1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Foreign Policy: O modelo de Jair Bolsonaro não é Berlusconi: é Goebbels.

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Bel, 8 Out 2018.

  1. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    O líder da extrema direita brasileira não é mais um populista conservador. Sua propaganda de campanha é tirada diretamente da cartilha nazista.
    Tradução de:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    No dia 7 de outubro os brasileiros votarão nas eleições em primeiro turno em que o candidato Jair Bolsonaro é favorito a vencer. Bolsonaro, que também é conhecido como “Trump Brasileiro”, está atualmente sendo aconselhado por Steve Bannon em sua campanha. Ainda no hospital após uma tentativa de assassinato há poucas semanas atrás, o populista brasileiro combina promessas de medidas de austeridade com profecias de violência. Sua campanha é um misto de racismo, misoginia e posições extremistas de lei e ordem.

    Ele quer que criminosos sejam sumariamente alvejados do que enfrentando um julgamento. Ele apresenta o povo indígena como “parasitas” e também advoga em favor de formas de controle de natalidade discriminatórias e eugênicas. Bolsonaro advertiu sobre o perigo imposto por refugiados do Haiti, África e Oriente Médio, chamando os mesmos de “escória da humanidade” e argumentou que o era o exército quem deveria lidar com eles.

    Ele frequentemente faz discursos racistas e misóginos. Como exemplo, ele acusou afro-descendentes de serem obesos e preguiçosos e defendeu punição física para prevenir que crianças se tornem gays. Ele ligou homossexualidade a pedofilia e disse a uma deputada no Congresso Nacional “eu não a estupro porque você não merece”.

    Nessas e em outras falar, o vocabulario de Bolsonaro remonta a retórica por trás das politicas nazistas de perseguição e vitimização. Mas parecer um nazista faz dele um nazista? De maneira que ele acredita em eleições ele ainda não chegou lá. Entretanto, as coisas podem mudar rapidamente se ele conquistar o poder. Recentemente, Bolsonaro argumentou que ele nunca aceitaria a derrota nas eleições e sugeriu que o exército poderia concordar com esse ponto de vista. Essa é uma ameça clara à democracia.

    Ele deixou implícita a possibilidade de um golpe. Ele endossou o legado das ditaduras latino-americanas e sua guerra suja e que é um admirador do general chileno Augusto Pinochet e outros homens fortes. E da mesma forma que os generais argentinos da guerra suja dos anos 1970 e do próprio Hitler, Bolsonaro não vê legitimidade na oposição, que para ele representa o poder tirânico. Ele disse mês passado que seus oponentes políticos, membros do Partido dos Trabalhadores, deveriam ser executados.

    Para Bolsonaro a esquerda representa a antítese da democracia. Representa o que ele chama de “venezualização” da política. Mas, de fato, variantes populistas da esquerda da América Latina não envolvem racismo ou xenofobia, mesmo quando, como no caso da Venezuela, eles seguiram para uma direção ditatorial.

    A maioria dos populistas da esquerda, assim como os da direita tradicional, não destroem a democracia. Eles minimizam e por vezes corrompem e cerceando as dimensões institucionais, mas aceitando o resultado das eleições quando perdem. Para os populistas da esquerda, como foram recentemente os mandatos de Néstor e Cristina Kirshner e Rafael Correa, no Equador. À direita, houve diversos populistas tradicionalistas incluindo Carlos Menem na Argentina e Silvio Berlusconi na Itália, que não são antidemocráticos. Isso não é o que Bolsonaro se posiciona a favor. Diferentemente de formas anteriores de populismo (à direita e à esquerda) que abarca a democracia e rejeita a violência, o populismo de Bolsonaro retoma os tempos de Hitler.

    Não é uma coincidência que, no mês passado, a Embaixada da Alemanha sofreu cerco de comentários online dizendo que o Nazismo era socialismo. Críticos rotularam Bolsonaro um nazista de tendências nacionalistas de extrema direita e muitos dos comentaristas ultrajados no post da embaixada alemã eram apoiadores do ex-militar.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição: 8 Out 2018
    • Ótimo Ótimo x 6
    • Péssimo Péssimo x 2
  2. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    A opinião de uma renomada revista internacional é péssima? Blz... :joinha:
     
    Última edição: 9 Out 2018
    • Ótimo Ótimo x 4
  3. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Olhei o histórico do
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    e não vi uma matéria condenando a roubalheira do Lula, só críticas sobre Trump, Perón, Berlusconi e do Brasil ele citou Vargas. A The New School é uma instituição muito respeitada por ter sido fundada por Acadêmicos que fugiram do Facismo e Nazismo. Mas que fique bem claro que a tradição filosófica do pensamento é de esquerda.

    Isso só reforça a sensação de que o PT, de tão desmoralizado internamente, vai começar a recorrer a Instituições internacionais para reforçar o rótulo de "nazista" de Bolsonaro. Eu devo ter sido arremessado para alguma realidade paralela onde a sociedade é oprimida pelo Homem do Castelo Alto pois, até onde sei, ainda estamos sob a batuta de um governo petista. Podem espernear e jurar por todos os deuses, a miséria em que Brasil está não foi gerada por um candidato que nem assumiu a presidência.
     
    • Ótimo Ótimo x 2
    • Péssimo Péssimo x 1
  4. G.

    G. Ai, que preguiça!

    hum... então agora toda vez coisa que uma revista internacional publica algo é automaticamente ótimo e é imperativo de que com ela se concorde? blz :joinha:
     
    Última edição: 8 Out 2018
    • Ótimo Ótimo x 2
    • Péssimo Péssimo x 2
    • Fail Fail x 1
  5. Giuseppe

    Giuseppe Eternamente humano.

    Quer dizer que todo mundo que se opõe ao Bolsonaro agora é do PT? Putz. Não dá nem pra criticar o cara sem ser chamado de esquerdopata. Por favor, pessoal, entendam, muita gente que não apoia o Bolsonaro e critica ele não é nem de longe apoiador do PT. Não é certo achar que toda vez que alguém escreve um artigo criticando o Bolsonaro o autor é necessariamente de esquerda. Sei que às vezes é, mas às vezes não é.
    Eu mesmo não apoio o Bolsonaro e não voto e jamais votei no PT em toda a minha vida.
     
    • Ótimo Ótimo x 3
  6. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Eu até concordaria com você Guiseppe, se estivéssemos num governo bolsonarista nos moldes da Bolívia e Venezuela com convulsão social e generalizada por todos os lados. Como eu disse, estamos nos momentos finais do Governo do PT e todos estes indicadores sobre violência, assassinatos, feminicidios, racismo e desempregos são um somatório de anos e anos de descaso, desvios, desmandos e por aí vai. E tudo isso cresceu exponencialmente no últimos anos em decorrência do aumento do tráfico e da guerra declarada entre facções por pontos de tráfico e some-se a isso a redução progressiva de policiais que se aposentaram e da demora dos governos em repor o efetivo; além das cadeias superlotadas que sempre são denunciadas pela Human Right Watch.

    Ou seja, não tem por que ficar se martirizando e projetando tudo o que ocorre de ruim no país ao longo de décadas e achar que um candidato vai criar um Estado Islâmico.
     
    • Ótimo Ótimo x 2
    • Fail Fail x 1
  7. Giuseppe

    Giuseppe Eternamente humano.

    Eu só quis dizer que nem todos que criticam o Bolsonaro são de esquerda. Jamais votarei no Bolsonaro, e também não vou votar no PT, então de um jeito ou de outro vou ficar insatisfeito com o resultado das eleições. Obviamente não gosto nem um pouco da situação atual do país e não confio no PT, mas Bolsonaro pra mim não é a resposta.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  8. ricardo campos

    ricardo campos Debochado!

    Até onde sei o governo PT acabou no dia da deposição da Dilma. Não querer enxergar isso é realmente viver num mundo paralelo. PT foi para oposição, o PSDB naufragou nas eleições justamente por participar diretamente do governo Temer/MDB. Não lembro do PSDB participando do governo Dilma, mas o Bolsonaro/PSL está no congresso dando sustentação ao Temer/MDB (outro governo).

    Com todos os erros do partido ainda elegeu a maior bancada do congresso, três governadores e tem um candidato na disputa do segundo turno na eleição presidencial e mesmo não saindo vencedor do pleito, não perderá a condição estar na oposição como um partido com força eleitoral expressiva (fará oposição). O PT não tem essa força toda para recorrer as instituições internacionais, mas ao que parece é que lá fora perceberam que a extrema direita/Bolsonaro-PSL está prestes a assumir o controle do país com um discurso extremado e/ou classificado por muitos/veículos de imprensa internacional e instituições como neofascista.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  9. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    O divórcio pode ter ocorrido, mas a crise que pariram em 2014 continua entre nós e bem forte. Mas esse é o modus operandi do PT, deixar a economia em frangalhos quando há a impossibilidade da reeleição, ir para a oposição e reclamar na maior cara de pau que o governo vencedor quebrou as finanças e quando próximo das eleições, apresentar-se como verdadeira solução. Dezesseis anos de governo petista na minha cidade foi o suficiente para ver como trabalham.


    Verdade, ainda há bons políticos dentro do PT como Paulo Paim, pena que sejam a minoria da minoria. O PT não tem força internacional?

     

Compartilhar