1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Cinco discos para conhecer: covers do Hard Rock

Tópico em 'Música' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 4 Jun 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Eric Singer Project – Lost And Spaced [1998]

    A folha corrida de Eric Singer comprova a competência que lhe é atribuída. Afinal, não é qualquer um que toca com tantas lendas do Rock n’ Roll, como Kiss, Alice Cooper, Black Sabbath, Gary Moore e outros projetos pra lá de notáveis, como o Badlands, que reuniu uma constelação de músicos. Mas depois de tanto trabalho sério, após sua saída do Kiss em 1995, o baterista parecia querer um pouco de diversão descompromissada. Para isso, montou um projeto que se focaria apenas em covers.

    “Lost And Spaced” foi registrado com esse intuito: compilar quem mais inspirou Singer e o grupo que levava consigo (John Corabi, Bruce Kulick e Karl Cochran) durante suas vidas no Rock n’ Roll. O primeiro e único registro de estúdio do Eric Singer Project praticamente não tem nenhum registro dos 1980s em diante – só velharia da boa. Desde os primórdios de influência incontestável como Johnny Winter e Eddie Cochran até bandas de Hard Rock como Deep Purple, Humble Pie, Kiss e The Sweet, temos uma ótima lista com execuções singulares, com direito a uma participação icônica de Ace Frehley em “Foxy Lady”!

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    01. Teenage Nervous Breakdown (Nazareth cover)
    02. Four Day Creep (Humble Pie cover)
    03. Free Ride (Edgar Winter Group cover)
    04. Still Alive And Well (Johnny Winter cover)
    05. Never Before (Deep Purple cover)
    06. Goin’ Blind (Kiss cover)
    07. Set Me Free (The Sweet cover)
    08. Changes (Jimi Hendrix cover)
    09. S.O.S. (Too Bad) (Aerosmith cover)
    10. Foxy Lady (Jimi Hendrix cover)
    11. Twenty Flight Rock (Eddie Cochran cover)
    12. Won’t Get Fooled Again (The Who cover)

    Eric Singer (vocal em 1, 2, 7 e 11, bateria)
    John Corabi (vocal em 2, 3, 5, 9, 10 e 12, baixo em 2, 3, 5, 7, 9 e 10, guitarra rítmica)
    Bruce Kulick (guitarra solo em 1-4, 6-9 e 12, baixo em 4, 6, 8, 11 e 12)
    Karl Cochran (guitarra solo em 2-5, 7 e 11, vocal em 2, 4, 6 e 8, baixo em 1)

    Músicos adicionais:
    Roberta Freeman (backing vocals em 1, 3, 5 e
    Ace Frehley (guitarra solo em 10)
    Nicky Lemmons (teclados em 5)
    Curt Cuomo (percussão em 3)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Warrant – Under The Influence [2001]

    A partir o lançamento de “Dog Eat Dog”, em 1992, o Warrant passou a viver um longo período de ostracismo. Nem por isso, deixou de produzir bom material, incluindo “Under The Influence”, que é o último álbum de estúdio a ter o falecido Jani Lane nos vocais. Juntamente dos covers, duas inéditas – “Sub Human” e “Face” – foram incluídas na tracklist.

    O repertório foi escolhido quase que inteiramente com grandes nomes do Hard Rock setentista, o que explicita a grande base da influência do conjunto, que une o Hard com elementos Pop/farofões em seus discos mais notáveis. Além da boa performance instrumental, Lane merece ser citado por esbanjar sua voz repleta de identidade durante todo o álbum, sem tentar imitar ninguém.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    01. Toys in the Attic (Aerosmith Cover)
    02. Hollywood (Down on Your Luck) (Thin Lizzy Cover)
    03. Dead, Jail or Rock ‘n’ Roll (Michael Monroe Cover)
    04. Hair of the Dog (Nazareth Cover)
    05. Tie Your Mother Down (Queen Cover)
    06. Suffragette City (David Bowie Cover)
    07. Surrender (Cheap Trick Cover)
    08. Down Payment Blues (AC/DC Cover)
    09. Come and Get It (Badfinger Cover)
    10. Sub Human
    11. Face

    Jani Lane (vocal)
    Billy Morris (guitarra, vocal em 08)
    Erik Turner (guitarra)
    Jerry Dixon (baixo)
    Mike Fasano (bateria)
    Mike Morris (teclados)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Aerosmith – Honkin’ On Bobo [2004]

    Na maioria das vezes a expressão “volta às raízes” é usada de maneira errônea e pra lá de oportunista no mundo do Rock. Porém, em alguns casos, as bandas vão fundo nesse resgate e acabam acertando em cheio. Sendo assim, não foi grande surpresa o lançamento desse discaço lá nos idos de 2004. Ele traz o Aerosmith executando clássicos do estilo que é o “pai de todos”, a base para tudo que veio na sequência. E como estamos falando de uma turma com experiência de sobra na bagagem, é claro que a performance é de alto nível, até porque são caras que cresceram ouvindo esse tipo de som e aprenderam com o que há de melhor.

    O teste definitivo acontece justamente quando resolvem mostrar uma canção própria (“The Grind”) feita nos moldes da proposta do play e ela é aprovada com louvor. Mas o que interessa mesmo são os covers, e aí o bicho pega. Desde a abertura com “Road Runner” (com direito a ‘beep-beep’ em homenagem ao imortal Papa Léguas), o grupo mete o pé no acelerador. Destaques também vão para “Shame, Shame, Shame” e seu ritmo dançante; “Eyesight to the Blind”, com um duelo de gaita e guitarra de empolgar; “Back Back Train”, com Joe Perry assumindo os vocais e protagonizando belo dueto com Tracy Bonham. Uma homenagem feita por quem entende do riscado e, apesar das críticas de alguns mais radicais, ainda é uma das formações mais relevantes do Hard Rock em todo o mundo.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    01. Road Runner
    02. Shame, Shame, Shame
    03. Eyesight to the Blind
    04. Baby, Please Don’t Go
    05. Never Loved a Girl
    06. Back Back Train
    07. You Gotta Move
    08. The Grind
    09. I’m Ready
    10. Temperature
    11. Stop Messin’ Around
    12. Jesus is on the Main Line

    Steven Tyler (vocal, piano, gaita)
    Joe Perry (guitarra, vocal em 06)
    Brad Whitford (guitarra)
    Tom Hamilton (baixo)
    Joey Kramer (bateria)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Tesla – Real To Reel [2007]

    Apesar de ser enquadrado na safra farofeira do Hard Rock oitentista, o Tesla nunca escondeu suas influências blueseiras e setentistas. Isso fica claro em grande parte de seus registros autorais. Após mais de 20 anos e muitos discos lançados, a ideia do quinteto meio caipira de Sacramento foi prestar uma homenagem àqueles que os influenciaram.

    A versatilidade do Tesla se comprova logo na seleção, que abrange pauladas do Deep Purple, UFO e Thin Lizzy; clássicos indubitáveis dos grandes Beatles, Rolling Stones e Led Zeppelin, blueseiras de Derek And The Dominos e Robin Trower e algumas apostas inesperadas como a psicodelia do Traffic e o R&B do The Temptations. Tudo isso com uma execução magistral de um dos grupos mais talentosos do 80′s Hard Rock, com destaque para o entrosamento entre o incrível Frank Hannon e o até então novato Dave Rude.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    01. Space Truckin’ (Deep Purple cover)
    02. Walk Away (The James Gang cover)
    03. Hand Me Down World (The Guess Who cover)
    04. Bad Reputation (Thin Lizzy cover)
    05. Thank You (Led Zeppelin cover)
    06. I’ve Got A Feeling (The Beatles cover)
    07. Day Of The Eagle (Robin Trower cover)
    08. Ball Of Confusion (The Temptations cover)
    09. Rock Bottom (UFO cover)
    10. Stealin’ (Uriah Heep cover)
    11. Bell Bottom Blues (Derek And The Dominos cover)
    12. Honky Tonk Woman (The Rolling Stones cover)
    13. Dear Mr. Fantasy (Traffic cover)

    Jeff Keith (vocal)
    Frank Hannon (guitarra)
    Dave Rude (guitarra)
    Brian Wheat (baixo)
    Troy Luccketta (bateria)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Stryper – The Covering [2011]

    Preconceito é sempre prejudicial, não importa a via. De religiosos para não-religiosos e vice-versa, nunca é uma boa. Infelizmente, o Stryper, um dos nomes mais consagrados no Christian Rock/Metal, ainda briga com isso, principalmente após o lançamento do “The Covering”, que não deveria ser polêmico – mas foi. O quarteto liderado pelos irmãos Sweet decidiu prestar tributo às suas bandas prediletas, que obviamente não estão inseridas no gênero Gospel, mas transitam entre o Hard Rock e o Heavy Metal. Sobrou espaço também para uma inédita, intitulada “God”.

    Alguns religiosos receberam o tributo a bandas “satânicas” como Black Sabbath, Judas Priest, Ozzy Osbourne e Iron Maiden como uma “afronta”. E outros, não-religiosos, continuaram achando que o conjunto não oferecia material de qualidade. Um engano de ambas as partes gerou uma polêmica desnecessária sobre um registro de qualidade fantástica. “The Covering” demonstra o talento do experiente quarteto amarelo-e-preto, principalmente do frontman MIchael Sweet: além de guitarrista de mão cheia, afirmo com clareza que se trata de uma das melhores vozes surgidas no Hard Rock oitentista.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    01. Set Me Free (Sweet cover)
    02. Blackout (Scorpions cover)
    03. Heaven and Hell (Black Sabbath cover)
    04. Lights Out (UFO cover)
    05. Carry On Wayward Son (Kansas cover)
    06. Highway Star (Deep Purple cover)
    07. Shout It Out Loud (KISS cover)
    08. Over the Mountain (Ozzy Osbourne cover)
    09. The Trooper (Iron Maiden cover)
    10. Breaking the Law (Judas Priest cover)
    11. On Fire (Van Halen cover)
    12. Immigrant Song (Led Zeppelin cover)
    13. God

    Michael Sweet (vocal, guitarra)
    Robert Sweet (bateria)
    Oz Fox (guitarra)
    Tim Gaines (baixo)

    Músico adicional:
    Charles Foley (teclados, órgão, piano)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar