• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Depois de encerrado as eleições, nada mais justo que um tópico oficial para acompanhar e discutir este governo que se inicia em 01/01/2019 e termina em 31/12/2022.

Nessa fase de transição o que é importante acompanhar, é a formação dos ministérios e por enquanto o que aparece com destaque são as fusões visando reduzir ao máximo. Vamos ver o que vai acontecer.


Bolsonaro decide fundir Fazenda com Planejamento e Agricultura com Ambiente


  • O deputado Onyx Lorenzoni, Gustavo Bebianno, ex-presidente do PSL, e Paulo Guedes, futuro ministro, durante entrevista no Jardim Botânico após reunião com Jair Bolsonaro


O presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), decidiu manter a fusão de ministérios proposta durante o período eleitoral. Nas últimas semanas de campanha, o então candidato sinalizou que poderia recuar da promessa, em aceno a setores insatisfeitos com a junção das pastas.

O governo terá, portanto, um ministério da Economia, reunindo as atuais Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio, e outro com Agricultura e Meio Ambiente.

A decisão foi anunciada após reunião de Bolsonaro com integrantes da sua equipe, como o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), o economista Paulo Guedes e o advogado Gustavo Bebianno. O encontro ocorreu entre a manhã e a tarde desta segunda-feira (30), na casa do empresário Paulo Marinho, no Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro. Marinho foi eleito o 1º suplente do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), um dos filhos do presidente eleito.

A configuração, com as mudanças, ficaria assim:

  • Três ministérios se fundem: Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio -> tornam-se um único ministério, da Economia;
  • Outros dois ministérios se fundem: Agricultura e Meio Ambiente -> um só ministério, ainda sem nome definido.

O vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão (PRTB), também participou do encontro e, ao sair, listou seis ministérios que, segundo ele, já estão absolutamente garantidos: Economia, Casa Civil, Defesa, Relações Exteriores, Saúde e Trabalho.

Até o momento, foram confirmados os nomes do general Augusto Heleno (PRP), para a Defesa, de Paulo Guedes, para o ministério da Economia, e próprio Lorenzoni para a Casa Civil. Um quarto ministro praticamente certo é o do astronauta Marcos Pontes para a Ciência e Tecnologia. Nesta segunda-feira (29), Bolsonaro disse que falta apenas um "detalhe" para confirmar a indicação.

Número de pastas indefinido ainda


Segundo Onyx, a administração federal terá "15 ou 16" pastas e já há uma lista de nomes que estão sendo analisados para comandá-los. "Deveremos ter entre 15 e 16 ministérios. Há um processo de definição por parte do presidente em uma área muito importante. Esta definição ocorrerá na quinta ou na sexta-feira para permitir que, na segunda, a gente já tenha o desenho dos ministérios com capacidade de ser divulgado."
Mourão disse que a definição dos ministérios "está em cima da mesa para o presidente decidir", mas citou uma previsão um pouco diferente. Segundo ele, a dúvida é se o número será de "16 ou 17".

A indefinição ocorre para evitar que o governo se torne um "Frankenstein" e seguir o plano inicial de ter 15 pastas "ficou difícil", segundo Mourão. "O presidente já tem uma lista de nomes [de possíveis ministros] que ele está nesse momento fazendo a definição final. Acredito que nos próximos dias ele deva liberar mais alguns nomes."

Equipe vai antes para 'diagnóstico preliminar'


"Hoje foram decididos aí já alguns nomes. Houve um significativo avanço, em torno de 80% dos ministérios já estão definidos. Apenas por uma questão estratégica nossa, vamos passar os nomes um pouquinho mais para frente", declarou Bebianno, que presidia o PSL até esta segunda-feira (29).

Onyx definiu o encontro de hoje como uma "reunião preparatória" e afirmou que o processo de transição começa oficialmente amanhã. "Nós vamos levar amanhã os nomes dos novos técnicos que vão nos ajudar no recebimento dos números do atual governo, no conhecimento de todos os processos que estão em andamento no atual governo."

A ideia é voltar de Brasília no fim de semana com um diagnóstico preliminar que será repassado a Jair Bolsonaro, que planeja viajar à capital federal na terça-feira (6). A partir de segunda-feira (5), a equipe de transição se instalará no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil).

Ainda de acordo com Mourão, que anunciou a própria participação na equipe de transição do governo, ele e Bolsonaro viajarão para Brasília na próxima terça-feira (6), quando o presidente eleito fará visitas institucionais e protocolares.

Mourão quer ser "Coringa"


O general contou que não vai acumular a vice-Presidência com nenhuma pasta. "Isso é decidido já. Decisão minha. Ele me perguntou se eu queria e eu disse que não era o caso", declarou.

"Porque eu acho que é preferível que eu fique numa posição mais independente, para assessor ele, e na hora que ele precisar de um coringa para alguma coisa, ele tem à disposição", declarou.

