1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

RESENHA: Morcegos-Cérebro de Vênus e Sam Dora

Tópico em 'Quadrinhos' iniciado por hquest, 5 Out 2018.

  1. hquest

    hquest Usuário

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Que a década de 1950 e a seguinte trouxeram um estouro de ciência, influenciando as artes em geral, é um fato bem conhecido. O cinema explorou bastante essa onda em filmes, em sua grande maioria, baratos, porém, os quadrinhos também tiveram seu período marcante dentro desse contexto. Não por acaso, a influência da Era Atômica foi tema de um FormigaCast. Pelo valor histórico destes trabalho, mais os grandes nomes das HQ's envolvidos, a editora Mino lançou no Brasil duas coletâneas importantes: Os Morcegos-Cérebro de Vênus e Outras Histórias e O Que Havia na Caixa de Sam Dora?.

    Com o primeiro ocupando-se mais da ficção científica e o segundo do gênero terror, os dois encadernados são oportunidades de ouro para que os leitores mais novos sintam algo daqueles tempos. Sobre Os Morcegos-Cérebro, segue abaixo dois trechos da resenha publicada no site:

    ...A edição é exclusivamente brasileira – fruto de um trabalho pesado e dedicado dos editores Carlos Junqueira e Lauro Larsen. E põe pesado nisso. Porque todas as HQ’s inseridas no volume – 31 no total – são oriundas de uma época em que as coisas funcionavam de um jeito bastante diferente: primeiro, todas as histórias eram vendidas para as editoras que as publicavam. Portanto, em sua imensa maioria, elas não pertenciam de fato aos seus autores, mas ficavam no catálogo da empresa, que pagava uma miséria para os autores...

    ...Entre alguns colossos conhecidos da galera em geral – como Jack Kirby, Joe Simon e Steve Ditko – passando por alguns dos favoritos dos fãs de quadrinhos old school – como Alex Toth e Wally Wood – até nomes hoje relativamente esquecidos, mas enormemente talentosos – como Vince Fedora e Walter Kremer ...
     

Compartilhar