• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

[L] [Liteeliniel][A Caverna de Glati - Um conto a ser estudado]

liteeliniel

Usuário
[Liteeliniel][A Caverna de Glati - Um conto a ser estudado]

Gente, desculpe, mas acho que esse é o pior dentre todos os meus contos. Mas de qualquer forma, pode ser o inicio de alguma coisa. Vejam o que acham!


Em um vale muito distante de terras conhecidas, em Avnat, terra dos anões, chamado Glati, moravam Fran, Morgan, Jim e Dit. Eram quatro amigos anões, muito unidos e sempre se encontravam em frente à cachoeira, que desaguava em um rio. Esse beirava o lugar ao lado esquerdo. No seu caminho, ele virava à direita mais para frente e continuava seu curso normalmente, caindo, ao longe, em uma grande cascata. A cachoeira, na quina da montanha, reluzia um lindo arco-íris.
Do outro lado do vale, uma mata escura e sombria cercava a aldeia. Uma pequena trilha adentrava o mato, feita pelos anões, onde mais para frente uma bifurcação fazia um "V". À direita levava para a estrada principal. Essa sim era grandiosamente aberta e clara, porém, apenas alguém muito atencioso poderia notar, por entra as folhagens, o caminho para Glati, vindo da estrada. À esquerda da trilha, ia para as minas onde os anões da aldeia trabalhavam.
Uma manhã clara sorriu para os anõezinhos. Os adultos haviam ido trabalhar e suas mulheres, pescar, ou, colher, tecer, etc... As crianças, ficavam brincando, porém, nunca adentravam a mata, mais conhecida como Floresta Glob, a não ser que estivessem com a companhia dos pais. Fran, Morgan, Jim e Dit estavam nadan na lagoa. Algum tempo depois, Dit, embusca de aventura, afirmou:
- Posso escalar essa cachoeira, e subir contra essa forte correnteza! Aposto que nenhum de vocês podem!
- Eu posso! - Gritou Jim
- Ótimo! - Falou Dit entusiasmado - Então temos uma aposta?
- Depende... Até onde você quer ir?
- Até o topo! Quem chegar primeiro, desce como preferir. Quem chegar por último, tem que puler.
- Feito!

Então, os dois ficaram em suas marcas (um exatamente ao lado do outro) e Fran deu o grito de partida. Mas assim que se depararam com a cachoeira, e atravessaram a água, descobriram que não existia nem um revestimento de pedra nem nada.
Era uma caverna, que se escondia atrás de toda aquela aguaceira. Jim e Dit chamaram os outros e juntos, os quatro, entraram na caverna.
O lugar era escuro e mal cheiroso. Morgan levara a Mistombist, uma pedra que iluminava os lugares mais densos e sombrios.
O caminho ia sempre reto e subia, como um suspiro ou um rodamoinho. Quando chegaram ao topo, uma escada de feita de corda e madeira estava lá, como se esperando por eles. Hesitaram em subir, pois já estava ficando tarde. Por mais, que não fossem mais crianças, e pelo contrário, Morgan tinha 17 anos, Fran 16, Jime Dit quase 15, tinham que voltar, pois era capaz que os adultos começassem a voltar, e poderiam sentir falta deles e armar uma busca. Seria confusão de mais.
Estavam indo em fila indiana em ordem decrescente. Uma mão vermelha saiu dentre a escuridão e agarrou Dit, o último da fila. Jim, que estava em sua frente, vira exatamente o que aconteceram e logo gritou:
- Dragão! Dragão! - Os dois da frente olharam espantados para Jim - Um Dragão Raptou Dit!
- Um dragão? - Perguntou Fran.
- Sim! - Respondeu ele - Eu vi com os meu próprios olhos suas garras avermelhadas!
- Um dragão por aqui? - Falou Morgan - Mais isso não faz nenhum sentido. É impossível ter um dragão por aqui. Venham, temos que chamar os outros da aldeia, para nos ajudar, pois já devem estar chegando. Vamos, corram!

E assim foi feito. Desceram rapidamente o "suspiro". Contaram para ao anões adultos, que se arrumaram em muito pouco tempo, e juntos caminharam em direção a caverna.
Já dentro, ascenderam suas tochas, montaram em uma invenção de duas rodas e de madeira e subiram. Lá em cima, um por um subiu a escada. O primeiro a subir foi Morgan, quem mostrava o caminho, seguido por Inspa, o chefe da aldeia.
A sala era ainda mais escura que o suspiro e muito mais abafada. Lá, nem a luz de Morgan iluminava muito. Todos já aguardavam ordens do chefe impacientes.
Surgiu de cima, um vulto preto que desceu em frente em frente a Inspa. Os outros anões fizeram uma roda em volta do espectro e falaram palavras sagradas. Esse, saiu como um tornado e nunca mais foi visto. Dit reapareceu logo em seguida, desmaiado e teve tudo como um simples pesadelo.
No dia seguinte, tudo voltaram ao normal. Os anões mais velhos foram para as minas, as mulheres haveriam de fazer seus afazeres matinais e as crianças brincavam. O único que se encontrava fora da aldeia era Morgan, que viajara para Linst, uma outra região. A caverna era agora iluminada por tochas e onde os anões guardavam lindas pedras preciosas e brilhantes, que achavam durante as escavações e ficou denominada como A Caverna das Pedras.

 

Vinci

Usuário
Realmente Llitteliniel, apesar de bem escrito, a história peca...
Publique os melhores contos também!
 

Goba

luszt
llitteliniel, pra quê publicar aqueles que você considera os piores se você pode publicar os melhores? Vamos, quero ver mais contos! :obiggraz:

Elen síla lúmenn' omentielvo! :beer:
 

liteeliniel

Usuário
Maedhros disse:
llitteliniel, pra quê publicar aqueles que você considera os piores se você pode publicar os melhores? Vamos, quero ver mais contos! :obiggraz:

Elen síla lúmenn' omentielvo! :beer:
Vinci Murray disse:
Realmente Llitteliniel, apesar de bem escrito, a história peca...
Publique os melhores contos também!

E já publikei dois.

http://forum.valinor.com.br/viewtopic.php?t=9503

http://forum.valinor.com.br/viewtopic.php?t=1108

Recentemente estou trabalhando em um, que no futuro virara um livro. Mas fora esse, começarei a escrever uma nova versão de A Bela e a Fera. (e num vai ser nem um pouco contos de fadas)
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.470,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo