1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

10 motivos que fazem O Hobbit inferior a trilogia O Senhor dos Anéis

Tópico em 'O Hobbit - os Filmes' iniciado por Lothloren, 16 Dez 2012.

  1. Lothloren

    Lothloren The Girl Who Waited

    Achei a coisa tão surreal que precisei deixar aqui pra quem tiver paciência ler.
    Não sei se este é o local certo pro post, se não for peço desculpas ^^

    [h=3]10 motivos que fazem O Hobbit inferior a trilogia O Senhor dos Anéis[/h]Ainda assim, vale a pena assistir!
    ATENÇÃO: O texto tem SPOILERS do filme!

    "O Hobbit: Uma Jornada Inesperada” estreou e já começou a dividir opiniões. Já era esperado, afinal, produzir três filmes em cima de uma obra tão curta não poderia ser diferente. Ok, é uma adaptação e pode (deve) existir liberdade e/ou até aproveitar outros contos como base para introduzir o universo criado por Tolkien. Quem me conhece, sabe que sou facinho para gostar das coisas. Já gostei de muito filme mediano. O grande é problema é que quando se trata de algo que eu realmente gosto, sou exigente. Sou muito exigente! Talvez se eu tivesse ido assistir O Hobbit sem ser tão rigoroso, teria gostado mais.
    Após assistir ao primeiro filme, ficou na cara que ele não chegaria perto da trilogia O Senhor dos Anéis. Dito isso, levanto 10 pontos que comprovam isso:
    [h=2]1) Longo demais, conteúdo de menos[/h]A trilogia O Senhor dos Anéis é gigante. É gigante por causa do que envolve, dos personagens que participam e das dezenas de subtramas. Ela precisava ser grande. O Hobbit não. É um livro pequeno e com uma história simples. Talvez não tivesse material nem para um filme. Exemplo: Nesse primeiro filme, o vilão (Smaug) quase não aparece. Como essa é a primeira parte, decidiram inventar um sub-vilão orc genéricopara ser o antagonista que não ajuda em nada a história principal. Qual é a história principal? Os anões querem recuperar o seu lar (tesouro) que foi roubado (ocupado) pelo dragão Smaug. O orc Azog é apenas um obstáculo que foi criado para dar mais longevidade a história. Acaba se tornando bem repetitivo e acaba matando o ritmo do filme. Tava muito claro que Jackson iria criar muitas barrigas para sobrar algo para os outros 2 filmes. Do jeito que acabou o filme, na sequência veremos mais de Azog.
    A impressão que dá é que a decisão de tirar o Gandalf de algumas cenas é justamente para alongar o filme. Todas as dificuldades que os personagens passam são resolvidas com o mago chegando minutos depois. Jackson querendo alongar o filme, decidiu tirar o Gandalf de cena para deixar os personagens resolverem e superarem os obstáculos. Eles acabam não resolvendo nada. Quem salva dos Trolls é o Gandalf. Quem salva dos orcs a céu aberto é o Gandalf (guiando o bando e sugerindo onde entrar no buraco). Quem salva quando todos são capturados pelos orcs é o Gandalf. Quem salva quando os personagens estão nas árvores são as águias (chamadas pelo Gandalf). Se o livro é assim, não importa. Não estamos assistindo o livro. É preguiça de narrativa mesmo. Não adianta dizer que o filme é fiel ao livro. Isso não é elogio. Nós assistimos uma adaptação, não uma conversão.
    A Sociedade do Anel tem 468 páginas e gerou um filme de 2 HORAS E 58 MINUTOS. O Hobbit tem 310 páginas e gerou um filme de 2 HORAS E 40 MINUTOS. Só para lembrar…
    [h=2]2) Roteiro “quem se importa”[/h]Um grupo de anões querem recuperar a sua morada. Ponto final. Envolve apenas aquela raça. A introdução de um hobbit é apenas para fazer o serviço. A trilogia do anel envolve toda a Terra Média. Por isso acontecem as alianças. O Conselho Branco acaba explicando que não faz sentido existir essa missão. E isso acaba resumindo o filme. Realmente, não tem nada de grandioso. É uma história boba, clichê e comum. Parece as aventuras dos Sem-Terra. Ah, foi Tolkien que criou esse conceito? Se foi, não importa. Edgar Rice Burroughs criou John Carter e muita gente disse que o filme copiou Avatar. Naquela época, ok. Hoje tem que ser diferente. Já vimos muito esse conceito.
    [h=2]3) Viagem Inesperada? Não, Filme Inesperado![/h]Ninguém esperava que o filme fosse feito. Quando a trilogia encerrou em 2003. Foi um adeus a Terra-Média. Esse retorno poderia ser mágico, mas acabou não sendo. Em alguns momentos, lembrei mais de As Crônicas de Nárnia do que de O Senhor dos Anéis. O Bilbo (que nunca havia pegado numa espada) lutando com habilidade contra um orc e logo em seguida não sabendo nem segurar uma espada na frente de Gollum foi ridículo.
    [h=2]4) Passagens desnecessárias![/h]Radagast é um personagem bobo e descartável. Dava para ter adaptado a sua importância de avisar sobre Sauron. Assim como Peter Jackson excluiu Tom Bombadil da trilogia, poderia excluir facilmente o Radagast. Faria bem ao filme! Outro caso. Eles demoram 40 minutos para sair do Condado. É um tempo ABSURDO. Os anões começam cantar e isso não acrescenta em absolutamente NADA ao filme. Isso é uma homenagam aos anões da Branca de Neve que adoravam cantar? Para uma aventura como essa, não faz sentido. Nem no livro eu gostei. Conheço muita gente que pulou as músicas. Todas as músicas de O Senhor dos Anéis acrescentam a narrativa.
    [h=2]5) Infantil, não quer dizer estúpido![/h]Anões brincalhões, cantando, arrotando, peidando. Infantil não quer dizer bobo. Toy Story 3 é um filme claramente com ambientes e personagens infantis, mas que em nenhum momento se torna bobo. Só para lembrar, os anões estavam arrebentados. Viajaram distâncias absurdas, estavam cansados, destruídos, seus parentes estavam morrendo, sem lar… e eles ficam de brincadeirinha para começar essa importante missão? Sério mesmo? Parece que o único que leva sério aquilo tudo é o Thorin mesmo. Os demais estão ali para compor espaço. Aliás, se cortassem uns 5 anões ali não iria fazer falta alguma.
    [h=2]6) Trilha Sonora repetitiva e pouco original[/h]Você vai se arrepiar apenas nas trilhas que remetem a trilogia O Senhor dos Anéis. Só isso! As músicas cantadas pelos anões, orcs e Gollum não acrescentam ao filme. A música “Misty Moutains” cantada pelos anões ficou épica no trailer e poderia ser épica no filme. Mas quando ela vai decolar, acaba. No filme, só não é esquecível porque Howard Shore faz questão entonar seus acordes na trilha incidental a todo momento.
    [h=2]7) Não é épico como O Senhor dos Anéis[/h]Nem de longe. Não passa perto! O que envolve a trilogia do anel é muito mais importante e significativo. O Hobbit é mais uma aventura egoísta e que só é importante por causa dos fatos que acontecem após sua trama. Se o anel não estivesse nas mãos do Bilbo, os Nazgûl pegariam do Gollum e provavelmente a Terra Média estaria aniquilada. Talvez a gente veja cenas épicas nos próximos filmes, mas nesse primeiro eu não consigo lembrar de uma cena impactante. Se você me pedir para listar cenas IMPORTANTES da trilogia O Senhor dos Anéis, eu cito 30 facilmente.
    Viu que o que é importante é a trama do anel, e não dos anões?
    [h=2]8) É menos arte. É mais produto![/h]Tava na cara que Ian Mckellen não estava tão satisfeito atuando. Para os efeitos especiais ficarem mais reais, decidiram simplesmente colocar o Gandalf para atuar sozinho, numa tela verde, e depois inseriram digitalmente nas cenas com os anões e o hobbit. Ficou com cara de “menos arte, mais produto”. Pensaram mais no resultado final, do que na inocência e VERDADE dos personagens trabalhando lado a lado. Principalmente um personagem como Gandalf, que representa parte da alma do filme. Ele mesmo disse em entrevista que não gostou de trabalhar no filme dessa forma. Fim da magia.
    Outro exemplo é o Condado. Imaginava que Peter Jackson iria explorar mais o Condado e seus moradores. Afinal, o filme se chama O Hobbit e se esperava que pelo menos a gente conheceria mais sobre esses seres que são os grandes protagonistas da história. Porém, parece que Jackson prefere destacar os outros personagens e diminuir os hobbits (mais do que eles já são) em detrimento as outras tramas.
    [h=2]9) É a prova do caça níquel[/h]Peter Jackson sabia tanto que não faria uma adaptação de O Hobbit, que decidiu fazer homenagens na própria trilogia O Senhor dos Anéis. Ele sabia que um livro 310 páginas, claramente infantil, não renderia um longa, principalmente depois de adaptar a trilogia do anel. Mas não tem mais que reclamar. Quando anunciaram 2 filmes, muita gente ficou surpresa. Quando decidiram fazer 3 filmes, foi a maior prova de que não passa de um caça níquel. É triste, mas é a realidade. Não adianta dizer que Jackson vai inserir outras histórias para compor os filmes. Nesse primeiro, já teve tanta coisa desnecessária, que deixa a gente com medo do que pode vir por aí.
    Em uma parte do filme, um personagem comenta que alguém por “amar o ouro” se tornou “muito forte”. O mesmo pode ser dito sobre a Warner e Peter Jackson.
    [h=2]10) Oscar? Só nos quesitos técnicos e olha lá…[/h]Eu achei um filme nota 7/10 e divertido. Ponto final. Pelas avaliações dos críticos internacionais (que votam em várias premiações) e pelas primeiras listas que começaram a sair dos melhores do ano, O Hobbit: Uma Jornada Inesperada pode passar batido. Talvez apenas em Efeitos Visuais e Som. Se Transformersganhou esse Oscar, porque O Hobbit não ganharia?
    [h=2]Resumindo[/h]Eu esperava muito. CLARO! Era a mesma equipe responsável pela trilogia do anel. Não tem um cidadão que não estivesse empolgado. Vi muita gente saindo de forma histérica do cinema, dizendo que é melhor que O Senhor dos Anéis e que Peter Jackson é o Nolan da fantasia. Você tem o direito de achar o que quiser, mas o fato é que esse primeiro filme não calça a chinela de nenhum dos três O Senhor dos Anéis.
    Torço para que as seqüências melhorem. Eu amo a Terra Média e quero ver mais. Porém, ao invés de encher bobeira, espero que Peter Jackson traga mais conteúdo, do que perder tempo com coisas desnecessárias.
    Nossa, Juras, você foi muito maldoso com o filme“. Não, não fui. Apenas levantei pontos. E se você não está nem aí para a minha opinião, deixo o link do site
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , que reúne as avaliações dos principais veículos do mundo. A nota média lá é 6.5/10. É, eu não estou sozinho…

    E para finalizar…
    [h=2]Eu não dou opinião para você concordar, mas para te incomodar e te fazer refletir. Nem tudo é preto ou branco. Existem outras cores e elas são diferentes.[/h]===
    NÃO! Eu não vi só coisa ruim no filme. Como já falei, a minha nota é 7/10. E se for listar 10 pontos positivos sobre O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, digo abaixo:
    1. Estamos de volta a Terra Média!
    2. Conhecemos os Anões. De verdade!
    3. Os 10 primeiros minutos são GENIAIS!
    4. É divertido!
    5. Conhecemos mais sobre a Terra Média
    6. É o universo de O Senhor dos Anéis
    7. Thorin é ESPETACULAR!
    8. Peter Jackson sabe mostrar esse mundo!
    9. Os efeitos especiais são de cair o queixo!
    10. Bilbo Bolseiro é a razão de tudo!

    Para mim, isso já seria suficiente. Mas eu queria mais…
    Talvez esse foi meu erro…

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


     
    Última edição: 16 Dez 2012
    • Fail Fail x 4
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  2. Henrique MP

    Henrique MP Usuário

    Bom, concordo com algumas coisas, discordo de outras. Vou comentar aqui o que acho...

    Concordo em parte. Acho que o filme ficou desenvolvido sim, pois não senti o tempo "se arrastar", como alguns disseram. Porém, sua opinião sobre Gandalf salvar tudo e todos toda hora foi muito bem colocada. Para falar a verdade, até certo ponto não temos como negar que no livro também foi assim. Só não considerou que o PJ ainda deu um certo crédito ao Bilbo na cena dos trolls, pois no livro quem os salva ali é Gandalf e Gandalf apenas.

    Posso estar sendo um pouco fãzinho chato, mas se transformar uma história simples em uma história mais desenvolvida é algo ruim, me dá uma câmera e meia hora livre e deixo esse cara satisfeito com minha versão d'O Hobbit. E francamente, que culpa tenho eu se o Tolkien quis fazer a jornada do anel envolvendo o mundo todo e a do Bilbo não? É assim e ponto, é melhor se contentar. (Nota-se que eu NÃO concordo com a ideia de terem três filmes.)

    E todo filme é esperado, claro. O cara acha que clarividência vai transformar o filme pra ele? Porém, concordo com essa passagem: O Bilbo (que nunca havia pegado numa espada) lutando com habilidade contra um orc e logo em seguida não sabendo nem segurar uma espada na frente de Gollum foi ridículo.

    Não tenho nada pra declarar sobre o Radagast, pra mim ter ou não ter pouco difere. Quanto às músicas, achei a opinião deste cara MEDÍOCRE. "Homenagem aos anões de Branca de Neve", por quê? Eles cantam no livro, e a Música acrescenta sim à história. Como foi dito em outras críticas desse mesmo sujeito, os anões fazem muita palhaçada com uma missão séria. O momento da música foi um marco do filme pra mim, deu pra sentir o desejo pela terra e pelo ouro tomado a cada verso cantado pelos anões. O problema não é meu se este "crítico" não gosta das músicas. Se contente.

    Acho que cada anão traz uma identidade própria, apesar de darem mais foco ao Thorin e ao Balin. No entanto, da forma como foi dito, é possível me identificar com esta crítica. Mas ainda assim, quem nunca fez uma piada em hora inoportuna? Em uma situação tensa, o riso alivia. Afinal, os anões não vão ficar anos e anos com a cara emburrada! O bom e velho "tocar a vida" e não se prender no passado.

    Crítica medíocre. Nem me darei o trabalho de comentar.

    Em momento algum era pra ser épico como O Senhor dos Anéis. Quer ver algo épico como SdA? VAI VER SdA CARAMBA! "Viu que o que é importante é a trama do anel, e não dos anões?" Eu me recuso a comentar.

    Concordo.

    Concordo... Mas não. Eu acredito (ou é só fé mesmo) que o Peter vá conseguir fazer um bom trabalho nos outros filmes, mesmo que seu interesse principal seja o lucro.

    Para esta crítica vou apenas enfatizar uma passagem do próprio crítico...
    "Eu (EU EU EU) achei um filme nota 7/10 e divertido."

    Parabéns, mais incomodou que me botou pra pensar. Esse cara me lembra uma vez que uma mulher publicou um artigo sobre o porquê de GdT ser melhor que SdA. Não é um elogio.
     
    • Ótimo Ótimo x 4
    • Gostei! Gostei! x 3
  3. Rauthar Hast

    Rauthar Hast Usuário

    OMG, eu vi esse artigo também, a parte do "GoT é melhor q SdA pq G.R.R Martin está vivo, Tolkien não." foi o fim da picada :lol:

    Agora, sobre a crítica, só digo: Esse cara é fresco e se o filme fosse o melhor de todos os tempos ele provavelmente não estaria satisfeito. Ele diz que as piadas dos anões são ruins, MY GOD, ELES SÃO ANÕES! Vide Gimli em a trilogia SdA, ele é um personagem totalmente cômico e piadista. Se os anões não fizessem piada nenhuma o filme inteiro, ele provavelmente diria "Esses anões que ficam com cara de bunda o filme inteiro".

    E não são todos que fazem piadas, Balin por exemplo é extremamente sério, e nem vou falar de Thorin.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
    • LOL LOL x 1
  4. Mandos

    Mandos Tecendo os destinos de Arda

    Desde quando era permitido escrever lixo no fórum? Ainda bem que teve uma alma caridosa que se deu ao trabalho de responder ponto por ponto. A minha paciência se esgota facilmente. Um karma para o companheiro Henrique! Pela bravura!
     
  5. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Bom, é um post subjetivo, carinha tá no direito dele de dar opinião. E eu até responderia, mas aqui >> "Eu não dou opinião para você concordar, mas para te incomodar e te fazer refletir. " perdi a vontade, pq né, "ui, sou polêmico".
     
    • LOL LOL x 6
    • Gostei! Gostei! x 3
    • Ótimo Ótimo x 1
  6. Asca

    Asca Usuário

    Ele foi meio infeliz nessa critica, mas ele nao tah de todo errado. O problema eh que a forma que ele expressou a coisa toda apagou qualquer argumento mais plausivel que ele tivesse pra criticar o filme. Aquele velho papo de critica construtiva e critica inutil. :lol:

    E karma pro avatar da lovejoy! Sempre perco uns 2 minutos olhando pra ele
     
    • LOL LOL x 1
  7. Mandos

    Mandos Tecendo os destinos de Arda

    Pelo visto todas as respostas serão polêmicas! O que seria desse lindo fórum se não fossem as polêmicas. Parecem ser as partes mais divertidas.
     
    • LOL LOL x 1
  8. Asca

    Asca Usuário

    Da pra copiar e colar essas respostas lah no cinema com rapadura mesmo, pq esse colunista quis mais causar que criticar o filme. Se ele tivesse mais seguranca da critica dele e dos argumentos ele nem se preocuparia justificando com

    "Eu não dou opinião para você concordar, mas para te incomodar e te fazer refletir." :lol:
     
    • Gostei! Gostei! x 4
  9. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    O Sr Rapadura vencida!!!: Vai ler os livros da mitologia Tolkien antes de falar essas asneiras das mais toscas seu zé!
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  10. Henrique MP

    Henrique MP Usuário

    O típico cara que botou o pé no cinema já pensando em como ia falar mal do filme depois.
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  11. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

    Curiosamente, eu tenho um motivo justo para O Hobbit ser inferior ao SdA: o livro também é. Ele é aventuresco, divertido, animador, mas com objetivos menores. Ao contrário do SdA, Tolkien não esperava criar nada épico quando o escreveu (vide a revisão de 1951). Adaptações que captem o espírito das duas obras tem que mostrar essa diferença.
     
    • Gostei! Gostei! x 6
    • Ótimo Ótimo x 1
  12. Lothloren

    Lothloren The Girl Who Waited

    Uhuu fiz um post polemico \o\ hahaha
    Mas gente, importantíssimo e que esqueci de salientar e não sei se alguns entenderam: As opiniões não são NEM DE LONGE parecidas com as minhas, compartilhei isso por aqui justamente por ter ficado indignadíssima com esse ser.
    Continuem dando suas opiniões ~polêmicas~ e parem de clicar em fail no meu post ;-;
     
    • LOL LOL x 4
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  13. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    O fail não foi pra vc, foi pra ELE :mrgreen:
     
  14. Lothloren

    Lothloren The Girl Who Waited

    Sei lá, né. Não quero que ninguém me odeie não ahahahahaha
     
    • LOL LOL x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  15. Clara

    Clara O^O Usuário Premium

    Parei de ler antes da metade.

    Tá na cara que essa pessoa não leu o livro.

    Como assim Radagast deveria ser excluído como Tom Bombadil foi de OSdA?
    Radagast nem aparece em O Hobbit (não "aparece" em livro nenhum, pelo que me lembro).

    Pronto. Parei nessa parte. :gotinha:
     
  16. Grimnir

    Grimnir Usuário

    uma das críticas mais sem sentido diz respeito ao tamanho do livro em relação à duração do filme. é verdade que OSdA é muito maior (em páginas) do que O Hobbit. acontece que O Hobbit é (muito) menos descritivo e mais dinâmico (a ação acontece com mais velocidade) do que OSdA - e isso faz muita diferença na hora de fazer um filme, creio eu. de onde surgiu essa idéia de que a razão páginas por minutos é uma boa medida pra dizer se uma adaptação de livro é longa ou não?

    além disso, os críticos que dizem que PJ está tirando até o último centavo d'O Hobbit, se esquecem de outro detalhe. a trilogia atual não é uma adaptação do livro, mas sim do livro dentro do contexto da obra de Tolkien. isso quer dizer que a adição de informações contidas nos apêndices de OSdA não é uma forma de alongar o filme, mas sim uma tentativa de "recontar" a história d'O Hobbit conectando-a com OSdA de uma forma parecida com o que o próprio Tolkien posteriormente fez.

    agora, tem uma coisa que eu concordo com o autor do texto do cinema com rapadura:

    O Conselho Branco acaba explicando que não faz sentido existir essa missão. E isso acaba resumindo o filme.

    eu achei que isso realmente foi um problema. acho que faltou destacar o perigo de uma aliança entre Sauron e Smaug, sendo que essa era a real motivação de Gandalf para participar da jornada dos anões (estou falando besteira?). era até uma boa oportunidade para falar, por exemplo, sobre a Queda de Gongolin e outros eventos envolvendo dragões.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  17. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Tá certo que o livro do Hobbit foi escrito antes do SDA, mas vale lembrar que o Hobbit é apenas um dos vários eventos que acontecem dentro do contexto e da cronologia da Guerra do Anel. Esses sujeitinhos que não sabem nada...
     
  18. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    • Gostei! Gostei! x 2
  19. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Quanto a opinião do cara sobre o Oscar eu concordo sem tirar nem por, pelo menos para esse primeiro filme. Levo fé no segundo, até pq será nesse que as coisas realmente vão acontecer. O terceiro eu tenho o receio de que será cheio de enchimento de linguiça.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
    • Fail Fail x 1
  20. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Cara, mas vem cá, o PJ não está tirando material dos apêndices? Como assim, o apêndice do SDA aglutinando com o Hobbit é a possibilidade de encher linguiça?
     
    Última edição: 18 Dez 2012

Compartilhar