1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Bolha de Luzes (João Inácio Padilha)

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por Meia Palavra, 30 Jul 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    A matéria que está dentro de uma bolha não é a mesma que nos rodeia. A bolha, por breve instante, guarda “signos crípticos” e lembranças que só os olhos mais curiosos e os ouvidos mais sensíveis conseguem desvendar, tornando-se Bolha de Luzes, título do livro de contos de João Inácio Padilha. Cada um dos 13 contos reunidos no livro estão ligados por essa mesma massa efêmera, seja de forma direta, com sua formação física, ou de forma mais sensível e psicológica, ao narrar as experiências íntimas das personagens desenvolvidas pelo autor.

    O conto Memorial do Esquecimento, por exemplo, é um dos mais diretos a temática da bolha como objeto físico. Na narrativa, Maria Kodama dorme no momento de seu trabalho, que é o de tomar notas do escritor Jorge Luis Borges, que despeja várias memórias de sua infância ao se lembrar das primeiras vezes que teve contato com bolhas, desenvolvendo tudo até criar um manifesto. Tudo que ele declamou naquela tarde foi perdido pela displicência de Kodama, mas nós, leitores privilegiados, sabemos o que foi dito graças ao narrador-observador, que nos conta o ocorrido. “Apenas os poetas consultam essas bolhas. Encontram dentro delas, como em bolas de cristal, indícios de seres que viveram e fatos que aconteceram no mundo real, mas foram esquecidos. Que horror.”

    [
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ]
     

Compartilhar