é decorrente disso... Passamos a pagar dos nossos bolsos (eu não pq nem tinha nascido na época) a dívida privada quando uma emenda permite que toda dívida dessas com o exterior possa ser paga na moeda corrente da época no Banco do Brasil. Ou seja... o risco cambial passa a ser do Estado, quebra-se aos poucos a figura institucional brasileira.

    E é nesse contexto que o modelo Collor de ser deve ser observado, procurando privatizar tudo o que pode reverter em lucro so sistema privado de produção pelos famosos Títulos com extensos prazos de vencimento, aquilo mesmo que na época ficou conhecido como "dinheiro podre" ou equivalente... IMO, bananas.

    A destruição do Patrimônio Público, a abertura das pernas do Brasil, os sintomas de colapso de nosso Estado como força que impulsionou anos o crescimento, ainda que dispar... isso tudo pode ser visto como as consequências do governo Collor.

    Não existe modelo de desenvolvimento sustentável sem planejamento... a livre iniciativa provou pelos seus princípios básicos que isso é incoerente com a sua doutrina e cá estamos colhendo esses frutos.

    Claro que aqui não entrei no mérito "mídia". Até porque qualquer autor hoje considera Collor um eleito pelo "marcketing" político e deposto pela mídia... vide que qualquer livro de história carrega três nomes ao falra disso tudo: Pedro Collor, Veja e Isto É.

    Claro sem falar em "Casa da Dinda", "Operação Uruguai", etc... mas isso tudo pode ser inserido dentro do que eu já falei... a entrada de vermes dentro do Estado... é como uma infecção...
     

Compartilhar