Recuos


Ao deixar a casa de Paulo Marinho, Onyx foi questionado sobre a razão pela qual, durante o segundo turno, a campanha havia sinalizado um recuo em relação a fusões ministeriais, como o da Agricultura e Meio Ambiente.

"Gente, não falou nem o Bolsonaro nem eu", respondeu ele. A reportagem do UOL lembrou então que Bolsonaro havia dito que estaria disposto a dialogar com a sociedade antes de definir pela fusão. "Mas ele não falou que não ia fazer."

"Ninguém recuou nada. A questão da agricultura, alimentação e meio ambiente é uma decisão desde os primeiros passos do plano de governo." A reportagem insistiu e questionou se a postura do então candidato a presidente teria sido fruto de uma "pressão eleitoral". "Nunca vi isso. Você está dizendo uma coisa que eu nunca ouvi."

Depois de ser desautorizado por Guedes publicamente por ter falado publicamente, ontem, sobre os planos econômicos de Bolsonaro, Onyx fez questão de se posicionar ao lado do economista. "É um político falando de economia", comentou, mais cedo. A entrevista havia sido encerrada e o deputado federal já havia caminhado rumo à casa, quando viu que Guedes retomou sua fala. "Licença, tenho que ficar do lado dele", pediu Onyx a cinegrafistas.

Previdência neste ano ou em 2019?


Questionado se Bolsonaro determinou que a reforma da Previdência seja acelerada para que haja votação ainda no atual governo, Paulo Guedes disse que "do ponto de vista econômico, quanto mais rápido, melhor.
"Nós estamos atrasados. Essa reforma podia ter sido feita lá atrás já. Agora evidentemente existe um cálculo político", declarou. "O nosso Onyx, corretamente, não quer que de repetente uma vitória nas urnas se transforme em uma confusão no Congresso", acrescentou.

Segundo o economista, se o Congresso não tiver condições, a equipe de Bolsonaro se submeterá.
 

Neoghoster Akira

Brandebuque
Fúria, era você que tinha conta no Skyscraper City (fórum de arquitetura e urbanismo)? Tem um tópico que estou acompanhando leitura lá que está com umas 20000 mil páginas, da eleição do descascamento do PT, da desossa merecida da Folha:

Tem que logar pra ler:

Política do Brasil | Notícias e Discussões
https://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1771673&page=19983

Com relação ao assunto, na área econômia estou curioso pra saber como será a ponte com os industriais de São Paulo que apoiaram outro candidato (os fabianos e a Fiesp). A indústria anda defasada e estagnada e também precisa de garantias para não fechar.
 

Bel

Moderador
Usuário Premium
A configuração, com as mudanças, ficaria assim:

  • Três ministérios se fundem: Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio -> tornam-se um único ministério, da Economia;
  • Outros dois ministérios se fundem: Agricultura e Meio Ambiente -> um só ministério, ainda sem nome definido.
Será que vão liberar verba pro Censo 2020?
E adeus Amazônia...
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Fúria, era você que tinha conta no Skyscraper City (fórum de arquitetura e urbanismo)? Tem um tópico que estou acompanhando leitura lá que está com umas 20000 mil páginas, da eleição do descascamento do PT, da desossa merecida da Folha:
Sim, eu tenho conta e acompanho, embora o meu foco de acompanhamento é mais pra tópicos voltados pra turismo, pois é um fórum que tem excelentes tópicos nesse segmento.

Será que vão liberar verba pro Censo 2020?
E adeus Amazônia...
Essa fusão de Agricultura com Meio Ambiente tende a ser tão ou mais polêmica quanto a do Temer com Cultura e Meio Ambiente.
 

Neoghoster Akira

Brandebuque
Sim, eu tenho conta e acompanho, embora o meu foco de acompanhamento é mais pra tópicos voltados pra turismo, pois é um fórum que tem excelentes tópicos nesse segmento.
Sim, lembro porque estávamos um dia falando do tópico do Trem Bala prometido do PT que tinha umas 50 mil páginas (aproximadamente um mihão de posts aguardando a obra terminar).

Eu comentei porque vale uma espiada nessa parte de um fórum de grande porte(mais de um milhão de membros) que o movimento com queda acentuada foi mais diretamente afetado pelos escândalos das construtoras que veio quando o dinheiro sumiu do mercado e as mega obras pararam (Copa e Olimpíadas). Lá o pessoal tinha muitos tópicos com o andamento de obras pelo Brasil e de infra estrutura que congelaram com a crise. Não admira o fórum estar de cima a baixo (staff e membros) emputecidos com os casos.

