1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Teoria da Inferência Correspondente

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Isildur, 12 Jul 2007.

  1. Isildur

    Isildur Oh, no... More Porcelaine!

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    "Duas pessoas estão sentadas juntas numa sala: experimentador e cobaia. O experimentador se levanta e fecha a porta, e a sala fica silenciosa. A cobaia fica propensa a acreditar que o objetivo do experimentador ao fechar a porta era tornar a sala mais silenciosa."

    Nesse post do blog do Bruce Schneier ele se propõe a discutir porque o terrorismo não é funcional, baseado na Teoria da Inferência Correspondente. Ele chama isso de "Bug Evolucionário do Cérebro".

    Mas indo um pouco além da implicação desse "bug" com atos terroristas (que a maioria das pessoas sabe que não busca a morte de pessoas simplesmente, que existe uma motivação política por trás, logo, a Inferência Correspondente não funcionaria), eu achei interessante a implicação disso no meu dia a dia. Quantas coisas não são assumidas erroneamente, quantas brigas, discussões e coisas do tipo não acontecem porque simplesmente assumimos que determinado ato teve como objetivo algo, quando na verdade o que a pessoa objetivava era algo completamente diferente.

    Isso acontece com vocês? As vezes "supor demais" pode ser uma péssima desvantagem?
     
  2. Rustita

    Rustita Elfa Bobinha

    Eu "soponho" que sim.

    Em casa mesmo cada um é tão difernte do outro, que os pontos de vista tb são diferentes. E com isso quando alguém fala algo que o outro "desconhece" vira briga -.-

    Eu gostaria q as pessoas fossem mais abertas quanto ao sentido geral de cada coisa, ou então pensassem menos e esperassem para ver no que a situação ia dar....
    Precisamos ser mais tolerantes.
     
  3. #Ryu

    #Ryu Usuário

    Hm. Você criou este tópico por algum motivo além deste que propõe!
     
  4. Isildur

    Isildur Oh, no... More Porcelaine!

    Nada, eu vi isso no Digg, no dia em que postei e pensei: Hmmm... Sabe que isso acontece bastante? Tanto as coisas que eu faço sendo interpretadas de outras maneiras, quanto eu mesmo interpretando os outros de maneiras diferentes a que eles gostariam.

    Eu queria saber o quão comum isso pode ser. Faz bastante sentido, o exemplo da matéria é totalmente cabível.

    E você já está querendo interpretar esse tópico de maneira errada!!! :tongue:

    :lol:
     
  5. #Ryu

    #Ryu Usuário

    Hhehe, eu estava a brincar.

    Você está falando de uma espécie de resposta padrão, ensinada por milênios de alterações genéticas e experiências humanas.
    A mesma coisa acontece quando você chega em alguém, com a cara de atabalhoado, e se você escolher bem as palavras, dizendo alguma coisa assim:

    Eu sei de tudo

    As pessoas que tem alguma coisa a esconder (e não são poucas) vão pensar se você sabe mesmo, e como sabe, e além disso, o que elas fizeram que poucos sabem.
     
  6. Ptah

    Ptah Usuário

    Nossa Isuldur!!!! Como isso acontece no nosso dia a dia!!!! quantas vezes acabei não brigando com o namorado por achar que algo que ele fez foi motivado ou com o objetivo de algo e posteriormente, ao conversarmos, vermos que não era nada daquilo!!! Simplesmente tenho o hábito de supor, de pensar demais, de criar universos inteiros em volta da simples ação de uma pessoa. Até achava que era piração minha...

    Embora acho que declarar o motivo de algumas razoes ajuda a evitar esse tipo de reação automática.
     
  7. Rique

    Rique SSJ

    Isso acontece com todo mundo eu diria...
    Desde que desconhecemos os pensamentos de uma pessoa, tentamos descobrir, principalmente em uma sala fechada onde as atitudes da pessoa vão influir diretamente em você. Por exemplo se a pessoa usando um casaco abrir a janela e estiver bastante frio lá fora você pensará em algumas possibilidades por exemplo: "Por quê ele abriu nesse frio? Estará passando mal, com calor, querendo me ferrar?..." e aí dependendo da ação da pessoa você vai analisar a situação, se a pessoa não estiver passando mal aparentemente, nem com cara de estar com calor, com certeza você irá querer esganá-la! hahaha
    Mas isso é aplicado em tudo, basta estar próximo de uma pessoa e não saber o que ela pensa, por isso comunicação é essencial. Por isso sou a favor da sinceridade doa a quem doer.
     
  8. Alguém

    Alguém Usuário

    Só posso dizer que essa teoria eh... A TEORIA MAIS REAL QUE JÁ LI...
    Impressionante como isso acontece no dia-a-dia sem nos darmos conta...
     

Compartilhar