1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Belos e Malditos

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Pips, 11 Jul 2009.

  1. Pips

    Pips Old School.

    [size=xx-small]por Pips[/size]

    [align=justify]Esperava do lado de fora de um teatro sujo da Rua Augusta, um cigarro na mão; ônibus sobe, ônibus desce, prostitutas, pessoas elegantes, pessoas bonitas, pessoas desajeitadas, adolescentes que se portam como bêbados sem experimentarem álcool, adultos inconseqüentes, idosos sorrindo, mendigos pedindo, a lua encoberta por diversas nuvens e eu confundindo a fumaça do cigarro com o ar quente que saia da minha boca, sim, era quarta-feira e estava frio. E aconteceu outra vez. Dessa vez em uma quarta-feira, nada acontece às quartas-feiras e sabe o por quê? Ninguém liga para quartas-feiras, localizadas bem no meio da semana, às vezes cinza, às vezes entediantes, “às vezes” é o que se pode falar.

    Cantarolava um blues qualquer na mente, talvez fosse Anything Goes, esperando o tempo passar. Essa noção de tempo era muito atemporal. Não uso relógio e não há nenhum a vista para consultar. Minha certeza é que ela esteja atrasada. O que houve? Atrasou ônibus? Tantos ônibus passam por aqui, sobe e desce, ônibus, buzina, catraca, cobrador. Outro dia mesmo um amigo, um tal Lucas, me contou sobre um assalto no ônibus até o Butantã. O ladrão entrou com mais dois amigos e anunciaram o arrastão. Carteiras, bolsas, relógios, celulares, colares, brilhantes e até óculos de leitura. O ladrão chefe anunciou: “Cantem parabéns, hoje é meu aniversário!”, os passageiros respeitaram o pedido à mão armada e cantaram até que uma senhorinha, “E VIVA O LADRÃO!”, gritou da primeira cadeira. O ladrão comovido devolveu os óculos e a bolsa dela. Todavia, dois ladrões de ônibus fazendo aniversário no mesmo mês? Onde ela estaria?

    Olhava impaciente para Lua, consultava o pulso sem relógio e esperava. Por que aceitei isso? Às cegas. Meu deus! Irmã que nunca conheci da minha amiga. Sim, ela adoraria ir num teatro sujo da Rua Augusta antes que a companhia iniciasse a turnê no Acre. Claro que eu poderia acompanhá-la. O blues foi interrompido de supetão quando vi alguém descendo lentamente a rua, em passos graciosos (ok, não eram tão graciosos, qualquer sandália dessas fazem a pessoa andar com cuidado, não é dom, é prática), carregando uma bolsa de mão, usava óculos (já suspeitava) de armação azul e grossa e ela chegou. Fez um sinal e eu aceitei.

    Ela tinha os cabelos de um ruivo escuro-envelhecido, os olhos eram cinza como um céu nublado e chuvoso e brilhavam graças às luzes artificiais concedidas pelos postes, pequenas e quase imperceptíveis sardas, uma pele espantosamente branca, mãos pequenas. E então ela chegou perto e sorriu. Belo, pequeno, e depois grande, esbanjador de sinceridade, a gengiva se fazia presente discretamente, os lábios vermelhos afinavam de leve e as maçãs do rosto surgiam para completar. Os sorrisos é que me conquistam, alguns aparentam uma beleza superficial, ainda mais os corrigidos por ortodontistas, ou são muito brancos, ou muito amarelos, muito retos, deveras ingleses, mas não que nem o dela. Minha perna tremeu e o rosto dela enrubesceu. Ela percebeu meu desconcerto? Estava desarmado. Mais do que quando vou dormir, alheio aos sonhos. Belos e malditos. Com um beijo não é possível senti-los. Encostar bochecha com bochecha, numa desculpa de abraço, para absorvê-los. Que sorriso! Outra vez tomado, embriagado e tombado por um conjunto de lábios, dentes, gengiva e energia. E pensar que eu sorri de volta. E quando faço isso, que a Lua seja testemunha, é porque mais uma vez amei e sorri e amei sorrir. E ainda aconteceu o que nunca pensaria acontecer à deriva duma quarta-feira.[/align]
     
  2. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    moral da história: existe vida tb nas quartas-feiras.
     
  3. imported_Pediel

    imported_Pediel Usuário

    :rofl::rofl::rofl::rofl:
     
  4. Pips

    Pips Old School.

    Baseado em fatos reais.
     
  5. Anne

    Anne Visitante

    :sing: Acompanhado de um blues, eu digo: bem lindo o seu texto. Me faltou um emoticon com lágrimas.:timido:
     
  6. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    a minha frase eleita "Os sorrisos é que me conquistam" :) Nhaimmm
     
  7. Liv

    Liv Visitante

    Forte candidato para destaque de Julho! Fica aí a previsão =}
     

Compartilhar