1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Paciente em estado vegetativo responde mentalmente á perguntas

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Fefe_Helena, 14 Nov 2012.

  1. Fefe_Helena

    Fefe_Helena Who's that girl

    Um canadense que há mais de dez anos entrou em estado vegetativo conseguiu "responder" a perguntas feitas por pesquisadores, como "você sente dor?", durante um exame de ressonância magnética funcional.
    O feito, registrado pelo neurocientista britânico Adrian Owen na Universidade de Ontario Ocidental, no Canadá, mostra que o paciente Scott Routley, 39, tem uma consciência mínima.
    Fizemos o exame diversas vezes, e o padrão de atividade cerebral mostra que ele está claramente escolhendo responder às nossas questões. Acreditamos que ele sabe quem é e onde está", afirmou o pesquisador à BBC.
    O grupo de Owen já havia publicado uma pesquisa na revista médica "Lancet" demonstrando a detecção de consciência mínima em pacientes antes classificados como em estado vegetativo.
    O estudo foi relatado em reportagem da Folha em novembro de 2011. À época, o neurocientista afirmou que determinar que alguém está em um estado minimamente consciente e não vegetativo permanente pode mudar o prognóstico do paciente, porque as chances de recuperação são maiores para quem está consciente.
    LESÃO CEREBRAL
    Quem sofre uma lesão cerebral pode ter sua consciência afetada em diferentes níveis. Após um dano que leve ao coma, o paciente pode evoluir para estados como a morte cerebral, sem possibilidade de recuperação, o coma crônico ou vegetativo.
    Entre os que ficam vegetativos, parte fica nesse estado em caráter permanente, com poucas chances de recuperação, e parte retém uma consciência mínima.
    O trabalho de Adrian Owen tenta identificar essa consciência mínima nos pacientes.
    Scott Routley sofreu um acidente de carro há 12 anos, que causou uma lesão cerebral. Seus pais afirmaram à BBC que sempre acharam que o filho tinha alguma consciência e respondia a questões com movimentos dos dedos, mas essa percepção não era aceita pelos médicos.
    Os resultados de Routley e de outros pacientes que demonstraram padrões cerebrais condizentes com respostas durante as ressonâncias magnéticas serão tema de um documentário exibido pela rede britânica.
    O neurorradiologista Edson Amaro Junior, professor da Faculdade de Medicina da USP e coordenador do Instituto do Cérebro do hospital Albert Einstein, afirma que o trabalho de Owen abre a perspectiva de uma nova linha de pesquisa, mas ainda há muitas perguntas a serem respondidas antes de confirmar os resultados do estudo atual.
    Amaro explica que a ressonância magnética funcional detecta mudanças na oxigenação do cérebro que indicam as regiões onde os neurônios estão em atividade.
    Para saber se os pacientes estão respondendo ou não, os padrões de imagem são comparados aos de pessoas "normais".
    Uma das ressalvas à técnica, segundo o radiologista, é essa comparação, porque justamente a oxigenação do cérebro pode ter mudado com o dano. "A pessoa que sofreu a lesão não tem a mesma resposta vascular. O cérebro está preservado, mas sofreu ruptura de conexões."
    Também é difícil saber se o paciente está entendendo as perguntas ou não -porque nem todos têm a audição preservada-, se suas respostas correspondem ao que foi indagado ou se a ordem das questões influencia a forma da resposta.
    Amaro diz que uma aplicação importante para a técnica, no futuro, pode ser melhorar o conforto do doente, ao obter respostas sobre o nível de dor, como foi tentado agora. Por outro lado, o exame pode aumentar o nível de ansiedade do paciente, quando ele percebe que pode responder, mas não perguntar.
    ____________________________________________________________________________________________________________________________

    Confesso que me surpreendi com a noticia...Imagina o que isso significaria para o progresso da medicina, e também para psiconeurologia? Um paciente em estado vegetativo que consegue responder, digamos "psiquicamente" respostas com "sim" ou "não" irá gerar um grande (enorme para falar a verdade) estresse no paciente...ele irá querer se conectar com o mundo externo, mas privado de todos os seus behaviors ele poderá gerar quem sabe outro tipo de sindrome psiquica...eu realmente fiquei de boca aberta!

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


     
    • Gostei! Gostei! x 4
  2. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Um teste mais seguro para saber sobre a consciência do paciente seria refazer as perguntas em ordem diferente e observar a reação cerebral, se as respostas variassem, então é aleatório.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. Fefe_Helena

    Fefe_Helena Who's that girl

    por isso foi feito a ele perguntas intimas....não somente aleatorias...perguntas que digamos, somente ELE e mais uma pessoa soubesse
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Quando eu disse aleatórias quis dizer que se uma vez perguntado uma coisa qualquer ele tem uma reação cerebral, depois de outras perguntas essa mesma pergunta é feita, se a resposta cerebral fosse diferente então não era consciência, era aleatório, o chamado método científico, os resultados não podem variar ou podem mas dentro de uma margem restrita de erro.
     

Compartilhar