De todo modo uma parte da indústria (transportes e caminhoneiros que atuam na distribuição) parecem estar interessados em como vai ser, então vamos aguardar.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Moro e Bolsonaro se reúnem nesta quinta para discutir indicação

Quanto a ocupar o ministério da justiça, eu particularmente gostaria que o Moro ainda ficasse aonde está por pelo menos por mais dois anos, pois tem sido fundamental na Operação Lava Jato e ainda há alguns processos a serem julgados em que a participação dele será muito importante.

Depois que o Celso de Mello se aposentar no STF, daqui cerca de dois anos, aí sim acho positivo ele ser indicado para ocupar a vaga dele.
 

ricardo campos

Debochado!
Moro e Bolsonaro se reúnem nesta quinta para discutir indicação
Se isso não for conflito de interesses nada mais é nesse país.

"Imagine se, pouco depois do Atlético Mineiro e Flamengo, disputado no Serra Dourada, pela Copa Libertadores de 1981, na decisão da única vaga da fase de grupos, quando cinco jogadores do Galo foram expulsos, o árbitro José Roberto Wright fosse convidado pelo Flamengo para assumir a Diretoria de Futebol do clube.
O que você acharia disso?

E mais.

E se ele aceitasse?"

Juca Kfouri
 
Última edição:

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
A composição enxuta abaixo até lembra muito o que o Collor procurou fazer logo no início do seu mandato. Inicialmente na teoria é até bem fácil enxugar, mas todos os presidentes sempre tiveram dificuldade de terminar o mandato com o mesmo número que começou, tendo que recuar e adicionar alguns com o passar do tempo. Vamos ver o que vai acontecer.

Veja como será a composição dos ministérios no governo Bolsonaro:


1) Casa Civil com a Secretaria de Governo - Onyx Lorenzoni
2) Economia (fusão de Fazenda, Planejamento e Indústria, Comércio Exterior) - Paulo Guedes
3) Defesa - General Heleno
4) Ciência e Tecnologia (com ensino superior) - Marcos Pontes
5) Educação, Cultura e Esporte
6) Agricultura e Meio Ambiente
7) Trabalho
8) Minas e Energia
9) Relações Exteriores (está em discussão se será um diplomata ou alguém formado em relações internacionais)
10) Integração Nacional (ainda não está definido, mas deve juntar com Cidades e Turismo)
11) Infraestrutura, juntando com Transportes
12) Gabinete de Segurança Institucional (talvez mude o nome para ministro de Segurança Institucional, ao invés de ministro chefe do gabinete) - deverá ser um nome ligado ao Exército
13) Desenvolvimento Social junto com Direitos Humanos (pode ser uma mulher ligada a movimentos)
14) Justiça e Segurança
15) Saúde
 
O cara só ta fazendo coisa boa diminuir ministerio é algo nescessario a muito tempo tem muitos gastos desnecessarios nesse horror de ministerios!
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Se isso não for conflito de interesses nada mais é nesse país.

"Imagine se, pouco depois do Atlético Mineiro e Flamengo, disputado no Serra Dourada, pela Copa Libertadores de 1981, na decisão da única vaga da fase de grupos, quando cinco jogadores do Galo foram expulsos, o árbitro José Roberto Wright fosse convidado pelo Flamengo para assumir a Diretoria de Futebol do clube.
O que você acharia disso?

E mais.

E se ele aceitasse?"

Juca Kfouri
Eu até acho válido essa analogia do JK, até porque um juiz saindo desse cargo indo para diretoria de um clube não teria a mesma autonomia de trabalho. Aliás Zico que é o maior ídolo e que ficou pouquíssimo tempo no cargo que o diga.

Por isso prefiro que o Moro continue no judiciário e mude de cargo somente se for pro STF, mas se mantendo na esfera do poder judiciário e escrevo isso independente de qual presidente fosse, pois sei que o Álvaro Dias já intencionava fazer esse convite e até o João Amoêdo chegou brevemente a flertar em fazer o mesmo também.
 

ricardo campos

Debochado!
qual o conflito de interesse se moro aceitar?
Conversou com a campanha do Bolsonaro durante o período eleitoral. Tira o principal concorrente/Lula da disputa e depois aceita o singelo convite para ser Ministro da Justiça do futuro governo Bolsonaro. Parece até jogada combinada. Imagine você na situação do réu, Grimnir. Pensaria o quê?
Lógico que com duas vagas para o STF/2020, o Moro teria mais chance num possível governo Bolsonaro. Fosse um governo Haddad seria impossível.

Por isso prefiro que o Moro continue no judiciário e mude de cargo somente se for pro STF
Ele aceitou o cargo no Ministério. Segundo O Estadão.
 

Grimnir

Well-Known Member
Usuário Premium
a história do moro com o lula antecede bastante o bolsonaro. enfim, só com provas dessa "jogada combinada" para sairmos do plano das teorias conspiracionistas.
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$130,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo